O email marketing é um dos principais braços do marketing digital atualmente, e consegue trazer resultados concretos para as empresas. De uma forma geral, ele parte de uma premissa bastante simples: mais da metade da população mundial utiliza o e-mail.

Com tantos usuários ao redor do mundo, o e-mail carrega também as personas de uma ampla variedade de empresas, que utilizam esse meio para se comunicar com o seu público-alvo ideal.

Os correios eletrônicos contam com a vantagem de oferecerem um contato direto com os clientes, e isso é fundamental. Além do mais, permitem utilizações variadas, podendo ser utilizadas para vendas, geração de tráfego, e muitas outras conversões.

Quer saber mais sobre o email marketing, suas estratégias e como fazer? Então continue a leitura desse conteúdo completo, que a Visão Confiável preparou!

O que é e como funciona email marketing?

O Email marketing, de uma forma simples, é uma estratégia de marketing digital que funciona através do envio de emails para os contatos relevantes da empresa, sejam clientes ou leads. O objetivo é estabelecer uma linha de comunicação direta com cada um dos destinatários, a fim de alcançar metas específicas.

Para isso, o mais comum é utilizar ferramentas de automação, que trazem mais rapidez e praticidade no envio dos e-mails. Além do mais, conseguem gerar dados significativos sobre o resultado da campanha.

Atualmente, a estratégia está se reconsolidando, depois de passar por um período de grande desconfiança por parte dos usuários. Afinal, desde sua criação, em 1971, o e-mail sempre possuiu um teor muito privado, onde as pessoas podiam enviar e receber seus correios eletrônicos (cartas) através da internet.

Quando as empresas começaram a utilizar a ferramenta como uma forma de fazer marketing, a forma como tudo acontecia, acabou não dando muito certo nas fases iniciais. As mensagens chegavam a muitas pessoas fora do público da empresa, de um modo invasivo, insistente, e sem permissão, causando a geração de spams, bloqueios e cancelamentos dos envios.

Por isso, as empresas começaram a organizar melhor suas ideias, e a trabalhar da forma correta com o método, a fim de trazer mais eficiência. Felizmente, com os atuais retoques, o email marketing conseguiu se tornar uma das estratégias mais eficientes para atingir o público.

Ele é um aliado fundamental no inbound marketing, e no marketing de conteúdo, servido para a nutrição e conversão dos leads dentro do processo do funil de vendas. E tudo isso trabalhando com pessoas que realmente tem interesse em conhecer o que a marca tem a oferecer.

Por que usar email marketing?

Segundo dados da HubSpot, mais de 4,2 bilhões de pessoas em todo o mundo utilizam o e-mail atualmente. Apenas isso, por si só, já é um belo indício da relevância que a ferramenta possui para as empresas.

Não à toa, também segundo a mesma empresa, o uso dos e-mail representa a terceira forma de marketing mais utilizada no mundo empresarial, atrás apenas da criação dos próprios sites e também do uso das mídias sociais.

Mas porque um sistema com mais de 50 anos de uso ainda consegue ser tão útil dentro das estratégias mais atuais de marketing? A verdade é que o e-mail é uma forma simples e direta de conversar com o público. Sendo assim, esses são alguns dos motivos para utilizar o email marketing dentro das empresas: 

Email marketing – e-mail – Pixabay

Altos índices de alcance

Atualmente, a população mundial é de 7,8 bilhões de pessoas. Desses, cerca de 4,8 bilhões têm acesso à internet. Assim, fazendo os cálculos, o e-mail é utilizado por 88% dos usuários de internet, e 54% da população mundial.

Por tanto, esse é um número que não pode ser desprezado, e mostra a força que uma estratégia de email marketing bem empregada possui. O endereço eletrônico é uma peça bastante utilizada pelos usuários dentro dos cadastros para redes sociais, aplicativos, assinaturas de newsletters, plataformas de e-commerce, etc.

É como uma forma padrão mais formal de comunicação, e que ainda possui bastante força nos dias atuais. Portanto, implementar o marketing através dos e-mail é uma maneira simples e eficiente de alcançar o público desejado.

Previsibilidade de alcance

Além de possibilitar um grande alcance para a marca, o email marketing conta ainda com a vantagem de ser previsível quanto a essa métrica. Se uma empresa fixa um outdoor perto de uma avenida, por exemplo, é impossível saber efetivamente quantas pessoas irão ver a campanha, ou quais resultados que ela realmente irá alcançar.

O mesmo vale também para outras estratégias recentes, como as redes sociais em si. Afinal, ao se realizar uma postagem qualquer, não dá para saber quantas pessoas que realmente vão ter acesso a publicação.

O algoritmo da rede é o responsável por organizar a posição do post de forma variada para cada usuário. Por isso, também não há como medir quantas pessoas realmente vão ter acesso a postagem.

Por outro lado, o email marketing trás essa previsibilidade como um de seus pontos chave. A empresa pode simplesmente criar uma campanha, selecionar os usuários desejados e enviar diretamente para quem ela deseja, garantindo que a pessoa receba a informação.

Com toda a base de cálculos muito bem equipada, ter uma noção clara da quantidade de pessoas atingidas, ajuda a observar também os próprios resultados em si.

Formatos flexíveis

Mais um motivo importante para o uso do email marketing,i está relacionada à própria capacidade de escrita dos e-mails. 50 anos de evolução transformaram a ferramenta em um meio completo para criar, escrever e enviar conteúdo.

Afinal, os e-mails são capazes de suportar diversos tipos de arquivos, contam com alterações de layout, e também não tem limite de caracteres. Essas características permitem que cada empresa tenha liberdade para criar uma campanha própria, da forma que achar mais adequado.

A inclusão de links, por exemplo, permite direcionar o usuário para outras páginas, como uma área de vendas. Então, apesar de ser possível escrever um texto simples e direto, também dá para criar um storytelling completo, e fisgar o público com uma história envolvente.

A grande quantidade de possibilidades e adaptação aos desejos da marca é sem dúvidas um ponto relevante a se considerar. E esse é mais um dos motivos para contar com o email marketing dentro das estratégias da empresa.

ROI elevado

Claro que há muitos outros fatores que guiam as atividades empresariais no mundo, mas o lucro é a mola propulsora de tudo. Sem ele, as empresas não teriam condições de continuarem exercendo suas funções, e crescendo dentro do mercado.

Por isso, sempre que uma ação deve ser tomada, é preciso levar em consideração o seu ROI, que é o retorno sobre o investimento. Não há porque uma marca criar uma campanha gigantesca atrás de novos clientes se no fim das contas o capital obtido com isso será menor que os valores gastos.

Como consequência, a busca por um ROI significativo é também um ponto fundamental na hora de escolher as estratégias de marketing. Nesse sentido, o email marketing consegue novamente sair na frente de muitos outros métodos, como um retorno financeiro bem elevado.

Para se ter uma ideia, de acordo com um estudo organizado pela Direct Marketing Association, a cada US$ 1,00 investido em email marketing, o retorno é de cerca de US$ 40. O custo benefício de sua implementação é realmente muito atrativo, e por isso a estratégia é tão conceituada por que a utiliza. 

Trata-se de uma opção com um baixo custo de investimento e altas taxas de conversão. De uma forma geral, é preciso apenas que a empresa tenha um domínio para organizar melhor sua marca, uma ferramenta e um operador para executar a estratégia.

E o melhor de tudo é que ainda é possível encontrar ferramentas que funcionam de forma gratuita, facilitando ainda mais a implementação, e diminuindo consideravelmente o custo total em si.

Base própria de clientes

Claro que as redes sociais em si possuem um papel fundamental para o alcance e evolução de uma empresa. No entanto, a atuação dentro dessas plataformas, obviamente, traz também a necessidade de se alinhar às suas diretrizes, e gera uma dependência direta da sua operação.

No e-mail marketing, por outro lado, é a empresa quem dita as regras, conseguindo atingir o seu público alvo de uma forma eficiente e adequada às necessidades de cada momento.

Como observado anteriormente, no segundo motivo para o seu uso, a previsibilidade de alcance acontece por que é possível se conectar diretamente com as pessoas que a marca desejar, fazendo com que os resultados sejam mais mensuráveis.

Em uma rede social, a própria plataforma é a responsável por avaliar e decidir sobre a relevância do post, e quem deve recebê-lo. Assim, há realmente uma dependência dessa decisão, sem um controle do alcance.

E fora tudo isso, a base de seguidores conquistadas dentro de uma plataforma pertence, de uma forma geral, à própria rede em si, e não a empresa. Afinal, caso um dia ela deixe de existir, todo esse público será perdido.

O e-mail, com mais de 5 décadas de existência, ainda continua sendo um meio formal de comunicação, e tem uma estabilidade muito mais acentuada. A formação de uma base de contatos via e-mail é mais concreta e eficiente. E o melhor de tudo é que ela realmente será própria da marca, sendo possível fazer um remanejamento posterior dessa base.

Funções do e-mail – Pixabay

Quais são as funções que o email marketing possui dentro do marketing digital?

Agora que já foi possível entender mais profundamente o que é o marketing digital, e quais são os principais motivos para o seu uso dentro da empresa, é importante observar seu funcionamento dentro das estratégias de marketing digital.

Com o avanço da internet e das mídias digitais, o marketing ganhou um novo universo para explorar. Por isso, surgiram diversas formas de promover a empresa, como é o caso do próprio uso dos e-mails.

Esse é um método eficiente, sendo uma das áreas mais rentáveis dentro do marketing digital, que consegue trazer resultados efetivos para a marca, e com um custo de investimento baixíssimo. Alinhado a outras estratégias, como o marketing de conteúdos, os e-mails são capazes de levar conhecimento e informações relevantes, nutrindo os leads da empresa, e posteriormente possibilitando a sua conversão em clientes.

Com o aperfeiçoamento dessa metodologia de contato, o email marketing passou a ser também muito menos invasivo. Isso porque é o próprio cliente quem permite que a empresa envie mensagens importantes para ele. Afinal, ele mesmo disponibiliza seu endereço eletrônico, ao assinar uma newsletter, deixar um comentário em um artigo, fazer algum cadastro, etc.

Comunicação direta com os clientes

Um primeiro papel que o marketing digital cumpre nas estratégias empresariais é justamente o engajamento que ele consegue alcançar. Claro que os comentários em um post ou anúncio nas redes sociais, ou então em um artigo na web, são muito importantes, mas os e-mails também têm grande destaque nesse processo.

E o diferencial para outros métodos é justamente a objetividade e direcionamento que as mensagens possuem. Uma coisa é criar um post voltado para uma grande quantidade de pessoas, e outra bem diferente é enviar uma campanha direta para um possível cliente.

A comunicação, nesse caso, é a famosa “uma para um”, permitindo uma atenção controlada e efetiva com essa base de contatos. Claro que devido a grande quantidade de envolvidos, a automação é algo indispensável, mas isso não significa abrir mão de uma abordagem humanizada também.

As ferramentas atuais permitem uma individualização eficiente, sempre mostrando a relevância que cada cliente possui para a marca. E isso não diz respeito apenas a colocar o nome da pessoa na mensagem ou de enviar mensagens especiais em datas comemorativas, mas também de ir mais a fundo nessa relação, tornando o engajamento mais contundente. Essa valorização dos leads ajuda a consolidar cada vez mais a marca.

Os e-mails representam também um canal direto para que o cliente entre em contato com a empresa. Assim, quando surgir algum problema, ele poderá enviar uma mensagem, facilitando a resolução de reclamações e dúvidas. E isso ajuda a estreitar a relação entre ambas as partes.

Promoção dos conteúdos

O marketing de conteúdo é um dos meios mais eficientes de atração do público alvo atualmente. E ele possui um modo de funcionamento simples, apenas com a criação de materiais relevantes, relacionados com as atividades da marca.

Assim, uma empresa que trabalha no setor de vendas de automóveis, por exemplo, pode criar conteúdos sobre veículos, pneus, manutenções, reviews de modelos, etc. Esses são temas que a persona ideal da marca tem grande interesse, e chegará até o site por meio desses materiais.

Dentro do funil de vendas, esse é justamente o topo do funil, que serve para chamar a atenção do público. Mas para alcançar resultados satisfatórios, é necessário unir uma produção pautada em SEO, que serve para o artigo rankear melhor no Google, e também o uso de outros meios de divulgação.

Os e-mails entram exatamente nesse ponto, servindo para promover o conteúdo entre a base de contatos, aumentando as visualizações do material e tornando-o mais relevante para os motores de busca.

O mesmo vale também para outros tipos de materiais, como divulgação de promoções, lançamentos, ofertas especiais, etc. O email marketing cumpre um papel de destaque quando o assunto é alertar o público base sobre algum acontecimento.

Isso também faz parte da primeira função, com essa comunicação um para um, mais direta. E os resultados servem tanto para conseguir algo mais dos próprios leads quanto para atrair novas pessoas, já que os materiais, principalmente nos blogs ou redes sociais, se tornam mais relevantes.

Nutrição dos leads

Se o email marketing já consegue dar uma apoio interessante na atração do público, no topo do funil de vendas, no meio e fundo do funil é que a estratégia realmente ganha destaque.

Após a captura de novos contatos, eles passam a se chamar leads, que precisam ser nutridos e educados até que possam se converter em clientes. Esse processo acontece novamente por meio do envio de materiais relevantes.

Por serem uma forma direta de comunicação, e bastante individual, os e-mails são o meio ideal para o envio desses conteúdos. E o melhor de tudo é que as ferramentas de envio permitem uma análise profunda do estágio de cada lead.

O marketing de conteúdos em si já possui o grande diferencial de trabalhar atraindo o público ideal. Assim, a grande maioria das pessoas que acessa os materiais do blog já possui um interesse no que a marca comercializa.

Para se tornarem leads, sua propensão de compra é ainda maior, e conforme ele vai passando pelo funil, com uma nutrição correta, há grandes chances de uma conversão. O email marketing, nesse caso, atua como um gestor dessas etapas finais, com um controle eficiente dos materiais que cada grupo de pessoa deve receber.

O envio dos materiais acontece de acordo com o nível de cada lead, e a proposta de venda ocorre somente quando ele já estiver completamente nutrido. E todas essas interações acontecem, em grande parte, por meio das ferramentas do e-mail.

Realização de vendas

Como foi possível observar, o email marketing também possui um papel importante dentro das vendas da empresa. Afinal, após todo o processo de nutrição, a marca consegue fazer as ofertas dos seus produtos e serviços por meio desse canal, na etapa do fundo do funil.

E mesmo observando apenas a ação do email marketing isoladamente, ele é uma ótima plataforma de venda. Afinal, sua comunicação um para um, e sua capacidade de suportar diversos arquivos, incluindo links, são perfeitos para anunciar algo.

A empresa pode simplesmente falar sobre o produto ou serviço em questão, colocar o link para o site e levar o usuário direto para a página de compras. Quando se trata de e-commerce ou lojas virtuais, esse é um meio eficiente de captação.

Atenção no pós-venda

Embora a realização das vendas seja o objetivo maior de uma empresa, essa não é a etapa final desse processo. Afinal, é indispensável buscar a satisfação do cliente em todas as etapas, e a pós-venda também faz parte desse relacionamento direto com a empresa.

Os cuidados tomados logo após a venda são fundamentais para aumentar as taxas de retenção dos clientes, tornando-os promotores da marca. E os resultados colhidos com isso são bastante vantajosos. Para se ter uma ideia, segundo a Bain & Company, um simples aumento de 5% nas taxas de retenção de clientes da empresa, pode significar um aumento entre 25% e 95% nos lucros. 

E tudo isso sem falar, é claro, no próprio Custo de Aquisição dos Clientes (CAC), sendo muito mais barato manter uma base de consumidores do que conquistar um novo. Há uma ligação estreita entre esses dois pontos, mas vale a pena dar uma atenção especial para quem já adquiriu algo da empresa.

Nesse caso, o envio de algum relatório de satisfação, solução de dúvidas, dicas de uso, etc, são ótimas formas de dar continuidade a relação. Fora isso, ainda é preciso manter a sua nutrição, agora com uma frequência mais adequada, e o envio de novidades que possam agradar o cliente.

Comunicação – Pixabay

Envio de mensagens transacionais

Por fim, mais uma função importante que o email marketing consegue cumprir é em relação ao envio de mensagens transacionais. Esses são os e-mails enviados logo após a realização de alguma transação.

Pode ser, por exemplo, a confirmação de uma compra por parte do cliente, ou então de um cadastro no site da empresa. Essa é uma forma eficiente de dar boas vindas ou então de levar algo útil para o consumidor.

Nesse contexto, pode haver tanto a utilização de uma mensagem simples, apenas com o conteúdo principal, ou com a inclusão de algo a mais. No caso das vendas, por exemplo, uma ideia interessante é falar sobre outros produtos complementares, ligados ao que o cliente já adquiriu.

Quando é uma mensagem de boas vindas, esse é o momento perfeito para promover algum conteúdo relevante, liberar algum e-book, ou algo similar. O importante é maximizar esse contato, acolhendo o lead.

Quais são as principais vantagens do email marketing?

Até agora, já foi possível observar que o email marketing realmente é um aliado importante dentro das estratégias de vendas e comunicação das empresas. Desde que seja aplicado da forma correta, ele pode gerar resultados bastante positivos.

Ampla utilização

Pode até não parecer, mas o e-mail ainda continua sendo uma ferramenta bastante atual e democrática. Como observado, mais da metade da população mundial possui um endereço eletrônico, e a julgar por sua funcionalidade, seu reinado pode durar por muito mais tempo.

O mundo oferece uma ampla diversidade de redes sociais e outras plataformas, como o Linkedin, Youtube, Facebook, Instagram, Tik Tok, Twitter, Whatsapp, etc. No entanto, nem todo mundo utiliza todas essas redes, mas sim as que mais lhe agradam.

Já o e-mail, por ser a base para o cadastro da grande maioria dessas outras mídias, é quase como se ele fosse um ponto de conexão. Essas plataformas também contam com estratégias de email marketing, utilizando esse canal como uma forma eficiente de se comunicar com o seu público.

Simplicidade e facilidade de uso

O e-mail possui um mecanismo simples de utilização, e esse processo básico de controle também é uma vantagem. Tanto o cliente quanto a empresa conseguem realizar todas as ações sem precisar de conhecimentos tão profundos, e isso acaba não gerando empecilhos para o seu uso. O marketing através dessa ferramenta também é bastante facilitado, e mesmo assim, consegue gerar resultados efetivos e concretos. 

Comunicação um para um

Outro ponto que não pode ficar de fora é a forma como os diálogos via e-mail acontecem. Através da ferramenta, a empresa pode se comunicar de forma direta e personalizada, um para um, com o seu cliente.

Isso ajuda a humanizar mais a marca, oferecer ao lead um tratamento mais profundo, estabelecendo uma relação próxima. E essa conversa agregadora, faz toda a diferença no final das contas.

Pouco invasivo

Desde que feito da maneira correta, o email marketing acontece de maneira pouco invasiva, sem gerar estresse ao usuário. Esse é um fator importante, e está atrelado ao inbound marketing, que atua por meio da atração do público-alvo.

A captura dos leads acontece com o consentimento prévio do usuário, que permite que a empresa envie os materiais para o seu endereço eletrônico. Assim, trata-se de um processo consentido, voltado ainda para um perfil que tem um interesse no que está sendo divulgado.

Quando se compara com os anúncios presentes nas redes sociais, por exemplo, é possível observar a diferença existente entre as estratégias. Embora também tenha suas vantagens, a divulgação paga é realmente muito intrusiva, e chega em horários onde o usuário está conectado a outros conteúdos, assistindo um vídeo, ouvindo uma música, etc.

Os e-mails são um meio de contato altamente profissional, direto, pouco invasivo, e que consegue respeitar o espaço do lead. Portanto, quando empregado da forma correta, é capaz de trazer benefícios significativos para a marca.

Baixo custo

Atualmente, muitas ferramentas de automação atuam de forma gratuita, tornando o email marketing ainda mais atrativo. Seu baixo custo de implementação é realmente uma de suas principais vantagens.

Assim, mesmo com um orçamento reduzido, é possível fazer campanhas excelentes. Além de tudo isso, geralmente ele está ligado também a outras estratégias de marketing, fazendo com que consiga potencializar as ações, sem agregar maiores despesas para a empresa.

Quais são as principais desvantagens do email marketing?

Embora consiga trazer muitas vantagens para a empresa, o email marketing também conta com seus pontos fracos, é claro. Mesmo assim, o que mais chama a atenção é que mesmo as suas desvantagens partem de pontos que podem ser melhorados.

Spam

Quando as empresas começaram a utilizar o e-mail como uma forma de fazer marketing, infelizmente, o modo como tudo aconteceu foi bastante prejudicial. Afinal, nesse período, o objetivo era conseguir uma conversão a qualquer custo, sendo uma forma bastante invasiva para os usuários.

Por isso, as plataformas criaram meios de barrar o envio de e-mails em massa, sem o consentimento do cliente. O spam se enquadra justamente nessa categoria, sendo uma caixa do chamado lixo eletrônico, para onde vão as mensagens oriundas de práticas ilegítimas.

Uma empresa que compra uma base de contatos, com usuários que nunca ouviram falar na marca, e tenta enviar uma promoção para eles, está justamente fazendo spam. 

Atualmente, com a própria evolução do marketing de atração, muita coisa já evoluiu, e as empresas têm consciência de que é preciso haver legitimidade nesse contato. Em outras palavras, o usuário deve permitir essa comunicação, demonstrando o interesse em receber os conteúdos.

Mesmo assim, é possível que ao tentar colocar o email marketing em ação, as mensagens caiam na caixa de spam do usuário. Por isso, é preciso sempre ficar de olho se isso está acontecendo, e tomar as devidas providências para evitar essa confusão.

Engajamento baixo

Mais uma desvantagem que o email marketing pode possuir é um engajamento insatisfatório por parte dos clientes. Isso significa que mesmo que o envio aconteça, e chegue até o usuário, ele pode simplesmente ignorar a promoção, e nem mesmo abrir o e-mail.

Claro que nem todo mundo vai realmente se interessar pela ação da empresa, mas é importante ficar sempre observando as métricas dessa interação. Caso se constate que o engajamento esteja baixo, é preciso reconfigurar as estratégias e criar novas abordagens, para melhorar os resultados.

Com o avanço das ferramentas de automação, ter um controle sobre esses dados é algo simples. Afinal, muitos desses serviços conseguem mostrar exatamente o percentual de e-mails que foram abertos, respondidos, etc. 

A forma incorreta que o e-mail marketing foi empregado nos anos iniciais é um dos grandes responsáveis por esse preconceito inicial. A solução, nesse caso, é entregar algo que realmente faça a diferença.

No entanto, com o caminho contrário ao que as empresas tomaram antigamente, e uma análise profunda de cada detalhe desse processo, é possível aperfeiçoar cada vez mais a estratégia, e torná-la eficiente para a marca.

Então, as desvantagens que o marketing através do e-mail oferece possui soluções dentro da própria metodologia. Afinal, é por meio das escolhas certas, e da busca de agregar valor para o cliente, que esses pontos negativos se tornam cada vez menos relevantes.

Email marketing – campanha – Pixabay

Quanto custa para fazer email marketing?

Quando se trata das vantagens que o email marketing oferece para as empresas, um dos mais relevantes é justamente o seu baixo custo de investimento. No entanto, isso não significa que seja uma estratégia que não exija nenhum gasto.

O que acontece é que, quando comparado com outros métodos de divulgação e atração, ele necessita de valores muito menores. E o melhor de tudo é que o email marketing é também uma complementação de outras estratégias, principalmente do inbound.

Assim, é como adicionar mais uma peça em uma máquina que já está funcionando, maximizando sua produção. Como resultado, uma boa parte dos gastos gerados, são compartilhados com outros itens. Um exemplo claro disso são os próprios conteúdos em si.

Geralmente, tudo gira em torno de um site profissional, e do seu blog, onde a grande maioria dos materiais fica publicada. O e-mail é um modo de levar o conteúdo diretamente para um lead que já foi captado, mas os materiais podem e devem fazer parte de outros âmbitos, servindo como formas de captação, etc.

Gasto com o planejamento das estratégias

Uma empresa é composta por diversas partes, e o marketing é uma dessas peças que compõem a organização. Antes de colocar qualquer estratégia de divulgação em ação, é inevitável que haja todo um processo para elaborar a campanha.

No caso do email marketing, por exemplo, também há despesas relacionadas com o planejamento geral da estratégia. Afinal, é preciso que haja um responsável por colocar tudo em prática, seja um profissional especializado ou até mesmo uma agência.

Gasto com a criação dos conteúdos

Como já foi abordado acima, esse também é um dos pontos que gera despesas para a estratégia. Afinal, é necessário que os materiais sejam escritos, revisados, estruturados.

E não são apenas textos em si, mas também imagens, vídeos e outros itens que a empresa pode utilizar nas campanhas. Para tudo isso é preciso que existam responsáveis especialistas na área.

Os redatores e designers ocupam um papel fundamental dentro do email marketing, utilizando técnicas de storytelling e copywriting para passar a mensagem ideal da marca, e convencer os leads da relevância da empresa.

Gasto com o disparo e automação

Como são muitos leads para nutrir, o email marketing não funciona de forma manual.

É preciso que existam ferramentas eficientes para automatizar as mensagens, facilitando os envios das mensagens e a segmentação do público.

Claro que existem muitas opções gratuitas, e que empresas pequenas já conseguem aproveitar tranquilamente.

Mas conforme a marca for crescendo e a base de leads aumentando, é inviável a utilização de uma alternativa que imponha limites de utilização.

Por isso, contar com uma ferramenta ou plano completo faz toda a diferença na busca por resultados efetivos.

E esse também é um gasto que faz parte da implementação do email marketing dentro de qualquer empresa.

Principais tipos de email marketing

Quando tratamos sobre as principais funções que o email marketing possui dentro de uma empresa, foi possível observar que ele conta com funcionalidades diversas. E isso significa exatamente que os emails não são um tipo fixo de comunicação.

Na verdade, existem vários tipos diferentes de email, cada um cumprindo um objetivo específico. Claro que os ligados diretamente às vendas e conversões em si acabam se destacando, mas até mesmo uma mensagem de confirmação de alguma transação também é um tipo de marketing por e-mail.

Algo em comum que todas as variações compartilham, porém, é essa intenção de comunicação e aproximação com o cliente. O objetivo é estabelecer uma relação mais próxima e humanizada com os leads, seja antes, durante ou depois das vendas. Mas em síntese, esses são os principais tipos de email marketing existentes:

Newsletters

Um dos formatos mais relevantes atualmente é justamente o chamado Newsletter. Ele é como um tipo de boletim informativo, que leva informações relevantes para os leads.

Um grande diferencial desse modelo é que ele é constante, com a empresa enviando atualizações periódicas para o cliente. As mensagens podem ser mensais, semanais, diárias ou com outra frequência. O importante é que há uma comunicação direta e relevante com o público, fazendo com que ele sempre se lembre da existência da marca. 

Nesse caso, as informações podem seguir via e-mail de duas maneiras distintas: apenas com uma introdução ou então completas. Assim, é possível apenas colocar um resumo sobre o material, e guiar o usuário para outra página, como o blog da empresa.

Ou então, dá também para inserir o material completo, adicionando links ao longo do conteúdo, para direcioná-lo para alguma área específica. Ambas as opções são relevantes, e cada marca consegue utilizá-las de acordo com o objetivo da campanha.

Outro fator relevante sobre as Newsletters é que, através das ferramentas de automação, elas permitem uma análise eficiente das métricas. Afinal, a empresa consegue observar quais são os interesses dos leads, ajudando em uma melhoria da segmentação, e contribuindo para vendas posteriores, por meio de um conhecimento mais profundo sobre os gostos do público.

A forma de captura desse tipo de e-mail também é um ponto a se destacar. Isso porque, normalmente, as empresas colocam um botão de assinatura no site ou blog, e é o próprio usuário que decide solicitar esse envio dos materiais.

E isso mostra um interesse na área de atuação da marca, tornando as mensagens pouco invasivas, e mais efetivas, já que se estará trabalhando com um persona da empresa.

Newsletter – Pixabay

Atualizações dos conteúdos do blog

Esse é basicamente um tipo de newsletter, mas que volta-se mais para o envio de novas publicações dentro do blog. Nesse caso, o email cumpre uma função de promoção, levando os usuários para os conteúdos recentes.

Além disso, é claro, leva materiais de qualidade para os leads, ajudando nessa nutrição e também no estreitamento das relações. No fim das contas, são como as notificações do Youtube, que alertam os seguidores de um canal sempre que um vídeo novo é postado.

Nesse caso, a relevância dos conteúdos deve manter um padrão de qualidade significativo, mostrando aos leitores o papel que a marca exerce dentro do seu nicho.

Emails promocionais

Esse é o tipo de e-mail mais relevante, por assim dizer, sendo onde a empresa finalmente oferece algum produto para o usuário. Assim, eles representam o ápice de um processo de atração e nutrição dos leads. 

Dada sua importância, é fundamental que a marca saiba o exato momento de utilizá-lo, e a maneira correta de estruturá-lo. O primeiro ponto, é claro, é não queimar a largada, e enviar ofertas para quem ainda não está alinhado com a empresa.

Os e-mails são mensagens que dão bastante tempo para o cliente pensar se quer ou não adquirir o que está sendo oferecido. Por isso, não adianta nem perder tempo e dinheiro com envios avulsos, com um lead que ainda está sendo nutrido.

Quando se observa o funil de vendas, eles representam justamente o fundo do funil, quando há as conversões. Mas para isso, há toda uma preparação prévia. Mais um ponto a se destacar é a busca por uma mensagem visual.

As ofertas devem trazer um conteúdo que atraia o leitor logo de início, prendendo ele ao conteúdo. E caso ele já esteja preparado para receber essas mensagens, as chances de conseguir uma venda são significativas.

Dentro desse contexto, a segmentação do público, de acordo com cada etapa dos leads, é algo que deve-se ter bastante atenção. Com as ferramentas de análise ideais, é possível ter um controle eficiente do processo, e agir nos momentos corretos.

Emails editoriais

Diferentemente dos promocionais, os emails editoriais não possuem um objetivo de venda ou algo similar. Na verdade, trata-se de mais uma estratégia de aproximação com o cliente, e busca levar alguma mensagem ou pronunciamento por parte da empresa.

Normalmente, trata-se de um conteúdo que representa diretamente a visão da empresa sobre algum acontecimento. Por isso, é comum que o próprio proprietário da marca assuma a autoria da mensagem, como um meio de mostrar um posicionamento claro e objetivo em relação a algo.

Emails sazonais

Os emails sazonais são as mensagens enviadas sempre que há alguma data comemorativa. O objetivo, nesse caso, é trazer alguma novidade, alertas de promoções ou algo similar.

Períodos como o natal, páscoa, dia das mães, dia dos namorados, etc, são bons exemplos de comemorações sazonais. Por isso, é realmente comum as marcas atuarem de forma mais atrativa nesses períodos.

É claro que não há a necessidade de criar alguma campanha em todas as datas comemorativas. Basta apenas focar naquelas que mais estão alinhadas com a marca, e que apresentam alguma ligação com o nicho de atuação.

No caso dos e-commerces, por exemplo, como geralmente há a venda de produtos variados, é interessante acompanhar esses períodos. Assim, haverá sempre um fluxo engajado com a empresa.

Emails transacionais

Esses são os e-mails relacionados a confirmação de alguma transação. Assim, eles são comumente enviados sempre que o usuário realiza alguma compra, assina uma newsletter, etc. O objetivo, nesse caso, é dar uma garantia de que a ação foi realizada com sucesso.

Por isso, elas costumam ser mensagens diretas, com um texto curto e simples. Mas também é possível variar essa questão, e aproveitar o espaço para engajar ainda mais o usuário.

Dá para promover algum conteúdo importante, indicar a compra de algum outro produto complementar, ou algo similar. Afinal, esse é um momento onde a relação estará favorável, com uma demonstração de interesse por parte do lead ou cliente.

Email marketing de apresentação

Quando a estratégia de inbound capturar um novo lead, é preciso que haja um envio rápido de acolhimento desse usuário. Assim, trata-se de uma mensagem de boas vindas, apresentando mais adequadamente a marca e mostrando um pouco mais sobre o que ele receberá a partir desse contato inicial.

Esse é um dos primeiros contatos diretos entre marca e lead, e deve acontecer de forma calorosa, para que seja possível haver um entendimento claro do que esperar dessa relação.

Emails de fluxo de nutrição

A estratégia de email marketing envolve um processo de nutrição dos leads, onde eles recebem materiais relevantes sobre um assunto de interesse. Assim, conseguem aprofundar seus conhecimentos, conseguindo abrir a mente sobre a relevância de alguma oferta futura.

Por isso, os e-mails relacionados a esse fluxo de nutrição também são muito importantes, e representam um ponto de destaque da metodologia. Através das análises de métricas, por meio das ferramentas, é possível observar os interesses mais claros do usuário.

Nesse caso, a segmentação correta do público permite mais eficiência e agilidade nessa nutrição. As mensagens são disparadas de forma automática, de acordo com a demonstração de interesse do lead.

O processo funciona realmente com um funil de vendas, e esse fluxo ajuda no avanço dos usuários para etapas posteriores. Por fim, no momento ideal, ele poderá se tornar em uma conversão, adquirindo algo da empresa.

Email marketing – enviar – Pixabay

Email de pesquisa

Para conseguir se manter sempre atualizado e ligado ao que o público está em busca, nada melhor do que perguntar isso diretamente para eles. Nesse caso, o email marketing é um aliado poderoso para entrar em contato direto.

Quando um usuário efetuar alguma compra, por exemplo, vale a pena enviar uma pesquisa de satisfação. Ela ajudará a entender melhor o que ele achou do processo de aquisição, pagamentos, etc.

Por tanto, esse feedback é realmente valioso para a marca, ajudando a alinhar melhor esse funcionamento, e evitando algum transtorno futuro. Isso mostra também que a empresa tem interesse em levar a melhor experiência possível para os seus clientes.

De todo modo, é fundamental que as pesquisas não levem nenhuma carga de estresse para o público. Em outras palavras, não há porque criar um questionário de 100 questões para o cliente responder. É preciso que seja algo mais direto, claro, e que leve pouco tempo para terminar.

É possível enviar, por exemplo, a pergunta de possibilidade de recomendação, ligada à medição do NPS – Net promoter score da empresa. Normalmente, essa pergunta surge como pop-up, diretamente no site, mas o e-mail também é uma ótima alternativa.

Principais elementos do email marketing

Quando uma empresa resolve investir na utilização do email como estratégia de marketing, há muitos pontos que deve-se levar em consideração. A criação de conteúdos relevantes e a captação dos leads, por exemplo, são algumas dessas questões.

No entanto, para que seja possível atingir resultados realmente eficientes, os mínimos detalhes fazem a diferença. Nesse caso, todos os elementos presentes em um email de marketing devem trazer algum benefício, e estarem alinhados com o que a marca quer entregar.

O próprio nome do remetente, o assunto da mensagem, e outros itens “menores” possuem sua relevância. Por isso, vale a pena entender essa estratégia com um corpo completo, que precisa de cada parte funcionando perfeitamente.

Assunto

O primeiro ponto a se considerar é que, em síntese, o e-mail de marketing apresenta a mesma estrutura de outro convencional. Por isso, ele também possui uma área voltada para informar o assunto da mensagem.

Esse, aliás, é um item imprescindível, e que não pode ser ignorado ou subestimado. Afinal, ele é justamente o primeiro contato que o lead terá com o e-mail, mostrando a temática abordada em seu interior.

Então, caso o assunto informado não seja atrativo o suficiente, há uma grande chance do usuário simplesmente ignorar. Independentemente do quão qualificado seja o conteúdo, é preciso que a sua embalagem também seja envolvente.

É importante também que o assunto esteja alinhado com as características do próprio público-alvo da empresa. Questões como a linguagem ideal, a forma de abordagem, etc, tudo isso varia bastante a depender do nicho de atuação.

Remetente

Claro que devido a todas as circunstâncias que envolvem o email marketing, é indispensável que haja uma automação do processo. Afinal, segmentar o público, e nutrir adequadamente cada lead sem o apoio de uma ferramenta seria praticamente impossível.

No entanto, automação não quer dizer robotização, e uma abordagem humanizada é algo indispensável para aprofundar a relação com o cliente. E dentre os itens que fazem parte desse fator, o próprio nome do remetente (nome de usuário da empresa) ocupa uma posição de destaque.

Assim como a observação do assunto, a verificação de quem enviou a mensagem complementa a imagem inicial que o e-mail passará. Como resultado, um nome muito formal, apenas com o nome da empresa, não irá gerar o engajamento adequado.

A solução, nesse caso, é simplesmente inserir também o próprio nome, dando mais intimidade ao diálogo. Um exemplo seria utilizar o padrão “[email protected]” o que traria um ar muito maior de humanização.

Conteúdo

Com os dois itens anteriores bem estruturados, a probabilidade do usuário se interessar e abrir a mensagem é ainda maior. No entanto, não adianta nada também se dedicar nas etapas iniciais e se esquecer da parte principal, que é o corpo do email em si.

Tudo vai depender do objetivo da mensagem, mas de todo modo esse conteúdo utilizado deve agregar valor ao lead. Tanto o material enviado quanto a estruturação, a forma como cada elemento está inserido, tem que cumprir um papel prático.

É preciso que ele permita uma compreensão clara e direta sobre o que a mensagem quer dizer. Assim, o email não encontrará empecilhos para conseguir cumprir sua missão proposta, seja levar o usuário para um verificar um novo conteúdo publicado, ou para seguir até uma página de compra.

Chamada para ação

Por fim, outro elemento que faz parte do email marketing é a CTA (Call to action). Trata-se realmente de uma chamada para a ação, inserida dentro do corpo do texto para incentivar o leitor a cumprir algum objetivo.

Em um e-mail de vendas, por exemplo, a CTA visa levar o usuário para a página de vendas, para que haja uma conversão. E isso envolve, é claro, uma compreensão qualificada sobre o cliente em si. Afinal, essa chamada para ação deve estar adequada a sua etapa dentro do funil.

Não adianta tentar convidar um lead que ainda não está devidamente nutrido para comprar algo, já que ele não tem a intenção de adquirir nada no momento.Por tanto, os convites podem ser para baixar um ebook, assistir um vídeo, ler um artigo recém postado, etc.

Planejamento – Pixabay

Como fazer o planejamento de uma campanha de email marketing?

Uma campanha de email marketing bem feita consegue trazer muitos benefícios para a empresa. No entanto, é realmente fundamental que a estratégia seja elaborada da forma adequada.

Isso exige um planejamento sobre o projeto como um todo, com um alinhamento entre os objetivos, formas de conteúdo, metodologia de abordagem, análise do público-alvo ideal, etc.

Portanto, o sucesso do email marketing depende diretamente da forma como ele é pensado e projetado. Para colocá-lo em prática de forma eficiente, é preciso primeiro encaixar as partes e buscar algo que se complete em cada uma das etapas.

Além disso, como observado, trata-se ainda de uma estratégia que funciona muito bem como um braço de outras metodologias. Usar os e-mail como uma forma de nutrição e conversão, enquanto se trabalha com a atração dos leads através dos conteúdos, funciona muito bem.

Definir o objetivo da campanha

No início do artigo, foi possível observar quais são as funções que o email marketing possui dentro do marketing digital. E como mostrado, não são poucas. Afinal, ele pode servir como meio de nutrição, vendas, promoção de conteúdos, etc.

Nessa primeira etapa, portanto, é preciso definir exatamente qual função que a campanha deve exercer. O foco em um objetivo específico ajuda a maximizar os resultados, uma vez que todo o planejamento será voltado para uma finalidade.

Fora isso, o funcionamento estratégico do email marketing que visa nutrir os leads é bem diferente de outro que busca vender algo. E como são coisas diferentes, os métodos de execução também são.

Delimitar a persona ideal

Independentemente de qual estratégia de marketing for adotada, ou de qual objetivo ele queira cumprir, é realmente impossível trabalhar sem a delimitação da persona da empresa.

Esse é simplesmente um cliente semi fictício, que carrega todas as características ideais que o consumidor da marca deve possuir. Questões como idade, gênero, localização geográfica, problemas enfrentados, etc, tudo isso faz parte desse cliente perfeito.

Claro que dentro do email marketing há também uma segmentação desse público, com uma definição ainda mais condensada, com versões mais variadas de uma mesma persona, a depender de qual estágio o lead esteja.

De todo modo, dentro do planejamento de uma campanha com essa estratégia, é inevitável buscar uma definição concreta de quem realmente se está buscando, qual público se quer atingir.

Construir uma lista de contatos

Se há uma mola propulsora primordial dentro do e-mail marketing, são os contatos que a empresa possui que ocupam esse lugar. Afinal, não há porque criar toda uma campanha, se não tiver para quem enviar as mensagens.

Assim, um ponto fundamental desse planejamento é a construção de uma lista de contatos eficiente e renovável. Quanto mais pessoas a marca atrair, mais leads vão passar pelo funil, e mais resultados a empresa vai obter no final.

Para isso, a criação de landing pages, opções de assinaturas de newsletters, envio de ebooks, etc, todas são meios de conseguir novos leads. O mais importante, nesse caso, é atuar de uma forma correta, e trabalhar com contatos que realmente pertençam a marca.

O cliente deve autorizar a empresa a enviar mensagens, para que os e-mails não sejam entendidos como spam. Comprar uma lista de contatos, por exemplo, não traz resultados positivos, uma vez que não há uma relação de interesse do receptor.

Trabalhar com uma base de leads obtidos de forma errada, além de fazer com que as mensagens caiam na caixa de lixo eletrônico, também interferem na própria reputação da marca.

Fazer uma segmentação correta

É claro que a definição de uma persona é a base estratégica para as empresas, mas no e-mail marketing se vai muito além disso. Afinal, embora uma campanha busque atingir uma base de contatos específica, é preciso levar em consideração questões como o estágio em que elas se encontram.

Nem todos os leads estão exatamente no mesmo nível de interação com a marca. Há, por exemplo, aqueles que já compraram alguma vez anteriormente, quem nunca comprou nada, e até mesmo aqueles que acabaram de se tornarem leads.

E isso envolve não apenas uma segmentação simples, mas também segmentações internas, dentro de grupos específicos. O objetivo, nesse caso, é ser o mais direto possível, e atingir de forma eficiente um determinado grupo.

Imaginando uma campanha com máximo aproveitamento, embora seja inviável, o correto seria analisar cada pessoa individualmente, e enviar uma mensagem feita exclusivamente para ele. Contudo, realmente isso é totalmente impossível, levando em consideração  a quantidade de leads que é preciso nutrir e se comunicar.

Mesmo assim, salvo raras exceções, não faz sentido também pensar em todos como uma persona só. É preciso buscar um equilíbrio, e segmentar esse público da forma mais adequada possível, a depender de cada estratégia.

Elaborar os conteúdos e materiais

Assim como todo o marketing de conteúdo, o email marketing também tem na produção de conteúdos uma parte crucial. Afinal, as mensagens são basicamente conteúdo, e busca levar outros materiais para os usuários.

A captação dos leads, nos blogs, por exemplo, acontece por meio dessa produção, com temas que sejam relacionados ao que a marca oferece. Então, realmente o planejamento de uma campanha deve abordar essa temática de forma direta.

Depois de definir qual é o objetivo que se deseja atingir com a campanha, essa é uma questão que vem logo em seguida. A meta pode ser uma simples promoção dos artigos presentes no blog, aumentando o fluxo de visualizações, há também as newsletters, que alertam sempre que um novo material for publicado, etc.

Cada objetivo pode envolver um tipo de conteúdo diferente, podendo ser exclusivo para o email marketing (ou outra plataforma direta), como são as abordagens de venda, ou então dispersos dentro dos demais canais da marca.

A contratação de uma equipe voltada para a produção do conteúdo, que entenda de SEO, copywriting, storytelling, etc, deve fazer parte desse planejamento. Investir na elaboração de materiais de qualidade, que agreguem um valor ao lead, é um passo certeiro rumo ao sucesso da estratégia.

Frequência – Pixabay

Definir a frequência dos envios

Outro ponto que também necessita de um bom planejamento é a definição da frequência em que os contatos devem acontecer. Novamente, é fundamental buscar um equilíbrio nesse processo.

Demorar muito tempo entre um envio e outro, acaba gerando um esquecimento por falta do lead, que não criará uma relação amistosa com a marca. Por outro lado, envios insistentes acabam gerando bastante estresse, e incomodando os destinatários.

Infelizmente, não há uma frequência mágica, que toda marca deve seguir. Afinal, são muitas possibilidades e variações possíveis, o que acaba gerando necessidades diferentes a depender de cada caso.

Além das diferenças existentes entre as empresas, o próprio objetivo da campanha, também interfere diretamente em tudo isso, assim como o tipo de e-mail enviado. Dessa forma, uma newsletter tende a ser bem mais frequente do que uma mensagem de venda, por exemplo. Mas como definir o momento certo de fazer os envios?

Para isso, é preciso uma análise profunda dos leads, bem como a utilização de testes práticos. Isso ajudará a entender como o público se comporta, e qual a melhor maneira de comunicação.

Analisar as métricas

As métricas não servem simplesmente para definir a frequência do contato com os leads. Na verdade, elas vão muito além disso, e ajudam a observar e alinhar o resultado do processo como um todo.

Com as ferramentas de automação atuais, essa observação se tornou muito mais prática e simples. Assim, é possível verificar as taxas de cliques; quantos e-mails foram entregues e abertos; quantos usuários se descadastraram; e até mesmo questões como análise de conversões e ROI.

O mais importante é saber utilizar as informações como uma maneira de melhoria, fazendo as devidas alterações para campanhas futuras. Como resultado, cada vez mais os resultados serão mais positivos e concretos.

Quais são as principais métricas do email marketing?

Dada a importância de analisar as métricas das campanhas de marketing por email, nada mais adequado do que aprofundar esse tema. De uma forma simples, elas significam justamente uma observação após o envio dos e-mails, ou seja, dos resultados obtidos através da estratégia.

Emails entregues

O primeiro ponto que é preciso observar é a quantidade de e-mail que foi efetivamente entregue dentro de um período. Para que seja possível alcançar um resultado ideal, é fundamental que existam metas a serem cumpridas, e um acompanhamento de tudo isso.

A quantidade de mensagens enviadas dentro de um determinado tempo, está diretamente relacionada com o alcance ou não dos objetivos gerais da campanha. Então, vale a pena ficar atento a essas entregas.

Emails abertos

Da mesma forma, não adianta nada conseguir entregar uma boa quantidade de mensagens, se elas não estão efetivamente atingindo o público. Um e-mail enviado, mas ignorado, não gera a comunicação necessária com o lead.

É preciso fazer com que ele abra a mensagem, se interesse pelo conteúdo, e principalmente, interaja com o material. Para isso, existem diversos pontos que deve-se levar em consideração, e que ajudam a melhorar o percentual de abertura, como a utilização de um assunto adequado, nome de remetente humanizado, etc.

Quando se fala de análise de métricas do email marketing, na verdade, essa é basicamente uma das mais relevantes. E taxas baixas de abertura demonstram que há algo de errado com a estratégia, sendo preciso que alguma atitude seja tomada para melhorar os índices.

Cliques nos links

Embora sejam um modelo completo de elaboração de conteúdos, as ações em si não acontecem diretamente dentro do e-mail. Assim, as empresas trabalham com a utilização de links, que servem justamente para levar o usuário para um local desejado. Para efetuar a compra de um produto, por exemplo, o usuário deve seguir para a página de venda.

O mesmo acontece com inúmeros outros formatos e objetivos de e-mails, como os promocionais, newsletters, etc. Então, além de se interessar e abrir a mensagem, é importante que o conteúdo desperte o interesse para que o usuário possa interagir com as ofertas.

Como consequência, a análise dos cliques nos links também constitui um ponto importante das métricas. Quanto a isso, também é importante estabelecer metas a serem batidas dentro de um período.

Os clientes, de uma forma geral, podem ser avaliados de forma absoluta, medindo a quantidade total em um determinado momento. No entanto, é preciso variar, e fazer comparações envolvendo outras métricas. Esse é o caso, por exemplo, da relação entre os cliques e a quantidade de e-mails entregues, ou da relação entre os cliques e a quantidade de e-mails abertos.

Conversões geradas

Quando se trata do email marketing com o objetivo de vendas, todo o processo de nutrição dos leads busca exatamente gerar conversões. Dentro desse contexto, são aqueles usuários que finalmente atingiram o estágio adequado para receberem uma oferta de venda e realizaram alguma compra.

Assim, as taxas de conversão se relacionam aos leads que acompanharam um conteúdo e realizaram uma ação solicitada. Por tanto, métricas com boas taxas de conversões, demonstram que a estratégia está sendo bem executada, e gerando os resultados esperados.

Denúncias de spam

Por fim, mais uma análise que deve acontecer, e que ajuda a melhorar todo o processo do email marketing, é a de reclamações de spam. Felizmente, cada vez mais a estratégia consegue adquirir um status adequado. No entanto, ainda há bastante a evoluir, e muitas pessoas confundem essas mensagens com spam.

Por isso, quando um e-mail está gerando muitas reclamações, é preciso observar melhor as causas de tudo isso, para evitar maiores problemas. Algumas das causas, podem ser a própria forma como a campanha está sendo feita, ou então a utilização de uma base de contatos que não faz parte da persona da empresa.

De todo modo, para conseguir manter uma boa reputação, é indispensável manter essas métricas baixas, fazendo as devidas melhorias sempre que as avaliações demonstraram um número elevado de denúncias.

Erros – Pixabay

Erros para não cometer com e-mail marketing

Além dos spams, muitos outros fatores também interferem na qualidade e nos resultados das campanhas de email marketing. Por isso, é sempre importante ficar de olho para não cometer erros básicos.

O mais importante de tudo é entender que essa estratégia está bastante ligada à manutenção de um bom relacionamento com o cliente, ou melhor, com o lead. Para que seja possível alcançar alguma conversão, a relação entre ambas as partes deve acontecer de forma adequada e amistosa.

Não adianta nem tentar encher o cliente de ofertas, com coisas que muito provavelmente ele nem queira, já que isso não levará a lugar algum. Tudo precisa acontecer de forma fluida, e as conversões surgirão de modo natural. Quanto aos erros comuns, os maiores destaques são:

Comprar uma lista de e-mail

É inegável que a possibilidade de aumentar rapidamente a base de contatos seja tentadora. No entanto, o que parece ser uma sacada de gênio, é na verdade um erro gravíssimo para quem quer investir no e-mail marketing.

Basta apenas levar em consideração a questão da necessidade de criar uma boa relação com o lead. Assim, já é possível entender que usar de um meio ilegítimo para conseguir contatos é bem equivocado.

Ninguém quer receber do nada, uma mensagem de oferta de algum produto, enviada por um remetente desconhecido. Fora todo o incômodo que isso pode gerar, como o usuário não autorizou essa comunicação, há uma grande chance do e-mail cair diretamente na caixa de spam.

É preciso que tudo aconteça de forma legítima, com a captura de contatos através de meios claros. Esse fator, além de gerar uma base com pessoas que estão interessadas em receber as mensagens, ainda conta com a vantagem de se trabalhar com o público ideal da marca.

Enviar muitos e-mails

Como já demonstrado, a frequência dos envios deve fazer parte do planejamento das campanhas de e-mail marketing. E não é por menos. De acordo com uma pesquisa feita pela HubSpot, mais da metade dos usuários que se descadastram para não receber mais mensagens de uma empresa, deve-se justamente a frequência exagerada que elas enviam os e-mails.

Claro que existem muitos tipos de campanhas, com objetivos diferentes, o que também gera uma necessidade de adequações a cada momento. Mas realmente uma insistência por parte da empresa acaba gerando resultados bem negativos.

Nesse caso, é importante analisar bem as métricas, e observar como as mensagens estão se saindo, os índices de abertura, de cliques, etc. Através desse acompanhamento, é possível verificar o comportamento mais adequado para se ter com o público.

Não entregar o prometido

Quando se cria algum meio para capturar o contato de um usuário, a empresa deve deixar bem claro que deseja enviar mensagens. Além disso, o teor desse conteúdo também não pode ser omitido.

Assim, ao aceitar os termos, o usuário tem plena convicção de que passará a receber materiais relacionados a algo. Um erro comum, nesse caso, é abusar demais desse contato, e enviar conteúdos que não fazem parte do combinado.

Uma newsletter, por exemplo, está relacionada com a atualização dos novos conteúdos de um site. Quem assina esse cadastro, não está confirmando que quer receber também algum e-mail promocional de uma parceira da empresa.

Então, ser leal às promessas feitas, ajuda no estreitamento da relação com os leads, gerando mais credibilidade a marca, e confiança por parte dos leitores. 

Melhores formas de captar leads

Durante o artigo, se há um ponto que foi bastante exaltado, é a necessidade de possuir uma base de contatos própria. Para isso, é preciso aprender como captar os leads de forma correta.

O objetivo, nesse caso, é obter o contato do usuário que chega até uma página da marca, sempre mantendo a legitimidade das ações. Para que tudo funcione de forma adequada, esse usuário deve compreender que receberá mensagens da empresa.

Assim, ao interagir inicialmente, e permitir que essa comunicação aconteça, esse visitante está demonstrando que possui interesse no que a marca tem a dizer. Portanto, as chances de futuramente haver uma conversão são muito maiores.

Outro fator importante a se considerar, é o papel que outras estratégias possuem dentro desse processo. A criação de um site profissional, de um blog, e a publicação de materiais de qualidade, para a atração do público, demonstram bem essa atuação em conjunto que o email marketing possui com outras áreas. Então, confira ótimas práticas de captação de leads:

Isca digital

Um modo comum utilizado no email marketing, para conseguir o contato de um visitante do site ou blog, é a chamada isca digital. Trata-se de um processo simples, mas que realmente gera  resultados satisfatórios.

Assim, a empresa oferece um material rico para o visitante, como um ebook sobre um assunto, e em troca consegue o contato do usuário. Isso porque o material é enviado diretamente para o seu e-mail, que fica salvo na base de contatos da marca.

Aqui, há pontos bem relevantes que tornam essa estratégia eficiente. O primeiro é que se alguém receber a oferta dessa isca, é porque já está acompanhando um conteúdo relacionado. Então, quando uma pessoa pesquisa por “melhores restaurantes em Natal-RN”, por exemplo, chega até um artigo de um site de viagens, e por lá se depara com um ebook completo sobre uma viagem para Natal, há uma grande possibilidade de ser um material de seu interesse.

Além disso, caso ele aceite baixar o ebook, dá um sinal ainda mais positivo de que está buscando conhecer mais sobre o tema. As chances de manter uma boa comunicação com esse lead, e de futuramente convertê-lo em uma venda são realmente significativas.

Pop-ups (dentro do contexto)

Seguindo o mesmo pensamento das iscas digitais, mas agora com outra estratégia de abordagem, surgem os pop-ups. É claro que por se tratarem de um método um pouco interruptivo, os usuários não gostam tanto, mas se for pelos motivos certos, vale a pena fazer essa aposta.

Os pop-ups surgem no meio da tela quando o usuário acompanha algum conteúdo do site, e oferecem também a entrega de materiais relevantes, relacionados ao assunto que ele está conferindo. Nesse caso, é fundamental haver uma moderação quanto ao seu surgimento, já que ele costuma tomar a tela. Além disso, a escolha por momentos específicos para aparecer, a depender de cada estratégia, faz toda a diferença.

É preciso que sua utilização esteja dentro do contexto, e realmente consiga agregar um aprofundamento para o visitante. Desde que seja aplicado da forma correta, essa é uma abordagem eficiente de captação de leads, e que leva para a base de contatos os usuários que provavelmente fazem parte desse público ideal.

Blog

Realmente não há uma forma mais efetiva para captar leads no e-mail marketing do que a criação de um blog. Essa é uma forma de atração do público-alvo, e que ajuda no fluxo geral de clientes para a empresa. O inbound marketing em si, têm a publicação de conteúdos como um de seus pilares fundamentais, e o blog possui um papel muito importante dentre desse processo. 

Levando em consideração a necessidade de criar uma base de contatos que façam parte do público da marca, atrair os usuários com materiais relevantes faz todo o sentido. Primeiramente ele vai procurar sobre o assunto, chegar até a empresa, que trabalha dentro do nicho da temática, e poderá ser captado tranquilamente. Essa é uma forma até mesmo de intensificar as estratégias anteriores, levando mais pessoas para o site, com mais ofertas de iscas digitais, etc. 

Estratégia – Pixabay

Principais estratégias de email marketing

Até aqui, já deu para entender a relevância que o e-mail marketing possui. Afinal, além de possuir uma implementação de baixo custo, ela consegue gerar resultados satisfatórios para a empresa. Tudo vai depender, é claro, de um planejamento correto, com a escolha dos objetivos, frequência do envio das mensagens, etc.

Desde que seja aplicado da forma certa, o marketing através do e-mail pode ser um aliado fundamental no crescimento de uma marca. Para isso, diversas estratégias podem ser empregadas, a depender de cada meta que se deseja alcançar.

Carrinhos abandonados

De acordo com um estudo publicado pela Neoatlas, o abandono de carrinhos nos e-commerce, conta com níveis altíssimos, que chegam a mais de 80%. Isso significa que grande parte do processo de atração e do próprio tráfego em si, até estão funcionando, mas a compra em si não é finalizada.

Por isso, uma das estratégias básicas de utilização do email marketing é justamente tentar fazer com que os usuário retomem a compra. O objetivo, nesse caso, é lembrar o cliente sobre o produto selecionado, e reengajá-lo novamente.

Novidades

O e-mail marketing também funciona muito bem como estratégia de apresentação de novidades. Nesse caso, além de ajudar na comunicação com os usuários, ainda é possível aumentar o conhecimento do público desejado sobre uma nova oferta.

Essas mensagens podem ser relacionadas tanto a uma nova área de atuação, novos produtos, ou até mesmo ao lançamento de materiais ricos e conteúdos relevantes.

Ofertas personalizadas

A segmentação do público-alvo cumpre um papel muito importante no sucesso das estratégias. E com o tempo, e a análise das métricas adequadas, é possível ter uma noção muito mais profunda sobre os leads, ajudando na criação de ofertas cada vez mais personalizadas.

Isso ajuda diretamente na assertividade da oferta, fazendo com que os resultados e conversões aconteçam adequadamente. A ideia é começar com segmentações básicas, e cada vez mais, ir aprofundando essa personalização.

Gatilhos para usar no email marketing

Tão importante quanto entender as melhores estratégias de email marketing e como fazer um planejamento correto, é saber formas eficientes de incentivar os clientes a realizarem alguma ação. E os gatilhos mentais também se aplicam a comunicação via e-mail.

Os gatilhos são mensagens responsáveis por influenciar diretamente o cérebro do ser humano, para que ele tome alguma decisão de modo automático, tendo como base os estímulos emocionais.

Segundo um estudo publicado pela universidade norte-americana de Harvard, cerca de 85% a 95% de todas as decisões de compra acontecem de forma inconsciente. Em outras palavras, são as emoções as grandes responsáveis por guiar o consumo dos serviços e produtos. Então, por meio dessa técnica, é possível criar estratégias e conteúdos com um enorme potencial de influenciar o cliente.

Um ponto importante a se considerar, é claro, é que esses gatilhos partem da utilização da verdade. Assim, não se trata de uma manipulação por meio de mentira ou uma oferta enganosa, mas sim de dar um empurrãozinho no cliente, por meio de técnicas mentais, para que ele finalize a ação.

Urgência

O gatilho de urgência é um dos mais empregados dentro das campanhas de marketing em geral. Eles estão relacionados ao senso da necessidade de uma ação rápida, para não ficar de fora de algo.

Para isso, ele acaba limitando o tempo de oferta de algum serviço ou produto, e é bem útil quando o assunto são lançamentos. Assim, a marca cria um certo período para que os usuários possam aproveitar alguma promoção, ou algo similar.

O objetivo, nesse caso, é realmente gerar esse sentimento de “agora ou nunca”, intensificando o seu desejo de aquisição, sendo mais um bom motivo para que ele tome a atitude desejada.

Escassez

Outro gatilho bastante explorado dentro do e-mail marketing é o de escassez. No mundo, como um todo, o que é escasso e limitado é mais valioso, e isso vale tanto para o ouro, quanto para ofertas de campanhas de marketing.

Um e-commerce, por exemplo, pode promover mensagens para anunciar os últimos produtos de um estoque. Há também a opção de limitar a quantidade de clientes que receberão descontos ao adquirir algo, etc.

O mais importante de tudo é realmente trabalhar sempre com a verdade, para que a marca consiga manter sua credibilidade com os clientes. Então, quando houver a possibilidade de utilizar esse gatilho, ele cairá muito bem.

Antecipação

A antecipação também cumpre um papel importante quando se trata de gatilhos mentais. Esse método busca trazer um pouco mais de desejo, a espera de algo que irá acontecer.

Um exemplo básico, são os trailers de filmes, que pouco a pouco vão apresentando um pouco da história principal. Assim, quando o dia da estreia no cinema, ou outra plataforma, acontecer, todos estão realmente ansiosos para conferir o resultado.

Muitos canais no Youtube também utilizam essa estratégia, colocando contagem regressiva para o lançamento de algum vídeo importante. E o e-mail marketing pode aproveitar justamente essa ideia, empolgando os leads com a antecipação por algum lançamento.

Prova social

O ser humano é um ser social, e soube elevar ao máximo essa característica ao longo de sua evolução. A busca por pertencimento é algo que também está diretamente ligado a essa questão.

E quando uma empresa busca mais conversões, vale muito a pena aproveitar esse fator, dando as chamadas provas sociais. Um meio prático de fazer isso é simplesmente colocando depoimentos de outros clientes satisfeitos.

Afinal, isso mostra que muitas outras pessoas estão fazendo o indicado, gerando essa sensação de acolhimento. Caso um possível cliente se sinta sozinho, ele terá a motivação adequada para seguir os próximos passos.

Personalização

Por fim, a personalização é mais um ponto de destaque na hora de amplificar as conversões. Essa já foi uma temática muito debatida ao longo do artigo, e está relacionada a um estreitamento das relações com o lead.

O objetivo é buscar uma abordagem humanizada, que não carregue tanta automação. No entanto, ela vai muito além de colocar o nome do usuário na mensagem. é preciso ir mais adiante. A análise de métricas ajuda a entender melhor o perfil do usuário, e cada vez mais criar campanhas personalizadas, com características assertivas. 

Empresa – Pixabay

Como fazer um e-mail de marketing?

Depois de todas as explicações anteriores, é importante entender efetivamente como criar um e-mail marketing adequado. Nesse caso, ele deve levar em consideração todos os fatores importantes da estratégia.

Objetivo

O primeiro passo a se dar é delimitar o objetivo que se deseja cumprir. Isso faz parte do próprio planejamento da campanha, e é preciso reafirmar essa meta durante a construção do e-mail. Afinal, com essa definição, a mensagem conseguirá ser muito mais efetiva e direta.

Segmentação

Depois do objetivo, é a hora de delimitar também o público que irá receber o e-mail. Isso vai depender, por exemplo, do estágio que o lead está dentro do funil de vendas, e também qual meta que se deseja alcançar. Caso seja uma venda, por exemplo, o público deve fazer parte de um núcleo devidamente nutrido, que esteja preparado para realizar alguma conversão.

Conteúdo

A elaboração do conteúdo ideal é mais um ponto dentro da construção do e-mail marketing. E isso diz respeito tanto ao material utilizado para a nutrição, promoção ou conversão, e até mesmo quanto à própria linguagem e modo de escrita da mensagem.

Assunto

Como já mencionado, o assunto é um dos elementos mais importantes durante a construção de um bom e-mail marketing. Isso porque ele faz parte do primeiro contato do usuário com a mensagem.

Então, caso o assunto não desperte o seu interesse, ele poderá nem mesmo abrir o email. Como consequência, todo o esforço despendido até esse passo terá sido em vão. A escolha de um bom assunto, que seja atrativo, está alinhada também com a segmentação do público.

Design

O design também possui muita relevância no resultado final do e-mail marketing. Afinal, depois do usuário abrir a mensagem, ele ajuda a prender a atenção do mesmo, facilitando ainda o direcionamento para outras páginas.

O investimento em um bom design faz a diferença no final das contas, e agrega uma identidade visual à marca, ganhando destaque entre as demais opções e concorrentes disponíveis.

Call to action

A chamada para ação é fundamental na hora de levar o leitor a fazer algo. O objetivo pode ser, por exemplo, levá-lo para uma página de vendas, ou para acompanhar um novo conteúdo.

De todo modo, utilizar o call to action faz com que ele se sinta atraído a realizar a ação. Normalmente, elas envolvem links direcionais, e devem surgir de forma adequada dentro do texto.

Uma dica interessante é utilizar os gatilhos mentais nesse momento, ampliando a capacidade atrativa do item. Fora isso, é preciso ainda dar destaque, colocando a chamada em um local ainda no início do conteúdo, e fora dos blocos de texto maiores.

Métricas

O último passo é realmente sempre acompanhar as métricas dos e-mails. Isso ajuda a ter uma compreensão completa sobre o funcionamento da estratégia. Então, caso os índices estejam positivos, basta continuar a sua lapidação, e caso estejam abaixo do esperado, é o momento de repensar o que não está dando certo.

Tentar utilizar o e-mail marketing às cegas, sem saber exatamente se as metas estão sendo atingidas ou não, é bastante prejudicial. Quanto mais informações estiverem disponíveis, melhor poderão ser os ajustes para futuras abordagens.

Para isso, é fundamental contar com o apoio de uma ferramenta adequada de automação, que colherá dados relevantes sobre esses índices. E felizmente, o mercado oferece uma ampla variedade disponível, sejam elas pagas ou gratuitas. 

Qual a melhor ferramenta de e-mail marketing?

Usar o email marketing é uma excelente forma de divulgar a empresa sem gastar muito. Além disso, esse tipo de publicidade ajuda a fidelizar clientes, mantendo a sua presença e conteúdos digitais relevantes para ele. Para tanto, você deve saber como escolher e utilizar as ferramentas de email marketing disponíveis no mercado.

Ainda que funcionem de forma parecida, essas ferramentas possuem características próprias. Ou seja, o diferencial que cada uma delas oferece pode impactar no trabalho de divulgação. Portanto, é preciso selecionar as opções que favoreçam a publicidade e autoridade da empresa.

É importante destacar que o uso das ferramentas de email marketing depende do planejamento pessoal. Afinal, de nada adiantará se a ferramenta escolhida não se encaixar no objetivo da campanha, mailing e público-alvo. Logo, é essencial que se compreenda o potencial de cada ferramenta na sua estratégia.

Independente da opção escolhida, é fundamental que ela facilite o envio de e-mails. Além disso, é importante que o recurso ajude a organizar a lista de contatos. Desse modo, haverá mais segurança para criar templates e mensagens mais personalizadas. Confira a seguir algumas das melhores ferramentas de E-mail Marketing.

MailChimp

Quando se trata de ferramentas de E-mail Marketing, o MailChimp é uma das mais famosas. Tudo porque ela possui uma plataforma intuitiva que facilita as atividades de qualquer usuário. Além disso, ela tem um criador de e-mails bastante útil para criar e organizar mensagens.

Uma das grandes vantagens do MailChimp é a gratuidade, oferecendo aos usuários muitos recursos sem custos. Mesmo que ainda se esteja começando, é possível ter acesso às funções fundamentais para desenvolver a publicidade da marca. Por exemplo, layouts diferenciados e personalizados ou a criação de listas.

A plataforma ainda permite o acesso aos resultados dos projetos e campanhas criadas. Desse modo, é possível perceber o alcance de cada projeto e os elementos que podem favorecer os próximos trabalhos.

Assim como outras ferramentas de E-mail Marketing, o MailChimp tem a versão paga, com mais recursos, e a gratuita. Tanto uma quanto a outra oferecem integração ao Shopify, WordPress e Magento.

Análise – Pixabay

GetResponse

A GetResponse é uma das ferramentas de E-mail Marketing mais utilizadas no mundo. Por meio dela, é possível atrair um público-alvo mais qualificado a cada tipo de serviço. O melhor é que a plataforma não exige conhecimentos avançados de programação para criar campanhas efetivas.

O diferencial da GetResponse é a disponibilidade de dezenas de ferramentas, como Webinar e CRM. Fazendo um bom uso delas, dá para obter um retorno de quase 100% da capacidade de entrega. Ou seja, há uma boa garantia de que as mensagens estão chegando aos potenciais clientes.

Algumas possibilidades da GetResponse são a criação de lista de contatos, planejamento de campanhas e análise de alcance. O fluxo de mensagens criado na plataforma favorecerá a busca por leads, aumentando as possibilidades de vendas.

Mesmo que a empresa seja de pequeno porte, as opções da GetResponse oferecem uma automação de Marketing eficiente. Então, é possível ter a segurança para criar campanhas únicas e muito bem direcionadas. A integração do Google Docs, OptinMonster, SalesForce e ZenDesk são diferenciais para ajudar nessa tarefa.

Mailjet

O MailJet é uma boa ferramenta de E-mail Marketing para envio de e-mails e rastreamento transacionais. Versátil, o MailJet é bastante útil para empresas de qualquer tamanho que desejam ampliar o contato com os clientes. Assim, há os recursos fundamentais para criar templates e e-mails com mais chances de engajar as pessoas.

O MailJet tem uma interface que facilita a navegação do usuário, tornando quase intuitivo a criação dos e-mails. É possível usar APIs para conseguir a integração com outros recursos. O melhor é que a plataforma possui um plano gratuito, um bom atrativo para quem não pode gastar no momento.

Egoi

A principal meta da plataforma Egoi é facilitar o processo criação de E-mail Marketing para os usuários. Nesse sentido, há a mais liberdade para automatizar os seus e-mails sem complicações. Além disso, a plataforma oferece recursos para a criação de Newsletter ou fazer a segmentação de campanhas.

Caso queira, também dá para receber suporte para usar outros recursos de comunicação com os clientes. Tanto que a Egoi ajuda na comunicação via SMS, Web push, notificações push e até chamadas de voz. Para quem tiver até 5.001 contatos, a plataforma não cobra taxas e ainda permite o envio de até 15.000 mensagens por mês.

Constant Contact

Por causa da interface simples de usar, a Constant Contact tem conquistado muitos usuários ao longo dos anos. Sendo uma ótima ferramenta para fazer E-mail Marketing, ela oferece o acesso ao gerenciamento dos principais tópicos das campanhas. Assim, dá para criar uma lista de e-mails bem organizada,com calendário de Marketing e modelos de templates.

A Constant Contact possui um plano gratuito com duração de 30 dias. Porém, a versão paga inclui recursos como testes A/B, criação de pesquisas e automação de e-mail.

Lead Lovers

Para quem quer captar e manter os seus leads, a Lead Lovers é a ferramenta de E-mail Marketing ideal para essa tarefa. A plataforma é especialista no uso de landing pages e anúncios que geram interesse em longo prazo nas pessoas. Embora seja paga, ela possui vários recursos que ajudarão no Marketing Digital da empresa.

Usando a Lead Lovers, a montagem dos blogs e páginas de vendas será muito bem estruturada. Com o funil de vendas será possível criar uma automação de Marketing mais eficiente. Além disso, ela ainda permite saber como criar templates de e-mail fazendo ações simples.

Se necessário, a empresa poderá fazer o aprimoramento de landing pages no design e e-mails. Outro ponto interessante é que a plataforma oferece acesso a diversas fotos gratuitas para usar na campanha. Não o bastante, a Lead Lovers também ajuda a verificar taxas de abertura, monitorar os envios e acessos.

Mailify

O Mailify é uma ferramenta de E-mail Marketing bastante famosa na Europa. Em parte, o sucesso da plataforma se deve à versatilidade de uso dos seus elementos. Por exemplo, uso do SMS, automação de Marketing e até listas de contatos ilimitadas.

Ela permite verificar os dados dos projetos ao conectar a plataforma com o Google Analytics. Outra vantagem do Mailify é o uso de imagens livres de royalties. Desse modo, conta com o diferencial de permitir o uso de bancos de imagens sem gastar mais por isso.

Locaweb

A Locaweb tem o objetivo de ajudar no hospedamento de sites. Para tanto, ela cobra valores menores e entrega uma infinidade de recursos que ajudarão a melhorar o E-mail Marketing da empresa.

Uma das opções mais conhecidas é o agrupamento de contatos que possuam alguma característica em comum. Ademais, a Locaweb ajuda a fazer um ótimo gerenciamento de mailing para criar e enviar campanhas personalizadas com mais agilidade.

RD Station

Quando se trata das melhores ferramentas de E-mail Marketing, a RD Station é uma das mais procuradas. Tudo por causa da integração de recursos indispensáveis para a automatização de campanhas de Marketing. Por meio dela, é possível entender como o cliente interage com o negócio, para criar um plano atrativo para ele.

A RD Station consegue captar a essência de cada estratégia de Marketing. Na prática, a empresa terá como administrar a marca na internet e criar um Marketing efetivo que gere vendas. Já que automatiza e facilita o gerenciamento de qualquer negócio e publicidade, a RD Station é uma das melhores ferramentas de E-mail Marketing já criadas.

Drip

A Drip não deixa a desejar quando o assunto é trabalhar com E-mail Marketing. Através dela, dá para criar páginas de vendas, landing pages e sites atrativos. Ela também oferece a automação de Marketing por meio do funil de vendas. Mesmo quem não saiba como fazer templates, o sistema “soltar e arrastar” ajudará com essa tarefa.

Caso queira, também há a possibilidade de melhorar o layout das landing pages e dos e-mails. Não o suficiente, a Drip também cede fotos gratuitas e o monitoramento das campanhas da marca.

Ferramentas – Pixabay

Active Campaign

O Active Campaign tem todos os recursos que uma boa ferramenta de E-mail Marketing deve entregar ao usuário. Porém, ela consegue oferecer rastreamento geográfico, conteúdo condicionado e entrega com melhor gerenciamento.

Outro destaque da Active Campaign é a integração de um CRM capaz de melhorar o resultado de conversão. Logo, ela entrega um alcance e acompanhamento maior dos leads e possíveis clientes.

AWeber

Sendo uma das ferramentas de E-mail Marketing mais tradicionais do mercado, a AWeber é perfeita para pequenas e médias empresas. Com a ajuda da plataforma, é possível gerenciar as campanhas de Marketing por e-mail com mais controle.

A característica única da AWeber é a integração com o Canva. Logo, a empresa poderá usar os próprios designs criados no Canva para conquistar potenciais clientes via e-mail.

MailerLite

O MailerLite é uma ótima ferramenta de E-mail Marketing para negócios menores. Ainda assim, ela permite a criação de formulários, sites e testes A/B sem deixar a desejar.

Outra vantagem é a integração com outras plataformas, como o WordPress. O melhor é que o MailerLite possui tutoriais que ajudam o usuário a usar todos os recursos da plataforma sem complicação.

Litmus

O Litmus é uma ferramenta de E-mail Marketing bastante completa e com diversas funções. Com o auxílio dele, a empresa pode criar e-mails e enviá-los com mais agilidade. Entre recursos gratuitos e pagos, ela permite observar um checklist para verificar os e-mails criados antes de enviá-los.

Email marketing: exemplos

Fazer e mandar E-mail Marketing é um processo que deve ser pensado com estratégia e assertividade. Afinal, esse modelo de contato pode definir se o serviço de uma marca crescerá ou ficará perdido em meio a tantos outros. Por isso, as empresas podem e devem se inspirar em grandes exemplos de sucesso, para alavancar os negócios.

Empresas como Google, Uber, NuBank e Shopee realizam esse tipo de trabalho com muita frequência. Cada empresa entende como o núcleo de clientes dela funciona. Então, elas sabem como criar estratégias para manter o interesse da audiência e lembrá-la de que é um consumidor diferenciado para o seu negócio.

Porém, é preciso saber como trabalhar as estratégias no E-mail Marketing para não ser ignorado pelas pessoas. Não só entender como atraí-las para o negócio, mas também como manter o interesse do público por mais tempo. Caso contrário, a marca pode ser esquecida ou bloqueada por enviar mensagens robotizadas e incômodas.

Nesse sentido, o ideal é aprender com grandes exemplos como ser mais humanizado e entregar mensagens de valor. Para tanto, observar as ações de empresas de sucesso é um passo importante na procura por novos clientes. A comunicação assertiva e estilo diferenciado podem conquistar a atenção das pessoas e fazer o negócio evoluir de vez.

Amazon

A Amazon sempre prioriza a experiência dos usuários, sejam eles compradores antigos ou novos. Muitas pessoas acessam os serviços da plataforma e salvam os produtos, mas não finalizam a compra. A fim de mudar essa atitude, a empresa usa o E-mail Marketing para lembrar o usuário do “produto esquecido” no carrinho ou avisar que o preço dele diminuiu.

Para incentivar a compra, a empresa envia aos compradores cadastrados conteúdos de retenção, informando sobre promoções ou produtos parecidos. Dessa forma, o cliente se sente mais motivado a pensar na compra e finalizá-la. Esse tipo de continuidade na venda cria um interesse em médio e longo prazo capaz de gerar novas vendas.

Outra tática da Amazon é usar automação e envio de e-mails para que o cliente resgate compras antigas. Além de destacar o diferencial daquela compra, a empresa consegue deixar claro a vantagem de adquirir produtos com ela.

Ao fazer um cadastro na Amazon e pesquisar por produtos específicos, a plataforma salva o histórico do cliente e mostra produtos semelhantes e de interesse a esse usuário. Por exemplo, se você procura por panelas, o site também recomendará outros utensílios de cozinha. Assim, ela terá mais chances de fazer conversão e fechar novas vendas.

Email marketing – E-commerce – Pixabay

Netflix

A Netflix consegue se comunicar com naturalidade e assertividade com os clientes. Com a ajuda do E-mail Marketing, ela sabe como abordar os assinantes a respeito do plano e fazer a promoção do próprio catálogo. O grande segredo dela é a personalização, dando a sensação de que cada usuário é único para ela.

Usando o histórico de navegação e consumo dos assinantes, a Netflix envia recomendações personalizadas para eles. O melhor é que a plataforma mantém a estratégia mesmo em épocas de lançamento, incentivando o público a salvar os novos conteúdos para assistir em outro momento. Assim, o usuário mantém a assinatura, pois entende que sempre haverá um programa que ele gosta.

Nubank

O NuBank tem uma das melhores demonstrações de E-mail Marketing do momento. A empresa sempre mantém contato com os clientes, mandando e-mails sobre assuntos relevantes para a audiência. Não só temas do mundo externo, mas também avisos de promoções para o pagamento antecipado das faturas, por exemplo.

O diferencial do NuBank é a simplicidade e o desejo por engajamento. Na prática, a empresa usa textos diretos, bem ilustrados e Call To Action assertivo. Como resultado, os clientes têm a certeza de que o e-mail recebido entregou a mensagem que prometeu. Assim, a NuBank provoca curiosidade nas pessoas para elas abrirem os e-mails e olharem as mensagens.

Shopee

O Shopee ganhou bastante espaço no mercado e se estabeleceu como uma das empresas favoritas do público. Parte desse sucesso aconteceu pelo envio de E-mail Marketing funcional que gera a sensação de proximidade. Além disso, a estratégia ajuda no bom relacionamento com os clientes.

Sempre que um novo usuário faz um cadastro, ele recebe um e-mail de boas-vindas. Ainda que pareça uma recepção despretensiosa, o objetivo é incentivar a compra o quanto antes. Contudo, a interação não se limita a esse momento de boas-vindas. A proposta é guiar o cliente para comprar sem parecer que ele é forçado a isso.

Para incentivar a compra, a Shopee sempre disponibiliza cupons de desconto ou ofertas em datas comemorativas. Os e-mails são diretos ao destacar as vantagens da compra e a urgência para adquirir o produto. Logo, o E-mail Marketing praticado pela Shopee se mostra eficaz para atrair compradores e possíveis interessados em aproveitar as promoções.

Google

O Google sabe como fazer Marketing Digital e usar o E-mail Marketing para atrair mais usuários. A empresa consegue fortalecer o próprio Brand Awareness por meio de estratégias muito bem planejadas. Por exemplo, o “Thinking With Google”, um ambiente de pesquisa dedicado ao Marketing e tecnologia.

Entretanto, esse espaço não é tão conhecido pela maioria das pessoas. Por isso, o Google utiliza E-mail Marketing para divulgar as vantagens de acessar o “Thinking With Google”. Como resultado, cada vez mais pessoas de diversas áreas de conhecimento usam, interagem e aproveitam o ambiente de pesquisa.

Google – Pixabay

Evino

Para ajudar nas vendas dos vinhos, o Evino passou a apostar no uso do E-mail Marketing como forma de orientar os amantes de vinho. Sabendo que se trata de um assunto complexo, a empresa utiliza o E-mail Marketing para explicar informações importantes sobre cada produto. Dessa forma, ela gera interesse e incentiva o cliente a comprar, oferecendo boas promoções.

A Evino utiliza o e-mail como uma forma de consulta para esclarecer dúvidas e apresentar curiosidades. Como as mensagens são enviadas toda semana, os clientes se sentem mais seguros para saborear um vinho e entender como harmonizar o produto, por exemplo. Logo, os clientes se sentem mais confiantes para montar pratos e apreciar o valor de cada garrafa da empresa.

Uber

A Uber sabe que os clientes valorizam tempo e agilidade. Por isso, ela utiliza E-mail Marketing simples e direto. Tanto que desde a mensagem de boas-vindas até às recomendações de uso possuem textos objetivos e claros. Ainda assim, a empresa consegue gerar proximidade com o usuário, colocando-o como parte da família.

Tão bom quanto as mensagens é o Call To Action da empresa, feito com bastante clareza e engajamento. Os e-mails favorecem o uso e permanência do usuário na plataforma, gerando a sensação de comodidade e controle dos recursos. Além disso, os e-mails da Uber são muito didáticos, mostrando para os novos usuários tudo o que ele precisa saber para usar o aplicativo com simplicidade.

Newsletter

Muitas empresas utilizam a Newsletter para manter a presença e o contato constante com os clientes. A função da Newsletter é atualizar os contatos a respeito das atualizações do mercado dentro de um determinado nicho. Por exemplo, no caso de uma editora de livros, ela informará aos assinantes quais as mudanças que ocorrem no mercado literário.

A principal característica desse tipo de E-mail Marketing é a grande quantidade de informação no corpo do texto. Além disso, sempre haverá links que direcionam o leitor para algum site ou rede social para conhecer outros serviços e artigos. Desse modo, o conteúdo informativo de uma Newsletter é a base desse tipo de E-mail Marketing.

Segundo especialistas, é importante não se apegar às métricas e indicadores de E-mail Marketing na Newsletter. Por exemplo, abertura do link ou cliques não devem ser fundamentais para avaliar o sucesso desse tipo de mensagem. Tão importante quanto entender isso é saber onde o leitor clicou. Assim, será possível montar uma estratégia capaz de atrair novos clientes.

Uma Newsletter é um tipo de conteúdo que deve ser entregue ao consumidor com frequência. Por isso, é preciso ter o compromisso de criar conteúdos com regularidade, que ajudem a marca a obter o engajamento das pessoas. Além da frequência de envio, é importante lembrar-se de destacar a marca no corpo do e-mail.

Conclusão

O email marketing representa uma estratégia eficiente e barata para as empresas, e por isso é tão utilizada atualmente. Muitas marcas, sejam elas grandes ou pequenas, aproveitam a sua funcionalidade para conseguir vendas e outras conversões.

Com uma elaboração correta, é realmente possível alcançar os objetivos de forma eficiente e com solidez. Tudo vai depender do modo como a estratégia é colocada em prática.

O trabalho com uma base de contatos de qualidade, adquiridas de modo legítimo, é um dos pilares desse processo. Afinal, a escolha e segmentação do público-alvo ideal, ajuda a maximizar os resultados, facilitando a interação entre empresa e clientes.

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário aqui embaixo, e compartilhe o material para ajudar outras pessoas!

Deixe seu comentário