O jornalista é o profissional que faz toda a apuração de informações e fatos para que sejam transmitidos para determinado público com veracidade e objetividade. Em alguns casos, as matérias podem ser neutras ou então, com opinião inclusa. 

É possível que a profissionalização ocorra em vários ramos, que variam desde política até economia ou esporte.

O tempo de formação é de 4 anos, entretanto, não é exigido pela lei que o especialista tenha um diploma na área. Logo, o jornalista pode ser formado também em outros cursos como história, geografia, economia e até mesmo educação física. Um dos requisitos principais para entrar no mercado é ter uma boa escrita e capacidade de comunicação.

Neste artigo, iremos abordar mais sobre a profissionalização de quem deseja seguir a área do jornalismo, quais os valores salariais, o que estuda e como conseguir emprego. Portanto, continue a leitura conosco para saber mais sobre:

  • O que é jornalismo;
  • Importância do jornalista nos dias atuais;
  • O que faz um jornalista;
  • Formação necessária para atuar e cursos para se profissionalizar;
  • Quais as características de quem deseja trabalhar na área;
  • Universidades que ofertam o curso;
  • Muito mais!

O que é o jornalismo? Qual a importância?

O jornalismo é responsável por passar informações de forma clara e objetiva. Dessa forma, é necessário ter contatos para obter notícias em tempo real que estejam acompanhadas com dados e imagens. Especialistas da área também devem desenvolver dons para entrevistas, redação e até mesmo apresentação de programas (que podem ser os jornais).

São eles os responsáveis pela manutenção da democracia e exposição de fatos que nem sempre estão ao alcance facilitado da população. A área vem enfrentando uma forte desvalorização, assim como várias outras da ciência humana.

Grandes líderes políticos, inclusive Bolsonaro, atacam a mídia e argumentam que os profissionais possuem o objetivo de causar “instabilidade”. Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, já disse que os jornalistas são inimigos do povo e da democracia. São vários exemplos que podem ser citados com o decorrer do dia a dia.

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) argumenta que os políticos atacam a mídia e os jornais porque preferem revelar dados apenas que defendem o próprio ponto de vista. Mas que a ciência não deve funcionar desta forma.

É através do jornalismo que se pode atualizar e espalhar fontes para a população. Contudo, nem sempre foi assim: durante a Ditadura Militar, tudo era censurado e não tínhamos a liberdade atual para expor os fatos.

Eu preciso ter um diploma?

Diferente do que se imagina, para atuar na área não é necessário possuir um diploma. Entretanto, o certificado de graduação pode ser um grande diferencial dentro de um mercado saturado.

Atualmente, vale ressaltar que ter um diploma não garante a vaga de emprego: muito pelo contrário! Agora, os recrutadores buscam quem realmente sabe fazer e colocar a mão na prática.

Portanto, se está pensando em começar, o primeiro passo, caso não tenha um diploma, é pensar em começar um curso para que ganhe destaque na área.

Além disso, existem cursos avulsos que garantem a sua profissionalização para várias áreas. Por exemplo, um jornalista que deseja trabalhar com jornais diários, precisa dominar o básico de redação otimizada em SEO. Já alguém que deseja atuar com a fabricação e produção de vídeos, precisa lidar bem com a dicção e edição de imagens.

São várias formas de atuar e cada uma delas pedem habilidades extremamente específicas.

Apesar dessa variedade de formações que abrangem um jornalista (que pode atuar em várias áreas e ter diplomas dos mais variados níveis), é crucial que o mesmo domine ferramentas e técnicas básicas como a redação, edição de imagens e publicidade.

Salário

O salário do jornalista costuma variar por vários fatores como o tamanho do jornal e também o tempo de experiência do profissional. Deve-se levar em consideração os seguintes aspectos:

  • Tempo de experiência;
  • Tamanho do jornal;
  • Reputação e formação do jornalista;
  • Região de trabalho;
  • Cargo da vaga;
  • Requisitos mínimos para participar da concorrência da vaga.

Contudo, ao fazer uma pesquisa aprofundada no Vagas, é possível descobrir a média de R$ 2.568,00. Uma das jornalistas entrevistadas e colaboradoras de redação pelo Visão Confiável, Daiane de Souza, argumenta que em alguns casos, em grandes plataformas, pode-se receber mais de R$ 11 mil por mês.

“Pode-se chegar a até R$ 11 mil… mas não é o mais comum. O máximo pago pela média dos portais é na faixa de R$ 4,5 mil, o que já é positivo!”, disse.

O mercado está permitindo a contratação de jornalista sem ser na modalidade de CLT (com carteira assinada).

Já é possível abrir um MEI com a categoria de “editor de jornais diários” e, dessa forma, atuar como pessoa jurídica. Assim, é possível fazer serviços para vários jornais enquanto contribui para o INSS e emite notas fiscais.

Essa categoria de MEI não exige a emissão de aval. Consequentemente, a abertura é ainda mais simplificada. São duas obrigações que terá como pessoa jurídica:

  • Pagamento mensal do DAS que conta com o ISS e também os benefícios do INSS;
  • Declaração anual de faturamento que geralmente é entregue até o dia 31 de maio de todos os anos. O faturamento pode exceder 20% de R$ 81 mil.

Quais as principais características de um jornalista?

Para atuar como jornalista, é necessário que o indivíduo possua características que despertem sua curiosidade pelo saber. A primeira característica de quem deseja migrar para a área é ser curioso.

É a curiosidade que leva à pesquisa e é através dela que se consegue descobrir uma série de fatos e notícias: muitas vezes, a sua matéria não precisa estar estampada, mas você descobre enquanto está movido pela curiosidade.

Enfim, separamos algumas qualidades que você deve ter e que são quase um requisito para quem deseja trabalhar com o jornalismo. Portanto, continue a leitura para saber mais!

1. Persistência

Não há como mentir em relação a isso: é crucial ter persistência para estar sempre aprendendo e se atualizando. Por ser um mercado muito concorrido, ter formações a mais pode ser um grande diferencial.

Os recrutadores costumam dar preferência para aqueles que já contam com experiência. Logo, muitas vezes para conseguir essa experiência e montagem de portfólio, é necessário que você faça estágios pagos e até mesmo gratuitos.

Além disso, para quem está pensando em ingressar na graduação, também é importante levar em consideração que são 4 anos. Então, é uma grande parcela da sua vida e que também envolve investimentos monetários, físicos e psicológicos.

2. (Im)parcialidade

Esse é um assunto que causa certa polêmica: durante o século XIX, historiadores positivistas argumentaram que o historiador deveria ser imparcial sobre os fatos históricos. Entretanto, mais tarde, outros viriam a dizer: “o tema que escolhemos para pesquisar não é imparcial, é impossível ser parcial na ciência humana!”

E o que isso quer dizer? Que o mesmo também pode ser aplicado para o jornalista. O tema que decide estudar tira toda a parcialidade do assunto e não há como lidar com fatos sem ter uma opinião sobre eles (mesmo que ela não seja transmitida de forma explícita).

Hoje, é cada vez mais comum aqueles artigos de opinião. E mais comum ainda dizermos que determinado jornal é de esquerda enquanto outro é de direita. Vai se acostumando: em alguns casos, durante a entrevista de emprego, você pode ser questionado sobre suas ideologias políticas.

3. Capacidade de escrita e interpretação

Assim como o historiador, o jornalista também deve lidar com documentos e muitas vezes eles podem ser extensos e burocráticos. Então, é necessário dominar o português para ler, interpretar e escrever aquilo de forma objetiva.

A linguagem deve ser menos rebuscada porque assim garante que todos os tipos de público possam entender. Entretanto, isso não significa que deve ser um texto pobre e repetitivo:

  • Faça sempre o uso de figuras de linguagem e sinônimos;
  • Adicione palavras de transição;
  • Revise o texto duas vezes.

4. Vontade de saber mais

Também é crucial que você tenha sempre vontade de saber mais e de se especializar. O mercado vive em constante mudança. E, dessa forma, é preciso se encaixar dentro delas para conseguir se manter no cargo.

Um exemplo disso era que os jornalistas do passado não precisavam dominar a redação com SEO. Entretanto, isso se tornou crucial para quem escreve para portais da Web.

Faça sempre cursos na área que trabalha (seja em esportes, economia, política, artes e outras). Não esqueça de estar sempre atualizando o seu portfólio para deixar sempre as matérias mais atuais e com os melhores cases.

  • Dica da Visão Confiável: Além de se profissionalizar, é indicado que você tenha habilidades básicas em idiomas. Dessa forma, poderá obter fontes em outras línguas, principalmente em inglês. Logo, poderá deixar o seu texto ainda mais rico com referências estrangeiras.

5. Estar conectado

É necessário escrever sobre o que as pessoas querem saber. Caso contrário, quem é que vai ler sua matéria? Por isso, esteja sempre conectado nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades. Além disso, você pode aprender a usar algumas ferramentas gratuitas que mostram tendências de pesquisa, como é o caso do Google Trends.

Quais universidades oferecem o curso de jornalismo?

Existem várias universidades públicas brasileiras que oferecem o curso de jornalismo. Para ingressar, basta realizar o vestibular específico de cada uma delas ou então, o ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio.

Com o ENEM, é possível concorrer ao SISU ao menos duas vezes ao ano. Para isso, é necessário que o aluno tenha tirado a média de nota acima de 450 e não tenha zerado a redação.

Caso tenha vontade de ingressar em uma universidade privada, também pode optar pelo Prouni e pelo FIES. O Prouni oferece bolsas de estudo com descontos de 100% para quem recebe até 1,5 salário, enquanto o FIES se trata de um financiamento que começa a ser pago somente depois de ter se formado.

Aqueles que recebem entre 1,5 salário e 3 salários, possuem a oportunidade de concorrer à bolsa de 50% de desconto. Rendas maiores que três salários são excluídas do Prouni.

Observe, abaixo, algumas universidades públicas com o curso totalmente gratuito:

  • UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais
  • UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • USP, Universidade de São Paulo
  • UFSC, Universidade Federal de Santa Catarina
  • UFRGS, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Cursos que dão um diferencial para o portfólio

Além do diploma de jornalista, existem alguns cursos que podem dar um diferencial para o portfólio no momento de concorrer a uma vaga de emprego:

Letras: Letras pode ser realizado tanto para português e outra língua quando somente outra língua estrangeira. O curso ensina mais sobre a gramática e ajuda a compreender outras matérias que não estão em português. Ter fluência em outra língua é um enorme diferencial, principalmente no inglês, que conta com as maiores fontes e referências.

SEO: O SEO se trata de escrever com otimização para os mecanismos do Google. É ideal para aqueles que estão trabalhando com a WEB. O primeiro passo é saber como fazer o uso de palavras chaves no decorrer do texto para que ele apareça para os leitores. Não basta apenas saber escrever bem se não souber o básico sobre o assunto. As técnicas também ajudam o artigo a ficar escaneável para o leitor.

Edição de fotos e vídeos: O jornalista não deve saber somente escrever. Em alguns projetos, pode ser solicitado que o mesmo faça a edição de vídeos e imagens do portal. Por isso, dominar ferramentas de edição pode ser um diferencial, principalmente para quem quer fazer apresentações em vídeo.

Revisão: Cursos de revisão ajudam a fazer com que escritor e redator escreva e fuja dos famosos trechos incoerentes e sem nexo. Na revisão, também aprende-se o básico sobre como otimizar o SEO do portal jornalístico.

Copywriting: Essa profissionalização é ideal para aqueles que desejam trabalhar com publicidade para divulgar empresas. Saber usar a persuasão a seu favor é uma das formas de ganhar dinheiro com a internet e o marketing digital. Ao entender sobre essas técnicas, além de produzir notícias, você consegue criar campanhas pagas para empresas no ADS e redes sociais.

Storytelling: É a arte de contar histórias e de causar gatilhos no leitor para incentivar com que ele faça determinada ação. A arte do Story está totalmente relacionada ao Copywriting.

Social Media: o Social Media faz a administração de redes sociais que variam desde a criação de cronogramas de publicação, legendas e edição de imagens. É necessário dominar os logaritmos das plataformas para obter mais alcance. Dominar a criação de campanhas em ADS também é um diferencial.

O que posso estudar na minha grade curricular de curso?

A grade curricular do curso de jornalismo pode variar de acordo com a instituição. Entretanto, a Visão Confiável separou algumas disciplinas comuns que são encontradas nos cursos de graduação:

  • História da mídia;
  • Narrativas midiáticas;
  • Radiojornalismo;
  • Teorias do jornalismo;
  • Produção de conteúdo para a WEB;
  • Planejamento e cobertura;
  • Jornalismo de dados e analítico;
  • Política e história;
  • Ética e legislação da comunicação;
  • Empreendedorismo;
  • Produção para indústria criativa;
  • Telejornalismo; 
  • Outras. 

Não se deve esquecer ainda que existe o estágio que dura em média 6 meses, equivalente a um semestre.

Como montar um portfólio de jornalista?

E então, você tem alguma ideia de como montar o portfólio de trabalhos? Separamos algumas dicas básicas!

A primeira dica é separar os últimos textos publicados e quais são os jornais de referência que já escreveu e que teve um bom desempenho. seu portfólio pode ser criado através do DOCS e basta você compartilhar o link como “leitor”. Logo, o seu cliente não consegue editar e pode acessar sempre para ver atualizações em tempo real.

Sempre use no seu portfólio seus principais textos e formação. Trazer os cursos que realizou também pode ser um diferencial para conseguir atrair clientes.

Informe também se possui cursos de SEO, estrangeiro e até mesmo edição de vídeos e imagens.

Outra dica, que pode fazer um diferencial caso queira trabalhar com imagem própria, é deixar uma foto recente sua no portfólio e também o link para as redes sociais. Deixe algum vídeo que já apresentou para que o cliente veja como é sua dicção de fala, como se comunica na frente das câmeras e muito mais. 

  •  O seu portfólio deve ser acessível. Não mande ao cliente, por exemplo, um DOCS em que o mesmo deve solicitar para acessar: até que haja essa aprovação, ele pode ter encontrado outro profissional. 
  • Se preferir, também pode fazer o uso de um blog em que você fará as publicações de alguns artigos. Em hipótese alguma poste no seu portfólio online de blog o mesmo artigo que publicou em outro site porque isso pode prejudicar o domínio perante o Google. Faça artigos exclusivos para o seu domínio. 
  • O Behance também vem se tornando uma alternativa para divulgação de textos e portfólio. Nele, pode-se fazer a adição também de imagens e de vídeos. 

Como contratar um jornalista?

No momento de contratar um jornalista, você deve levar em consideração alguns aspectos como o tempo que ele está atuando no mercado, quais são os artigos de referência, se possui contato com grandes figuras para obter notícias exclusivas e até mesmo a formação do mesmo (é recomendado que esteja formado em alguma área de ciências humanas). 

O processo é bastante longo, mas escolher o profissional ideal garante que seu jornal continue tendo boa reputação e qualidade de material

Em suma, você pode fazer a contratação através da Visão Confiável. Temos jornalistas dentro da equipe que se profissionalizaram em grandes técnicas de produção de conteúdo, principalmente em relação ao SEO.  Para entrar em contato conosco, basta acessar a nossa página oficial de contato

Nossos serviços variam desde a escrita de matérias para o seu jornal até mesmo à otimização de páginas e de artigos.  Os redatores dominam áreas como esportes, política, economia, dicas de saúde, investimentos e muito mais!

Além disso, se preferir profissionais autônomos que não façam parte da agência, você pode procurar por conta própria em plataformas como: 

  • 99 Freelas;
  • Getninjas; 
  • Workana. 

No Facebook e até mesmo no Whatsapp, existem vários grupos em que jornalistas fazem parte para ter atualizações sobre vagas de emprego. 

Como conseguir empregos como jornalista?

E agora, que já sabe tudo isso, tem alguma ideia de como conseguir emprego sendo jornalista? 

  • Faça parte de grupos de Facebook e Whatsapp para esses profissionais. Muitos clientes publicam vagas de emprego através deles; 
  • Participe de plataformas para freelancer e tenha um CNPJ ativo para emitir notas fiscais. As plataformas mais comuns são: Workana, Freelancer e também o Getninjas. Mande propostas atraentes junto ao seu portfólio; 
  • Tenha uma conta no Linkedin para receber notificações de vagas em Home Office e também presenciais na sua cidade ou região. Além disso, você pode compartilhar toda a sua formação através desta rede social como se fosse um perfil portfólio. É uma das melhores plataformas para quem deseja fazer network. 

Resumindo!

Como você pode ver, a profissão de jornalista está longe de acabar: todos os dias é necessário escrever e gravar matérias para manter a população informada. Não há dúvidas que, nos tempos atuais, é uma das profissões com maior determinação. 

Não é necessário ter um diploma para começar. Contudo, ele é um dos principais diferenciais. O jornalista pode ter formação em outras áreas, inclusive em educação física, se gosta de falar sobre esportes.  Ou então, em história caso se sinta atraído por política e problemas sociais.

É importante estar sempre se atualizando em técnicas para a produção de notícias como o SEO, copywriting e muito mais. Isso garante que suas produções estão seguindo as tendências e movimentações do mercado. 

E então, tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Comente aqui com a gente o que achou, qual a sua formação e também suas dicas para atuar na área. 

Além disso, se está precisando de um jornalista, redator ou revisor para o seu jornal, não hesite em entrar em contato conosco. Estamos dispostos a te ajudar. 

Deixe seu comentário