Atualmente, a internet oferece diversas formas de conteúdo em texto para que os internauta fiquem mais informados, e uma delas é o e-book.

Basicamente, os e-books são uma evolução da forma de ler livros, pois estes ficam disponíveis em plataformas virtuais.

Seja em smartphones, tablets, computadores ou mesmo nos famosos Kindles, os e-books possuem uma legião de adeptos.

Muitos consideram os e-books uma aprimoração da leitura em livros físicos e alguns até mesmo acreditam que estes serão a “extinção” dos livros como se conhece.

Mas, apesar de ser uma facilidade que a tecnologia oferece para tornar a vida dos adeptos a leitura mais fácil, há controvérsias de que isso possa ocorrer.

Enfim, os e-books tem como característica a inserção num século de democratização do conhecimento.

E como qualquer um que possui expertise em algum assunto ou talentos literários pode lançar um livro, também ficou muito mais fácil de se tornar um escritor com a tecnologia dos e-books.

Atualmente, é possível lançar livros em diversos formatos na internet: romances, auto ajuda, cursos, guias, etc.

E o que não falta são profissionais para escrever livros, principalmente após o aumento do número de escritores freelancer, redatores e ghostwriters.

Mas, apesar de ser algo aparentemente fácil de fazer, criar um e-book exige dedicação, pesquisa e, claro, criatividade.

Além disso, conhecer formulas de lançamento que possam entregar resultados efetivos na divulgação do livro é necessário.

Por isso, para que o leitor aprenda a como criar um e-book e também como fazer um bom lançamento, aqui está um passo a passo.

O que é um e-book ?

A grande maioria dos internautas sabem identificar que o prefixo “e” antes de qualquer palavra, hoje em dia, caracteriza a palavra em questão como algo proveniente da internet.

E para os e-books não é diferente, uma vez que eles são basicamente livros virtuais com conteúdos de todos os tipos.

A grande diferença entre um e-book e os livros impressos está justamente na maneira com que são emitidos.

Enquanto um depende diretamente de matéria prima e diversos processos para a publicação acontecer, um depende apenas da publicação virtual.

Isso traz diversos impactos positivos para os escritores independentes que não possuem grande orçamento.

Além disso, outro de seus benefícios é o fato de que contribui para uma natureza mais limpa e sustentável.

Mas, como o foco do texto está em torno da criação, publicação, lançamento e outros aspectos sobre os e-books, não há necessidade de aprofundamento na pauta ambientalista.

Enfim, os e-books são uma revolução no mundo dos livros e da literatura, e isso é algo indiscutível.

Tanto pelo fato de serem uma possibilidade de mais autores terem a oportunidade de compartilharem seus trabalhos quanto por seu formato.

Para os escritores, criar e-books é algo que pode ser muito positivo, como dito anteriormente.

Mas, além da criatividade e outros quesitos necessários para um bom e-book, é necessário pensar em tudo.

Por isso, a primeira dica para criar e lançar um e-book é que o leitor pesquise mais sobre o tema que quer abordar em seu texto.

Por isso, ferramentas como Sem Rush e Google Trends são indispensáveis para saber o que possíveis clientes querem saber.

Enfim, para que fique claro como criar um e-book, aqui está uma série de dicas em um passo a passo muito simples de entender.

Como fazer um e-book: dicas

Bom, antes de mais nada, é preciso dizer que para criar um e-book é necessário ter expertise em algum tópico específico ou possuir alguma narrativa em mente, caso o livro não seja de caráter narrativo.

Afinal, nada pior do que ler diversas páginas e não encontrar nenhum conteúdo passível de se considerar relevante.

E é assim que os leitores de e-books escritos por pessoas sem expertise se sentem.

Portanto, essa é a primeira dica: ter expertise. Já a segunda dica é mais simples: é preciso pesquisar sobre o assunto que se irá escrever.

Por mais que já se tenha expertise no assunto, é preciso criar algo com dados consistentes ou que possua maior riqueza em detalhes.

No entanto, não é preciso haver grande fixação em ter um livro extremamente conteudista. Afinal isso o tornaria maçante.

A terceira dica é que é muito importante procurar saber o que o público gostaria de ler. E, para isso, basta acessar plataformas como Google Analytics e Sem Rush.

Lá é possível saber o que as pessoas mais procuram saber sobre na internet em torno do assunto que se está escrevendo.

Assim, fica possível escrever algo que tende mais ao sucesso por ser algo em voga entre o público que se quer impactar.

Enfim, a quarta dica é que se comece a escrever o quanto antes, sem procrastinar ou esperar o momento certo.

A demora para escolher as palavras certas, apesar de ser positivo algumas vezes, pode também ser prejudicial.

Por isso, o ideal é expressar o máximo possível de forma livre e só depois revisar o texto.

A parte criativa de criar um e-book se resume basicamente a essas dicas que foram dadas.

Mas, para trazer mais especificidade para aqueles que desejam criar e lançar um e-book, aqui está um passo a passo.

Passo a passo para criar um e-book

Dentre todas as dicas que foram dadas anteriormente no parágrafo anterior, todas são parte de um primeiro passo para criar um e-book.

Mas, dentro do primeiro passo para a criação, que são as partes de pesquisa e de escrita, existem alguns critérios.

Além da criação e da pesquisa, existem outras etapas do lançamento de um livro virtual que fazem toda a diferença para tingir o sucesso.

É muito importante, por exemplo, saber escolher o lugar onde se irá publicar o material na internet.

Atualmente existem diversas plataformas de vendas de conteúdos digitais, assim como plataformas específicas para e-books.

Além disso, definir se o livro será pago ou gratuito é algo que pode mudar completamente a maneira que o livro é escrito e lançado.

Outro aspecto chave para ser bem definido por um escritor de livro é se o mesmo procura uma agência de marketing digital para ajudar com as campanhas, a arte para a capa, site de vendas etc.

Criar e lançar e-books é algo simples, mas não é algo fácil por se dizer. Afinal, são diversas etapas que precedem a publicação.

Muitas vezes aquele que possui a expertise para escrever um livro não possui tanta experiência em publicações.

Por isso, é importante ter consciência de que muitas vezes pode ser preciso contratar os serviços de um Freelancer ou agência de marketing digital.

Portanto, para que se consiga ter bons resultados pelo esforço feito na hora de criar um e-book, é interessante que se siga os passos a seguir.

Passo #1 como criar um e-book

Criar um e-book é algo que, apesar de ser simples, pode não ser tão fácil assim.

Começando pela necessidade de ter criatividade, propriedade em um assunto e tempo ocioso para se escrever e pesquisar.

Portanto, o primeiro passo para criar um e-book é que se saiba onde se deseja chegar com a publicação do livro.

Afinal, a partir do propósito é possível começar a “traçar as linhas” de onde se irá escrever as palavras para atingir o objetivo: impactar o leitor.

Ao saber o que se deseja expressar ou o que se quer ensinar, é possível começar a criar o e-book.

Depois de fazer todas as pesquisas em torno do assunto que se deseja abordar e delinear um tópico específico, é possível começar a escrever.

E, para escrever não tem segredo: é preciso escrever incansavelmente até que se atinja o objetivo final que é ensinar algo ou contar uma história.

Para isso, é interessante que se siga a estrutura de introdução, desenvolvimento e conclusão. Isso é indispensável para um bom e-book.

Escrever pode demandar muito tempo, por isso é interessante que se tenha uma boa organização de horários para ter tempo para a escrita.

O processo criativo pode ser lento para alguns, enquanto para outros pode ser rápido. Por isso, o mais importante é escrever independente da intensidade com que se faz isso.

Fugir da procrastinação é algo que tanto os escritores de livros impressos quanto os escritores de e-books devem fazer.

Afinal, no fim das contas ambos são escritores e tem como propósito entregar um texto dentro do prazo estipulado como meta e com qualidade.

Uma dica interessante é: mesmo para quem não fizer textos narrativos, usar histórias no texto a seu favor é algo que pode ajudar a prender a atenção dos leitores.

Passo #2 Revisão do texto

Essa é uma das partes que muitos consideram ser a mais maçante, visto que toma muito do tempo para cuidados com a gramática, a estrutura do texto e o conteúdo.

Como a primeira etapa se trata mais sobre pesquisa e criação, é interessante que o escritor se limite a fazer correções somente após o final.

Isso ajuda a desbloquear o processo criativo, uma vez que a autocrítica demasiada pode criar bloqueios na escrita.

Enfim, após terminar o texto é importante que se faça leituras por diversas vezes do texto. Na primeira leitura, é importante avaliar todos os aspectos.

A gramática, a estrutura como foi organizado, a coerência e a coesão do conteúdo, enfim, tudo isso deve estar dentro da revisão.

O interessante é que se faça uma leitura minuciosa para rever os detalhes de cada um dos aspectos mencionados.

Alguns escritores fazem isso centenas de vezes quando não possuem os serviços de um revisor de texto ou alguém que faça isso por eles de forma gratuita.

Enfim, uma dica importante para a revisão do texto é usar um bom detector de erros gramáticos, tais como o Grammarly ou o próprio corretor do Pacote Office na versão mais atualizada.

Talvez seja interessante procurar revisar o texto de forma seccionada para conseguir enfatizar uma melhor correção.

Mesmo que isso seja um tópico que poderia ser abordado no parágrafo sobre a criação, dividir o texto em temas é crucial para deixá-lo mais objetivo, sem dar muitas voltas.

No geral, essa parte pode parecer a mais complicada, quando na verdade é só a que exige mais atenção daqueles que escrevem.

E, claro, é sempre bom ter a perspectiva de pessoas críticas. Por isso, entregar o material a pessoas conhecidas e que tenham bom senso crítico pode ajudar bastante a notar erros que “passaram batido”.

Passo #3 Escolhendo um formato

Uma das etapas mais importantes na hora de se criar um e-book para disponibilizar para a posterioridade é escolher um formato para publicação.

Geralmente, os autores ou até os próprios editores preferem usar dois formatos mais usuais para e-books.

O mais comum de todos é o PDF. Esse é o mais funcional para aqueles e-books que possuem imagens.

Esse também é o formato mais ideal para o e-book que tiver um layout elaborado, com ornamentos, etc.

Além disso, muitas pessoas que costumam ler e-books ou simplesmente estão habituadas a consumir conteúdo escrito na internet tem mais afinidade pelo PDF.

E, principalmente para os leitores de e-book de primeira viagem, esse é o formato mais recomendado como escolha.

Já o segundo formato, o ePub, que é o formato mais usual para as plataformas específicas para a leitura, tal como o Kindle.

Caso o e-book escrito não contenha tantas imagens ou nenhuma, seja um texto de leitura mais “pesada” ou um texto para um público acostumado com leitura em dispositivos específicos, esse é o formato mais recomendável.

De qualquer forma, vale frisar o fato que mesmo que se escolha o primeiro ou segundo formato, é importante que a estética não se sobreponha ao conteúdo.

Isso porque um formato é escolhido com a finalidade de suprir a falta de conteúdo com ornamentos ou conteúdo em imagem.

E isso foge completamente da ideia de um e-book de qualidade, visto que o foco é a transmissão de um conteúdo escrito de qualidade, antes de mais nada.

E, claro, essa é um parte em que um designer pode fazer toda a diferença. Afinal, esse é o profissional que sabe o que fazer quanto a estética ou como diagramar um e-book.

Enfim, esse passo merece tanto foco quanto os demais que foram apresentados até aqui.

Passo #4 Publicar e-book

Agora que já se escreveu o e-book, a revisão foi feita e o mesmo já foi diagramado, resta publicar o material em algum lugar.

Essa é uma etapa em que muitos detalhes ficam a critério do escritor visto que só depende dele optar entre publicar gratuitamente ou não e também em que plataforma o fazer.

Atualmente, existem diversas plataformas onde fica possível disponibilizar e-books, tais como Hotmart, Monetizze e Whatpadd.

Em todas essas plataformas é possível publicar sem ter que pagar nada, assim como dá para publicar dando comissões sobre venda.

No geral, a grande maioria daqueles que publicam seus primeiros e-books gostam de trabalhar com pequenos exemplares gratuitos que levam os leitores até a versão completa do material.

Essa é uma ótima técnica de funil de vendas para e-book, uma vez que instiga a curiosidade dos leitores para ter mais do mesmo conteúdo que foi escrito.

Mas, não há nada de errado em escolher publicar o primeiro livro cobrando dos leitores um preço pelo material.

Enfim, na hora de decidir onde publicar um e-book, caso se deseje publicar como conteúdo pago, é interessante ver quais são as taxas cobradas por venda em cada uma das plataformas.

Além da Hotmart, Monetizze e Whatpadd existem outras plataformas que servem para a publicação de e-books.

E é claro, escolher o melhor local para publicar um livro virtual pode ser um diferencial para que esse se torne mais conhecido entre os leitores.

Existem muitas plataformas pequenas as quais quase não são acessadas e que talvez não sejam a melhor opção pelo fato de não gerar fluxo de acesso para o livro.

Portanto, para que fique mais claro onde escolher publicar o livro, ainda neste artigo estarão algumas recomendações sobre cada uma das plataformas.

E, claro, usar uma boa estratégia de lançamento.

Dicas para lançar um e-book

Um bom lançamento na internet independe do fato do conteúdo que está sendo lançado ou onde está sendo lançado.

Na verdade, um bom lançamento depende apenas da capacidade de divulgação de um material propagando a ideia do conteúdo que se está lançando.

O conteúdo contido no material, como um e-book, pode até ser ruim. Mas se a fórmula usada para o lançamento for boa, gerará muitos leads.

Claro, isso não é nenhum tipo de recomendação para se fazer um e-book ou qualquer outro material desprovido de qualidade.

É apenas uma exemplificação para demonstrar o poder de um bom Marketing feito em torno de um produto.

Inclusive, que fique claro aqui que um bom e-book é aquele que oferece uma transformação a seus leitores.

Caso contrário, dificilmente ele será um info produto bem avaliado entre aqueles que já consumiram.

Isso ajuda a agregar valor, assim como ter uma boa página de vendas ajuda a tornar a compra algo mais convidativo para os leads.

E, claro, uma boa copy atinge a dor dos clientes para que esses se sintam mais interessados a comprar.

Mas, enfim, um bom lançamento vai depender de uma série de fatores dentre os quais já foram mencionados acima.

Todavia, uma boa estratégia de lançamento para o primeiro e-book é aquela que caiba dentro do orçamento de seu criador.

Assim como é a forma mais objetiva e otimizada de conseguir gerar mais leads, converter mais vendas.

Portanto, abaixo estão algumas das melhores estratégias de lançamento para e-books, tanto para baixo orçamento quanto para um bom orçamento.

Aliás, se o leitor não estiver anotando tudo o que foi passado até agora no texto, é interessante que se anote pelo menos essa parte.

É um divisor de águas entre um e-book de sucesso e um total fracasso em número de leitores!

Estratégias de lançamento para e-books

Existem diversas alternativas para aqueles que desejam fazer um bom lançamento de e-book nas diversas plataformas virtuais.

Mas, dentre todas as técnicas que existem, fazer um lançamento de um e-book não é a mais correta.

E, apesar disso parecer algo contraditório ao título dessa seção, é o certo a se fazer. Afinal, um lançamento é algo efetivo para outros tipos de produtos digitais.

Por exemplo: caso um criador de conteúdo decida fazer um evento de lançamento de seu produto que, no caso, é um e-book.

Há toda uma preparação, uma forma de instigar os espectadores para que fiquem “ligados” no produto que será lançado.

Uma série de vídeos são feitos convidando os internautas a ficarem de olho no que será lançado e, de repente, o produto é um e-book.

Não desmerecendo o valor dos e-books, mas como foi dito anteriormente, os lançamentos são uma ótima estratégia para outros produtos.

No caso, o melhor a se fazer com um e-book é usar estratégias de publicação de um perpétuo.

Um perpétuo, basicamente, é aquele produto virtual que fica disponível para sempre ou por um longo prazo de tempo.

E para lançar um bom perpétuo só é preciso ter uma boa página de vendas com uma boa copy e, claro, ter um tráfego qualificado.

O tráfego pago qualificado é uma parte crucial para soltar um e-book para o mercado. A partir dele fica muito mais fácil entregar o conteúdo produzido para o público para quem foi feito.

Então, já que as pesquisas sobre as personas do nicho sobre o qual o livro foi escrito já rendeu informações suficientes sobre o público consumidor, nada melhor do que qualificar o tráfego para que os anúncios cheguem a essas pessoas.

Onde publicar e-book

Agora que os leitores já sabem que para lançar um e-book e ter sucesso é preciso seguir alguns passos, é preciso que saibam onde publicar seus livros.

Revisando de forma breve, as etapas são: pesquisa, escrita, revisão, criação de página de vendas e copy, publicação e investimento em tráfego.

Mesmo que o livro seja distribuído de forma gratuita para o público, caso se tenha a pretensão de que o mesmo tenha impacto sobre a vida de muitas pessoas, é interessante que se pague por tráfego.

Além disso, escolher a melhor plataforma para publicação é um dos diferenciais para ter sucesso na publicação.

E entre todas as plataformas que existem no mercado, existem algumas que possuem maior relevância do que outras.

Além disso, existem algumas que oferecem a possibilidade de publicação gratuita do livro, enquanto outras não oferecem essa opção.

Atualmente, Hotmart, Monettize e Whatpadd são algumas das mais conhecidas, assim como algumas das melhores.

Mas, algumas outras plataformas como a Kobo ou até mesmo a plataforma Kindle Direct Publishing são ótimas escolhas.

Por isso, para que os leitores fiquem informados sobre o melhor lugar para publicar seus livros, aqui estão alguns detalhes sobre algumas dessas plataformas.

Wattpad

Há alguns anos atrás seria difícil imaginar uma rede social voltada para o público de leitores e escritores, especificamente.

Mas, hoje em dia, com a diversificação da internet, os nichos que nela se encontram e também sobre a democratização de algumas coisas por ela, há essa rede.

Trata-se da Wattpad, que hoje em dia é a maior comunidade voltada para esse nicho no mundo inteiro.

A Wattpad possibilita que os leitores e escritores interajam entre si, além de possibilitar publicações de e-books de forma sem complicações.

Hoje em dia, a rede possui mais de 50 idiomas diferentes disponíveis para leitura e uso do site e aplicativo, além de diversos e-books publicados.

Muitos best sellers que inclusive foram adaptados para as grandes telas de cinema já foram publicados nessa plataforma.

Alguns exemplos de e-books publicados nessa plataforma são a trilogia “After” e “Cafajeste”, ambos muito acessados.

Por ser uma plataforma extremamente democrática, vários tipos de texto estão publicados na mesma.

Desde fanfics, livros de não ficção, romances de aventura, ação, etc. Essa é uma plataforma para todos os tipos de escritores e leitores.

Além disso, nela é possível participar de concursos de escrita onde o e-book publicado pode ser premiado com quantias em dinheiro.

Mas, um dos pontos negativos de publicar conteúdos nessa plataforma é que não dá para ter lucros diretos com o e-boom publicado nela.

Em contrapartida, por meio dela é possível ganhar visibilidade no mercado literário, além de conseguir fazer as primeiras publicações de forma gratuita e autônoma.

Essa é uma ótima escolha para escritores que estão no início de suas carreiras, principalmente daqueles que escrevem textos literários.

Hotmart

Provavelmente essa é uma das plataformas de publicação de info produtos mais conhecidas da internet.

A Hotmart é uma plataforma feita especificamente para a venda de info produtos de todos os tipos: e-books, cursos, guias, etc.

Por isso, optar por publicar um livro virtual na Hotmart pode ser uma boa escolha para aqueles que desejam trabalhar com vendas.

Mas, antes de mais nada, é necessário frisar a importância de registrar o livro produzido, caso queira vendê-lo em sites como esse.

Para isso, haverá uma seção explicando especificamente como fazer isso sem complicações.

Enfim, a Hotmart é uma empresa que está no mercado digital desde 2011 oferecendo seus serviços como plataforma de vendas de info produtos.

Nela, tanto o escritor do e-book quanto outras pessoas podem sair ganhando com a venda.

Isso porque essa plataforma possibilita que seus usuários se tornem afiliados a um produto, podendo vendê-los.

Enfim, a Hotmart é uma das opções mais vantajosas entre todas mencionadas anteriormente por cobrar baixas taxas em comissão, quando comparando a série de benefícios que oferece aos produtores de conteúdo.

Além disso, caso o produtor ou expert do e-book decida contratar os serviços de um coprodutor e esse vá receber comissão por venda, a própria plataforma desempenha a função de direcionar a porcentagem para aquele que prestou serviços.

Outro aspecto positivo da Hotmart sobre publicação de e-books é o fato de que essa é a plataforma de vendas de info produtos mais usada do Brasil.

Então, as chances de um e-book ter mais visibilidade nela são maiores do que em muitas outras.

Fora isso, a porcentagem de comissão exigida pela Hotmart não é nada exorbitante e garante lucros para os produtores de conteúdo.

Enfim, essa é uma ótima escolha para aqueles que desejam iniciar suas carreiras como escritores de e-books pagos.

Monetizze

Apesar de ser uma plataforma feita exclusivamente para pagamentos virtuais de info produtos, essa oferece a possibilidade de publicação dos produtos também.

A Monetizze possui um diferencial pelo fato de ser uma plataforma que liga pequenos empreendedores, seus produtos disponíveis na internet e consumidores.

Por meio dessa plataforma fica disponível para o criador de conteúdo o monitoramento das vendas, gestão de rendimentos, informações sobre anúncio e número de vendas.

Além de ser completamente segura, essa plataforma oferece diversas ferramentas que contribuem para vendas do produto em questão.

Essa é uma plataforma muito comparada ao Hotmart, por possuir grandes semelhanças em alguns processos e ferramentas.

A diferença é que a porcentagem e comissão por venda que essa plataforma cobra de seus produtores é um pouco menor.

Além disso, é uma plataforma que não tem como exclusividade a venda de info produtos, uma vez que ela oferece produtos físicos também.

E esse ponto pode ser muito positivo para aqueles que escrevem um e-book como produto de entrada para outros que podem ser vendidos em forma física.

Ademais, essa é apenas uma das possibilidades entre todas as plataformas onde é possível fazer a publicação de um e-book.

Venda, preços e registro

Ainda que se tenha explicado todos os passos para a criação e divulgação aqui, é preciso esclarecer alguns detalhes sobre como vender um e-book.

E para começar, o primeiro importantíssimo em como desenvolver um e-book é o seu registro.

Para fazer isso, portanto, é necessário acessar a ISBN (International Standard Book Number), onde se emite registros internacionais para identificar livros.

A partir disso, o livro produzido fica a salvo de plágios e todo o registro é feito em torno dos dados de seu criador.

Enfim, o próximo passo para vender um e-book é que, depois de publicar na plataforma de distribuição escolhida, que se defina um preço.

Muitas pessoas tem dúvidas sobre o preço para vender um e-book, mas isso é algo simples e que demanda apenas uma análise.

Essa análise é feita para estipular o valor a ser pago com base no que foi gasto para produzir o e-book, além do tempo que foi usado para esse processo.

Mas, ainda que se tenha anotado todos os valores gastos com o e-book, definir quanto vale o tempo gasto para escrever e os demais processos é algo difícil.

Portanto, é algo que cabe somente ao escritor definir qual o valor de venda de seu e-book.

No mais, é preciso ter em mente que produtos como e-book não podem ter valores muito altos por questões de geração de leads.

Uma vez que um e-book é muito caro, isso pode acabar afastando possíveis compradores.

Um dos motivos para isso é o fato de que um e-book é feito justamente com a ideia de cortar certos gastos que elevam o seu preço, o que leva os consumidores a compararem os preços de e-books de um mesmo nicho entre si.

Afinal, o que seria um bom e-book?

Depois de ter feito todos os passos e seguido todas as dicas desse texto, possivelmente um bom e-book pode ser feito pelo leitor.

Mas, no que diz respeito às dúvidas que giram em torna da criação e desenvolvimento de um produto de qualidade, não são poucas pessoas que se questionam sobre o que seria um bom e-book.

Muitos não sabem ao certo qual é o tamanho ideal, o número de imagens para usar no decorrer do texto ou qual nicho impactar com o conteúdo.

Mesmo fazendo pesquisas sobre o que as personas de um determinado nicho se interessam, muitas vezes o escritor põe sua vontade a frente dos demais.

E essa é uma das fórmulas mágicas para fazer um e-book mal sucedido.

Além disso, outra coisa que leva muitos e-books ao fracasso é o excesso de ornamentos e imagens no texto.

Muitas vezes, para suprir a necessidade de um bom conteúdo, muitas imagens são utilizadas. E isso desagrega valor ao produto.

Além disso, uma das maiores falhas cometidas por escritores de e-books é escrever ou muito pouco ou em excesso sobre o assunto, fugindo do tamanho ideal.

O ideal, como dito antes, é que se consiga promover uma transformação ao leitor. E, para isso, é preciso ter uma linguagem clara e objetiva.

Ou seja, se forem necessárias 300 páginas para gerar uma transformação sem dar nenhuma volta, que essas 300 páginas sejam escritas.

Mas se for possível explicar como chegar a essa transformação em apenas 60 páginas, não há porque em embromar com muitas palavras ou exemplos.

Além disso, um bom e-book é aquele que consegue prender a atenção dos leitores de alguma forma, seja usando histórias ou apresentando provas sociais.

Enfim, algumas das maiores dúvidas estão em torno da produção em si do que propriamente da divulgação.

O tamanho de um e-book

Essa é uma das questões mais questionados pelos produtores de e-books de primeira viagem.

Bom, antes de mais nada vale frisar que tamanho não é documento quando se fala sobre e-books.

Existem diversos info produtos nesse tipo de formato que com poucas páginas consegue entregar uma grande quantidade de informações.

Enquanto há outros que com cem, duzentos ou mais páginas não consegue oferecer nada aos leitores.

Por isso, definir o número ideal de páginas é algo que vai depender muito do quanto se consegue entregar uma transformação no decorrer das páginas.

Por exemplo: ao lançar um e-book sobre como aprender a tocar violão em 30 dias um produtor pode ensinar todas as técnicas que sabe em 100 páginas.

Mas, ao acessar alguma plataforma de vendas de e-books, esse escritor pode notar que há um mesmo livro contendo informações semelhantes mas resumido em 50 páginas.

Será mesmo que o leitor vai optar pelo livro que ensina um mesmo conteúdo com mais páginas sendo que ele tem a opção de aprender com uma leitura menor?

Claro que não! Com a internet, as pessoas começaram a procurar por informações mais rápidas que se encaixassem no cotidiano acelerado de suas vidas.

Portanto, a melhor opção é buscar entregue o melhor conteúdo possível, com a maior completude em abordagem o possível com um número pequenos de páginas.

Isso não só indicará que é uma leitura fácil como também motivará os leitores a executarem a compra pelo gatilho mental de poupar tempo com leitura.

Portanto, o numero ideal de páginas vai depender tanto do assunto abordado no livro quanto da quantidade de conhecimento e transformação que se consegue passar em número pequeno de páginas.

Sem recurso para designer? Veja como diagramar um e-book

Ainda que nesse texto tenha sido recomendado àqueles que pretendem escrever um e-book que contratem um designer, nem sempre todos possuem um orçamento para tal.

Por isso, saber como diagramar um e-book é algo indispensável para os produtores de primeira viagem que não têm dinheiro para investir em diagramação.

Mas, antes de mais nada, é preciso dizer o que é diagramação. Bom, diagramar um e-book significa usar técnicas de design para organizar melhor a disposição do texto e das imagens presentes no livro.

Para isso, existem diversas ferramentas as quais são muito fáceis e práticos de se mexer, além de alguns recursos serem gratuitos.

Mas, para começar, aqui estão os passos para fazer uma boa diagramação de e-book sem erros.

Primeiro, é necessário que se defina um grid. Basicamente, o grid é a disposição do conteúdo, em texto ou imagem, pelo espaço do e-book.

A partir do momento que se definir isso, basta seguir o parâmetro que foi estabelecido que não tem erro!

A segunda etapa é definir bem as colunas do texto para que esse esteja dentro de uma disposição com maior legibilidade para os leitores.

A terceira etapa é escolher uma fonte para que a leitura fique mais prazerosa. Não adianta escolher uma fonte ornamentada e completamente incompreensível para os leitores.

Fontes mais simples sempre são a melhor opção. A quarta etapa é cuidar do alinhamento.

Sim, fugir do alinhamento é algo que pode atrapalhar a leitura e tirar o prazer de estar adquirindo novos conhecimentos. Portanto, o ideal é que se alinhe bem o texto.

Por fim, caso sejam usadas imagens: investir em fotos de bancos de imagens, usar com moderação as imagens e, claro, manter uma identidade visual.

Esses são pontos indispensáveis quando se fala no uso de imagens num e-book.

Conclusão

Enfim, esses foram alguns passos e dicas para criar e lançar um bom e-book.

Existem algumas coisas que, muitas vezes, podem fugir do conhecimento de um produtor de e-books.

Por isso, ter uma empresa de marketing digital que possa contribuir faz toda a diferença para a criação desse info produto, assim como da página de vendas, gestão de tráfego ou até mesmo o design do livro.

Por isso, caso o leitor tenha interesse em produzir um e-book e precise de uma agência de marketing digital que se prontifica a contribuir para o sucesso do projeto, a Visão Confiável é a empresa certa!

Ademais, é de se esperar que esse texto tenha sido informativo o suficiente para capacitar os leitores a fazerem seus primeiros e-books.

Deixe seu comentário