Enquanto para alguns ler poesia pode ser algo muito prazeroso, para outros só de pensar na ideia de ter que ler estrofes uma angústia já começa a permear os pensamentos. 

Mas, a verdade é que essa estrutura de composição poética é de extrema relevância para entendimento de muitos aspectos da literatura, da linguagem e, claro, da estética de diversos textos.

Antes de mais nada, é preciso pontuar que uma estrofe nada mais é do que um aspecto estrutural de um texto poético.

Ou seja, essas apresentam um importante papel no que tange o estabelecimento de padrões dentro dos textos poéticos.

Um texto poético é caracterizado por sua estética apurada dentro das palavras, organização do texto, sonoridade, estrutura, etc.

Mas, apesar de sua grande relevância, essas são muito pouco ou quase nada desenvolvidas como matéria importante que são para o entendimento da língua portuguesa como um todo.

Por isso, para que os leitores entendam mais sobre estrofe, conheçam exemplos, e entendam seu funcionamento, aqui está um artigo repleto de informações extremamente pertinentes.

Primeiramente, aqui estarão presentes algumas explicações para o entendimento de uma estrofe. Em seguida, alguns exemplos de poemas serão colocados para tornar o entendimento mais fácil.

Estrofes: definição

Foi para começar a falar sobre festa necessário com exemplos que tornem mais simples seu entendimento.

E para começar, o “soneto de fidelidade” é um ótimo exemplo para trazer a tona uma da primeiras definições do que é uma estrofe: o soneto.

Caso os leitores não conheciam esse exemplo de poesia, o soneto de fidelidade foi escrito Vinícius de Moraes e apresenta uma característica que não é única de seus textos: o soneto. 

Ou seja, é uma maneira simples de encaixar 14 versos, com a composição de dois quartetos e dois tercetos.

Isso pode soar um tanto quanto estranho para aqueles que não possuem afinidade com literatura ou estrofes em si. 

Mas a verdade é que essa é uma das definições mais simplórias de modelo de estrofe possíveis das passar aqui.

Além dos objetivos existem outros modelos fixos de estrofes usados por escritores de poemas ou literaturas em geral.

Existem três tipos diferentes de estrofe: a estrofe simples livre e composta, sendo que cada uma possui suas próprias características.

As estrofes simples possuem a característica de integrarem poemas que possuem um mesmo padrão de número de versos. Ou seja as estrofes simples estão presentes nos textos que seguem um padrão de medida semelhante em toda sua desenvoltura.

Já as estrofes compostas são aquelas que possuem dois ou mais tipos de versos inseridos em seu texto. No caso, um dos exemplos mais eminentes desse tipo de estrofe, as compostas, é o “soneto de fidelidade presente no artigo: Esse é composto por tercetos e quartetos.

Por fim, estão os versos livres que não seguem uma estrutura estabelecida diversos, e tem a característica de darem mais Liberdade tanto ao leitor quanto ao escritor de executar seus versos.

Fonte: Pixabay

Classificação das estrofes

A definição de estrofes é algo que ajuda a compreender melhor a estrutura de um texto poético ou literário.

Quando tem-se uma estrofe composta por apenas um verso, essa chama-se monóstica.

A medida que o número de estrofes vai aumentando, mudanças acontecem em seus nomes. As estrofes formadas por dois versos, por exemplo, são conhecidas como dísticas ou parelhas.

Enquanto as estrofes compostas por três versos são chamadas de tercetos. Esses estão notavelmente presentes no poema de Vinícius de Moraes “soneto de fidelidade”, o qual já foi exposto aqui como um exemplo. Em seguida, no que tange às definições de estrofes, os quartetos são estrofes compostas por quatro versos, as quais também estão presentes no exemplo mencionado anteriormente de composição de Vinícius de Moraes.

À medida que o número vai aumentando, assim como já foi dito, o nome muda também. Estrofe com 5 versos são quintetos, estrofes com 6 versos são sextetos, estrofe com 7 versos são heptetos, estrofes com 8 versos são octetos. Enfim, é assim que se organizam as estrofes. Na verdade, existe a possibilidade de haver até 10 versos.

Muito do que define a escolha de diferentes tipos de estrofes para textos literários são seus objetivos. 

Mas isso não implica em nada para aqueles que optam por versos livres. Afinal, estes não seguem uma estrutura bem estabelecida.

Um dos textos em que mais costuma-se ver estrofes de versos livres é o texto “Poética” de Manuel Bandeira.

Esse carrega consigo uma forte característica de versos livres.

É importante pontuar que não se deve confundir versos livres com versos brancos, uma vez que versos livres são versos que não seguem uma estrutura de número de versos brancos apenas não apresentam rimas.

Versos brancos e versos livres

Bom, agora é que os conceitos de versos livres foram apresentados, e o conceito de versos brancos foi introduzido é necessário apresentar mais detalhes sobre a diferença entre cada um.

Assim como foi dito anteriormente, enquanto os versos brancos são versos em que não há rimas presentes nos mesmos, os versos livres são aqueles que não seguem uma estrutura em suas estrofes.

Um dos exemplos mais marcantes diversos brancos é o texto ” O Uruguai” de Basílio da Gama.

Fagundes Varela e Álvares de Azevedo são alguns dos exemplos de escritores românticos que fizeram uso de versos brancos.

Apesar de não rimarem, os versos brancos são carregados de sentimentos, fortes narrativas, e questões tão importantes quanto as apresentadas em rimas nos versos comuns.

Só porque esses não rimam não significa que podem ser negligenciados como ótimos poemas ou expressões literárias.

E assim como já ficou claro aqui no texto, o que difere os versos livres dos brancos não é uma questão estrutural, mas sim uma questão de conteúdo onde um rima e o outro não.

Ademais, não há tanto o que pontuar quanto as diferenças entre um e outro.

Fonte: Pixabay

Versos

Bom, agora que falou-se mais sobre estrofes e tipos de versos, é importante segmentar o conhecimento sobre versos. Por isso aqui estão separados alguns aspectos cruciais para o entendimento de versos vírgulas e suas aplicações e funções dentro de um texto literário.

Antes de mais nada, é necessário ressaltar que existe um sistema de metrificação para definir qual verso é qual.

Essa metrificação consiste em medir o tamanho de cada um dos versos. 

Quando esses possuem medidas semelhantes, ou seja, uma mesma medida, esses são chamados de isométricos.

Já os que não possuem uma regularidade são os chamados heterométricos. Aqueles que possuem uma noção mínima sobre prefixos já devem ter deduzido o porquê de cada um ter o nome que tem. 

Mas para aqueles que ainda não entenderam, enquanto “iso” significa “igual” ou “mesmo”, “hétero” significa “diferente”. Portanto, os heterométricos são aqueles que apresentam metrificação diferentes.

Enquanto os versos livres se enquadram mais nos heterométricos, os demais podem se enquadrar na primeira opção, isométricos.

Algo interessante entre a classificação das sílabas de versos e sílabas gramaticais está no fato de que enquanto as sílabas de versos são classificados por metrificação, as outras são classificadas por tonicidade ou quaisquer outras classificações.

Os versos vão de monossílabos até dodecassílabos ou Alexandrinos. Ou seja, os versos podem ir de 1 a 12 sílabas. Mas há também os versos de mais de 12 sílabas, esses são chamados de versos bárbaros.

Poesia e prosa

Eis aqui uma dúvida que permeia a mente de vários estudantes de literatura e da língua portuguesa com um todo. Antes de mais nada, é normal que se confunda poesia com prosa.

Entretanto, é de suma importância que o conhecimento da definição desses termos seja claro para aqueles que estão em período escolar e até mesmo de formação profissional para alguns.

Então, para começar as definições, aqui está primeiramente do que se trata uma poesia.

Prosas, poemas e sonetos se enquadram como forma de expressão poética. Ou seja, são poesia. É como se os demais termos fossem subjacentes da poesia.

Prosa, para fins de definição, são textos organizados em linhas contínuas. Ou seja, o que define uma prosa é a estrutura textual. Um exemplo de prosa é o livro “Grande sertão: Veredas” de Guimarães Rosa. Mas vale frisar que existem dois tipos diferentes de prosa. As prosas narrativas e as provas demonstrativas. O exemplo de Guimarães Rosa é justamente uma prosa narrativa.

Enquanto isso, a poesia é nada menos do que uma forma de arte. Uma intenção artística. A maior característica está na busca pela estética perfeita, pela compreensão da subjetividade por meio das sensações que o texto pode causar. Não é preciso mencionar tudo em que estão presentes as poesias. Afinal, elas são uma das formas de arte mais antigas na história da humanidade. 

De fato, as poesias estão presentes na humanidade desde que arte foi inventada.

Enquanto isso, o poema se trata de um gênero textual. Esse é feito com versos e estrofes. Enquanto a poesia é aquilo que quer ser dito por um artista, o poema é a maneira que expressa isso.

Fonte: Pixabay

Como compreender melhor poesias

Poesias podem ser um tanto quanto difíceis de compreender para alguns leitores. Conta dos seus versos e estrofes, é possível acabar se perdendo no emaranhamento de palavras e sentimentos que são expressadas em um texto como esse.

Por isso, que estão separados algumas dicas que irão ajudar os leitores a compreender melhor poesias.

E para começar a primeira dica é que leia se a poesia mais de uma vez. Além disso, por mais que em uma poesia algo objetivo esteja sendo dito, as ações podem ser subjetivas e, portanto, trazer consigo os significados diferentes para os leitores.

A segunda dica muito importante é a contextualização do texto e a verificação quanto a figuras de linguagem.

Bom, apesar de ter sido dito na primeira dica que as poesias podem ter interpretação livre de acordo com o que as mesmas causam nos leitores, também é importante buscar entender o que o autor quis dizer com aquele. Portanto, não há nada de errado em buscar por definições e interpretações de pessoas que entendem sobre o assunto.

Na verdade, o que pode ser prejudicial é levar em consideração a própria perspectiva quanto ao texto sempre e ignorar o quê foi desejado pelo autor de poesia. E claro, por último mas não menos importante: Ler é praticar o entendimento. E a dica da vez é que os leitores procurem ler mais poesias sempre que puderem. Isso ajuda a fortalecer o entendimento sobre as diversas expressões artísticas. 

Carlos Drummond de Andrade – Poeta

Seria uma forma de desacato contra a literatura brasileira se esse texto fosse escrito falando sobre versos, estrofes, vírgulas e poesia como todo, mas não falasse de Carlos Drummond de Andrade.

Um dos ícones da literatura brasileira Carlos foi um grande poeta e escritor. Sua arte é como parte da inauguração do que foi a segunda escola modernista brasileira.

Nascido em Itabira do Mato Dentro, em Minas Gerais, Carlos veio ao mundo em 1902. Concebido por D. Julieta Augusta Drummond de Andrade e Carlos de Paula Andrade.

Apesar da vocação para poeta, Carlos Drummond de Andrade se formou como farmacêutico em Belo Horizonte. 

Depois de ter se formado, mas nunca ter exercido sua profissão, ele se casou com Dolores. Com ela teve dois filhos, Carlos e Maria.

Lançou em 1930 Carlos Drummond de Andrade publicou seu primeiro livro de poesias chamado “no meio do caminho”.

Por muitos esse é considerado um poema controverso. E não foi diferente no momento em que passou a se difundir na literatura do Brasil.

De qualquer forma, Carlos Drummond de Andrade se consolidou como um dos maiores poetas brasileiros. Seus textos viscerais e completamente sentimentais marcam a literatura do Brasil no auge da fase modernista.

Assim como grande parte de seus poemas, o fim da vida de Carlos Drummond de Andrade foi trágico. Ele faleceu aos 85 anos de idade, pouco tempo depois que sua grande amiga e filha Maria Julieta veio a falecer.

Poemas famosos e seus versos

Bom, para começar a falar sobre poemas famosos e seus versos, é preciso falar sobre Vinícius de Moraes e seu “soneto de fidelidade”, feito em 1946, sendo um dos poemas de maior sucesso quando se fala de amor na literatura do Brasil.

Vinícius sobre exprimir muito bem uma mensagem de amor. 

Outro poema famoso e muito importante para a literatura brasileira é o de Carlos Drummond de Andrade “no meio do caminho”.

Algo interessante sobre esse poema é que enquanto ele fala sobre os problemas que aparecem em nossas vidas, e que atrapalham a caminhada entre a vida e a morte, o texto vai apresentando cada vez mais seus versos dificultando a leitura. É algo genialmente metalinguístico.

O terceiro exemplo de poema com versos intrigantes está ” Vou-me embora pra Parsárgada”, feito por Manuel Bandeira. Esse têm inscrito em seu âmago o desejo do escapismo, da fuga para o ideal e não enfrentamento do real. Além disso, apresenta versos livres. Então a liberdade está inscrita em tudo nesse texto.

Outro poema é o “Poema Sujo” de Ferreira Gullar. Esse possui como característica principal o teor político apresentado ao autor 

Por fim, mas não menos importante, está Cora Coralina com seu incrível ” Saber Viver’. 

Cora extraiu de sua essência versos profundos que falaram de forma simples sobre saber viver e o que foi-se aprendido com o passar dos anos e a aquisição de conhecimentos.

É claro que todos aqui presentes nessa lista também o fizeram em suas estrofes. Mas Cora Coralina deve ser relembrada e exercitada no imaginário dos brasileiros, assim como qualquer um dos poetas mencionados.

Estrofes: conclusão

Bom, aqui pudemos introduzir algumas noções sobre versos, estrofes, poemas, poesias, sonetos, metrificação e outros temas com grande facilidade para que todos os leitores tenham a capacidade de compreender o texto.

Este artigo pôde separar alguns ótimos exemplos de poetas e suas poesias para que os leitores pudessem entender melhor sobre suas artes. 

Enfim, é importante ressaltar que as prosas narrativas são diferentes das prosas demonstrativas. Ao fazer uma leitura comparativamente entre exemplares de ambos os gêneros, a diferença faz-se deveras perceptível. 

Ademais, quando aqui se menciona Carlos Drummond de Andrade como uma “leitura obrigatória” aos leitores, isso não implica que seja a única leitura. 

Muitos poetas brasileiros, tal como Cora Coralina, que foi uma ilustre poetisa, marcante e sensível em seus textos mas que não teve tanta ascenção, ou reconhecimento, como Carlos Drummond e Vinícius de Moraes.

E para tanto, é necessário ressaltar que ela representa para muitos dos estados do centro-oeste, preenchidos por mata Cerrada, ou o Cerrado, uma identificação muito forte. Como se Cora fosse um verso livre que passou não desapercebido, mas pouco reconhecido.

Enfim, sem mais ressalvas aos artistas, nós da equipe da Visão Confiável montamos essa matéria exclusivamente para que os leitores conheçam mais sobre temas de relevância.

Por isso, se esse texto foi útil de alguma forma, é possível que outros presentes em nosso Blog o sejam também. Portanto, caso haja interesse em ler mais sobre Verbos ou Redação, basta clicar em “Blog” e “voilà”,um monte de artigos completos de conhecimento sobre os mais variados assuntos.

Deixe seu comentário