Os gêneros textuais são utilizados pelos seres humanos em todo o seu processo de comunicação. Hoje em dia existem diversos deles, tais como Argumentativo; Narrativo; Injuntivo; Descritivo; e Expositivo.

Os gêneros textuais são um tema fundamental dentro do estudo da língua portuguesa, estando atrelados à própria comunicação humana em si. Não à toa, é um assunto presente nos mais diversos vestibulares do país, incluindo também o ENEM. Entender os diferentes formatos que um texto pode assumir e se apresentar, é o primeiro passo para conseguir se aprofundar melhor nos principais modelos, e dominar de vez esse conteúdo.

Pensando nisso, a Visão Confiável preparou um material completo sobre gêneros textuais, mostrando o que são; exemplos; a diferença para os tipos textuais e gêneros literários; e os elementos básicos encontrados para sua classificação. Confira!

Neste artigo, você verá sobre:

  • Que são gêneros textuais?
  • Quais são os cinco tipos de texto?

O que são gêneros textuais?

Os gêneros textuais são classificações utilizadas com o objetivo de determinar as variações de textos, levando em consideração suas características próprias. Assim, tudo se baseia na função, objetivo e contexto em que o texto está inserido. Em outras palavras, as propriedades e características textuais são as responsáveis por determinar os gêneros.

Eles são estruturas que apresentam uma composição relativamente estável, sendo as ferramentas utilizadas pelos seres humanos para realizar as intervenções sociais, ou seja, realizar sua comunicação. Isso porque podem se apresentar de forma escrita ou falada.

Artigos científicos, bulas de remédios, mensagens de Whatsapp, anúncios publicitários, crônicas, propagandas, artigos de opinião, etc. todos são exemplos de gêneros textuais, mostrando a diversidade que eles possuem.

Outro ponto importante a se considerar é que os gêneros variam bastante em relação com a sua intenção comunicativa. Além disso, a estrutura, linguagem e conteúdos abordados também dizem bastante sobre essa classificação.

Para que serve os gêneros textuais?

Os gêneros servem justamente para classificar os textos, organizar melhor as formas como a comunicação se apresenta. Esse é um meio eficiente de categorização, e facilita a compreensão  Mas para entender de vez o que realmente são os gêneros, é indispensável levar em consideração o significado dos chamados tipos textuais. Afinal, são elementos totalmente interligados.

Gêneros Textuais – Pixabay

Qual é a diferença entre tipos e gêneros textuais?

É muito comum, ao se estudar os gêneros textuais, haver uma confusão com os tipos textuais. Isso porque, essas também são formas de classificar os textos, mas há diferenças significativas entre os dois segmentos, principalmente com relação a estrutura e linguagem utilizada.

Um primeiro ponto diferencial importante é que os tipos textuais são rígidos, e contam com uma estruturação, sequências linguísticas, vocabulário e propriedades características. Os gêneros, por outro lado, embora também tenham suas regras, são bem mais flexíveis, pois variam bastante conforme o objetivo com os quais são empregados.

Prova disso, é que nada impede que um novo gênero seja criado, pois basta que se criem novos formatos, diferentes dos que já existem atualmente. Além disso, os tipos textuais são categorias mais amplas, que englobam os gêneros em si. Ao todo, atualmente é possível encontrar 5 tipos de texto, sendo eles de argumentação, narração, injunção, descrição e exposição.

A classificação de cada um deles acontece com base na sua própria forma, enquanto os gêneros se classificam mais pelo conteúdo em si. Assim, os gêneros existem dentro dos tipos, cada um com variações específicas atreladas a essa estrutura geral, como os gêneros textuais narrativos, argumentativos, etc. 

Mais um fator a se destacar é que incrivelmente os gêneros também podem pertencer a tipos textuais diferentes. Afinal, dependendo do objetivo e modo de escrita, textos de um mesmo gênero podem se adequar melhor em tipos diferentes de gêneros.

Quais são os tipos de gêneros textuais?

Como observado, a forma mais comum de classificar os tipos textuais é englobando os textos em cinco categorias. São elas:

  • Argumentativo;
  • Narrativo;
  • Injuntivo;
  • Descritivo;
  • Expositivo.

Isso não descarta, é claro, a possibilidade de que também existam mais algum outro tipo de texto, dentro de outra organização. No entanto, quando se trata de um estudo geral, a visão da grande maioria dos estudos leva em consideração apenas essas cinco estruturas. Mas o que realmente elas significam? Confira!

Texto argumentativo

O tipo textual argumentativo está diretamente relacionado com a defesa de ideias. Assim, ele é utilizado com o objetivo de tratar sobre determinado tema, através do uso de argumentações. Em outras palavras, ele se caracteriza pela defesa de um ponto de vista.

Sua estruturação formal é a famosa introdução, desenvolvimento e depois a conclusão. E como principais exemplos de gêneros textuais dentro desse tipo de texto, temos os manifestos e os artigos de opinião.

Texto narrativo

O tipo narrativo, por outro lado, faz referência a aos relatos sobre fatos, apresentando espaço, tempo e personagens. Assim, se caracterizam por apresentar as ações desses personagens e seu desenvolvimento. A estrutura mais comum desse tipo de texto é a apresentação, depois o desenvolvimento, terminando com o clímax e o desfecho da trama.

É também uma variação bastante conhecida do público, já que está presente nas mais diversas histórias, livros, obras literárias, filmes, etc. Quanto aos textos que se enquadram como gêneros textuais narrativos, há os contos, fábulas, romances, crônicas e novelas.

Tipos Textuais – Pixabay

Texto injuntivo

Sem dúvidas, a principal característica dos textos injuntivos é a presença dos imperativos. Isso porque o objetivo é instruir, orientar ou persuadir o interlocutor da mensagem. Não à toa, as bulas de remédios, a receita culinária e os manuais de instrução são os principais exemplos de gêneros textuais dentro dessa categoria.

Texto descritivo

O texto descritivo se caracteriza por apresentar a descrição de algo, seja um objeto, animal, paisagem ou pessoa. Por isso, costuma apresentar bastante as próprias sensações vividas pelo emissor da mensagem. Quanto aos gêneros que se encaixam dentro desse tipo textual estão os cardápios presentes em restaurantes, diários, folhetos de turismo, relatórios sobre viagens, e diversas outras opções. 

Texto expositivo

Nesse caso, a característica principal desse tipo é justamente a exposição das informações ou ideais. Para isso, utilizam-se recursos para conceituar, definir ou comparar algo. Em relação aos gêneros textuais que fazem parte desse tipo de classificação de texto, estão as enciclopédias, resumos, jornais, etc.

Gêneros textuais: exemplos

No tópico anterior, já foi possível observar uma grande variedade de gêneros existentes. E realmente o que não faltam são formas mais específicas de organizar e dar sentido e finalidade a um texto.

Como consequência, além de já existirem muitos gêneros, ainda há a possibilidade de que mais classificações surjam com o tempo. Isso porque sua flexibilidade, de uma forma geral, não limita a evolução e transformação do modo de escrita.

Por estarem ligados a comunicação em si, eles costumam acompanhar a própria humanidade e suas modificações. O surgimento do Whatsapp, por exemplo, abriu brechas para que novas formas de escrita fossem criadas, com mensagens diretas, rápidas.

Em detrimento a isso, desde que a internet, o e-mail, ou os apps mensageiros surgiram, o uso das cartas pessoais, muito comuns nas décadas anteriores, entrou praticamente em extinção. Claro que ele não deixou exatamente de existir, mas isso exemplifica bem a relação estreita entre a evolução da sociedade e os gêneros textuais. Assim, alguns exemplos relevantes são:

  • Blog
  • Charge
  • E-mail
  • Atestado
  • Bilhete
  • Comentário
  • Fórum
  • Cartaz
  • Panfleto
  • HQ
  • Declaração
  • Piada
  • Rede social
  • Tirinha
  • Memorando
  • Procuração
  • Relatório
  • Cartum

Dentre esse mar de opções, é claro, alguns ganham mais destaque que outros, já que estão presentes em nossa vida cotidiana. Por isso, vale a pena começar observando mais profundamente o que eles realmente significam.

Escrita – Pixabay

Artigo de opinião

São comuns em colunas de jornais, alguns artigos de internet, blogs, etc. Isso porque se caracterizam justamente por expressar a visão do emissor. Ao ler o conteúdo, é possível identificar o olhar do próprio autor sobre o assunto. Eles são textos do tipo argumentativo, e buscam exatamente defender um ponto de vista específico, através de argumentos.

Crônica

A crônica se caracteriza por ser um texto curto, e que busca retratar acontecimentos que tenham acontecido na vida real ou sejam apenas fictícios. De uma forma geral, apresenta uma temática política, social, etc. com elementos presentes no cotidiano.

Um ponto interessante é que as crônicas costumam ser do gênero textual narrativo, mas nada impede que elas também tenham um cunho argumentativo, pois podem apresentar a defesa de um ponto de vista.

Receita de comida

As receitas apresentam um passo a passo de como preparar determinado prato. Elas apresentam elementos característicos, como todos os ingredientes, quantidade exata das porções, tempo de preparo, e o modo de fazer. Sendo assim, é um gênero do tipo injuntivo, que tem como objetivo instruir e orientar algo.

Diário

Os diários, como o próprio nome deixa a entender, trazem relatos sobre a vida e o dia a dia de uma pessoa. Por isso, se encaixam mais no tipo textual descritivo. O diário mais famoso de todo o mundo, muito provavelmente, seja o de Anne Frank, uma garota judia que viveu durante a Segunda Guerra Mundial, onde os judeus foram perseguidos pelos nazistas alemães.

Reportagem

As reportagens, por outro lado, tem o objetivo de informar, levar informação para o público. São comuns nos jornais, e se caracterizam pelo aprofundamento de um tema, com pesquisas, buscas de dados, apurações, etc. Pertencem ao tipo textual expositivo.

Carta pessoal

As cartas já ocuparam um papel fundamental na sociedade pré era tecnológica, mas atualmente estão praticamente em desuso, embora ainda tenham adeptos ao redor do mundo.

Elas se caracterizam por serem textos pessoais, voltados para uma comunicação um para um. Não possuem estrutura fixa, mas comumente apresentam pontos fundamentais como os nomes do remetente e do receptor; data, hora e local da escrita; e o próprio conteúdo em si, geralmente de cunho íntimo.

Quanto ao seu tipo textual, as cartas costumam se enquadrar entre os textos narrativos, pois narram alguma situação. Mas podem ser ao mesmo tempo descritivas ou argumentativas.

Biografia

Trata-se também de um texto do tipo narrativo, e tem como objetivo narrar a vida de um indivíduo real, ou melhor, os principais pontos relacionados a sua vida. Nada impede qualquer pessoa de ganhar ou fazer uma biografia, mas elas tratam mais sobre grandes personalidades, das mais diversas áreas.

Normalmente é um escritor que escreve sobre a vida de outro indivíduo. Mas há também as chamadas autobiografias, onde a própria pessoa escreve sobre sua história.

Anúncio de publicidade

Os anúncios estão cada vez mais presentes no dia a dia das pessoas. Afinal, eles aparecem nas ruas, nas comerciais, nas plataformas de mídias sociais, etc. De uma forma simples, eles se caracterizam por divulgar algum serviço ou produto por meio dos textos publicitários.

Assim, o tipo textual mais presente nesse gênero é o injuntivo, uma vez que há uma recomendação, indicações de compras, etc. A presença marcante do imperativo também ajuda a classificar os anúncios como textos injuntivos.

Propaganda – Pixabay

Tirinha

As tirinhas são gêneros textuais que possuem um cunho mais humorístico, sendo bastante empregadas como críticas sociais, envolvendo o meio político. São obras comuns nos jornais, e se caracterizam pela mescla da linguagem verbal e não verbal.

São frases curtas, organizadas ao longo de quadros, que representam a variação do tempo. O efeito normalmente é ambíguo, e as imagens têm um papel importante na compreensão geral do texto. 

Resumo

O resumo é mais um gênero textual muito comum, e que possui aplicações diversas no cotidiano e nos meios estudantis e trabalhistas. De uma forma geral, eles se caracterizam justamente por resumir, tornar menor, algum outro material.

Um ponto interessante a se destacar sobre os resumos é que eles costumam manter a mesma estrutura do seu texto-base, apenas mapeando os pontos mais relevantes. Mesmo assim, ele tem um tamanho ainda um pouco elevado quando comparado com outras formas de sintetização.

Isso o difere justamente da própria ntese, que é outro meio de reduzir um texto base, mas que tem um poder de redução muito mais profundo. Enquanto o resumo trás mais detalhes sobre a obra original, a síntese realmente busca retirar apenas o essencial, e por isso se apresenta em um tamanho muito menor, com informações mais diretas, claras e objetivas do que uma forma convencional de resumo.

Como os gêneros se inserem dentro dos tipos textuais?

A quantidade de gêneros textuais existentes é enorme, e nem vale a pena tentar contar todos eles, pois levaria bastante tempo. Contudo, os tipos são apenas os 5 já mostrados anteriormente.

Entender a relação existente entre ambas as classificações é uma atividade bem interessante, já que é preciso compreender a forma como eles se apresentam. Como mencionado, embora os tipos sejam mais rígidos e tenham finalidades bem definidas, os gêneros são maleáveis e evoluem com o passar do tempo.

Dentro de cada um dos tipos existentes, os gêneros vão se modulando, apresentando suas características principais, mas fazendo modulações. Como resultado, um mesmo gênero pode se enquadrar em mais de um tipo textual diferente, já que sua estrutura pode apresentar partes injuntivas, descritivas, etc.

Qual a diferença entre gêneros textuais e literários?

Outra classificação muito importante quando se estuda os gêneros textuais, é entender o conceito por trás dos gêneros literários. Como observado, os textuais possuem um objetivo mais prático, estando ligados a comunicação em si, em seu sentido amplo.

E por conseguirem cumprir muitas necessidades comunicativas, contam com esse teor funcional, onde a estética fica em segundo plano. Claro que há também gêneros textuais bastante estéticos, mas essa não é a característica principal dessa classificação.

Já os gêneros literários, por outro lado, classificam os textos literários, ou seja, artísticos. Um exemplo disso são os poemas, como os sonetos, ou então os livros de romances, como Iracema, de José de Alencar, e muitas outras obras de cunho literal.

Para isso, leva-se em consideração as semelhanças estruturais, de forma e temáticas que os textos artísticos possuem. No geral, é possível encontrar três tipos de gêneros literários: lírico, narrativo e dramático.

  • Gênero lírico – são os textos poéticos, onde estão inseridas as poesias. Possuem um forte caráter sentimental, sendo capazes de revelar as emoções mostradas pelos poetas, autores do texto.
  • Gênero narrativo – é outra categoria bem comum, e se caracteriza por narrar uma história. Assim, conta com a presença de personagens, e também envolve situações em um espaço e tempo determinados. Um exemplo clássico de textos literários narrativos são os romances.
  • Gênero dramático – também muito comum, é onde se encontram textos voltados para a encenação, como peças teatrais.
Elementos dos Gêneros Textuais – Pixabay

Elementos básicos dos gêneros textuais

Já que existe uma enorme variação de gêneros textuais, como é possível identificá-los e categorizá-los? Bem, para isso, existem os chamados elementos básicos, que são pontos fundamentais dentro dos gêneros, que servem para apontar suas funções.

Então, embora os gêneros se refiram aos textos e seu caráter sociocomunicativo de um modo geral, é possível encontrar também características específicas, ligadas a sua função social, perfil dos interlocutores, linguagem, meios de divulgação e o contexto no qual eles estão inseridos.

Função social ou Finalidade

Um elemento fundamental dentro dos gêneros textuais é a finalidade que o texto possui. Esse objetivo que ele deve cumprir ajuda modular sua forma e criar características que permitam identificá-lo. Assim, o texto pode argumentar, informar, instruir, notificar, etc. 

Essa é a sua função social, demonstrando a relevância que o conteúdo pode oferecer, e o que realmente cumprem dentro da sociedade. E ao observar a linguagem pelo seu lado principal, ou seja, por sua ação comunicativa, é possível perceber que ele surge de uma necessidade. Por isso, considerar a finalidade que o texto possui é indispensável ao se analisar os gêneros.

Interação ou Perfil do interlocutor

Outro elemento fundamental presente nos gêneros textuais é o que se chama perfil do interlocutor. Ele parte justamente da identificação dos agentes envolvidos dentro da comunicação específica, isto é, do texto.

Em outras palavras, é preciso inicialmente conhecer quem é o emissor e o receptor da mensagem, e suas características. Essa análise ajuda a desvendar o nível de linguagem que deve-se empregar, e outros métodos voltados para dar mais eficiência à comunicação.

Essa interação existente entre o autor e o leitor irá interferir diretamente na forma como o gênero irá se apresentar. E isso considerando tanto a forma de emissão, quanto o modo de recepção da mensagem. Em outras palavras, a análise do gênero considera não apenas quem escreveu, mas também para quem o texto foi realmente escrito.

Linguagem ou Estilo

A linguagem é mais um elemento fundamental dentro dos gêneros textuais. Nesse caso, ela está associada ao próprio estilo de escrita, com a forma como as palavras se organizam dentro do texto, gerando efeitos variados de sentido.

Fora isso, não são todos os textos que realmente utilizam a linguagem verbal em sua formação. É comum também que exista uma mescla de linguagens dentro da mensagem, sendo necessário observar esse fator ao se analisar os gêneros.

Meio de divulgação ou Suporte

Esse é justamente o meio pelo qual há a apresentação do gênero. Em outras palavras, é o lugar onde o texto é divulgado e apresentado ao leitor. Assim, pode ser um post por meio do Twitter, um rótulo, uma parede, etc. Esse meio irá interferir na forma como a mensagem será escrita.

Contexto ou Assunto

Por fim, mais um elemento que não pode ficar de fora das análises de gênero textuais é o próprio contexto no qual o texto está inserido. Esse ponto leva em consideração também o próprio motivo por trás da produção desse conteúdo.

É como se a forma do texto estivesse atrelada ao ambiente em que ele é produzido. Quando se trata de algo de cunho jurídico, por exemplo, há toda uma metodologia e um entendimento formal que envolvem essa escrita. O gênero sofre uma modulação do contexto, onde um mesmo emissor produz falas diferentes, a depender do ambiente, seja formal ou informal.

Conclusão

Os gêneros textuais são realmente bastante variados, se apresentando de formas incontáveis. No entanto, o modo de organizar um texto está diretamente atrelado a fatores e elementos característicos, que são os responsáveis por criar essas diferenças, ao mesmo tempo que servem para classificá-los.

Nesse sentido, a compreensão dos tipos textuais também é um ponto importante a se considerar, uma vez que elas dão uma essência geral do conteúdo, e do objetivo que eles buscam atingir.

Entendeu o que são os gêneros textuais? Deixe seu comentário aqui embaixo!

Aproveite e confira muitos outros conteúdos sobre português e redação através do nosso blog!

Deixe seu comentário