Você sabe como fazer uma redação? Existem algumas regras que vão do básico ao avançado que poderão te ajudar a tirar nota máxima na sua.

Aprender como fazer uma redação é uma tarefa que faz toda a diferença para quem deseja prestar um concurso, fazer um exame de vestibular, etc. Isso porque, esse é um requisito que está presente em muitas dessas provas.

No Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), por exemplo, essa é uma das provas mais relevantes, e que tem um peso significativo para a grande maioria dos cursos. 

Ter um bom conhecimento em redação é algo que faz toda a diferença e que deve-se praticar bastante, a fim de conseguir bons resultados nesses exames.  Ao contrário do que se possa pensar, há muitos fatores que envolvem a escrita de um bom texto, devendo-se trabalhar muitos elementos em conjunto.

No entanto, isso não significa que escrever uma redação de qualidade seja uma tarefa impossível. Na verdade, pode-se aprender e aperfeiçoar tudo através da prática. Com isso, vale a pena informar que aprender como fazer uma redação não é uma tarefa que se realiza de um dia para o outro. É preciso dedicação e foco nas áreas certas.

Neste artigo, você vai ver sobre:

  • Como se faz uma boa redação passo a passo?
  • Como se começa uma redação?
  • Como fazer uma redação de forma simples?
  • Quais são as palavras para começar uma redação?

Quais os tipos de redação?

Quando se fala em como fazer uma redação, é preciso levar em consideração muitos fatores. Afinal, esse é um formato de texto que possui muitas variações. O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), sempre busca seguir o mesmo padrão em suas redações, mas há muitas outras existentes.

No entanto, para que seja possível manter o foco do conteúdo, vamos mencionar apenas os principais formatos, que normalmente se cobram nos exames mais importantes. São eles: o texto dissertativo; o texto argumentativo; e o texto argumentativo dissertativo.

  • O texto dissertativo visa expor uma opinião sobre um determinado tema, e para isso se utiliza de uma boa argumentação, que siga uma linha de raciocínio coerente.
  • O texto argumentativo está ligado a uma tese, que deve ser devidamente embasada, para que não fique apenas nesse setor opinativo. É preciso dar indícios mais convincentes sobre essa proposta, e bons argumentos fazem toda a diferença.
  • Já o texto argumentativo dissertativo surge exatamente da junção desses dois tipos anteriores. Há nesse formato a apresentação de uma tese, bem como a de argumentos e explicações convincentes que deve-se dar. A presença de uma solução, apresentada na conclusão do texto, também é uma característica desse texto.

Dentre esses tipos, porém, um que ganha grande destaque é o texto argumentativo dissertativo, justamente por ter o melhor dos formatos que o compõem. Aliás, esse é justamente o tipo de redação que o ENEM cobrado.

Por isso, é importante conhecer bem sua estrutura, uma vez que deve-se trabalhar justamente suas características. Aprender como fazer uma redação depende muito desses fatores, já que cada formato possui suas próprias regras.

Como o texto dissertativo-argumentativo é dividido?

Como mencionado, o texto dissertativo-argumentativo é um dos mais comuns, e comumente empregados nos principais exames e vestibulares do país, como é o caso do ENEM. Mas qual é sua estrutura?

Bem, a divisão desse modelo é bastante simples, uma vez que ele segue uma divisão em apenas três partes. Essas são a introdução, o desenvolvimento e a  conclusão do texto.

A introdução é justamente a parte introdutória desse texto, onde apresenta-se a temática, os problemas e as ideias. Nesse ponto, é muito comum partir de uma alusão histórica, como a ligação com algum filme, livro, etc. e então relacioná-lo com o tema principal realmente. Quanto ao tamanho da introdução, o mais aconselhável é que ela cubra 1 ⁄ 4 (um quarto) do texto, ou seja 25% de toda a redação.

O desenvolvimento trata justamente de aprofundar o que já foi introduzido, é aqui onde apresenta-se os argumentos, e onde defende-se a tese. As citações e o embasamento, para validar essas opiniões também fazem parte desse desenvolvimento. Exatamente por isso, essa é a maior parte do texto, que deve representar a metade da redação, ou seja, 50% desse texto.

A conclusão é a parte final da redação, e serve justamente para fechar essa linha de pensamento. É nesse momento que uma solução para o problema debatido deve ser apresentada. E quanto ao seu tamanho, ela fica com os outros 25 % restantes do texto. Entender como fazer uma conclusão é um ponto chave de uma boa redação.

É importante manter a linha de pensamento ao decorrer do texto, sem fugir da temática abordada, e também sem contrapor aos próprios argumentos. A conclusão, por exemplo, deve estar de acordo com as ideias apresentadas. Além do mais, é importante respeitar essas dimensões de cada parte, dividindo bem o texto.

Como fazer uma redação: dicas para estudar redação

O aprendizado de como fazer uma redação vai depender de diversos fatores em conjunto. No entanto, é preciso entender que essa não é uma tarefa impossível, basta apenas empregar a dedicação correta.

Além dos estudos mais gerais sobre a língua portuguesa, como os pronomes ou os pronomes pessoais oblíquos, por exemplo, há outros pontos importantes, que também devem ser levados em consideração. 

De um modo geral, questões como estudar o formato da redação, criar o hábito de leitura, estudar a língua portuguesa, praticar bastante esse formato, e escrever sempre de forma objetiva, são alguns desses pontos. Essas são justamente nossas 5 dicas de como fazer uma redação.

No entanto, vale lembrar que essas dicas iniciais são relacionadas ao processo de aprendizado, ou seja, para quem quer aprender a fazer uma redação, quais são os hábitos que ela deve adquirir, estudos, etc. No próximo tópico, porém, será tratado justamente sobre o processo de escrita, e como fazer uma redação de uma forma eficiente.

textos
Estudando para redação

Estudar o formato da redação

Nos tópicos anteriores foi possível observar que a redação não se limita a um único formato. Há variações desse texto que podem ser solicitadas, e que refletem estilos diferentes de debater o assunto abordado. Por isso, o processo de como fazer uma redação vai depender, e muito, desse formato que será exigido. 

O primeiro ponto, desse modo, é buscar saber e dominar bem as regras desse tipo de texto. Felizmente, os exames costumam seguir um padrão, não sendo esse formato uma surpresa para o aluno. O ENEM, como já informado, adota sempre o texto dissertativo-argumentativo, que acaba também sendo bastante comum em outros exames.

Por isso, estudar esse formato é algo fundamental para quem vai prestar esse exame, e o mesmo vale respectivamente para os demais. É preciso que a redação siga o propósito do texto, e suas regras de escrita. O próprio desenvolvimento, forma que as ideias são apresentadas, também dependem bastante de cada caso.

Criar o hábito de leitura

Uma dica de extrema importância para quem quer aprender a como fazer uma redação é simplesmente ler bastante. Criar esse hábito da leitura é realmente um dos pontos primordiais, e que vai gerar muitos benefícios na hora de escrever.

A escrita é a tentativa de passar para um papel os sons que o ser humano reproduz em sua fala, e os atos de ler e escrever estão bastante conectados. Após se alfabetizar, o ser humano passa a memorizar as estruturas das palavras, e a ler quase como se fossem imagens. Quanto mais uma pessoa lê, mais ele vai aprendendo essas estruturas. Em outras palavras, ele cria a sua base para escrever.

Outro fator que também está diretamente conectado a isso, é a própria aprendizagem de novas palavras. E ter um bom vocabulário interfere diretamente em como fazer uma redação. Afinal, é preciso criar toda a coesão textual, conectar os pensamentos, substituir os termos ao longo do texto, para que não se repitam demais, etc.

E nesse ponto, embora um estudo técnico, de regras gramaticais ou algo do tipo, também surta um bom efeito, a leitura ganha destaque por ser algo mais prazeroso. Como mencionado, é preciso criar esse hábito de ler, e não fazê-lo por obrigação. 

É importante que haja uma variação em relação aos conteúdos e formatos. Por isso, ler livros variados, revistas, notícias, etc. tudo deve fazer parte desse hábito. Basta apenas separar um momento do dia, e começar a praticar.

Aliás, isso vai interferir diretamente também na própria ampliação do conhecimento, uma vez que cada vez mais se vai captando novas informações. Mas, claro, a satisfação e o relaxamento devem guiar esse processo. Apenas assim esse hábito prazeroso será criado.

Estudar a língua portuguesa

Um ponto que realmente deve-se levar em consideração ao estudar para redação, é justamente o estudo da língua portuguesa. Afinal, a redação é escrita em português, e deve seguir todas as regras gramaticais dessa língua.

O seu domínio, aliás, é um dos critérios levados em consideração na hora de avaliar esse texto. Por isso, dedicar um tempo também para estudar questões gerais, como o uso dos porquês, conjugações dos verbos, concordância, etc. também faz parte desse aprendizado.

Claro que dentro da redação há diversos pontos que também são importantes conhecer, relacionados a sua própria estrutura e regras. No entanto, de nada vale saber organizar esse texto, se a própria escrita das palavras em si estão erradas.

Por isso, ampliar esses esses conhecimentos sobre a língua portuguesa, estudar regras gramaticais, etc. também faz parte do como fazer uma redação.

Praticar e praticar

Tão fundamental quanto se criar um hábito de leitura, é efetivamente praticar as redações em si. Essa é uma das peças chave, e que está na base das dicas de como fazer uma redação. A prática aperfeiçoa as técnicas, e quando se trata de escrever um bom texto não é diferente. 

Em termos gerais, umas duas redações por semana já conseguem surtir um efeito significativo nesse processo. Mas claro, é preciso praticar da forma correta. Como mencionado, a sua grande maioria trata-se de um texto dissertativo-argumentativo. E é nesse formato que é necessário focar. Nesse ponto, é importante estudar as características dessa redação, os objetivos que devem ser atingidos, as regras que esse formato possui.

Embora o próprio ato de escrever em si, realmente tenha um papel importante, a escrita de uma boa redação vai depender da prática dentro desse formato. Questões como a criação de bons argumentos, menções de embasamento teórico, e de uma solução eficiente, são aperfeiçoadas com a prática dentro do texto dissertativo-argumentativo.

Obviamente que o mesmo vale para outros formatos. Então, buscar conhecer qual formato é o mais aplicado na prova que se irá fazer, é algo indispensável. É justamente em cima desse formato que essa prática deve ser feita. A conquista de um bom resultado vai depender bastante disso.

Nesse quesito, entram também outras questões mais técnicas, ligadas ao próprio aperfeiçoamento da escrita em si. Afinal, o conhecimento da escrita e de suas regras também é de extrema importância para o sucesso na redação.

Escrever sempre de forma objetiva

Ao se observar bem uma redação, levando em consideração todo o conteúdo que ela deve possuir, em relação ao seu tamanho, é possível perceber que é algo bastante concentrado. De um modo mais geral, o tamanho de uma redação varia entre 15 e 30 linhas. No entanto, há muito o que deve ser escrito nesse espaço.

Esse pensamento serve justamente para intensificar a importância da objetividade dentro de uma redação. Afinal, escrever sempre de forma objetiva é um fator que conta muito para a experiência de quem vai avaliar o texto.

Dar voltas e mais voltas ou repetir pensamentos na hora de entregar alguma informação, conta negativamente para a qualidade de uma boa redação. Por isso, buscar ter clareza nos dados, e escrever objetivamente é algo que realmente faz a diferença.

Afinal, esse texto deve ter uma boa introdução (com alusão histórica), um bom desenvolvimento (com causas e argumentos) e uma boa conclusão (com uma solução eficiente para o problema).

Ler atentamente

Como mencionado, no tópico anterior foi visto o processo anterior ao momento da escrita de uma redação, como algumas questões preparatórias para isso. Agora, porém, vamos tratar justamente sobre o como fazer uma redação na prática, abordando os passos que devem ser dados. Afinal, quando se trata da escrita de uma redação, há alguns pontos que fazem toda a diferença, e que devem ser trabalhados. 

Questões como ler atentamente os textos base; pensar sobre a temática abordada; observar a estrutura exigida; começar a desenvolver o texto; manter a coerência e a coesão; e fazer uma revisão da redação, ajudam bastante na hora de escrever um texto.

textos
Escrevendo uma redação

Ler atentamente os textos base

De um modo geral, sempre que um exame exige que uma redação seja feita, há a existência de alguns textos base, que servem justamente para permitir que o aluno consiga entender melhor o tema abordado. O ENEM, por exemplo, possui essa característica.

E a importância que esses textos propostos possuem na hora de fazer uma redação é realmente gigantesca. Afinal, é preciso realmente entender a fundo qual é a verdadeira temática que deverá ser trabalhada.

Um mesmo assunto pode ser trabalhado de diversas maneiras, por diversos ângulos. E observar por qual desses ângulos deve ser a perspectiva do texto ajuda, dentre outros pontos, a não fugir do tema.

A violência, por exemplo, pode ser trabalhada de diversas maneiras, uma vez que ela atinge diversos segmentos diferentes da sociedade, como a violência contra a mulher, contra os homossexuais, negos, e a sociedade em si.

Além de permitir entender o tema proposto, a leitura atenciosa desses textos base, servem também para que o aluno comece a refletir sobre essa questão, mesmo que de forma mais inconsciente. Assim, quando for o momento de realmente pensar no que escrever, o tema já estará sendo digerido pela mente.

Pensar sobre a temática abordada

Assim que se observa qual é o tema de uma redação, a primeira coisa que deve ser feita é justamente pensar sobre essa temática. Assim, será possível averiguar todos os conhecimentos que já se possui sobre ela, o que é um fator de extrema importância.

É preciso organizar esses pensamentos, refletir sobre eles, para que ocorra um mapeamento completo sobre o que efetivamente pode ser feito. Uma opção que vale a pena tentar é pensar sobre os principais pontos do tema, como o que é; quais suas causas; o que ele provoca; como combater; etc.

Passar essas ideias para um papel ajuda a não se perder na hora de escrever a redação, além de já ter esses pensamentos como uma base para a escrita. Tudo vai depender de cada pessoa, mas ir com muita rapidez para uma escrita total, pode atropelar essas ideias.

Além do mais, caso haja algum erro, ou alguma abordagem melhor venha à cabeça, fica mais difícil começar tudo novamente. Por isso, maturar um pouquinho esses pensamentos ajuda bastante na tomada de decisão, e também na fluidez da escrita. Mas é preciso se preocupar em não perder essa linha de raciocínio.

Aqui entra bastante conhecimento que cada pessoa tem de si próprio, de suas características e aptidões. A prática, que foi uma das dicas apresentadas anteriormente, também ajuda bastante nesse momento. Afinal, através dela é possível se conhecer melhor, e também escolher as melhores estratégias de abordagens.

De todo modo, a reflexão sobre o tema é algo que realmente deve-se aplicar, ajudando bastante nesse processo de como fazer uma redação. E com esses pensamentos devidamente organizados, tudo passa a ocorrer de uma forma mais natural, e com uma abordagem mais segura no texto.

Observar a estrutura exigida

Com essas ideias iniciais em mente (ou escritas), é o momento de observar a estrutura do texto que está sendo exigida. O processo de como fazer uma redação vai depender diretamente desse fator. Afinal, tudo deve ser devidamente encaixado nessa estrutura.

Em uma redação que envolva introdução, desenvolvimento e conclusão, por exemplo, essas ideias iniciais devem ser devidamente distribuídas. Deve-se guardar um pensamento que seja mais conclusivo, por exemplo, para a conclusão, e o mesmo ocorre em relação às possíveis causas que foram imaginadas, devendo ser apresentadas na introdução e aprofundadas no desenvolvimento.

Aqui tudo vai depender realmente da própria estrutura que a redação deve ter, ajudando a distribuir realmente esses pensamentos. Essa análise inicial serve para que as ideias não sejam mal direcionadas ou mal organizadas.

A fluidez da escrita, que é algo que faz a diferença na hora de escrever uma boa redação, acaba sendo impactada diretamente por essa estruturação. Isso porque, com as ideias em seus devidos lugares, fica mais fácil ligar esses pensamentos, e desenvolvê-los.

Começar a desenvolver o texto

Com a estrutura bem arquitetada, e também com as ideias iniciais bem maturadas, agora é a hora de finalmente começar a escrever de forma mais efetiva o texto. O aprofundamento dessas ideias, ocorre justamente nesse momento.

Com os pensamentos devidamente distribuídos dentro das divisões da redação, estruturar essas é uma tarefa bem mais simples. Agora é o momento de inserir uma alusão histórica relacionada ao assunto, bem como também de conectar melhor esse conteúdo. A argumentação, que é um fator primordial, também se desenvolve nessa fase.

De uma forma geral, é finalmente quando a redação passa a tornar seu corpo. Mas, lembrando que ainda é um rascunho do texto, que será passado a limpo posteriormente.

É importante deixar as ideias fluírem, e ir sintetizando esses pensamentos. Até esse período, as citações que podem se encaixar no texto já foram digeridas, devendo ser incluídas.

Manter a coerência e a coesão do texto

Dois termos que fazem parte desse tipo de texto, e que são pontos primordiais de como fazer uma redação, são a coerência e a coesão textual. Você sabe o que é isso?

A coerência está relacionada ao próprio sentido do sentido, a sequência de um pensamento lógico. Para isso, é preciso procurar não se contradizer, e seguir um raciocínio que faça sentido. Muitas vezes, o texto está bem estruturado, mas pode não fazer sentido. Exemplo: João pesa 40 kg, e consegue levantar até 8 toneladas apenas com um de seus braços.

Em termos gerais, essa afirmação não faz o menor sentido, a não ser dentro de um mundo fictício. Afinal, é humanamente impossível que o João consiga fazer isso, ou seja, não há coerência dentro dessa afirmação.

O mesmo vale para todo o texto em si, em relação a manter esse sentido, e também em não anular as as afirmações, dizendo algo e depois negando isso de alguma forma.

Já a coesão se relaciona com os termos de ligação das frases, das sentenças, dos parágrafos, etc. Isso porque não basta fazer sentido, tudo tem que ser devidamente estruturado, e interligado. O exemplo do João, citado anteriormente, embora não tenha coerência, está escrito de forma coesa, isso porque o “E” está ligando as duas sentenças.

Termos como “Contudo”, “Desse modo”, “Mesmo assim”, “Portanto”, etc. servem justamente para interligar essas frases, para que elas não fiquem simplesmente jogadas dentro da redação.

Entender o funcionamento e a importância desses dois termos é realmente de grande relevância para entender como escrever uma redação, e como colocar tudo em prática.

Por isso, durante a escrita do texto, além de pensar em bons argumentos, é fundamental que eles sejam estruturados de uma forma correta, de uma forma interligada e sempre mantendo a mesma linha de pensamento.

Fazer uma revisão da redação

Por último, mas não menos importante, é hora de acompanhar como realmente ficou a redação, fazendo uma leitura completa do que se produziu. Esse momento é fundamental para o resultado final do texto.

Afinal, nessa revisão, é possível observar como ficou a qualidade geral da redação, bem como também verificar detalhes por menores, como a própria ligação entre as sentenças, e até mesmo erros de ortografia, que não devem seguir para a folha final.

Nesse processo, é possível readequar algumas ideias, mas sem pesar muito a mão, para não desestruturar todo o texto que já foi construído. É interessante observar também se os pensamentos estão seguindo uma linha correta. Essa leitura também permite notar questões relacionadas à própria fuga do tema, caso tenha acontecido, e questões de coesão textual.

Apenas depois de ler o conteúdo, e fazer as alterações necessárias, é que é o momento de passar o texto para definitivo, sempre tomando cuidado para fazer tudo corretamente. Por isso, tudo já deve estar realmente concluído, sem que haja a necessidade fazer novas alterações.

Tenha noção sobre: voz passiva, interpretação de texto, classificação dos verbos, predicados, interpretação de frase, figuras de linguagem, denotação e muito mais.

Como fazer uma redação: regras básicas

Dentro de uma redação, há diversos pontos importantes que deve-se levar em consideração. Muitos deles, são justamente questões básicas, mas que têm grande importância dentro desse formato.

Afinal, também é preciso refletir sobre esses pontos primordiais, que interferem diretamente na qualidade de uma redação. Isso porque, saber como fazer uma redação exige uma base muito mais ampla do que se imagina.

A própria abordagem que deve-se empregar, por exemplo, é uma dessas questões. Como o autor deve conduzir essa escrita, a forma como ele deve se comportar e aparecer dentro do texto, também são pontos fundamentais.

Escrever na 3º pessoa

Uma regra bem básica das redações, mas que pode confundir um pouco os estudantes mais desatentos, é justamente o uso da 3º na escrita dos textos. Isso porque, por ser também um texto, de certo modo, opinativo, onde a opinião, tem um grande valor, há essa confusão em relação ao modo de escrita.

No entanto, é preciso deixar bem claro que para aprender como fazer uma redação, não se pode utilizar a 1º pessoa. De uma forma mais simples, a 1º pessoa são “eu” (no singular), e “nós” (plural), e não devem aparecer, de forma alguma, dentro do texto.

Não se pode escrever um texto dissertativo-argumentativo com “Eu acho que devemos…”; “Na minha opinião, o que deve ser feito…”. Nesse caso, é preciso focar justamente nessa terceira pessoa, sem que o autor efetivamente apareça. Seguindo os exemplos utilizados, o correto seria “Dessa forma, é preciso que algo seja feito…”.

Há uma neutralidade em relação ao autor, que consegue expressar sua opinião, mas sem aparecer. A solução apresentada, por exemplo, não deixa de ser uma opinião do autor, embora não se possa transparecer isso.

Respeitar o número de linhas

Outra regra bem importante, e que também deve-se atender, é em relação ao número de linhas que uma redação deve possuir. Quanto a esse fator, há variações, dependendo de cada exame. No entanto, de uma forma geral, o tamanho de uma redação varia entre 15 e 30 linhas. Vale lembrar, que o respeito a esse limite vale tanto em relação a quantidade mínima, quanto para a quantidade máxima.

Todos os exames indicam quais são esses limites, mas mesmo assim, deve-se trabalhá-los muito bem ainda durante o próprio processo de aprendizado de como fazer uma redação.

Na verdade, quando se está estudando e praticando redação para alguma prova específica, é indispensável que já se tenha conhecimento sobre essa questão. Assim será possível trabalhar de uma forma mais eficiente. Contudo, caso ainda não tenha-se um exame específico em mente, treinar com um modelo que vá de 15 a 30 linhas já é o suficiente. 

Essa questão é melhor sentida quando se observa a própria distribuição das divisões da redação, ou seja, sua introdução, desenvolvimento e conclusão. Isso porque, com esses limites bem estipulados, pode-se estruturar tudo de uma forma mais adequada.

E praticar já levando em consideração esses fatores, contribue diretamente para o aperfeiçoamento desse estilo, uma vez que o estudante vai cada vez mais se acostumando a escrever dentro dessa quantidade de linhas.

Como fazer uma redação: conclusão

Todo o processo de aprender como fazer uma redação, realmente, envolve muitas particularidades. Como visto, o próprio estudo da língua portuguesa em si, é um desses fatores. Outras questões, como ter uma boa leitura, também são de extrema importância para ampliar o vocabulário, por exemplo.

De todo modo, a prática é realmente um dos pontos principais, e que serve para esse aperfeiçoamento de todas as técnicas de escrita da redação. Por isso, além de estudar bastante tudo o que envolve esse texto, também é preciso treinar bastante.

O mais importante de tudo é entender que é possível aprender como fazer uma redação, e que embora seja complicado às vezes, não é uma tarefa impossível dominar esse tipo de texto. Com o tempo, aliás, é possível perceber que essa é uma tarefa mais simples do que se possa parecer.

Deixe seu comentário