O empreendedorismo empresarial e corporativo abrangem uma série de técnicas adotadas dentro de empresas para tornar as suas ações criativas e aumentar as vendas ou diminuir custos.

Empreendedorismo empresarial e corporativo são modalidades de empreendimentos diferentes. Em suma, empreendedor é aquele que possui um empreendimento. Portanto, empreendedorismo é o ato de promover um empreendimento. Mas isso partir de artifícios que levam um negócio a fornecer seus serviços ou produtos de forma bem sucedida (ou não).

Ou seja, de uma maneira que sane uma dor, necessidade ou demanda de um indivíduo ou grupo de pessoas. Mas apesar de sua definição trivial, as maneiras de empreender são tão amplas quanto os ramos de empreendimento.

E duas diferentes formas de empreendedorismo têm destaque nesse artigo de nosso blog. Assim os leitores podem ter uma noção aprofundada do que são e dicas de como praticar.

No caso, tratam-se do empreendedorismo empresarial e corporativo. Essas formas de empreender, apesar de terem um objetivo final em comum (o de identificar oportunidades para transformar em um negócio), possuem alguns diferenciais.

Por isso nesse artigo estão listadas as principais características que diferenciam ambas as formas de empreendedorismo. Antes de mais nada, para dar continuidade ao texto, é preciso trazer à tona um aspecto básico que diferencia ambas as formas de empreendedorismo.

Primeiramente: o empreendedorismo corporativo é uma maneira de gerar oportunidades, ideias e inovação dentro de um empreendimento impessoal. Ou seja, uma pessoa contratada para ser um empreendedor, de forma independente de seu cargo, é um empreendedor corporativo. Ler livros de empreendedorismo é uma forma de estimular todos os tipos de empreendedores.

Enquanto uma pessoa que assume os riscos do mercado, toma frente sobre a promoção de um produto ou serviço é identificado como um empreendedor empresarial. Enfim, para que os leitores compreendam melhor do que se  tratam ambos os empreendedores, aqui está um artigo pela Visão Confiável.

Neste artigo, você verá mais sobre:

  • O que é o empreendedorismo empresarial?
  • Qual a diferença entre empreendedorismo empresarial e social?
  • Quais são os três tipos de empreendedores?
  • Quais são os tipos de empreendedorismo corporativo?

O que é empreendedorismo empresarial?

O exemplo mais clássico de empreendedorismo e também um dos que mais crescem no Brasil nos últimos tempos é o empreendedorismo empresarial. Em suma, esse tipo de empreendedorismo tem como principal característica o ato de começar um empreendimento.

Ou seja, idealizar uma forma de promover um ou mais produtos e/ou serviços a partir de uma razão social. Hoje em dia existem diversas formas de começar um empreendimento empresarial. Mas os dois principais tipos de empreendimento empresarial são: aqueles que começam pela necessidade e aqueles que começam pela oportunidade.

Por exemplo: aqueles que começam negócios como o de venda de doces para pagar suas contas tem um formato de empreendimento empresarial. Assim como enxergar oportunidade de fazer dinheiro a partir da visão sistemática de uma demanda não suprida é uma forma de empreendimento empresarial.

Ou seja, empreendedorismo empresarial é toda forma de promover uma ideia, uma inovação, o suprimento de uma demanda. Assim como uma forma de suprir as próprias necessidades financeiras a partir da ideia da venda de produtos e/ou serviços

Aliás, o fato de um empreendimento surgir a partir de uma necessidade não implica que o mesmo não possa tornar-se uma oportunidade a posteriori. Um exemplo claro disso é o de Luiz Quinderé, o criador do Brownie do Luiz. Basicamente, Luiz começou a vender Brownies em sua escola e depois na faculdade como um pequeno empreendedor.

Atualmente, sua empresa configura-se como uma das maiores do ramo alimentício no que tange a produção de brownies. A receita anual do Brownie do Luiz tornou-se milionária e, claro, um grande exemplo de empreendimento empresarial que transitou da “necessidade” para a “oportunidade”.

Para que serve o empreendedorismo empresarial e corporativo?

Empreendedorismo social e empresarial tem como principais funções promover mudanças. Aliás, caso a ideia por trás de qualquer empreendimento não ligue-se a isso, dificilmente um negócio terá sucesso.

Mas, especificamente, o empreendedorismo empresarial pode ter como principais serventias: mudanças na vida pessoal ou mudanças na vida alheia. Aliás, muitos vêem no empreendedorismo empresarial uma forma de tornar-se o próprio chefe ou deixar o próprio emprego.

Assim como muitos vêem neste formato de empreendimento uma forma de propagar uma inovação ou ideia para trazer resultados financeiros como uma consequência. Há também aqueles que vêem nesse formato de empreendedorismo uma forma de conseguir subsistência. Ou seja, uma forma de pagar as contas, fazer compras para casa ou mesmo quitar dívidas.

No fundo, o empreendedorismo resume-se a sua ideia central que é suprir uma ideia para ter como resultado final a obtenção de capital. De qualquer forma, deve-se ressaltar que apesar da ideia parecer simples, a prática é um tanto quanto mais complexa.

Afinal, ter um empreendimento empresarial significa estar suscetível a diversas instabilidades, mudanças no mercado, desmotivação e vários outros aspectos que podem vir a ser empecilhos.

Por isso, definir qual a serventia do empreendedorismo empresarial é algo que cabe àquele que irá realizar o empreendimento. Somente a partir de um propósito para um empreendimento é possível ter a resposta para a pergunta em questão.

Exemplos de empreendedorismo empresarial e corporativo

Bom, agora que os leitores tiveram acesso a definições sobre empreendedorismo empresarial, é possível trazer a tona alguns exemplos. O primeiro deles, e um dos mais comuns, é o de empreendimentos locais. Ainda que estejam cada vez mais escassos em grandes centros, é possível conferir alguns exemplos como esse em todos os lugares.

Por exemplo: padarias familiares, mercearias, lojas de calçados e lojas de R$1,99 são exemplos claros de empreendedorismo empresarial. O que esses comércios têm em comum é o fato de estarem concorrendo com grandes empresas do ramo e buscarem a lucratividade e a sobrevivência no mercado.

Além desses, outro exemplo de empreendedorismo empresarial são os salões de beleza e barbeiros. Um aspecto crucial para que se enquadrem nesse formato de empreendimento está na questão da iniciativa de um prestador de serviços em escalar seu negócio e atender em um ambiente adequado.

Além disso, a partir desse empreendimento é possível ter a obtenção de renda a partir de sua produtividade ou venda de produtos sem seguir a demanda de um superior.

Outro exemplo desse tipo de empreendimento é o de franquias. Apesar de poder se enquadrar como um derivado de outro formato de empreendimento, um franqueado possui desafios semelhantes a um empreendedor empresarial.

Confira abaixo uma questão exposta no Brainly sobre empreendedorismo empresarial.

Empreendedorismo Empresarial: Brainly

Ao pesquisar por empreendedorismo empresarial em uma das plataformas mais vastas de perguntas e respostas da internet, o o Brainly, foi possível deparar com as questões da imagem do fim desta seção.

As questões foram:

  • Qual a diferença entre empreendedorismo empresarial e o pessoal?
  • Quais características de uma pessoa empreendedora você possui?
  • Quais características ainda faltam para o seu empreendedorismo? Por quê?

E as respostas entregues para essas questões seguiram uma linha de raciocínio bem semelhante com a ideia geral presente aqui em nosso artigo. A primeira resposta trouxe à tona que um empreendedor é aquele que enxerga oportunidades e gera riquezas a partir dela.

Em suma, isso resume bem a ideia geral por trás das definições abordadas aqui no texto. Em seguida, a resposta para a segunda dúvida foi que qualquer pessoa pode encontrar os segredos para o empreendedorismo de sucesso.

Essa foi um tanto quanto vaga frente à questão posta pelo usuário da foto ( @tomaldavid14). Mas vale ressaltar que o que a abordagem ( fundar um negócio e ser patrão de si mesmo) é característica de uma pessoa que já empreende.

Enquanto as características de uma pessoa empreendedora podem ser: visão de mercado, inovação, boas ideias, bom posicionamento e abertura para constante aprendizado.

Por fim, a última resposta aparentou trazer um cenário hipotético em que um empreendedor não saberia onde atuar. No caso, a resposta traz a sugestão de que um aspirante a empreendedor esteja envolvido naquilo que gosta de fazer e se dedicar.

E isso é uma grande verdade dentro de qualquer forma de empreendedorismo. Seja o empresarial, corporativo ou social.

Empreendedorismo empresarial e corporativo – Fonte: Brainly

Quais são os 3 tipos de empreendedorismo?

Antes de mais nada, para abordar as diferentes variações de tipos de empreendedorismo que serão o foco deste artigo, é preciso apresentar um conceito a parte.

Não menos importante, o empreendedorismo social possui uma grande relevância para o impacto na sociedade. Alguns dos exemplos mais comuns de empreendedorismo social são as empresas que tem como propósito a geração de inovação. Assim como ideias e mudanças em aspectos da sociedade.

Mesmo com a semelhança, o empreendedorismo social possui algumas nuances de diferença com o conceito de Organizações Não Governamentais (ONGs). De fato, é possível confundir um conceito com o outro por diversos aspectos. Seja pelo teor altruísta que ambos possuem, quanto pela proposta geral de promover mudanças sociais.

Mas o principal aspecto que o caracteriza como um empreendimento é o fato de que esse inclui a geração de renda frente a um impacto social. Aliás, o empreendedorismo social tem como proposta a geração de renda por meio do impacto social.

Apesar do foco do empreendedorismo social ser a geração de impacto social, não é o único. Visto que a geração de renda para o retorno de investidores e possível reaplicação do mesmo capital é de suma importância para esse tipo de empreendimento.

Já nas ONGs é possível existe como principal característica estrutural a organização sem fins lucrativos. Mesmo que o título da seção foque nos 3 tipos de empreendedorismo e aqui a limitação esteja apenas no empreendedorismo social, abaixo será possível conferir mais sobre os demais tipos de empreendedorismo.

No caso, o empreendedorismo corporativo, ou empresarial e as variações de ambos.

Quais são os tipos de empreendedorismo corporativo?

Bom, apesar de existirem diversas configurações dentro do empreendedorismo corporativo, é difícil delimitar os tipos em específico. No entanto, é possível trazer diferentes exemplos com trejeitos distintos. Assim os leitores podem tirar suas próprias conclusões sobre as diferentes formas de fazer um empreendimento corporativo.

E para começar, aqui está o já mencionado e clássico caso de Paul Buchheit, idealizador do Gmail. Paul trouxe para o Google o conceito de e mail que até hoje está presente no mercado. Isso deu espaço a ele em uma das mais importantes cadeiras societárias do Google.

Da mesma forma foi para Jawed Karim, Steve Chen e Chad Hurley, criadores do YouTube. Aliás, ambos exemplos possuem muito em comum, além do fato de tratarem-se de empreendimentos corporativos dentro do Google.

Mas o que difere ambos é: enquanto o Gmail surgiu a partir da ideia de uma pessoa que ganhou espaço societário no Google, o YouTube promoveu espaço para três idealizadores.

Por fim, outro exemplo de empreendedorismo corporativo é o Facebook. Antes de mais nada, vale ressaltar que o Facebook surgiu como uma forma de empreendedorismo empresarial. Isso a partir dos esforços de Mark Zuckerberg, Andrew McCollum, Dustin Moskovitz, Eduardo Saverin e Chris Hughes. Mas um fato sobre o Facebook é que constantemente esse faz uso do intraempreendedorismo para manter a rede social sempre atualizada e inovadora.

Quais as características do Empreendedorismo Corporativo?

Em suma, uma forma simples de entender essa qualificação de empreendedorismo está no exemplo de um trabalhador que possui uma “veia” empreendedora dentro da empresa em que atua. Por exemplo: um funcionário com ideias que podem trazer oportunidades para uma empresa pode propô-las a seus superiores e então ficar à frente de novos empreendimentos.

Isso é totalmente aceitável e, por sinal, muito bem visto dentro do espaço corporativo. Além de ser uma mostra de iniciativa, aquele que traz propostas de empreendedorismo dentro de uma empresa tende a “crescer dentro dela”.

Basicamente, o empreendedorismo corporativo nada mais é do que uma forma de promover empreendimentos dentro de uma empresa existente. Um exemplo histórico de um empreendedor corporativo na história das grandes empresas é Paul Buchheit que criou o Gmail dentro de uma empresa que já existia. No caso, o Google.

Paul trouxe a ideia de um e-mail que concorreria com Yahoo Mail e Hotmail. A staff do Google aceitou a ideia. E desde então esse se tornou um exemplo de empreendedorismo corporativo dentro de uma das mais importantes empresas da história da humanidade, o Google.

Entre as principais características desse tipo de empreendimento, assim como dito anteriormente, está o fato de que o formato corporativo denota a ação de empreender dentro da empresa em que trabalha.

Mas além disso, outra característica do empreendedorismo corporativo é o fato de que o sucesso da proposta dá espaço para um indivíduo tornar-se sócio da empresa em que trabalha. Outra característica é que empresas que possuem esse tipo de empreendedorismo em sua estrutura são empresas societárias.

Aliás, um aspecto que vale ressaltar além das características desse tipo de empreendedorismo, é que também se chama intraempreendedorismo. Justamente por tratar-se de empreendimentos dentro (intra) de uma empresa.

O que é preciso para ser um empreendedor corporativo?

Mas, afinal, quais são as características do empreendedor corporativo? Bom, aqui estão alguns dos exemplos mais básicos de características para que os leitores entendam mais sobre essa modalidade de empreendimento.

Primeiramente, é preciso que o empreendedor corporativo traga frutos de uma visão sistemática das necessidades de uma empresa, assim como de seu público. Assim como no exemplo do Gmail, essa é uma característica indispensável. Seja para o empreendedor ou para o empreendimento.

Em segundo lugar, outra característica importante é a inovação. Assim como em toda forma de empreendedorismo, a inovação se faz indispensável para suprir uma demanda que nenhuma outra ideia pôde fazer.

Por fim, mas não menos importante, é necessário que para que um empreendimento corporativo dê certo, é indispensável que haja persistência, foco e criatividade por parte do empreendedor.

Aliás, no decorrer do texto os leitores poderão ver que essas características são necessárias para todos os tipos de empreendedor. Mas, no geral, devido ao cenário de alta competitividade dentro do corporativismo, é principalmente nesse ponto que fazem-se necessárias essas características a um empreendedor contratado. 

Deixe seu comentário