Black Hat SEO são técnicas conhecidas por tentar enganar o algoritmo dos mecanismos de busca, a fim de conseguir melhores posições no ranking.

SEO sempre foi considerada a melhor estratégia para criação de conteúdo quando o assunto é melhorar o ranqueamento. Contudo, assim como existem técnicas que podem ajudar a subir de posição no buscar, também existem as que atrapalham, e essas são chamadas de Black Hat SEO.

Conhecidas como técnicas manipuladoras e que servem para enganar o algoritmo do Google, as Black Hat SEO são técnicas que podem interferir nos resultados. Mas ao mesmo tempo, são danosas e podem prejudicar o seu site.

De acordo com especialistas, quem trabalha com SEO deve sempre focar naquilo que ajuda a melhorar o posicionamento do conteúdo e ao mesmo entregando qualidade. Muitos produtores de conteúdos, donos de sites e blogs, têm priorizado a criação de conteúdo de qualidade e isso tem gerado melhores resultados.

Os algoritmos têm ficado cada vez mais inteligentes, e por isso, conseguem identifica práticas enganosas que tentam burlar os buscadores. As táticas Black Hat SEO fazem exatamente isso. Ao longo deste artigo vamos abordar mais profundamente sobre o assunto e te mostrar quais técnicas devem ser evitadas.

Para não violar as regras e diretrizes dos buscadores e acabar sendo banido do ranking, continue lendo para saber o que não fazer na sua estratégia e como acompanhar as tendências de marketing digital.

Neste artigo você verá:

  • O que é Black hat SEO?
  • Quais são os riscos de usar black hat SEO?
  • Razões para evitar as técnicas black hat seo
  • Quem são os black hat
  • O que é black e white hat?
  • O que é tráfego black?
  • O que é conteúdo black?
  • Veja exemplos black hat SEO
  • Quais são as punições para black hat seo
  • Como saber se um site foi punido?

O que é Black Hat SEO?

As técnicas conhecidas como Black Hat SEO são usadas para burlar diretrizes dos buscadores e ao mesmo tempo, tentar ranquear melhor um site. Como o intuito é manipular de alguma forma os algoritmos ou enganá-los, os mecanismos de busca passaram a se aprimorar com o decorrer dos anos.

Sendo assim, para que o site ou a página esteja bem ranqueado nas SERPs, é preciso utilizar técnicas de SEO que sejam liberadas. As técnicas Black Hat podem prejudicar o posicionamento do site junto aos mecanismos de busca.

Esse tipo de prática não é bem vista pelos buscadores, e grande parte deles deixa bem claro que são contra essas técnicas. Além disso, os sites que as utilizam, estão passíveis de sofrer punições ao violar as diretrizes.

Além do site ser penalizado através do algoritmo, o seu posicionamento pode piorar e ir lá para baixo no ranking. O que causará um declínio enorme para o tráfego orgânico.

Quais são os riscos de usar Black Hat SEO?

Dentre os principais riscos estão a penalização do posicionamento no ranking dos mecanismos de busca. Isso não só prejudica a visibilidade do site, como também interfere no tráfego orgânico de forma direta.

Por isso que grande parte dos especialistas em marketing digital não utilizam essas práticas, principalmente por considerá-la antiética. Sempre vai ter os profissionais que fazem o seu uso para acelerar o aumento de visitas e do posicionamento no ranking do Google. Entretanto, esse é o tipo de estratégia que dura pouco tempo.

Quando analisamos com calma as Diretrizes presentes no Google, voltado para webmasters, as orientações são bem claras. É recomendado evitar truques para melhorar o posicionamento. Portanto, sempre se pergunte se o que está sendo efetuado, ajuda o seu usuário de alguma forma? Ou se essas técnicas seriam usadas se não existissem os buscadores?

Por que evitar as técnicas black hat SEO?

No pior cenário da produção de um site, que está utilizando esse tipo de prática para ranquear melhor, existem consequências. Quem viola as diretrizes do Google, pode ter o seu site removido do ar. Essa ação é feita de forma manual ou através do algoritmo do Google.

Além disso, as regras também alegam que quando um site é afetado por uma ação dos algoritmos, ele não vai voltar a aparecer mais nos resultados do Google, ou de seus parceiros.

Sendo assim, mesmo que o foco seja aumentar a visibilidade e o tráfego de um site, o Black Hat SEO pode trazer o resultado oposto. Para te ajudar a entender melhor, acompanhe abaixo, as razões pelos quais você deve evitar utilizar essas práticas.

1.       Afeta de forma negativa a sua posição no ranking e visibilidade

Dentre as principais razões para evitar utilizar práticas Black Hat SEO, é que ela tem o efeito oposto. Com intenção de melhorar a visibilidade do site e aumentar o tráfego, os resultados são menores com o tempo.

Ao acompanhar as métricas de sites que utilizam essas práticas, é possível distinguir visitas com o decorrer tempo. O impacto é negativo, e basta apenas uma questão de tempo. essa perda de tráfego acaba impactando diretamente nas conversões, nas receitas e o negócio em si de uma forma geral.

Além de diminuir a receita da empresa e do site, pode acarretar até mesmo no fechamento do negócio. Na melhor das hipóteses de quanto um site pratica essas técnicas, é o estímulo para que o webmaster tenha que investir em PPC e outro tipo de mídia paga.

2.       Não acarretam em grandes resultados no longo prazo

Mesmo em casos de acontecer um bom ranqueamento e aumento de tráfego, isso não se sustenta por muito tempo. As táticas de manipulação presentes nesse tipo de técnica raramente funcionam, ou quando funcionam, não se mantém.

Pode levar um tempo até que os algoritmos do Google percebam e tomem uma atitude. Contudo, isso vai acontecer em algum momento quando se utiliza alguma abordagem manipulativa para enganar o mecanismo. É apenas uma questão de tempo.

Diante uma última revisão feita nos algoritmos, alguns casos exigem uma revisão conduzida de forma manual. Sendo assim, mesmo que o mecanismo não detecte o que de fato está acontecendo, ao levantar suspeitas, o site passa por outros tipos de revisões.

Portanto, a perda de tráfego é inevitável. Isso pode ser visto quando o tráfego começa a diminuir repentinamente. Muitas empresas que usam esses métodos artificiais para crescer em números, e usam Black Hat SEO, passam por isso em algum momento.

3.       Experiência insatisfatória do usuário

Quem cria conteúdo na internet cria para um público. E quando você não consegue entregar uma boa qualidade e uma experiência para o seu usuário, qual o sentido de tudo isso? Sabemos hoje, ao estudar SEO, que o Google não liga tanto para técnicas de otimização, mas sim uma melhor experiência para o seu usuário.

Quem são os Black Hat?

As black Hat SEO são práticas vetadas e proibidas pelas diretrizes do Google, por irem contra as boas práticas recomendadas para uma boa otimização. Por atuarem na contramão da ética e do que interessa os usuários, esse tipo de prática é punido pelo buscador.

Todas as ações consideradas black hat são questionáveis e atualmente geram graves punições para o tráfego de um site. Sendo assim, qualquer um que tente se beneficiar de alguma forma desse tipo de prática, pode ser punido ou até banido do ranking de pesquisa do Google.

Para entender melhor, existem muitas ações que podem ser usadas em sites para “melhorar” o posicionamento no buscador, mas que burlam ou enganam os algoritmos. Entretanto, esses resultados aparecem de imediato, porém, duram pouco tempo.

Os algoritmos do Google hoje possuem inteligência o suficiente para entender e encontrar essas práticas enganosas e punir as páginas responsáveis. Por isso, o mais recomendado sempre será usar a otimização corretamente.

O que é Black e White Hat?

Além de Black Hat SEO, também existe o White Hat e Gray Hat. A principal diferente entre eles está nas técnicas. O Black é considerado o vilão da história, como se fosse ele o responsável por utilizar as piores estratégias para fazer algo que beneficia. Mas que vão contra as regras.

Esses termos foram criados para facilitar o entendimento do que pode ou não ser feito dentro das técnicas de otimização e marketing estratégico. Atualmente, é importante conhecer todos eles, justamente para entender o que pode não ser usado para evitar punições.

White Hat

As práticas White HAT são apenas que ajudam a aprimorar o desempenho do site. São as práticas de SEO que seguem fielmente as diretrizes e regras criadas pelos mecanismos de busca. Normalmente elas são caracterizadas por colocar sempre o usuário em primeiro lugar.

Sendo assim, é o tipo de conteúdo e estratégia que visa a produção de conteúdo relevante, de qualidade. Mantendo um engajamento orgânico através das redes e um tráfego conquistado no longo prazo, com práticas permitidas.

Cria o site com design responsivo, muitas vezes considerado um conjunto de práticas aplicadas para melhorar o desempenho das páginas e consequentemente, melhorar o ranqueamento das páginas de forma correta. Sem que isso prejudique a concorrência.

Gray Hat

Já Gray Hat fica no meio-termo entre o que é permitido, White Hat, e o que é proibido, Black Hat SEO. Sendo assim, acaba sendo visto como algo duvidoso. Dentro da otimização de conteúdo, Gray Hat são as técnicas que não são boas e nem ruins.

Por exemplo, que é uma pesquisa de palavra-chave que pode ter um bom ranqueamento para determinado site que utiliza otimização de SEO corretamente e não conta com esse tipo de prática.

Mas as práticas Gray normalmente possuem um objetivo de seguir as melhores práticas de SEO, mas em determinados momentos se rendem as práticas black com intuito de obter resultados mais rápidos.

O envio de e-mail marketing é um grande exemplo disso, principalmente quando se utiliza os contatos do usuário sem a sua autorização. Isso é um tipo de violação do destinatário e grande parte das pessoas ainda fazem.

Black Hat

Todo conteúdo que é criado com práticas que manipulam os mecanismos de busca, são considerados conteúdo Black. O nome se dá ao uso de técnicas de Black Hat SEO, que são danosas para sobrevivência de um site no ar.

 Usar práticas duvidosas apenas para ficar bem colocado no Google não é uma estratégia sustentável e de longo prazo. Normalmente o uso dura pouco tempo, porque elas são descobertas ao infligir as diretrizes, e com isso, acabam sendo penalizadas ou banidas dependendo da gravidade da ação.

O que é tráfego Black?

Todo tráfego ou bom posicionamento que acontece devido às más práticas de Black Hat SEO, são consideradas tráfego Black. O que não significa que os resultados não aparecem, mas que são frutos de uma prática ruim de otimização e passível de punição pelo Google.

Sempre que alguma empresa ou site opta por usar Black Hat, o principal intuito é conquistar tráfego de forma rápida. Isso geralmente acontece. Mas com o tempo, os algoritmos do Google conseguem detectar o que está de errado e o que viola seus termos e diretrizes.

Por isso que os Analistas de SEO não recomendam o uso desse tipo de prática, por ela ser extremamente danosa ao site, possibilitando o banimento total dos buscadores.

Veja alguns Black Hat SEO exemplos

Quem está aprendendo agora formas de otimizar conteúdos para marketing de conteúdo e como usar SEO, provavelmente não vai se depararar quem nada que ensine essas práticas. Mas caso você tenha o pensamento de encontrar algo que possa funcionar de forma mais rápida, se atente a esses exemplos. Que embora pareçam interessantes, podem mais prejudicar do que ajudar.

Qualquer técnica que leve a dúvida se pode ou não funcionar, desconfie. Dentre os principais objetivos de SEO, as estratégias também conhecidas como White Hat SEO, costumam sempre estar bem definidas. Mesmo as mais avançadas, exigem atenção.

Entretanto, dentre os conselhos que já foram dados até aqui, opte sempre por fazer o certo. Algumas estratégias recomendadas em grupos de mídia, ou em blogs, podem soar como algo avançado de conhecimento aprofundado. Mas a grande realidade é que podem te levar a ter prejuízos por serem técnicas de Black Hat.

Portanto, conhecimento nunca é demais. Quanto mais você aprende sobre as técnicas que podem ser usadas e as que não podem, vai se tornando mais fácil identificar estratégias danosas. Sendo assim, para não violar nenhuma diretriz, basta evitá-las.

1.      Conteúdo duplicado ou criado automaticamente

As vezes, com a necessidade de desenvolver e criar conteúdos em excesso, muitos proprietários de sites e blogs optam por utilizar formas automáticas de criar conteúdo. Isso não é bem visto pelos algoritmos e também se enquadra em Black Hat SEO.

A criação de conteúdo não é algo fácil de ser feito e exige paciência e dedicação. O mesmo acontece com plágio e conteúdos duplicados. Os fatores de ranqueamento não permitem que isso passe sem algum tipo de penalização.

Gerar conteúdo duplicado, ou criado de forma automática apenas para ranquear, usando muitas palavras chaves, etc, não funciona. O melhor é se dedicar para criar algo único e relevante para o público. Esse tipo de prática de black hat, acaba criando uma infinidade de páginas com conteúdo raso, plagiado, apenas levando em consideração pequenas mudanças.

Isso não é bem visto pelos mecanismos. Sendo assim, o recomendado é sempre se dedicar para a criação do conteúdo. Existem boas práticas dentro do marketing de conteúdo que trazem bons resultados no longo prazo, quando feitos corretamente.

2.      Textos escondidos nas páginas

Quando as práticas de Black Hat SEO começaram a ser usadas, algumas até mais criativas surgiram. Dentre elas a de esconder palavras chaves no fundo das páginas, com a mesma cor ou com fontes bem pequenas para não dar para ler. Alguns até usam textos escondidos atrás de imagens e tudo de forma proposital.

O intuito disso, é esconder palavras chaves que poderiam ser melhor ranqueadas, escondidas no código CSS, para que o usuário não consiga ver, mas o algoritmo faça a sua leitura para “ranquear”. Contudo, essa é uma prática proibida também e confere penalização.

Essa estratégia se enquadraria muito bem como técnica de manipulação de palavra chave. Quem se dedica a criação de conteúdo, elabora listas e mais listas de palavras chaves de cauda longa para se dedicar e assim ranquear nas SERPs.

Nesse caso, se trata de ocultar o texto. Sendo parte dele, como só a palavra-chave, ou o texto completo. Essa prática não é recomendada por ser Black Hat SEO, principalmente para quem esconde conteúdo no meio dos códigos JavaScript.

Existem muitos rastreadores que realizam as pesquisas e avaliam todos os conteúdos, nos mínimos detalhes. É fácil para eles, detectar conteúdo escondido. Portanto, por mais elaborada que seja a tática para usar mais palavras chaves e escondê-las, dificilmente isso fica realmente escondido.

3.      Palavras chaves em excesso

A repetição em excesso da palavra-chave também é considerada técnica de black hat SEO. Sendo assim, ficar repetindo várias e várias vezes as palavras ao longo do texto, sem coerência, apenas para obter uma boa colocação no ranking, não é uma boa estratégia e vai acarretar em resultados contrários.

De acordo com especialistas, essa prática tenta manipular os algoritmos de ranqueamento, com o uso das palavras de forma não natural. Esse excesso, normalmente fica sendo colocado em blocos de forma aleatória. Sem nexo. E por se encontrar fora do contexto principal e não fazer sentido, não é considerado legítimo.

4.      Cloaking

Essa estratégia de Black Hat SE, envolve a apresentação de conteúdo diferente para os usuários e para os mecanismos de busca. É como se cada um tivesse uma experiência diferente com o conteúdo ou a URL. Oi

Essa prática se enquadra em uma tentativa de ranquear páginas baseada em conteúdos, mas que vai direcionar o usuário para um outro lugar. É algo enganoso e que também viola as diretrizes dos mecanismos de pesquisa.

Um criador de conteúdo deve sempre priorizar uma melhor experiência para o seu público-alvo e para os usuários. Esse é o objetivo do Google e, portanto, deve se estender a quem deseja migrar para o digitar e construir um negócio. Quando isso é feito com boa intenção, os mecanismos entendem e entregam as suas páginas otimizadas em melhores posições.

5.      SEO negativo

Todas as práticas de Black Hat SEO tem um objetivo que é tentar fazer com que o site seja melhor ranqueado. O mesmo acontece com as práticas de otimização de SEO. Contudo, existem diferenças entre elas.

No caso do SEO negativo a intenção é reduzir o ranqueamento dos concorrentes. Algo que também é considerado antiético pelos especialistas de plano de marketing. Além disso, é importante ter em mente que isso viola as diretrizes do buscador, principalmente ao afetar outro site ao invés do próprio.

Normalmente isso é feito ao utilizar grandes quantidades de links que não sejam naturais, e que redirecionem para o link de outra pessoa. Com intuito de fazer o site em questão ser penalizado.

Essa é uma prática que não acontece muito, principalmente porque hoje o Google já consegue ignorar esses backlinks. Mas esse tipo de ataque exige uma avaliação mais profunda de quem está por trás e de como essa tática pode afetar o site atacado.

6.      Redirecionamentos para páginas enganosas

O redirecionamento é uma prática válida em otimização de SEO. É comum que quem está atualizando seu site, ou migrando para uma nova URL, faça redirecionamentos. Mas é importante dizer que este deve ser feito de forma legítima.

Quando o redirecionamento é feito para uma página enganosa ou que não tem nada a ver com o que o usuário está buscando, isso é black Hat SEO. Quando o redirecionamento é feito para enganar os mecanismos, e levar o usuário para um novo tipo de conteúdo diferente, a prática é danosa.

Isso acontece porque os mecanismos de busca vão indexar a página original, que ao ser clicada, leva o usuário para outro tipo de conteúdo, em uma URL diferente. De acordo com as diretrizes do Google, esses redirecionamentos enganosos violam as regras e podem ser penalizadas.

7.      Links manipulados

Manipular os links estão entre as práticas mais comuns do Black Hat SEO, mas que normalmente confunde a maioria das pessoas. Isso acontece, porque muitos profissionais de marketing estão acostumados a escrever conteúdos que atraiam. Para isso, nenhum tipo de conteúdo deve estar escondido.

Contudo, o link building pode ser facilmente manipulado e é mais complexo entender essa parte. Dentre os pontos principais estão a razão de que os links precisam ser conquistados, por serem considerados votos de confiança entre um site e outro.

Sendo assim, é preciso evitar excesso de troca de links, links pagos que contenham atributo rel ou nofollow, Spam e Spam de comentários em blogs. O marketing de artigos em larga escala, diretórios de spam e os links building automatizados.

Vale ressaltar que os links de rodapé ou que ficam em barras laterais também são proibidos assim como os que usam texto âncora, com a correspondência exata comercial.

8.      Dados estruturados mal usados

O uso de dados estruturados auxilia na definição de entidades e ações que se relacionem online. Com isso, boas práticas de black Hat SEO mais comuns estão em abusar do que é indevido em termos de marcação.

Isso implica no uso de dados estruturados que fornecer informações ou dados incorretos. Por exemplo, para ter uma ideia, imagina aqueles sites que criam dados estruturados, principalmente para favorecer o próprio site.

Existem muitos profissionais de marketing 4.0 que escrevem as próprias avaliações, ou avaliações falsas para melhorar sua classificação, dando 5 estrelas, etc. Tudo isso serve para melhorar a posição das SERPs e assim, possui um CTR mais elevado.

Entretanto, essa também é uma das técnicas proibidas que se encontra na lista. Acaba sendo um tipo de fraude. E não deveria ser considerado de se usar em nenhuma estratégia.

9.      Páginas de entrada – Gateway – Doorway pages

As páginas de entrada também são consideradas Black Hat SEO, pelo fato de exibir consultas específicas para um conteúdo que deseja atuar como um funil para outras páginas. Essa prática é considerada uma violação das Diretrizes do Google e por isso, deve ser evitada.

Esse tipo de página, também conhecido como Gateway – Doorway pages, tem uma finalidade específica de ranquear palavras chaves que não relevantes. E esse não deve ser o objetivo do seu site ou da sua criação de conteúdo.

Para se ter uma ideia, por exemplo, imagine criar páginas que tenham segmentos de palavras chaves voltadas ao seguimento local da empresa. Sendo que a empresa não possui local física e assim, direciona o usuário para um outro local.

Portanto, as páginas criadas de forma exclusiva, servem para ranquear as consultas, como uma pesquisa. Mas não respondem ou atender a necessidade do usuário. O objetivo principal da criação de conteúdo e otimização deve ter como foco o usuário e não os mecanismos.

Quais são as punições para Black Hat SEO?

Depois de entender o que não se deve fazer em um site para otimizá-lo, é fundamental aprender muito bem as técnicas White Hat Hacker para melhorar o ranqueamento do site, sem descumprir nenhuma das diretrizes do buscador.

Contudo, quem já utilizou alguma das práticas citadas acima para tentar melhorar o seu posicionamento, vai receber punições. Dentre as principais e possíveis punições dadas pelo Google, elas variam de acordo com a gravidade da técnica.

Caso o volume de irregularidade seja muito grande, e a influência afete o desempenho completo do site, é preciso ficar atento para saber senão está recebendo mais de uma punição ao mesmo tempo.

Dentre as punições, é possível notar que o site cai 30, 50 ou até 950 posições no ranking do Google. O que já é bastante prejudicial para o tráfego orgânico. Contudo, também pode acontecer o banimento completo do mecanismo de busca. Nesse caso o site não fica mais visível nas buscas.

Isso pode ficar claro facilmente quando o tráfego orgânico das páginas cai de forma brusca ou de uma hora para outra. Quando isso acontece, e alguma prática de Black Hat SEO estiver presente, pode ser uma punição dada ao site.

Como saber se o site foi punido ou não?

Além de notar que o número de visualizações ou tráfego diminuiu, você pode usar ferramenta que vão mostrar isso. O Google Search Console também costuma receber mensagens quando algo foi feito de forma manual no site. Sendo assim, através dele é possível perceber.

Através do próprio buscador você também consegue saber. Ao digitar o nome do seu site no Google, observe que resultados aparecem. Caso ele não tenha aparecido entre as primeiras posições, pode acontecer de ele ter sofrido banimento.

Outra opção é verificar o nome da empresa no Google. Se ele ainda estiver bem colocado, em uma boa posição, então está tudo certo. Caso ele não esteja mais para baixo, mesmo com o nome sendo buscado, pode ser que algum tipo de punição tenha recebido.

Sempre que houver dúvidas, procure pelo nome do site no Google. Como em termos mais específicos de alguma página criada, ou como costumada achar o site em boas posições. Se verificar que o site se encontra na primeira ou segunda página, tudo ainda está funcionando normalmente. Caso contrário, pode ter caído algumas posições devido a punição.

Ao descobrir uma punição pelo Google, o primeiro passo precisa identificar o que poderia ter causado isso. Quem utiliza Black Hat SEO de propósito, provavelmente saberá o que aconteceu. Mas se você não conhece muito as práticas corretas e não sabe o que pode ter acontecido, é possível fazer um pedido de reconsideração para o Google.

Quando um site perde relevância de alguma maneira, as posições no ranking também podem cair. Isso pode acontecer por diversos motivos, inclusive aumento de concorrência. Nesse caso o que se deve fazer é estudar mais o mercado, o público e tentar melhorar.

Conclusão

Após conhecer as principais técnicas de black Hat SEO fica mais fácil evitar os principais problemas que podem aparecer, devido essa prática. Sendo assim, o ideal é sempre passar longe desse tipo de estratégia, mesmo que ele traga a falsa impressão de resultados mais rápidos.

O Google se atualiza sempre e mantém seus algoritmos sempre muito atentos a esse tipo de prática. Vários sites já tiveram muitos problemas devido esses fatores e por isso, as técnicas White Hat acabaram crescendo e ficando mais conhecidas e usadas por isso.

Quem tem vontade de crescer com um site, e deseja aumentar o seu negócio, deve sempre dar prioridade para o marketing de conteúdo convencional. Com estratégias bem elaboradas e foco na relevância e qualidade do conteúdo para o usuário.

Assim como o Google, o marketing digital hoje em dia deve ser feito, direcionado ao usuário. Quando melhor for a qualidade da experiência do usuário, melhor serão os resultados obtidos através do tráfego orgânico.

Deixe seu comentário