Profissionais do mundo de banco de dados, geralmente, sempre procuram por esse tipo de texto para esclarecer a questão de quando se faz necessário criar um índice de consulta de SQL Server.

Isso sempre exige daqueles que trabalham com isso uma análise com maior minúcia do que questões convencionais.

Muitas das dúvidas daqueles que lidam com bancos de dados estão em torno do fato de que não existe uma maneira definida de lidar com questões de Perfomance.

E não saber como resolver isso pode ser um grande problema para aqueles que lidam com sites.

Afinal de contas, hoje a internet é algo que demanda velocidade em todos os quesitos e, muitas vezes, alguns bancos de dados podem não contribuir para a agilidade.

Segundo o renomado jornal The New York Times, a grande maioria dos estudantes canadenses (55%) não lida bem com computadores lentos.

Factualmente, à medida que a tecnologia vai se aprimorando e novos recursos permitem avanços em economia de tempo, as pessoas vão ficando mais apressadas.

Por isso, saber quando vale a pena ou não usar índices no SQL Server é tão importante.

Afinal de contas, seu uso equivocado pode levar a problemas de lentidão. 

Caso a aplicação de índices seja feita de forma correta, esses podem contribuir para otimizar consultas.

Então, como pode-se concluir, essa estrutura de disco é capaz de trazer benefícios, se usada corretamente, e malefícios se for mal modelada.

Ter conhecimento sobre SQL Server é algo que todos os profissionais que lidam com banco de dados devem buscar constantemente.

Por isso, para que os leitores conheçam mais sobre SQL Server, índice e quando vale a pena adicionar índice no SQL, aqui está um artigo repleto de informações.

SQL Server

Hoje em dia é muito comum que empresas acabam tendo informações sobre seus clientes para que saibam melhor como lidar com eles.

Isso não só é benéfico para as empresas quanto também é importante para os clientes, uma vez que esses têm o atendimento otimizado.

E quando o assunto é gerenciamento de registros, o SQL Server é um sistema altamente recomendável.

Seus recursos são capazes de fazer diferentes tipos de soluções para aqueles que lidam com banco de dados.

Além de possuir uma grande versatilidade de integração com diferentes tipos de fontes, o SQL Server permite manuseio dos dados.

Além disso, essa ferramenta oferece relatórios e possui uma grande variedade de benefícios.

Atualmente, o SQl Server possui nuances quando comparado ao SQL Server criado pela Microsoft. 

Ele foi aprimorado a um ponto em que sua única funcionalidade disponível no momento da criação tenha se tornado apenas uma de suas aplicações.

O “ponto alto” da versão que é usada atualmente por aqueles que lidam com banco de dados é que pode contribuir muito para gestão estratégica.

Com isso, vêm as soluções oferecidas pelo software que podem ser muito úteis para definir novas estratégias e fazer escolhas.

Alguns de seus recursos são sua assistente de integração de dados que contribui para a geração de soluções; machine learning (aprendizado da máquina) e Inteligência Artificial.

Todos esses recursos são ótimos para aqueles que precisam estar sempre à frente de detalhes para definir quais as melhores decisões a serem tomadas em campanhas.

Com isso, é possível que os leitores concluam que existe uma grande importância do SQL Server.

Mas, afinal, qual é a sua importância para as empresas?

Como SQL Server é importante para empresas?

Imaginar um sistema capaz de notar padrões e fornecer relatórios capazes de fazer com que o investimento em campanhas seja adequado para uma empresa não é algo fácil.

Mas, isso é algo que é feito pelo SQL Server, que entrega informações sólidas que podem contribuir para o desenvolvimento de campanhas.

Uma empresa que investe nos recursos de SQL Server tem consigo um grande aliado na segurança de dados e no aumento de insights para abordar o cliente com inteligência.

Além disso, com ele as empresas têm um serviço de armazenamento em nuvem de alta qualidade e relatórios avançados.

Outro benefício do SQL Server para empresas é que permite que atualizações sejam feitas sobre as informações e organiza os bancos de dados com o mesmo tanto de dados contidos.

Enfim, vale lembrar que a cada versão do SQL aprimorações são acrescentadas e que o SQL Server 2019 possui uma certa superioridade ao SQL S. 2017.

Alguns de seus pontos superiores com relação à versão anterior estão em sua segurança e na otimização do sistema.

Ou seja, com cargas de trabalho mais altas esse não demonstra tantos entraves quanto na versão anterior.

E, claro,é importante que se saiba que há uma diferença entre as versões Server Standard e Enterprise Editions.

Afinal de contas, embora ambos possam ser muito úteis para empresas, é o Enterprise Editions que oferece maior inteligência comercial.

Como os dados são localizados

Agora que os leitores conhecem mais sobre SQL Server é possível adentrar mais nesse assunto de forma clara.

Aqueles que trabalham com bancos de dados devem estar habituados a lidar com a arquitetura de índices.

E no que tange esse tópico, é muito importante trazer à tona uma explicação sobre como os dados são localizados.

Por isso, aqui será explicado quais são os métodos que o SQL usa para localizar os dados.

O primeiro é por meio de um exame de tabela, onde o que acontece é uma averiguação da tabela.

Basicamente, tudo que é feito, se for possível trazer para um linguajar mais leigo, é uma procura literal por aquilo que se identifica na busca.

E para isso todos os registros e páginas são averiguados para que então seja possível fornecer resultados pertinentes.

E a segunda maneira de fazer isso seria por meio dos índices, que posteriormente serão comentados aqui.

Em suma, o que é feito por meio dos índices é a averiguação do que está contido na estrutura da árvore.

Assim, tudo passa por uma comparação para identificar aquilo que se enquadra dentro do que se busca.

É claro que cada um dos métodos pode ser usado em diferentes situações. E, por isso, o otimizador de consultas se faz presente nesse tipo de ação.

É sempre importante acatar o relatório que é passado pelo otimizador de consultas, uma vez que esse contribui muito para a eficiência do processo.

Mas, agora que os leitores já compreendem melhor a função de um índice, é possível adentrar mais nesse assunto.

Assim, será possível explicar quando é que passa a valer a pena criar um índice de consulta SQL.

O que é índice

É possível que aqueles que estão lendo esse texto, por demonstrarem conhecimento, tenham algum conhecimento sobre o que é índice.

Mas há a possibilidade de que pessoas sem experiência e que estão em busca por aprimorar conhecimentos na área não saibam sua definição.

Por isso, aqui será esclarecido o que é índice. Dessa forma, esse pilar para o conhecimento em banco de dados se consolida na mente dos leitores.

Antes de dar sequência ao texto, aqui está uma recomendação de blog para aprender bastante sobre tecnologia: O blog da Visão Confiável.

Em nosso site você conta com diversos textos sobre assuntos que podem agregar bastante.

Um deles, por exemplo, é sobre o Google Analytics.

Após terminar a leitura desse texto sobre índice e SQL Server, é possível que se tenha dúvidas sobre como usar relatórios a favor das campanhas, por exemplo.

E o Google Analytics, assim como o SemRush podem contribuir bastante para isso. E tudo está amplamente explicado em nosso blog.

Enfim, sem mais voltas em torno de sugestões (pertinentes, por sinal), eis a definição de índice.

Os índices são uma estrutura de disco associada a uma tabela que contribui para a otimização do prazo com que se recupera linhas.

No caso de uma tabela há 100 GB e nela há 5 colunas semelhantes, ou seja, cada uma tem 20 GB.

Basicamente, o índice possui chaves provenientes de colunas que são contidas em árvores, assim possibilitando que o SQL encontre linhas.

Só que os índices possibilitam que isso seja feito de forma mais rápida e eficaz do que sem sua implementação.

Por isso, para que os leitores saibam mais sobre a partir de quando vale a pena criar um índice de consulta, aqui está a próxima seção.

A partir de quando vale a pena criar um índice de consulta no SQL Server?

Bom, agora que os leitores já conhecem um pouco mais sobre índice e sua função dentro do SQL, é possível responder a pergunta do título.

Se for possível resolver em poucas palavras um bom motivo para poder criar um índice, a palavra seria otimização.

Isso porque, assim como já foi explicado, os índices aceleram o processo de recuperação de dados.

Para o caso de colunas de grande seletividade, por exemplo,  os índices podem ser uma opção viável. E essa é a primeira situação em que vale a pena criar um índice de consulta no SQL.

Quando se tem aplicações bancárias em caixas eletrônicos, por exemplo, sua criação pode ser muito pertinente.

É graças aos índices que as transações bancárias se fazem tão rápidas, afinal de contas, existem muitos clientes em um banco.

Ou seja, existem diversos tipos de informações diferentes para transitar antes de uma transação ou informação ser concedida.

O ideal, portanto, é criar em situações em que se faz necessário a busca por dados em bancos de dados de grande escala que demandem maior velocidade de busca por dados.

E é importante que se saiba quando vale a pena criar um índice justamente pelo espaço que esse ocupa.

Além disso, quando há muitos dados duplicados, não é interessante optar pela criação de índice.

Isso pode acabar gerando mais prejuízos do que benefícios, propriamente.

Índices podem representar grandes parcelas de espaço em disco. E além disso, esses demandam manutenção e cuidados.

Por isso, é interessante que se planeje bem antes de tomar qualquer decisão sobre criar ou não um índice.

Afinal, isso pode afetar diretamente a eficácia da gestão de dados, assim como sua velocidade.

Clustered 

O Clustered é um tipo de índice o qual a própria tabela fica responsável pela criação.

Afinal, o que isso significa? Basicamente, que a tabela S1A possui uma árvore balanceada por Recno.

Com isso, Recno é o que ordena o nível folha da árvore. Vale lembrar que o primeiro nível é o nível raiz.

Então, supondo que um Recno 1 se encontra na primeira página e o Recno de número 1 milhão está no último registro. 

E os leitores devem estar se perguntando como isso se relaciona com Clustered, no fim das contas.

Basicamente, esse processo de carregamento seria muito devagar se não fosse usado um índice clustered.

Por meio da árvore do índice clustered, o SQL desce até chegar ao Recno procurado.

Ou seja, por meio desse índice o SQL consegue chegar de forma mais rápida a informações em bancos com muitos dados.

E isso tudo acontece entre poucas leituras no SQL, no máximo quatro. E isso é muito rápido para esse Software.

Portanto, em resumo, o índice Clustered seria a própria tabela onde todas as colunas ficam no nível folha.

Falando dessa maneira, é possível que os leitores entendam melhor sobre o Clustered para que seja possível abordar o Não Clustered a posteriori.

Portanto, na seção seguinte há um texto sobre o índice não clustered para que os leitores entendam melhor sobre o assunto.

Não Clustered

Bom, mas os leitores que já tem um certo entendimento sobre o assunto podem se questionar sobre a seguinte questão.

Por exemplo: quando se tem nome, data de emissão, doc e número entre os dados, não é preciso que a busca pelo banco de dados seja rápida?

E para isso, não é possível que fique se buscando Recno a todos os instantes. E isso é feito por meio do índice non clustered.

Essas são árvores iguais aos índices clustered, mas que contém apenas colunas escolhidas para estar no índice.

Ou seja, caso se crie o índice nonclustered por nome, haverá uma árvore por nome.

E o mesmo vale para qualquer um dos demais exemplos que foram dados anteriormente.

Ainda no mesmo exemplo, ao criar um índice nonclustered com colunas com nome, docs, números e data de emissão há, então, 4 árvores.

Mas, há um adendo a ser feito sobre a criação de índices não clustered: esses se organizam por filiais.

Por isso, ao criar um índice é importante sempre optar por colunas mais seletivas.

Assim se evita o desperdício da criação de um índice e há um melhor aproveitamento do mesmo.

É possível encontrar registros sem índice

Essa é uma questão a qual muitos daqueles que não tem experiência com banco de dados podem ter dúvidas.

Por isso, é muito importante que se tenha conhecimento aprofundado em banco de dados para que se resolva questões como essa, onde não há índice, com facilidade.

Caso o leitor tenha interesse em contratar profissionais capazes de lidar com banco de dados, a nossa agência conta com profissionais qualificados.

Assim, enquanto se aprende um pouco mais sobre esse assunto aqui em nosso site, o especialista lida com a gestão do banco de dados.

Enfim, mas caso queira lidar com o banco de dados por conta própria, eis uma explicação para lidar com a localização de registros sem índice.

E o que deve ser feito, basicamente, é o uso do otimizador de consultas, que faz uma varredura.

Em suma, a averiguação da tabela que é feita pelo otimizador de consultas pode não ser a mais recomendável.

Afinal de contas, para tabelas de tipos grandes ou repleta de registros é quase impossível que se encontre os dados buscados.

Outro aspecto negativo de encontrar registros sem o uso de índices está no fato de que isso pode desorganizar a ordem, uma vez que novas inserções são feitas.

E isso acaba culminando na demora do processo de encontrar registros. Por isso se fazem importantes os índices.

Enfim, respondendo a pergunta do título, há sim como encontrar registros sem índice. Mas isso pode não ser positivo.

Conclusão

A partir desse texto foi possível fazer uma breve introdução sobre SQL Server trazer à tona informações importantes sobre índice e esclarecer a partir de quando vale a pena criar um índice.

Vale lembrar que aqui tudo foi abordado da forma mais clara possível para que os leitores com menos experiência compreendam melhor o assunto.

Apesar de ser uma parte simples no que tange os conhecimentos em banco de dados, nem todos possuem facilidade no assunto.

E é nisso que se encontra a importância de trazer conteúdos como esse de forma democrática e em português.

Dificilmente os leitores encontrarão muitas opções de blogs em português que falem em detalhes sobre esse assunto.

Por isso, caso haja interesse daqueles que leram esse texto, o blog da Visão Confiável conta com diversos textos de linguagem simples e didática.

Deixe seu comentário