Funil de vendas: como funciona e passo a passo para criar

Funil de vendas: como funciona e passo a passo para criar

O funil de vendas é um processo que pode gerar bons frutos para a empresa, com bons resultados e organização nas suas etapas como um todo.

Ele é um poderoso aliado na hora de buscar as melhores estratégias e conseguir os melhores resultados nas vendas.

Entender como funciona o funil de vendas é muito importante para aprimorar todo o processo e estabelecer as melhores estratégias de vendas, utilizando este importante método.

E é exatamente sobre isso que iremos tratar agora, então fique com a gente até o final e entenda de uma vez por todas como funciona o funil de vendas.

O que é o funil de vendas

O funil de vendas é todo o processo relacionado ao percurso que uma pessoa realiza até a efetivação de uma compra dentro de uma empresa, sendo considerada como uma estratégia mais indireta de vender.

O funil de vendas também pode ser entendido como uma metodologia que busca melhores resultados nesse processo de comercialização.

De certo modo, pode ser considerado algo bem mais complexo que outras formas mais simples de vender, contudo pode proporcionar uma melhor experiência do cliente, um relacionamento mais próximo, e a fidelização dos mesmos.

Essa estratégia pode até exigir um pouco mais de atenção para com os clientes, mas é exatamente essa atenção que é um dos pontos mais importantes e diferenciados.

Essa atenção gera mais conforto e comodidade aos clientes, e também permite ter mais conhecimentos sobre cada um, ajudando assim a entregar algo que realmente seja de seu interesse.

Entender o que é o funil de vendas leva, primeiramente, compreender que ele está inteiramente relacionado à venda, ou seja, seu objetivo final é justamente a comercialização de um serviço ou produto.

E isso ocorre em etapas de afunilamento, começando em alcances mais amplos, e cada vez mais se estreitando.

O termo funil de vendas está relacionado a dois entendimentos distintos, trabalhando basicamente em conjunto para dar significado ao processo.

O primeiro entendimento é justamente o próprio ato de afunilar, levando os clientes até o ponto ao qual se quer que ele chegue.

Então, ele funciona como um caminho que objetiva levar as pessoas até o ponto final, que é obviamente a concretização de uma venda.

E cada vez mais chegando mais perto do objetivo final, sempre estreitando os laços criados no percurso.

Já o segundo entendimento diz respeito a todo o processo de alcance e número de pessoas, uma vez que a cada etapa, menor é o número de pessoas dentro do funil, como algo similar a uma seleção.

Então logo no início, são alcançadas um grande número de pessoas, mas uma porcentagem bem pouca delas é que realmente vai efetivar a compra, o que é comum em praticamente todas as estratégias de vendas.

Basicamente o funil de vendas existe em quase todas as comercializações, o que ocorre é a alternação ou inexistência de alguma etapa.

Além do mais, o próprio proprietário não a realiza de forma estratégica, então tudo ocorre de forma natural, sem a intenção do responsável.

Quando se fala em funil de vendas ocorre justamente a organização dessa estratégia, maximizando seus resultados e tendo controle sobre as ações realizadas dentro dela.

E com isso usufruir de todos os benefícios que a organização do funil de vendas pode proporcionar para o vendedor.

Mas apesar do funil de vendas ser um processo que objetiva transformar as pessoas em compradores, também é preciso pensar no momento posterior à compra.

Assim não serão formados apenas compradores unitários, mas sim compradores fidelizados com a marca.

E para isso, é preciso continuar sempre alimentando esses clientes com conteúdos importantes.

Sempre enviando mensagens e ofertas em datas comemorativas, por exemplo, para que ele possa sempre se sentir acolhido pela empresa.

O surgimento do  funil de vendas

O modelo de funil de vendas deu seus primeiros passos ainda no ano de 1898, nos Estados Unidos da América, com o publicitário Elias Lewis, que mapeou todas as etapas do processo de venda.

Esse modelo é conhecido como AIDA, que é uma sigla que utiliza a letra inicial das palavras Atenção, Interesse, Desejo e Ação.

A Atenção ocorre a partir do momento em que as pessoas têm seu primeiro contato com a empresa.

O Interesse é quando esse potencial cliente começa a demonstrar interesse pelo que é ofertado, pois enxerga alguma relevância no produto.

O Desejo é quando a empresa leva mais motivos para esse potencial cliente se converter em uma venda, trazendo elementos que busquem convencê-lo.

A Ação é o momento final, onde efetivamente a compra é concretizada.

Mas o termo funil só foi utilizado pela primeira vez mais de duas décadas depois, por William Townsend, observando que há um afunilamento durante o processo.

Como funciona o funil de vendas

Muitas das estratégias de venda são diretas, e com elas o vendedor tem um contato direto, desde o início, com o cliente e lhe oferece seus produtos.

Um vendedor ambulante, por exemplo, é uma boa explicação para isso: existem diversas pessoas na rua, e o vendedor fica oferecendo seus produtos, já com uma intenção de venda.

Ao realizar essas ofertas, as pessoas que possuírem interesse podem se aproximar e negociar com esse vendedor.

Mas também há muitos momentos em que a pessoa responsável pela venda se aproxima de alguém e oferece diretamente para ele, sem saber quais suas necessidades, seus interesses, ou se o produto tem alguma utilidade para ele.

Isso pode ocorrer também muitas vezes dentro das próprias lojas, onde o cliente pode não encontrar exatamente o que quer, mas sempre lhe são oferecidas opções paralelas.

Não que isso seja errado ou certo, pois claro que faz parte do processo de vendas, mas possui duas intenções em conjunto, onde uma é buscar dar opções para o cliente e também realizar o objetivo de vender.

No funil de vendas, por outro lado, é o próprio cliente que verifica suas necessidades e observa que a empresa pode lhe oferecer a solução, efetivando a compra do produto ou serviço.

Apesar de ser mais associado a algo mais virtual, com uma comunicação e contatos através da internet, o funil de vendas também ocorre em processos dentro do mundo concreto, físico, e pode ser exemplificada da seguinte forma:

Uma pessoa observa a necessidade de comprar um computador novo e se dirige a uma loja para verificar as opções.

Chegando lá, como seu objetivo é apenas observar quais são as opções disponíveis e os valores, dispensa a ajuda dos responsáveis pela venda, pois naquele momento ainda não será realizada a compra.

Dentre as opções disponíveis, escolhe as que mais se adequam às suas necessidades e condições.

Depois ele volta para casa e realiza uma pesquisa mais profunda sobre o produto, como todas as suas capacidades e detalhes mais específicos.

Realiza também comparações com outras marcas e modelos, bem como a diferença de preço em relação a outras lojas.

Enfim ele decide realizar a compra e retorna a loja, e agora com a participação do vendedor, conclui a compra do produto.

Todo esse processo pode ocorrer também dentro de uma loja virtual, e apesar de haver algumas diferenças, retrata paralelamente como funciona o funil de vendas.

Nesse exemplo há mais informações e conhecimento envolvido, e o cliente tem mais liberdade para formar suas opiniões.

Mas quando se fala em funil de vendas, ele normalmente está associado a um processo mais controlado pela empresa.

É a empresa que busca alcançar e captar as pessoas para que se tornem seus leads, que são os usuários com os quais se pode manter um contato direto, nutrindo de informações, pois foi adquirido alguma informação de contato da mesma.

Nesse caso, as informações que o cliente procura, para observar os detalhes do produto são fornecidas pelo próprio vendedor, pois ele ocupa o papel de nutrir os potenciais clientes 

Então, ao invés do cliente procurar informações sobre os produtos, a empresa é a responsável por realizar essa tarefa, através do envio de materiais pertinentes sobre o assunto.

Ela procura nutrir e dar mais pessoalidade às ações, chamando a atenção e fazendo com que o futuro cliente se familiarize com a marca.

Também é a empresa a responsável por criar métodos para atrair as pessoas, e efetivamente conseguir chegar até onde as pessoas estão, e transformá-las em clientes potenciais.

Basicamente o funil de vendas é dividido em três etapas, o topo do funil, o meio do funil e o fundo do funil, que serão estudados mais adiante, ainda neste artigo. Mas primeiro é preciso entender o que são os leads.

Funil de vendas: o que são os leads

Antes de entender as etapas do funil de vendas, é preciso compreender um de seus principais conceitos, que são os chamados leads.

Basicamente, os leads podem ser entendidos como as pessoas com as quais a empresa mantém um contato direto, através do e-mail, por exemplo.

Primeiramente a empresa busca alcançar um grande número de pessoas e fazer com que elas forneçam algum modo de contato, como o whatsapp ou o e-mail.

Com esses contatos em mãos ele conseguem estabelecer uma comunicação mais adequada com os potenciais clientes, enviando conteúdos, informações, opções de produtos, etc.

É nessa etapa que surgem os leads, isto é, a partir do momento que uma pessoa fornece um contato, ela passa a receber essa denominação.

É um dos estágios mais importantes de todo o processo, responsável pela real formação da opinião do possível cliente para com a empresa e o produto.

Um lead pode receber materiais diversos a respeito da marca, do produto, de outras áreas envolvidas, etc.

Ele também pode participar de algum teste gratuito ou ter alguma experiência temporária com o produto, para que possa criar sua opinião.

Por exemplo, uma empresa responsável pela atuação na bolsa de valores, que queira vender um curso de trader e também captar mais usuários, pode se beneficiar bastante de potenciais leads.

Para isso, basta fornecer materiais importantes sobre o assunto, e criar um pequeno curso ou workshop gratuito, que ensine as pessoas os passos iniciais sobre a atuação na bolsa de valores.

Então, é criado uma pequena amostra do que pode ser encontrado no curso principal e é oferecido gratuitamente para os leads, que já são potenciais clientes, pois por terem fornecido o contato é porque demonstram interesse na área.

Assim, ao término do curso gratuito, lhes é efetivamente oferecido o produto final, que no caso é um curso mais profundo e específico, bem como na entrada da pessoa para a agência, como um cliente.

É importante notar que, apesar de ser mais trabalhoso, essa estratégia possui chances muitíssimas maiores de conseguir clientes do que simplesmente oferecer esse produto final para todo mundo, sem nenhuma contextualização.

Enquanto lead, a pessoa consegue entender o porquê de fatores como o preço, quais os benefícios, o próprio custo-benefício de adquirir o produto ou serviço, etc.

E com uma boa quantidade de conhecimentos sobre o assunto é fundamental para se formar uma opinião mais segura sobre o mesmo.

Os leads já são pessoas que possuem uma tendência a comprar esses produtos, pois muitas se tornam leads através de algo relacionado.

Então se uma pessoa pesquisa por cursos de graduação no Google, e se torna lead de uma universidade, ela é, sem dúvidas, alguém que possui interesse em um curso.

Caso ela já não realize a compra de imediato, essa comunicação entre instituição e usuário é fundamental para que essa pessoa se convença de iniciar a graduação pela instituição.

O envio de conteúdos pertinentes, testes, informações e outros materiais e benefícios podem rapidamente tirar essa pessoa de cima do muro e transformá-la em um estudante da universidade.

Por isso a importância dessa etapa, que cumpre um papel fundamental no processo do funil de vendas.

Etapas do funil de vendas

Por ser um funil, ou seja, ser estabelecido como um afunilamento das pessoas, que são direcionadas até o objetivo final, que é a conversão em vendas. O funil de vendas possui etapas que compõem todo o processo.

Ao todo são três etapas distintas, sendo que cada uma delas possui uma quantidade de pessoas envolvidas diferentes, onde cada vez mais são reduzidas.

As etapas são comumente chamadas de topo do funil, meio do funil e fundo do funil de vendas.

O topo do funil é a primeira etapa, e é a que envolve mais pessoas, pois conta com várias estratégias para chegar até potenciais clientes e transformá-los em leads.

Nessa etapa o objetivo é chegar ao maior número de pessoas possível, por isso a produção dos conteúdos são mais amplos e genéricos, para atender a todos os tipos.

O meio do funil é quando esses clientes em potencial já são leads, e são nutridos com dados pertinentes, para que se convertam em compradores de um produto ou serviço oferecido pela empresa.

Nessa etapa são produzidos conteúdos menos genéricos, buscando dar opções a esses potenciais clientes.

Já o fundo do funil é finalmente a última etapa, onde a venda começa a ser efetivada.

É nessa etapa que a empresa busca convencer o cliente de que realmente seu produto é satisfatório, e conseguirá solucionar o problema do usuário.

Mas como são etapas que necessitam de um pouco mais de explicação, vejamos cada uma delas com mais detalhes:

Topo do funil de vendas

A primeira etapa do funil de vendas, também conhecida como topo de funil, é a mais ampla das três, e abrange uma quantidade realmente grande de pessoas.

Ela é utilizada para ajudar as pessoas perceberem a existência do seu problema, ou se darem conta de que é preciso buscar soluções.

No topo do funil, é possível fazer a pessoa perceber a importância de um graduação, de uma pós-graduação, uma qualificação, perceber a calvície e que há soluções, etc.

Então nessa etapa, a pessoa consegue se identificar com o que é anunciado, ter consciência do que ocorre.

Aqui ainda não ocorre a divulgação de nenhum produto em si, pois é apenas uma etapa de apresentação do problema.

O que ocorre é a divulgação de conteúdos e materiais amplos, que buscam atingir um grande número de pessoas.

Assim podem ser produzidos artigos para blogs, vídeos para o youtube, posts para as redes sociais, etc.

No topo de funil se reúnem todas as estratégias utilizadas para chegar às pessoas, e como realmente são muitas, inúmeros usuários são alcançados.

Os anúncios presentes dentro das plataformas do Google e do Facebook, por exemplo, apesar de serem estratégias mais associadas ao fundo do funil, podem ser estratégias de topo de funil, sendo ótimos alternativas de estratégias desse tipo.

A empresa cria o anúncio e vincula dentro das plataformas, onde são exibidos no Youtube, no Instagram, no Facebook, em sites, etc.

O perfil nas redes sociais individuais de cada empresa também pode ser uma opção, gerando assim um tráfego orgânico, que vai depender do tamanho do perfil de cada empresa, mas por ser gratuito, pode gerar um bom alcance, sem gastos.

Os próprios sites em si, também são bons exemplos de estratégias de topo de funil, pois contribuem para que a empresa possa chegar às pessoas, e assim dar seus passos iniciais no processo.

Os sites, bem como os blogs, possuem utilizações muito versáteis, uma vez que conseguem entregar e fornecer algo relacionado ao produto, já “educando” o cliente, mesmo quando ele nem mesmo é um lead.

Os blogs oferecem conteúdos, normalmente, de nichos específicos, então uma empresa de carros, pode possuir um blog relacionado a carros, mecânica, etc.

Assim, alguém que possua interesse nessa área, hora ou outra irá se deparar com o conteúdo desse blog, que quando de qualidade poderá fazer com que essa pessoa queria receber mais conteúdos sobre.

Basicamente, quando se fala em topo de funil de vendas, o objetivo maior é conseguir alcançar as pessoas e transformá-las em leads.

Então todas as estratégias que possuem essa função são contabilizadas como sendo de topo de funil.

Obviamente que nem todas as pessoas que são realmente alcançadas fornecem algum tipo de contato para a empresa, por isso é preciso trabalhar com estratégias concisas, que possuem uma boa taxa de conversão.

Anunciar por anunciar não faz sentido, tem que ser algo chamativo, que consiga chamar a atenção das pessoas.

Ao ver um anúncio, a pessoa deve clicar em saiba mais ou arrastar para cima, e posteriormente fornecer, por exemplo, seu e-mail, se transformando em um lead.

Nos sites ou blogs, a criação de artigos interessantes, bem como a utilização de perguntas no fim do texto, fazem com que o usuário responda ou interaja com a publicação, e assim forneça também seu e-mail.

Um único e-mail, apesar de parecer simples, é uma importante ferramenta para alimentar um vínculo que está se iniciando.

Onde a empresa ou marca pode realizar o envio, não de anúncios de produtos em si, mas sim de outras informações pertinentes, que podem ser úteis ao usuário.

Falar mais sobre a empresa, sobre seu campo de atuação, seus produtos, qualidade e eficiência da marca, tornando essa pessoa cada vez mais familiarizada com a empresa.

Quanto mais eficientes e chamativas forem às estratégias dessa parte mais ampla, mais delas passarão para a segunda etapa.

E também quanto mais pessoas forem atingidas, maiores são as chances de conseguir mais leads.

Então vale a pena investir em estratégias diversas, e assim chegar cada vez mais a um maior número de pessoas.

Meio do funil de vendas

Nessa etapa as pessoas alcançadas já são leads, e podem ser alcançadas direta e individualmente pela empresa.

Depois de tomar consciência da existência de seu problema, a pessoa irá buscar soluções para ele.

E a empresa, como possui essa solução, deve se dedicar para torná-la a melhor opção dentro do mercado, para esse provável cliente.

Então, enquanto a pessoa busca por mais informação, serviços e produtos, a empresa consegue dar opções que podem ser exatamente o que ele está procurando, para que finalmente ele efetive a compra.

Essa é talvez a etapa mais importante de todo o processo, já que será realmente a responsável por transformar esse lead em um comprador.

São muitos cuidados que devem ser tomados para que se consiga passar a melhor impressão para o futuro cliente.

No e-mail, por exemplo, a frequência das mensagens é um fator crucial, pois é preciso se manter presente no cotidiano da pessoa, mas não gerar uma quantidade de conteúdos que aborreçam o usuário.

É necessário ponderar e prezar pela qualidade dos materiais em vez de quantidade, fornecendo algo que ele possa ter interesse, e observando o seu perfil.

Nesse caso, o e-mail marketing é ideal, pois conta com ferramentas bastante apropriadas, e possibilitam um melhor feedback de tudo o que é criado.

Assim é possível ter uma base mais concisa de quais as melhores estratégias, quais os tipos de e-mail são abertos com mais frequência, etc.

Nessa etapa, o principal é mostrar soluções e dar opções de serviços e produtos que possam solucionar esse problema.

Tratar o usuário pelo nome também é uma estratégia bastante eficiente, assim tudo fica mais pessoal e direto, com uma comunicação de empresa para cliente em específico, e não de empresa para os clientes em geral.

Mas o meio do funil possui estratégias muito mais concisas, que é justamente familiarizar a pessoa com os produtos.

O oferecimento de um curso gratuito, por exemplo, é um dos melhores meios para converter esses leads em compradores.

Então, se o objetivo é conseguir novos alunos para um curso de pós-graduação em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), uma boa organização do funil de vendas, com o fornecimento de bons materiais sobre o assunto, a criação de algum curso básico, seria bastante eficiente.

Disponibilizar a primeira disciplina, para que o aluno tenha uma experiência dentro da plataforma, informar sobre todas as utilizações que podem ser feitas com essa especialização, e fornecer outros detalhes, poderia gerar bons frutos.

Enquanto lead, a pessoa é um potencial cliente, com chances reais de efetivar a compra, mas para que tudo isso possa ocorrer é preciso que seja realizado um trabalho que possibilite essa conversão.

Devem ser dadas informações pertinentes sobre as utilidades, segurança e confiabilidade dos produtos e serviços, com o estabelecimento de uma boa relação com essa pessoa.

Entender quais os tipos de e-mail são mais abertos, e trabalhar em cima do perfil ideal, enviar promoções e testes no momento certo, são boas dicas para essa etapa.

Outro ponto importante no meio do funil é buscar colher sempre mais informações da pessoa, a fim de conhecer sempre mais sobre o seu perfil, e conseguir lhe direcionar conteúdos mais personalizados possíveis.

O preenchimento de formulários é uma boa ideia para colher esses dados, lembrando que não são dados pessoas, como documentos, mas sim informações pertinentes, como idade, classe social, local onde vive, etc.

Já para preencher esse formulário, basta enviar algum material de presente, que tenha haver com o seu problema, é claro. E para recebê-lo, a pessoa deve passar pelo formulário.

Assim, a conversão de lead para cliente real pode ficar cada vez mais próxima da realidade.

Fundo do funil de vendas

O fundo do funil é finalmente a etapa mais próxima da concretização da venda, onde é preciso uma comunicação ainda mais direta.

Nesse ponto, o usuário já passou por duas etapas do processo, e ele já tem uma grande tendência a comprar algo da empresa, que já conhece um pouco essa pessoa, e também já tem em mente o que essa pessoa precisa.

Então é a hora de efetivamente oferecer o produto ideal, onde a marca deve mostrar sua eficácia.

Falar um pouco da empresa, mostrar sobre sua história e trajetória, sobre seu campo de atuação, humanizar a marca, pode dar mais pessoalidade ao processo.

O uso de depoimentos de pessoas que já adquiriram o produto e ficaram satisfeitos é fundamental, pois mostra exemplos bem sucedidos de outros usuários.

É nesse ponto que são mencionados detalhes como preço, formas de pagamento, utilidades em geral, e outros motivos para que esse potencial cliente efetive a compra.

Trabalhar com promoções, e ofertas personalizadas é uma ótima estratégia, pois o usuário já possui interesse, e precisa apenas de um empurrão para comprar.

Observando detalhes do fundo do funil de vendas, é possível perceber que essa é a etapa mais trabalhada no mundo virtual.

Basicamente, quase todos os anúncios são voltados para a comercialização de um produto ou serviço em específico.

Claro que, tanto o Google Ads, quanto o Facebook Ads buscam disponibilizar anúncios para pessoas personalizadas.

Então, apesar de parecer que não, quando um anúncio é exibido, a pessoa para qual ele foi direcionado pertence ao grupo ideal, sendo alguém que se encaixe no perfil de um provável consumidor.

O grande problema que pode ocorrer é justamente um alcance um pouco menor, já que são atingidos apenas potenciais clientes.

E mesmo assim, essas pessoas, apesar de se encaixarem no perfil podem não estar envolvidas com a empresa, sendo alheias a todo o processo.

Mas com o fundo do funil de vendas, depois de ter passado por todas as outras etapas, essa pessoa já está propensa a adquirir esse produto.

Benefícios do funil de vendas

Como visto durante todo o artigo, o funil de vendas pode ser um poderoso aliado na hora de buscar as melhores estratégias e conseguir os melhores resultados nas vendas.

Por ser justamente um funil, o próprio proprietário já entende que a maioria das pessoas alcançadas no primeiro momento não se convertem em vendas efetivas, pois há ali um filtro, por onde cada vez mais pessoas passam.

Para vender 100 unidades de um produto, por exemplo, a empresa não pode pensar que deve chegar inicialmente às mesmas 100 pessoas. Muito pelo contrário, ele deve atingir um número bem maior que isso.

Todo o processo possui estatísticas similares, então a empresa consegue estabelecer metas e cumprí-las apenas estabelecendo a quantidade de pessoas na qual ela deve chegar.

Caso hipotéticamente uma empresa consiga 100 vendas a cada 1000 pessoas atingidas, onde no topo do funil de vendas são alcançadas 1000 pessoas, no meio do funil apenas 500 delas fazem parte, e 100 efetivam a compra de um produto.

Nesse caso, ela consegue ter uma ideia de seus rendimentos, apenas estabelecendo em quantas pessoas ela deve chegar para conseguí-lo.

Então, um benefício do uso do funil de vendas é essa previsibilidade nos rendimentos.

O aumento da produtividade também é outro benefício da utilização do funil de vendas, uma vez que permite ao seu utilizador ter uma noção ampla geral do processo.

Com seus resultados e dados em mãos, é possível visualizar onde ocorreram falhas e quais estratégias geraram os melhores resultados.

Então, a empresa pode manter o que vem dando certo e aprimorar o que vem falhando ou não gerando tantos resultados, e assim aumentar sua produtividade.

A própria gestão do negócio também é otimizada com esses dados, possibilitando um melhoramento não apenas nas vendas em si, mas também em detalhes mais abrangentes da mesma.

Outro benefício é o fato de possibilitar uma melhoria nos negócios, isso é, um aprimoramento na hora de fechar os negócios.

Quanto mais se utiliza o funil de vendas, mais são melhoradas as estratégias de conversão de pessoas em leads, e de leads em vendas.

Cada vez mais serão selecionadas as melhores estratégias, que conseguirão os melhores resultados.

Então sempre haverá cada vez mais negócios fechados, com percentuais e taxas de conversões mais amplas.

Mas talvez o principal benefício esteja relacionado aos próprios dados e feedbacks dos clientes que são convertidos.

Isso permite não apenas a melhoria do processo em si, mas também do próprio produto e da empresa.

Assim, é possível também estabelecer um perfil do consumidor que mais adquire o produto.

E conhecer bem o público alvo gera muitos benefícios, principalmente em processos futuros.

Estratégias para aprimorar os resultados do funil de vendas

O funil de vendas é um processo que pode gerar bons frutos para a empresa, com bons resultados e organização nas suas etapas como um todo.

Mas claro que é preciso também adotar algumas outras estratégias para aprimorar ainda mais esses resultados e gerar os melhores retornos para a empresa.

Um funil de vendas bem elaborado, com estratégias alinhadas com o método, possui um custo benefício bastante funcional. Vejamos algumas dessas estratégias:

Email Marketing no funil de vendas

Como visto durante todo o processo, a comunicação estabelecida entre a empresa e o cliente ocorre em boa parte através do e-mail.

Isso porque, quando se trata de negócios empresariais, o e-mail é um dos meios mais importantes de comunicação.

Claro, ele pode até ser um pouco esquecido pela população mais adolescente, mas a maioria do público-alvo das empresas que utilizam o funil de vendas, ainda utiliza o e-mail.

Aliás, além de tudo ele é necessário para diversos cadastros, inclusive as próprias redes sociais, sempre têm como opção o cadastramento de um e-mail.

O Youtube, com seus bilhões de usuários, utiliza obrigatoriamente um e-mail como criação da conta do Google.

Então ele ainda é bastante frequente e necessário na vida de muitas pessoas, principalmente de quem mais interessa e possui maiores probabilidades de se converter em um fiel comprador.

E também como dito durante todo o artigo, um dos principais pontos do funil de vendas é a nutrição dos potenciais clientes através de conteúdos interessantes.

E como esses conteúdos chegam a essas pessoas? sim, é através do e-mail, bem como os blogs e redes sociais, inicialmente.

Mas uma empresa não consegue organizar todas as etapas e envios de e-mails corretos para cada pessoa, nos horários corretos sozinha, sendo preciso o auxílio de alguma outra ferramenta. E é nesse ponto que entra o e-mail marketing.

O e-mail marketing é uma importante ferramenta, que permite que as empresas tenham mais controle sobre tudo o que é enviado, contando também com outros benefícios, como dados e os resultados do processo.

Como são três etapas, cada uma delas exige uma estratégia diferente, com suas próprias especificações. Vejamos como são cada uma delas:

O topo do funil de vendas está associado a outras estratégias, mas o email marketing também pode ser utilizado.

Nesse caso, também devem ser enviados conteúdos mais gerais e amplos, que ajudem o usuário a identificar seu problema e tenha interesse em buscar mais informações sobre ele.

O meio do funil de vendas já é representado por uma fase em que o lead busca informações mais profundas, então os conteúdos enviados devem ser mais especificados, mostrando todas as opções existentes.

Já o fundo do funil de vendas é o momento de oferecimento e convencimento do lead sobre o produto da empresa.

Por isso, os conteúdos são mais específicos ainda, buscando dar motivos pertinentes para a efetivação da compra.

Nessa parte também são enviadas outras informações para convencê-lo, já que ele já possui bons conhecimentos da área, como depoimentos, avaliações, etc.

Por isso o Email Marketing é uma importante ferramenta, que contribui substancialmente para o sucesso do funil de vendas, e consequentemente para toda a evolução desse processo.

É uma das estratégias cruciais dentro desse processo, e quando utilizada da forma correta, é possível colher os melhores resultados.

E mesmo que aparentemente dê um pouco mais de trabalho que outras estratégias, toda a questão do custo benefício pode gerar muitos resultados para a empresa.

Testes do produto ou serviço

Dentro do funil de vendas, a etapa do fundo do funil é a que permite uma comunicação mais específica, onde finalmente é apresentado o produto como solução do problema existente.

E é também nessa parte que a empresa busca completar o convencimento do cliente de que seu produto é sim a melhor opção.

E para isso, como dito, são enviados conteúdos sobre a empresa, depoimentos e avaliações, e também a possibilidade de testes do produto ou serviço.

Como um benefício a mais para o cliente, possibilitar que ele tenha acesso a um teste pode fazer muito mais conversões.

Então, no caso de curtos, liberar uma aula de forma gratuita, e no caso de graduações e pós-graduações, liberar a aula inaugural, podem ser boas estratégias.

Espero que tenha gostado do conteúdo, e qualquer coisa relacionado ao tema basta continuar aqui no nosso site, e acessar outros conteúdos.

Entendeu como funciona o funil de vendas? Nos conte o que achou aqui nos comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *