Uma das melhores formas de saber qual é a perspectiva que o Google tem sobre um site é com o Google Search Console.

Antes de mais nada, frisar que essa ferramenta é indispensável para o bom ranqueamento é necessário.

Afinal, a maneira como a maior ferramenta de buscas do mundo enxerga um domínio na internet é algo relevante.

O Google Search Console permite que os usuários saibam exatamente o que fazer com base na visão do Google sobre seus domínios.

Portanto, para aqueles que se preocupam com SEO otimizado tem quase que o dever de o usar.

Anteriormente, essa ferramenta se chamava Webmaster Tool. Mas isso mudou.

E essa mudança se deve principalmente pelo fato de que cada vez mais as pessoas passaram a interagir profissionalmente com a internet.

Ou seja, aqueles que eram leigos hoje tem que ter conhecimentos sobre ferramentas que antes só webmasters faziam uso.

Portanto, o que antes era um conhecimento de teor técnico passou a ser indispensável para quem lida com Marketing Digital.

E mesmo os mais iniciantes dentro do ramo que possuem um domínio na WEB se beneficiam dessa ferramenta caso a usem.

Vale frisar que está disponível de forma totalmente gratuita, e por isso merece a atenção daqueles que querem bons resultados na internet.

E já que é assim, nada melhor do que saber como lidar com essa ferramenta para estar no topo das pesquisas do Google.

Então, para que se aprenda o que é e como usar o Google Search Console, aqui está um tutorial.

Nele será possível aprender como funciona, como colocar o Google Search no site e muito mais.

Google Search Console

Essa ferramenta do Google surgiu no ano de 2015. Mas, anteriormente ao seu lançamento havia a Webmaster Tools.

Então, após 3 anos dessa repaginação, o Google soltou na internet a versão Beta do GSC. A partir daí, a grande maioria dos recursos passou para essa nova versão.

Muitas mudanças ainda serão feitas nessa ferramenta do Google para sites, mas isso não interfere diretamente em seu funcionamento atual.

Aliás, é possível acessar esses outros recursos que não estão presentes na nova versão acessando a versão antiga.

Enfim, basicamente, o que o Google Search Console faz é relatar o que está afetando as pesquisas que levam até o site.

Por exemplo: se um site está mal ranqueado no Google, essa ferramenta é capaz de trazer uma análise completa dos motivos para isso.

Além disso, com essa ferramenta é possível ter acesso a sugestões do próprio Google para melhorar os resultados em tráfego.

Apesar de ser algo que muitas ferramentas disponíveis na internet já o fazem, como o próprio SemRush, esse serviço é oferecido gratuitamente.

Portanto, essa é uma das vantagens que a ferramenta de webmaster do Google tem sobre muitas da internet: a gratuidade.

No entanto, para conseguir entender melhor as recomendações que são feitas pelo Google para “remediar” as situações, é preciso ter um entendimento melhor sobre SEO.

Por isso, para compreender melhor o que estará nesse texto, o blog da Visão Confiável contém diversos textos sobre SEO que vale a pena conferir.

Enfim, para que os leitores com entendimento em SEO entendam bem como funciona essa ferramenta, abaixo estão dicas para usar.

Além disso, aqui será ressaltada a importância de usar essa ferramenta para melhorar o tráfego e posicionamento no Google.

Com Google Search Console é possível acessar diversos tipos de métricas.

Como funciona

Entender como funciona o Google Search Console deve ser o foco principal dos leitores deste artigo.

Portanto, para aqueles que realmente tem interesse em aprender, nada melhor do que simultaneamente abrir o GSC e fazer testes sobre o que está sendo passado aqui.

E, claro, sempre que for preciso é só voltar a esse texto para revisar cada passo que será passado aqui.

Enfim, para começar a falar sobre o funcionamento dessa ferramenta do Google, primeiro é preciso comentar cada funcionalidade .

  • Search Appearance: essa funcionalidade mostra ao usuário da ferramenta como o domínio é visto pelo Google.
  • Search Traffic: essa funcionalidade mostra o que os internautas procuram na ferramenta de busca e o que possivelmente os direciona até o próprio domínio.
  • Google Index: já essa funcionalidade mostra como o Google indexa as páginas do domínio, assim como analisa as palavras chave presentes nos conteúdos.
  • Problemas de segurança: funcionalidade em que o Google indica questões de segurança em um domínio.

Além dessas, existem algumas outras funcionalidades que possuem tanta importância quanto, mas que não tem tanta relevância.

Enfim, abaixo se explicará cada uma delas para que não restem dúvidas sobre o funcionamento do Google Search Console.

Cada uma delas tem um papel essencial nessa ferramenta. Por isso, aqui se abordarão todos os detalhes de maneira que fique claro para o entendimento de todos.

A maneira que um site é visto pelo Google faz toda a diferença para seu desempenho.

Search Appearance

Basicamente, esse recurso Search Appearance (Aspectos de pesquisa) possibilita o usuário que saiba quais mudanças aparentes fazer.

Assim, quando o domínio aparecer entre as buscas do Google ele possa parecer mais convidativo para internautas.

Por meio dos dados estruturados é possível obter um relatório detalhado sobre aquilo que o Google detecta em um site.

Por exemplo, o Google detecta os dados presentes no site para então assimilar e adicionar a página entre uma rede cruzada de buscas que se liguem ao assunto.

Basicamente, o que é feito por essa funcionalidade é mostrar como os dados se organizam.

Dessa maneira, a partir da análise e do alinhamento com as estratégias certas, é possível otimizar os erros das páginas presentes no site.

Por exemplo: caso hajam lacunas na estrutura da página que podem ser preenchidas com pequenas manutenções.

No caso, se houver algum conteúdo com falta de informações estruturais, tais como h1 e h2 ou até mesmo quem o fez, esse recurso irá indicar.

E para fazer as correções de lacunas, basta usar o recurso de marcador de dados estruturados.

Essa ferramenta existe exclusivamente para a correção de erros como os citados anteriormente.

Dessa maneira é possível ter um site sem problemas estruturais. Consequentemente, isso trará resultados positivos para o número de acessos.

Além dessas, há também o recurso Melhorias de HTML que, basicamente, indica as melhorias a serem feitas no HTML.

Para aprender detalhadamente como usar essa e outras funcionalidades do Google Search Console posteriormente, ainda nesse texto, haverá explicações.

Por ora, aqui ficam apenas as características de cada uma delas para que o entendimento sobre elas fique claro.

Search Traffic

A partir desse relatório é possível identificar detalhes mais aprofundados sobre tráfego orgânico.

A partir do Search Analytics é possível conferir em quais palavras chave o site aparece tendo relação nas buscas feitas por usuários do Google.

Além disso, é possível saber quais páginas fazem referência ao próprio domínio para que seja possível ver a relevância de cada uma de acordo com os resultados que essa referência agrega.

Ademais, é possível saber quais regiões do mundo mais acessam o site. Isso possibilita que se saiba que tipo conteúdo produzir em outras línguas também.

Outro aspecto abordado no relatório feito por esse recurso é qual é o tipo de dispositivo que mais acessa as páginas do site.

Fora isso, há como saber se o Google direcionou uma página para as pesquisas na WEB ou nas pesquisas por imagem.

E, por fim, saber as datas em que foram feitas as pesquisas para um site a partir do relatório com análises específicas com filtros temporais.

Além disso, entre essas informações há a possibilidade de saber quantas impressões e cliques foram feitos, CTR e a posição que o conteúdo teve.

Além disso, em Links para seu site e Links internos é possível obter informações detalhadas sobre os links, de forma geral.

De forma mais específica, o primeiro mostra quais links indicam o site avaliado e o segundo recurso mostra os links internos que estão sendo usados no próprio site.

A partir dessas informações o gestor de um site fica informado sobre quais medidas tomar com relação aos links internos e também saber para quem o conteúdo está sendo relevante a partir dos backlinks.

Enfim, existem algumas outras ferramentas dentro do Search Traffic que servem para melhorar a qualidade do que está presente no site.

  • Facilidade de uso em dispositivos móveis
  • Segmentação Internacional
  • Ações manuais

Google Index

Esse é o recurso do Google Research Console que oferece a seus usuários informações sobre indexação, bloqueios e remoções.

Basicamente, aqui o Google mostra quais são as páginas que estão dentro de seus parâmetros de indexação, quais foram bloqueadas e quais foram removidas.

Na parte de recursos bloqueados aquilo que foi bloqueado por robôs do Google fica explícito em um relatório.

A partir do relatório, caso haja algum bloqueio, basta ir até o host para saber especificamente em quê fazer a manutenção.

Além disso é possível remover URLs temporariamente ou definitivamente por meio da ferramenta Remover URLs.

Já na parte de Erros de rastreamento, um relatório mostrando quais são os conteúdos que o Google apresente dificuldades em indexar fica a disposição do usuário.

Assim, quando houver algum erro relacionado a rastreamento, essa é a maneira mais fácil de entender quais são as justificativas.

Além dessas, é possível ter acesso a informações sobre Estatísticas de Rastreamento, assim como fazer uma simulação de busca como o Google.

Com essa simulação é possível saber se um domínio está totalmente ou parcialmente rastreável, assim como se há algum redirecionamento.

Ademais, nesse recurso é possível usar um arquivo que identifica o que se deseja ou não indexar no site.

A finalidade é tornar o servidor mais eficiente sem que seja preciso fazer buscas por conteúdos sem importância.

Por fim, a partir dos Parâmetros de Url é possível justificar ao Google o que não está duplicado.

Caso o Google identifique algo como duplicado, mesmo que não o seja, automaticamente o site com o conteúdo tido como duplicado é prejudicado.

Portanto, isso é algo a que os webmasters devem se atentar para corrigir o quanto antes.

Security Issues

Infelizmente, a internet não é um lugar completamente seguro, tanto para os internautas quanto para os próprios sites.

Hoje em dia existem muitas maneiras de um site possuir malwares ou até mesmo de alguém invadi-los.

Por isso, é a partir desse recurso que os webmasters ficam sabendo o que está de errado com a segurança de seus sites.

A partir do Security Issues é possível garantir a segurança de todos aqueles que acessam um site com as informações que o Google Search Console fornece.

Ao obter o relatório, é possível acessar o código do site para fazer as mudanças necessárias para garantir segurança.

E, depois de fazer as correções, é possível fazer uma solicitação ao Google para que reconsidere a classificação de segurança.

Mas, é claro, antes de mais nada é preciso que se certifique de que o site está completamente seguro e livre de problemas de quaisquer tipos.

Mas, enfim, essa é uma ótima maneira de garantir que um domínio está completamente seguro de qualquer ameaça.

Outros recursos

Além de todos os recursos do Google Search Console acima, existem alguns adicionais que podem ser de grande serventia.

O primeiro deles é a Ferramenta de teste de dados estruturados. Nessa ferramenta é possível detectar se URLs ou códigos fontes são detectáveis pelo Google.

Já com o Assistente de marcação de dados estruturados é possível fazer a mesma coisa que no Search Appearence.

Mas, com esse assistente é possível executar ações mais aprimoradas na marcação de dados estruturados.

Além dessas há o Google Meu Negócio que, por sinal, possui um texto exclusivo aqui no blog da Visão Confiável.

Com o PageSpeed Insights os usuários do Google Search Console podem aprender a como acelerar a velocidade das páginas de um site.

E com o Google Merchant Center os usuários conseguem otimizar as informações dos produtos para que fiquem mais fáceis de serem encontrados.

Já com a Pesquisa Personalizada é possível inserir buscas pelo site para saber o que os internautas que o acessam desejam consumir como conteúdo.

Ademais, existem algumas outras ferramentas dentre os outros recursos que os usuários pode usar para otimizar um site.

De qualquer forma, a grande maioria das que estão acima nas últimas linhas terão explicação para como usar.

Como usar o Google Search Console

Agora que a grande maioria das ferramentas do Google Search Console estão expostas para os leitores, é preciso explicar como usá-las.

Antes de mais nada, é necessário frisar a importância de ter uma conta no Google para conseguir usar essa ferramenta.

Isso porque, apesar de ser gratuita, exige que seus usuários tenham uma conta no google para conseguir usar.

Em segundo plano, é preciso esclarecer que, apesar de que esse conteúdo irá tentar explicar ao máximo como usar, é preciso ter um conhecimento prévio sobre técnicas de webmaster

Dentre todas as funcionalidades do Google Search Console, é difícil dizer qual é a mais importante para otimizar um site.

Mas, ainda que isso seja algo definido pela prioridade que um usuário dá para funcionalidades a serem desempenhadas, a grande maioria será explicada aqui.

E, para começar, é preciso que se aprenda como configurar o Google Search Console em um site.

Só a partir da vinculação que se torna possível usufruir de todos esses recursos gratuitos.

Portanto, como foi dito, é preciso ter uma conta no Google. E, claro, é preciso fazer o login na ferramenta.

A etapa seguinte é informar qual é o site a ser rastreado pelo Google. Isso pode ser um pouco complicado, pois exige autenticação.

Dá para fazer isso de forma manual, mas esse é o caminho menos prático para dar início aos trabalhos com Google Search Console.

A primeira forma exige apenas que se tenha acesso a áreas mais restritas de um site, como acesso a sua estrutura.

Já o segundo exige que se clique em Adicionar prioridade e depois em Domínio ou Prefixo do URL.

De qualquer forma, ainda que se opte por um ou por outro, a verificação de segurança exigida pelo Google pode levar um bom tempo, uma questão de dias.

Guia

Agora que já se possui um site vinculado ao Google Search Console, é possível começar a usufruir dessa ferramenta.

Sua plataforma é muito fácil de mexer, completamente responsiva e intuitiva.

Mesmo que seja preciso ter conhecimento prévio em webmaster, usar essa plataforma pode ser algo fácil até para leigos.

Logo ao lado esquerdo se localizam os recursos dispostos em um menu bem organizado.

Enquanto as análises em gráficos e relatórios sobre resultados se localizam na parte paralela, à direita.

Para obter informações mais específicas e organizadas para fazer uma apresentação, por exemplo, ou até mesmo para uso pessoal, é possível gerar dados segmentados.

O mais interessante é que o Google Search Console faz as próprias planilhas, relatórios e mapeamentos para os usuários.

Uma ferramenta que possui muita semelhança com essa é o SemRush que oferece funcionalidades muito semelhantes e muito mais.

Aqui no blog da Visão Confiável há um texto feito especificamente para explicar melhor o que é e como funciona o SemRush.

Enfim, como esse não é o foco do texto, abaixo estarão mais informações sobre como usar essa ferramenta do Google.

Cada explicação estará de acordo com a utilidade que cada uma das funcionalidades pode ter.

Portanto, caso não seja do interessa aprender sobre determinada ferramenta, basta rolar para baixo e conferir as seguintes explicações.

É possível integrar o Google Analytics ao Search Console para acessar análises com informações com base nos relatórios.

Como verificar a propriedade após o Login

Assim como foi dito, existem dois métodos de verificação disponíveis que o Google fornece para verificar propriedade sobre um domínio.

Eles servem como garantia para certificação de que aquele que está fazendo login e procurando por usar o Google Search Console em um domínio é quem detém seus direitos.

Enfim, existem dois métodos diferentes: método de verificação recomendada e outros métodos de verificação.

Caso seja da vontade do usuário fazer o método recomendado, basta gerar o arquivo em HTML necessário para executar o processo.

Ao gerar esse arquivo, ele precisa ser colocado no diretório raiz, onde então o Google poderá identificar a propriedade.

Após isso, um link é gerado. É preciso entrar nele e conferir se os dados batem. Em seguida, basta clicar em verificar.

Mas, caso se opte por outro método de verificação, o mais recomendável é por meio do Google Analytics.

Para saber como fazer a verificação caso já se use o Analytics, basta ir até a seção do texto que está mais abaixo GSC para Analytics.

Para que o Google consiga checar se realmente é dono de um site é preciso passar por um processo de verificação.

Como melhorar o SEO com Google Search Console?

Aqueles que estão lendo esse texto provavelmente conhecem o bastante sobre marketing digital para entender o que é SEO.

Mas, de qualquer forma, SEO é uma sigla em inglês para Search Engine Optimization. Isso significa ferramenta de otimização de busca.

E, para aqueles que não sabem, entender sobre técnicas para melhorar o SEO é algo indispensável para estar entre as principais pesquisas do Google.

Basicamente, o SEO engloba uma série de fatores que levam um público até um site, assim como grau de relevância de um conteúdo e muitos outros aspectos.

Enfim, visando ter um SEO otimizado, com o Google Search Console é possível fazer grandes avanços com relação a isso.

Como já foi esclarecido aqui no texto, a partir do Google Search Console é possível obter dados que contribuem para tomada de decisões quanto a um site.

Usando o Search Traffic, principalmente, é possível que os usuários tenham todas as informações necessárias para otimizar o SEO.

E o mesmo vale para o Google Index que indica quais são os erros em questões estruturais do site, que interferem diretamente no SEO.

A partir dessa ferramenta do Google é possível analisar dados de extrema relevância para uma presença digital mais inteligente.

Fora que a partir dos recursos é possível corrigir erros e aprimorar os pontos fortes de um site, conseguindo uma melhor repercussão entre ferramentas de busca e público.

Melhorar o SEO deve ser uma das prioridades para quem cuida da manutenção de um site, e o Google Search Console pode ser a ferramenta ideal para ajudar nisso.

GSC para Analytics

Aqueles que já usam o Google Analytics a seu favor provavelmente ficarão felizes em saber que é possível integrar essas duas ferramentas do Google.

Basicamente, ao integrar um ao outro o Google Search Console fica responsável por fornecer os dados sobre a audiência para que o Analytics monitore.

Na história das ferramentas do Google, esses dois recursos são integráveis um ao outro desde o ano de 2016.

Para fazer isso é preciso acessar o Analytics e ir até a opção Relatório. Em seguida, clicar em Navegação e, por fim, Search Console.

Ali, todas os recursos integráveis ficam a disposição dos usuários para que façam uso ilimitado. Ambas são ferramentas gratuitas.

Caso os leitores queiram se aprofundar mais sobre Google Analytics, aqui no blog a Visão Confiável há um texto feito especificamente para o assunto.

Com este artigo fica esclarecido o que é o Analytics, assim como sua funcionalidade para o marketing digital.

Vale lembrar que atualmente existem ferramentas capazes de fazer tudo que as ferramentas do Google fazem juntas em um só lugar.

Ubersuggest e SemRush são ótimos exemplos de softwares capazes de entregar os serviços das ferramentas do Google.

Mas, em contrapartida, são pagos. Portanto, apesar de não concentrar tudo em um lugar só, os recursos do Google podem ser muito vantajosos.

E, bem, como foi dito na seção sobre verificação de propriedade, aqui está a explicação para aqueles que desejam verificar e já fazem o uso do Analytics.

Basta clicar em Outros métodos de verificação. Em seguida, basta clicar em Google Analytics e ir de acordo com as instruções.

O Google Search Console, quando usado em conjunto com Analytics, rende melhores análises sobre um site.

Dicas para usar as ferramentas

Como já foi visto, o Google Search Console possui diversas ferramentas e relatórios possíveis de serem usados.

Mas, para que se usufrua de todos da melhor forma, é preciso conhecer seus detalhes.

Por isso, aqui estão algumas dicas para usar as ferramentas e os relatórios do Search Console.

Essas ferramentas e relatórios, antes de mais nada, se localizam no menu lateral. Esse fica no lado esquerdo da página desse recurso do Google.

Visão Geral

É aqui que os usuários tem acesso a uma visão geral de seus sites com o Google Search COnsole.

A partir da Visão Geral que o Google fornece, é possível ter acesso a tudo aquilo que essa ferramenta de busca prioriza em avaliar em uma página.

Por exemplo, usar essa ferramenta possibilita como ver métricas do site.

Além disso, é possível ter acesso a outros dados. Mas, esses não serão especificados aqui porque tanto esses dados quanto as métricas podem ser analisados com mais profundidade em outras ferramentas.

É como o próprio nome sugere: essa parte do Google Search Console concede apenas uma visão geral sobre o site.

Portanto, não há nada de muito importante a ser mostrado sobre esse painel. A breve introdução é apenas para que não fique lacunoso o assunto.

Inspeção de URL , Resultado de pesquisa e Discover

Como o próprio nome sugere, a Inspeção de URL nada mais é do que uma ferramenta que confere um url.

Assim é possível checar sua indexação se há algum erro contido na URL que está sendo analisada.

Resultado de pesquisa é uma ferramenta que se encontra dentro da seção de Desempenho.

Com ela é possível acessar dados mais específicos sobre páginas, keywords, regiões e dispositivos.

Além disso, os usuários tem acesso a gráficos com informações que concedem número de cliques, número de impressões e ranking.

Já o Discover tem como função indicar pontos sobre o desempenho das páginas de um site.

Essa é uma das ferramentas que se aprofundam no que o quadro de Visão Geral faz de forma mais “rasa”.

Ambas as ferramentas presentes em Desempenho tem um papel importantíssimo para saber onde investir em conteúdo em uma página.

Cobertura e Sitemaps

Essas são duas ferramentas que se encontram na seção de Índice.

Basicamente, ambas entregam informações sobre indexação de uma forma geral.

Em Cobertura os usuários tem acesso a quais páginas os internautas estão tendo acesso a partir do uso da ferramenta de busca.

Isso porque nem todas as páginas aparecem disponíveis no Google, visto que o mesmo pode não as ter indexado.

E é essa a importância de usar essa ferramenta: descobrir a cobertura que o Google faz de um site.

Assim é possível ter acesso as possíveis causas de porque o Google não indexar as páginas e, por fim, corrigi-los.

Só assim é possível não ficar atrás dos concorrentes e se destacar as páginas de um site nas pesquisas do Google.

Em Sitemaps é possível fazer justamente o que é necessário para concertar nos erros presentes na análise de cobertura.

Ou seja, um trabalha diretamente com o outro para impactar positivamente o desempenho de um site nas pesquisas.

Seção Melhorias

Nessa seção se encontram informações sobre o site para que sejam feitas melhorias.

A partir de seu uso é possível acessar as ferramentas Facilidade de uso em dispositivos móveis; Caixa de pesquisa de sitelinks; e Os dados estruturados não podem ser analisados.

Basicamente, cada um faz exatamente o que seus nomes sugerem.

Por meio da ferramenta de facilidade de uso em dispositivos móveis é possível ter acesso a uma análise de quão fácil é mexer no site por meio de um dispositivo móvel.

Apesar de ser algo muito específico, essa é uma ferramenta que ajuda muito nos números de um site. Uma vez que os dispositivos móveis são mais usados que desktops.

Ações manuais e Problemas de segurança

Assim como já se explicou mais acima no texto, cuidar da segurança de um site é algo indispensável para o bom uso dos internautas, assim como para a segurança.

Essas são as duas ferramentas que se encontram na seção Security Issues. Basicamente, com essas ferramentas é possível garantir a segurança de um site.

Com Ações manuais é possível se informar se um site está produzindo spams ou se o mesmo passou por uma invasão.

Além disso, a partir dessa é possível saber quais foram as medidas tomadas pelo Google para solucionar essas questões.

Enquanto isso, na ferramenta Problemas de Segurança é possível ter acesso a o que fazer caso um site esteja contaminado com Malwares.

Essa seção não demanda tantas dicas ou explicação, porque o próprio Google disponibiliza soluções por si só.

Tudo que é preciso fazer é que se siga os protocolos que o Google fornece para solucionar o problema o quanto antes.

Segmentação Internacional, Remoções, Estatísticas de Rastreamento, Mensagens, Parâmetros de URL e Links

Todas essas são ferramentas que migraram do antigo Webmaster Tools para o Google Search Console por sua grande utilidade.

Ambos estão na seção de Ferramentas e relatórios legados.

Ao usar a ferramenta de segmentação internacional é possível especificar para o Google a audiência de acordo com nacionalidade e língua que se deseja para um site.

Com Remoções é possível ocultar algum conteúdo do site para o Google não mostrar nas buscas de internautas.

Em Estatísticas de rastreamento é possível acompanhar a maneira com a qual os robôs do Google conseguem carregar as páginas de um site.

Ou seja, a partir dessa ferramenta é possível saber o que contribui e o que atrapalha o desempenho de um site para ser indexado.

Mensagens é onde o Google entra em contato diretamente com o usuário do Google Search Console para notificar sobre aquilo que diz respeito a seu site.

Já em Parâmetros de URL é possível ter acesso a análises mais complexas sobre URL.

Recomenda-se que se use essa ferramenta apenas se houver total conhecimento do que pode ser feito a partir de suas funcionalidades.

Caso contrário, isso pode implicar em erros estruturais no URL do site ou atrapalhar a indexação, por exemplo.

Por fim, com a ferramenta Links é possível os usuários poem fazer aquilo que já foi comentado na seção sobre Search Traffics.

Basicamente, é a partir dessa ferramenta que se lida diretamente com links internos e externos.

Vantagens do Google Search Console

A partir desse texto foi possível expor alguns dos pontos sobre como usar e como usufruir do Google Search Console.

Mesmo que muito do que foi passado aqui caiba dentro de um conhecimento específico sobre Webmaster, isso não significa que não possa servir para leigos que tem interesse em melhorar seu site.

Aqueles que não tem nenhuma experiência no assunto, por exemplo, podem procurar por profissionais que sabem como lidar com essa ferramenta do Google.

Dessa forma, ao contratar um especialista, saberão que essa pessoa terá acesso a uma vasta lista de dados que podem melhorar seu site a partir das métricas do Google Search Console.

De qualquer forma, uma de suas grandes vantagens é o fato de ser uma ferramenta completamente gratuita.

E para aqueles que sabem como usufruir dessa ferramenta, não há dúvidas de que a partir de seu uso a experiência do usuário passe por otimizações.

A partir do Google Search Console é possível melhorar o SEO a partir das análises que o Google entrega.

Enquanto se usa essa ferramenta é possível fazer as alterações necessárias para otimizar a maneira que um site aparece nas ferramentas de busca.

Além disso, a partir do uso do GSC é possível ter um contato direto com o Google que notifica seus usuários.

Isso implica diretamente na possibilidade de estar fazendo melhorias em problemas que o próprio Google constata.

De forma geral, a grande vantagem em usar o Google Search Console está em poder melhorar o site “a cabeça aos pés” a partir de informações, relatórios e ferramentas.

Google Search Console é útil para agências de marketing digital, empresários e especialistas em SEO.

Considerações finais

Por mais que o Webmaster Tools tenha mudado de nome justamente pelo fato de que essa ferramenta possa ser usado por pessoas que não tenham conhecimento em Webmaster, depois deste artigo foi possível notar que é necessário, sim, um conhecimento prévio na área.

Isso porque, mesmo que o o Google Search Console tenha um uso muito intuitivo, há termos técnicos que precisam do entendimento de alguém com experiência.

Caso um completo leigo queira fazer otimizações em seu site, por exemplo, o melhor a se fazer é buscar pela ajuda que o Google fornece.

Isso pode ser feito por meio do suporte do Google, que entrega dicas e informações específicas sobre o uso dessa ferramenta.

No próprio suporte do Google é dito que é possível fazer o suo do Search Console sem que se tenha conhecimento na área.

Donos de empresa podem muito bem ter conhecimento sobre essa ferramenta para que compreendam os benefícios que agrega para o site.

Enfim, de qualquer forma, é no suporte que cada um dos passos para se aprender a mexer no Search Console se encontram.

Ao rolar a página do suporte um pouco para baixo, uma opção em azul escrita “Primeiros passos no Search Console” deve ser clicada.

A partir daí basta seguir os passos que o Google indica para que seja possível ter domínio sobre os recursos presentes nessa ferramenta.

Ao passo que a nova página se abre, é possível optar entre as possibilidades de uso de acordo com a função que se tem em um site.

O mais interessante para aqueles que tem vontade de aprender do completo zero sobre o Search Console é que se opte pela opção Sou iniciante( com vontade de aprender).

Ali, todos os passos para se aprender a mexer nessa ferramenta do Google ficam claras.

Deixe seu comentário