O Google Trends é uma ferramenta utilizada por analistas de marketing para entender as tendências de mercado, redatores e jornalistas que desejam descobrir os temas em alta e muito mais. Seu uso é totalmente gratuito.

Todo mundo que trabalha com o marketing digital sabe sobre a importância de seguir algumas tendências. Mas, como saber quais são os assuntos mais abordados do momento? É simples: basta fazer o uso do Google Trends. 

Ele é crucial para saber quais são os tópicos mais abordados do momento e, além de ser usado por redatores de blog, também auxilia aos jornalistas. 

Isso porque há uma aba que permite fazer uma análise dos posts mais abordados do momento e do último dia. Dessa forma, conseguem mais dinheiro com o Google ADS (visto que quanto mais acesso por estarem falando de assuntos relevantes, maior o retorno monetário). 

Outro benefício do Trends é a possibilidade dos usuários compararem palavras-chave. Já pensou se escreverá um artigo e não sabe quais são as palavras mais relevantes para focar? Então, basta fazer uma comparação de volumes!

Portanto, neste artigo falaremos um pouco sobre os seguintes tópicos:

  • O que é o Google Trends;
  • Como usar o Google Trends;
  • Passo a passo para comparar palavras-chave;
  • Dicas de otimização de SEO;
  • Importância do LSI porque não considerar apenas o volume de palavras.

Google Trends: o que é e como usar?

O Google Trends é gratuito e vem ajudando muitos empreendedores e redatores a organizarem o cronograma de postagens e textos de SEO.

Existem outras plataformas para aqueles que gostam de analisar dicas de concorrência e palavras-chave. Contudo, grande parte deles são pagos, como no caso do Semrush. O Übersuggest também permite esse tipo de atividade, mas de forma bastante limitada ao dia e na quantidade de acesso. O Google lançou o Trends como uma forma de auxiliar o marketing de conteúdo e, até mesmo, a criação de campanhas através do Google ADS.

Vantagens do Google Trends no marketing digital 

Mas e então, quais são as vantagens de usar o Google Trends? A primeira delas é a comparação de palavras-chave. Imagine, por exemplo, que deseja efetuar um artigo explicando sobre o conflito de Israel e Palestina. Contudo, qual dos termos devo usar como foco?

Ao usar o Google TRENDS, o redator consegue descobrir que o volume e a busca por “Israel”, no mês de maio de 2021, foi quase cinco vezes mais que “Palestina”. Então, o ideal seria usar Israel como primária e Palestina como secundária.

O Google Trends também auxilia na criação de campanhas. Por exemplo, o ADS pede que o usuário insira as palavras de foco do anúncio. E, é claro que não se pode adicionar qualquer coisa! Daremos um exemplo para você ver isso, na prática.

Uma loja de sapatos deseja criar uma campanha de verão. A loja vende sapatos femininos e masculinos. Contudo, quando se usa o termo feminino, o volume vai para 96 enquanto o masculino é de 75. Dessa forma, a primeira opção é ainda mais vantajosa para a criação do anúncio.

Para quem é jornalista, ainda há a vantagem de saber quais são os assuntos mais falados em determinado dia. Afinal, quanto mais polêmica se traz, maiores os retornos com o Google ADS, certo?

Como fazer a pesquisa de palavra-chave?

Não basta apenas ensinarmos quais são as vantagens do Google Trends para as empresas como também, é necessário ensinar o passo a passo para a aplicação. O primeiro passo é visitar o site online da plataforma gratuita.

Depois disso, clique no botão “insira um termo” que está logo na tela inicial. Após inserir e digitar, aperta o Enter e adicione outro no botão “+” após a página carregar (caso queira comparar com outro termo).

Vale ressaltar, entretanto, necessário ter um login na conta do Google para conseguir usar a plataforma. Ao descer um pouco mais a tela, consegue ver quais são as notícias em destaque no mesmo segundo em que navega e quais foram os assuntos mais pesquisados do dia em que está e do dia anterior.

Depois das pesquisas em alta do dia, abaixo há ainda quais são as maiores pesquisas do ano e quais os temas mais relevantes para os usuários do Google.

Usar o Google Trends faz com que você conheça o seu público e saiba exatamente onde e como investir. Para otimizar ainda mais os resultados, ainda é possível usar o Search e o Analytics que permitem a investigação do seu persona e quais são as palavras-chave que fizeram com que eles acessassem o seu site.

Alta no Youtube

Além de saber o que está em alta nos blogs e jornais, ainda consegue ter acesso a quais são os assuntos que mais estão sendo vistos no Youtube. Essa era uma das alternativas usadas, mas foi decidido que sairia do Google Trends e iria para a própria plataforma de vídeos.

Essa opção já estava com os dias contados. Mas vale a pena citar mesmo assim. Agora, cada usuário e youtuber, consegue saber quais são os temas em alta ao acessar o próprio site do Youtube na categoria de Trends.

Interpretar os dados

Usar o Google Trends não garante que sua estratégia sairá pronta. Na verdade, você vai ter acesso a uma série de informações diferentes nas quais deve fazer o uso da interpretação.

Por exemplo, imagine que pesquisou sobre “chocolates”. O volume ficou 80% acima de outra palavra-chave concorrente. Mas, será que isso realmente faz com que deva usar ela e não a outra? Não é somente o volume que se considera. Saiba mais sobre dados demográficos e outros aspectos diferentes.

Uma das dicas de analistas de SEO deixa isso ainda mais claro: uma palavra chave com pouco volume pode fazer com que seu site rankeie mais fácil devido a falta de concorrência e, também, por muitas vezes não ter material completo em outros sites sobre.

Um exemplo disso está na publicação do MEUPC.NET. A palavra-chave usada foi “consertar placa de vídeo”. No Google Trends o volume, quando comparado somente à “placa de vídeo”, está em zero. Contudo, esse é um dos artigos mais acessados do site em 2021 justamente porque há pouca concorrência de palavras-chave e também de conteúdo sobre o assunto.

Tente ser o mais específico possível em sua palavra-chave. “Sapato” não é o mesmo que “sapato feminino”, “Amazon” não é o mesmo que “Amazon é confiável”. É claro que Sapato e Amazon são mais pesquisadas que as outras opções. Contudo, isso não quer dizer que deve focar nelas. Você deve entender o que é e como pensa o seu público alvo durante as pesquisas.

Palavra chave não é a única decisiva dos seus resultados

Vale ressaltar que a palavra chave e as comparações realizadas no Google Trends não são as únicas formas de conseguir bons resultados no seu site online.

Para isso, é importante investir na experiência do usuário. A experiência do usuário envolve uma série de fatores diferentes, inclusive o fato do site ter – ou não – artigos otimizados em SEO.

Outro ponto que muitas plataformas não sabem, ou não se atentam, é em relação ao plágio. Qualquer cópia de texto online pode fazer com que o seu domínio seja prejudicado. Portanto, é crucial tomar cuidado e sempre, quando pensar em postar algo, passar em um antiplágio.

Afinal, você não quer que o seu site seja conhecido por cópias sem as devidas referências, não é mesmo? Outra dica é que você deixe seu site rápido. Para isso, pode investir em uma hospedagem dedicada ou uma VPS.

Uma hospedagem compartilhada geralmente pode ser problemática justamente porque divide o espaço do seu site com vários outros. E, consequentemente, todas as suas configurações são bastante limitadas. Além disso, se existir muita gente tentando acessar em simultâneo, provavelmente as chances dele cair são enormes.

Dicas de SEO – depois do Google Trends

Existem várias dicas de SEO após o usuário pesquisar a palavra chave no Google Trends. A primeira delas é sobre onde e como usar a palavra foco no artigo. É recomendado fazer o uso dela no título (de preferência no começo) e também no primeiro parágrafo. Não esqueça de investir, dependendo dos casos, nos subtítulos de H2 e H3. Dizemos “dependendo dos casos” porque a estética também é importante.

Por exemplo, imagina que a sua palavra chave seja “anunciar no Instagram”.

Os subtítulos são: 1- escolha um nicho; 2- invista em Social Media, 3- comece a publicar com hashtags. O recomendado é que a palavra chave esteja sempre de 25% a 75% de densidade nos títulos.

Então, visivelmente, não ficaria nem um pouco atrativo fazer assim: 1- escolha um nicho – anunciar no Instagram; 2- invista em Social Media, 3- comece a publicar com hashtags – anunciar no Instagram.

Você percebe que um dos títulos não levou a palavra chave? Contudo, se fosse colocar em todos eles, a densidade ficaria alta e seria negativo. Esteticamente não ficou atraente.

Não é somente satisfazer o plugin do SEO, você deve satisfazer o seu leitor de forma atrativa, sem fazer com que o texto se pareça com um robô ou igual a todos os outros que são presentes no Google.

Outra dica para quem deseja otimizar ainda mais as postagens é: insira link interno.

O link interno leva o leitor para outra página do seu site. E, além de fazer com que o usuário permaneça mais tempo navegando, faz com que o Google entenda o seu conteúdo como relevante. Dessa forma, as taxas de rejeição passam a diminuir e o rankeamento melhora. 

Faça escolha de palavras chaves de cauda longa 

Optar por palavras chaves de cauda longa pode ser uma alternativa para a sua empresa atue está começando. Isso porque se consegue um público mais segmentado e que está interessado nos serviços que a sua empresa pode oferecer. 

Mas, o que são palavras chaves de cauda longa? Imagine o termo “marketing de conteúdo”, ele seria um termo mais amplo e geral, que os usuários pesquisam por ele sem ter uma base do que estão desejando encontrar. Você não sabe se a pessoa quer saber o que é, quais são as características ou como criar uma estratégia. 

No entanto, quando você está pesquisando por “características do marketing de conteúdo”, que é um termo bem mais específico e de cauda longa, a busca já é bem mais segmentada, a pessoa deseja saber sobre as características. Sem contar que, dessa forma, você consegue competir com empresas bem específicas no ranking do Google. 

O número de pessoas pesquisando por marketing de conteúdo é bem maior que a quantidade de usuários ́ procurando por características de marketing de conteúdo, não acha? Invista, portanto, nestes termos que são bem mais específicos. Você não vai se arrepender. 

Palavra chave deve estar no H1

Outra dica de ouro para quem está pensando em começar a investir massivamente em SEO, tanto on quanto off page, é que a palavra chave esteja sempre no título, inclusive quando você for fazer práticas de backlink.

Muitas pesquisas mostram que os usuários tendem a clicar sobre uma página tendo em vista o seu título. Por isso, é crucial que você faça o uso de técnicas de copywriting e até mesmo puxar para um storytelling usando poucas palavras, incentive a etapa do funil de vendas e jornada do herói.

O indicado, além disso, é que a sua palavra chave apareça com frequência em outras partes no texto, como é o caso da introdução e até mesmo de outros títulos H2. Use  títulos street[egípcios e que estejam sempre respondendo perguntas, tais como: 

  • O que é Google Trends?
  • Como usar o Google Trends? 
  • Como comparar palavras chave no Google Trends?
  • Como associar o Google Trends a boas práticas de SEO? 

SEO local ajuda as pessoas da região a encontrarem a sua marca 

O SEO local ajudará as pessoas que moram na região em que atua, caso seja uma empresa regional e não nacional, a encontrarem quais são os serviços prestados pela sua marca e, assim sendo, a ter  mais desempenho. 

Mas, como praticar o SEO local? Por exemplo, se você possui uma desentupidora que está localizada em São Paulo, poderia criar os títulos da empresa com “desentupidora São Paulo – telefone 4400000”. 

Para algumas empresas, entretanto, o SEO Local não acaba fazendo tanto efeito. Como é o caso da Visão Confiável, que atua em todo o Brasil atendendo clientes online. 

Por isso, para nós, não importa se os clientes estão localizados no Rio Grande do Sul ou em Roraima porque os atendemos online. No entanto, para uma marca que precisa realizar o serviço presencial, isso não seria possível. 

Black Hat SEO 

Existem alguns tipos de práticas que são realizadas por proprietários e sites e lojas virtuais que podem penalizar o seu portal a longo prazo, como o uso de conteúdos plagiados, que mostram que a sua marca pode não ser tão relevante para os mecanismos de buscas. Black Hat SEO são práticas danosas para o seu domínio e você deve evitar. 

Um exemplo de Black Hat que podemos citar e que ainda é realizado com bastante frequência é a compra de espaço em outros sites para fazer backlink. Isso não é interessante para o seu portal porque mostra ao Google que, para que seja citado, você precisa comprar um espaço e que isso não está sendo orgânico. 

Deixar textos transparentes na página apenas para os mecanismos lerem e os seus usuários não e rankeamento melhor também é um tipo de prática não indicada. E o mesmo serve para páginas que mostram algo para os mecanismos e que, para o usuário, mostram algo que é completamente diferente. 

Uma dica, caso você tenha dificuldades com a criação de páginas, é optar por um especialista de SEO. O especialista de SEO fará toda a função de analisar as suas páginas, entender quais são as más práticas realizadas e até mesmo o que deve ser feito para melhorar os seus rankeamentos perante o Google

O especialista ou analista de SEO analisará todos os textos postados em seu blog, páginas e até mesmo os backlinks que estiverem sendo apontados para o seu site. 

Use URL que seja descritiva e curta 

A URL causa polêmica porque alguns profissionais argumentam que ela influencia no rankeamento enquanto outros afirmam que não está relacionada. 

No entanto, uma coisa é certa: ela influencia na sua taxa de cliques. Imagine que alguém te mandouum link: https://visaoconfiavel.com/19388485838djswnxuw92 e outro link https://visaoconfiavel.com/marketingdigital, ambos falam sobre marketing digital. 

Qual será mais fácil para o usuário clicar? Provavelmente, o segundo, porque ele contém a palavra chave e mostra sobre o que o artigo abordará após ser acessado. 

Algumas boas práticas que devem ser adotadas no momento em que você for criar a sua URL s]ão: 

  • Usar palavras-chave: como dito anteriormente, a URL deve incluir sempre as palavras chaves que você está segmentando. 
  • Ela deve ser fácil de entender, o usuário deve olhar para a URL e já saber exatamente do que está se tratando o assunto. 
  • O indicado é que ela conte com até 60 caracteres e não seja tão grande, visto que uma parte do seu título ou termos utilizados podem ser cortados. 

Gerar backlinks para sites de autoridade

Além de saber sobre o Google Trends, é indicado que você tenha uma noção sobre a geração de backlinks em sites de autoridade por intermédio do SEO Off Page que fará com que a sua marca comece a receber um pouco mais de relevância e consiga superar, inclusive, os seus concorrentes. 

Pesquise, por intermédio do Semrush e outras ferramentas de SEO, quais são os sites indicados para Backlink e Link Juice e depois entre em contato com os seus administradores para publicação de publis. 

E então, tem mais alguma dúvida de como usar o Google Trends? Comente aqui com a gente! Não esqueça de conhecer outros artigos do nosso site e se manter atualizado (a) no marketing digital. 

Deixe seu comentário