Conexões são fundamentais na vida. E o LinkedIn é fundamental para afirmá-las e ter diversos benefícios dentro de um aplicativo só.

Nos últimos anos, a rede social criada para fins corporativos tem um crescimento exponencial e vem conquistando usuários que entenderam a sua missão: não é apenas mais uma rede de contatos, mas uma extensão da sua vida profissional.

Criar um networking é fundamental tanto para o presente quanto para o futuro. E um bom networking pode te ajudar a conquistar jobs também no mesmo lugar.

Não tem como desconsiderar a sua importância diante da atual necessidade e, por isso, não há mais como tratá-lo de forma displicente.

Para te ajudar a entender como se portar de forma profissional e trazer relevância ao seu perfil profissional, acompanhe abaixo as dicas para se destacar na maior rede social para este nicho do mundo.

Além disso, vamos conhecer um pouco mais da sua história e como a aquisição pela Microsoft mudou a forma como o LinkedIn é tratado pelas empresas e pelos usuários.

O início do LinkedIn

Antigamente, montar uma rede de contatos profissionais demandava um trabalho enorme. Não que hoje não seja difícil nos dias atuais, mas necessitaria de muito tempo de empresa, de conhecer bem os concorrentes.

Dizia-se tempos atrás que era uma atividade de formiguinha conhecer outros companheiros de trabalho, dividir experiências e conhecimentos a ponto de ser respeitado e ter as portas abertas em qualquer situação.

Imagina para cinco pessoas que estavam ainda começando sua vida profissional e já estavam imersas no Mountain View, um dos principais centros de desenvolvimento e tecnologia do condado de Santa Clara, na Califórnia.

Em Mountain View estão localizadas grandes sedes de empresas voltadas ao mundo digital, como o AOL, Microsoft, Yahoo!, dentre outros.

Naquele contexto de tecnologia pulsando nas veias de todos os trabalhadores e aficionados, era improvável que não tivesse uma rede online de profissionais que se comunicassem consigo. Mas existia essa barreira sim.

Trabalhando na Yahoo!, os cinco jovens começaram a ficar inquietos e tiveram uma brilhante ideia: começar a desenvolver um aplicativo de conexão entre profissionais formando uma rede de pessoas com os mesmos objetivos profissionais na vida compartilhando suas experiências.

Os rapazes que tiveram a brilhante ideia foram:

  • Reid Johnson;
  • Allen Blue;
  • Jean- Luc Vaillant;
  • Eric Ly;
  • e Konstantin Guericke.

No começo do inverno no hemisfério norte de 2002, eles se reuniram e projetaram aquilo que seria o Linkedin: o maior espaço profissional para criação de networking e de troca de experiência online do mundo.

Com o projeto em mãos, precisavam do apoio de um programador que colocasse no ar o projeto. Eles contrataram Igor Sokolomov, que criou toda a interface que seria lançada em 5 de maio de 2003.

Inicialmente, cerca de 350 pessoas da rede de contatos dos fundadores foram convidados a participar da nova rede social. A participação dentro do LinkedIn só era possível com convite de um usuário já cadastrado nele.

O sucesso foi instantâneo. Em menos de 30 dias, já eram mais de 4500 pessoas conectadas, sendo a maioria de fora dos Estados Unidos. Esse sucesso inicial começou a despertar a atenção de pequenos investidores.

Com a injeção de investimentos na melhoria da interface e novos recursos, o sucesso foi sendo duradouro. Em 12 meses, mais de 1 milhão de usuários conectados.

Desde então, os números só subiram de forma exponencial em usuários e em melhorias dentro da rede social. O LinkedIn resolveu abrir seu capital na bolsa, o que foi um sucesso comparado com o que o Google teve até aquele momento.

Sua aceitação e os números positivos chamaram a atenção da gigante Microsoft, que viu na rede social criada para profissionais uma ótima oportunidade de ampliar seu portfólio de serviços. O ano era 2016.

A compra pela Microsoft

Em movimento que agitou o mercado na metade de 2016, a Microsoft anunciou a compra do LinkedIn pagando cerca de US $196 por ação, totalizando mais de US $26 bilhões.

A principal razão da aquisição foi o fato de a rede social ter números interessantes de público, engajamento e a diversidade de seus produtos. Naquele ano, eram mais de 400 milhões de pessoas cadastradas na rede, com um crescimento anual de 19%.

Outros dados foram determinantes para a compra pela gigante da tecnologia:

  • Mais de 105 milhões de visitantes únicos por mês, sendo 60% pelo aplicativo mobile;
  • 45 bilhões de visualizações mensais;
  • Crescimento de 101% na quantidade de vagas disponíveis dentro da plataforma, com mais de 7 milhões de vagas.

Em números atuais, são mais de 500 milhões de profissionais conectados em todo o globo terrestre que utilizam as soluções do LinkedIn, fazendo com que esteja no TOP 5 das redes sociais em âmbito global.

Criar conta no LinkedIn

No começo de tudo, o acesso era somente a partir do convite de alguém que já estava conectado. Hoje, qualquer pessoa que queira fazer parte pode acessar o site e montar seu perfil.

O passo a passo para criar sua conta não é difícil:

  • Acesse o site linkedin.com;
  • Clique em “Cadastre-se agora”;
  • Coloque um e-mail e um número de telefone para integrar ao contato;
  • Assim que chegar o e-mail para dar sequência ao cadastro, insira as informações de perfil.

Diferentemente do Facebook, em que não é muito recomendado preencher todas as informações, até por questão de segurança, no LinkedIn as informações são importantíssimas para lhe identificar como um perfil real e não um fake.

Por isso, recomendamos que coloque nas informações:

  • Nome, foto e capa de perfil;
  • Cargo e localização;
  • Informações acadêmicas;
  • Histórico profissional;
  • Relação de competências;
  • Sua biografia completa;
  • Interesses profissionais;
  • Conteúdo publicado e desenvolvido, como artigos, estudos, etc.

Com um perfil mais robusto, você será mais notado na rede e poderá criar contatos a nível nacional e internacional com pessoas que tenham os mesmos interesses profissionais e experiências a compartilhar dentro do LinkedIn.

O acesso é gratuito, irrestrito a todos. Há a possibilidade de se destacar dentro da plataforma com a versão Premium, paga mensalmente.

Com ela, seu perfil terá:

  • Ter mais destaque na busca de empregos aparecendo nas primeiras posições;
  • Mostrar mais competências aos recrutadores;
  • Enviar mensagens personalizadas com o recurso do InMail;
  • Verificar como o perfil da pessoa está em comparativo com os demais usuários.

Contatos de 1ª, 2ª e 3ª graus

Ter bons contatos é fundamental em qualquer aspecto da vida. Nas redes sociais, não é nada diferente. Uma boa rede de contatos te ajuda a ser mais influente, a conseguir mais possibilidades, a te ajudar em situações excepcionais, como a procurar um emprego e conseguir uma vaga mais facilmente.

A plataforma busca entender a sua rede de conexões e como elas se desenvolvem. Usando um conceito existente na psicologia humana, ela diferencia os contatos que adquirimos ao longo da nossa caminhada dentro do LinkedIn.

Podemos dividir os relacionamentos adquiridos online em três categorias: conexões de primeiro, segundo e terceiro grau.

Conexões de primeiro grau

São aquelas que têm uma relação direta contigo, sejam conhecidos ou parentes, que te adicionaram na rede ou que você adicionou a partir de um convite e uma mensagem inbox.

Conexões de segundo grau

Fazem parte destas conexões pessoas que estão na rede dos seus contatos. Exemplo: o chefe do seu amigo, o diretor da empresa em que seu pai trabalha, etc. Estas pessoas podem entrar na sua rede a partir do botão “Conectar” ou pelo InMail, caso a pessoa tenha a versão Premium disponível.

Conexões de terceiro grau

Vamos mais longe. Sabe as pessoas que estão na rede dos contatos de segundo grau? Elas compõem os contatos de terceiro grau, com uma sensível mudança na forma em que as pessoas podem lhe encontrar e fazer parte da rede. Ao encontrá-la e constar o nome e sobrenome, é possível se conectar a ela. Mas se tiver apenas o nome, só é possível mandar um InMail, o que necessita assinar o Premium.

Usuário do LinkedIn

É toda a pessoa que está na pesquisa global de contatos, mas que não faz parte de nenhuma das conexões descritas acima.

Use o LinkedIn para se divulgar

Aqui, quero fazer uma pergunta bem objetiva: Como você faz para se divulgar na hora de buscar um emprego? É bem possível que sua resposta seja a padrão: monto um bom currículo, visto uma roupa adequada, falo com postura, etc.

Mas, sabendo disso, porque ainda encontramos pessoas que igualam uma rede profissional como se fosse mais uma, igual ao Facebook e Instagram? Isso acontece porque muitos ainda não entenderam o real objetivo do LinkedIn.

Ainda mais quando temos acesso a dados como estes: segundo uma pesquisa da plataforma Jobvite, especializada em recrutamento digital, cerca de 79% das empresas que estão dentro da rede já contrataram seus funcionários pelo recurso das vagas.

Mesmo assim, há muita gente que não tem uma foto adequada de perfil, usando aquela foto tirada na balada, no churrasco com os amigos e por aí vai.

Não passe esse tipo de vergonha! Além disso, LinkedIn não é lugar para postar futilidades, coisas que não tem nenhuma relação com o âmbito profissional. Pense várias vezes antes de compartilhar o que aconteceu na escola ou na reunião de família na rede social destinada a falar de carreiras.

Essa postura tem tudo para lhe afastar do seu potencial empregador. Ademais, irá trazer uma má percepção aos seus contatos, podendo afastar inclusive de negócios que estejam à vista.

Preste atenção nestas dicas:

  • Poste sempre aquilo relacionado à sua área de trabalho. Mesmo que dê vontade, não emita opiniões políticas;
  • Foto de perfil deve ser sério, mostrar seriedade e profissionalismo;
  • Não pense em falar mal do seu empregador no LinkedIn. Já seria feio em qualquer situação, mas falar na rede torna a sua vergonha maior ainda.

Como atrair seus clientes

Além de se apresentar para as empresas te contratarem, a rede social dos profissionais pode ser uma excelente oportunidade para os empreendedores atraírem novos clientes para seu negócio.

O segredo do sucesso é saber se apresentar. Para tal, é importante tomar alguns cuidados que são simples, porém muitos ainda se descuidam e afastam os potenciais clientes.

Não há uma fórmula mirabolante para trazer um cliente para o seu negócio. Mas alguns caminhos podem ser aplicados no sucesso da sua empresa.

Boa apresentação

Como diz o ditado: “A primeira impressão é a que fica”. Imagina você ir vender soluções em Marketing Digital no LinkedIn e quando o usuário vai visitar o perfil do CEO, ou seja, o seu perfil, ele não encontra nenhuma informação sobre sua empresa, conteúdo relacionado à área em que atua.

É o caminho certo para ele ir embora e você perder aquela oportunidade preciosa. Por isso, leve a sério o seu perfil. Produza uma boa apresentação para ser um cartão postal agradável a quem lhe visita.

Tome cuidado com a foto do seu perfil. Utilize uma imagem que lhe traga mais seriedade e respeito.

Utilize a biografia para apresentar seu histórico profissional e as suas principais informações de modo a fustigar o cliente a querer saber mais sobre sua empresa e as soluções que está vendendo.

Conteúdo relacionado

Se o problema no seu perfil ou na página da sua empresa, o que iremos falar mais para frente, é não ter um conteúdo que tenha relação com a área em que atua, é hora de parar para refletir.

Estamos em um espaço de divulgação de serviços e se desejamos trazer mais clientes e fazer o negócio prosperar, é preciso falar mais sobre o que estamos vendendo.

O que não pode é falar sobre política ao invés de vender seus produtos. Cada local tem sua hora devida para falar. 

Finalmente, preste atenção àquilo que posta no seu perfil pessoal ou corporativo. Muitos negócios já fracassaram porque não conseguiam fazer o filtro correto e misturavam os assuntos. Evite essa dor de cabeça bem incômoda.

Conexões são fundamentais na vida. E o LinkedIn é fundamental para afirmá-las e ter diversos benefícios dentro de um aplicativo só.

Boas vindas

Geralmente, é muito bom ser bem recebido em todos os lugares. Inclusive, ajuda a quebrar o gelo e dar início a uma boa conversa com as pessoas que não conhecem. 

No mundo digital, não é diferente.

Por isso, pense com carinho e monte uma boa mensagem de boas vindas para todas as suas novas conexões. Assim, você dará uma boa impressão a quem está chegando no seu perfil e abrindo a primeira porta. O restante vai depender do que estiver colocado na sua biografia e no conteúdo publicado.

Mesmo com a necessidade de produzir um conteúdo de qualidade, muitas pessoas não sabem exatamente o que fazer para escrever com assertividade e com eficiência.

A solução está na contratação de profissionais que tenham experiência em Storytelling e Copywriting.

Por que usar storytelling no LinkedIn?

Conteúdo profissional é sempre relevante, mas eu não posso mais publicar com as minhas palavras? Pode sim!

Lembre-se: estamos lidando com pessoas. Cada um tem suas experiências, suas formações, histórias de vida. E nos assuntos profissionais, a vivência de cada um pode ser fundamental na tomada de decisões.

Por isso, é sempre bom contar com o serviço de Storytelling. Traduzindo do inglês, é saber dizer a sua própria história de forma didática e dinâmica e que seja capaz de prender a atenção de todos.

O Storytelling sempre foi usado em palestras motivacionais e chegou ao Marketing Digital e nas mídias sociais.

Qualquer história bem contada vale a pena ser lida. Com elas, aprendemos mais e extraímos coisas boas. Porque não usamos isso no LinkedIn?

Exemplo: Conte da sua formas as experiências profissionais que teve, os desafios dentro do ambiente de trabalho, compartilhe as dificuldades encontradas e como conseguiu resolver de forma dinâmica, didática e os resultados obtidos.

Não é ficar se prendendo às suas atribuições profissionais, mas compartilhar a prática do dia a dia, o que faz muita diferença.

Mas não sei expressar isso em palavras e escrever, pode ser o seu questionamento. Neste caso, recorrer aos serviços de um especialista em Storytelling é eficiente e bem mais prático.

As principais vantagens obtidas com o uso de conteúdo baseado em Storytelling são:

  • Construir maior autoridade perante o público;
  • Um conteúdo muito mais direto e com traços de pessoalidade;
  • Sensação de mais empatia com suas conexões;
  • Retenção de pessoas que vão se interessar pelo o que publica.

Olhe os perfis Top Voices do LinkedIn. Além de serem altamente seguidos, possuem um perfil totalmente baseado nas técnicas de Storytelling de forma a aproximá-lo de quem o segue.

Além de usar esta técnica, outro recurso muito utilizado é a do Copywriting, o que iremos falar a partir de agora.

Copywriting para LinkedIn

Além de falar sobre o que viveste, é importante que a sua escrita seja feita usando estratégias para prender a atenção de quem está lendo e o consuma diretamente. Especialmente quando estamos vendendo os nossos produtos.

Não dá para apenas falar sobre como o produto ou serviço funciona, quais são suas funcionalidades e as vantagens que possui de qualquer jeito.

O segredo é fustigar o leitor a se interessar por aquele serviço ou produto e fazê-lo entender que ele deve adquirir o mesmo e resolver os seus problemas.

E usamos esse poder de persuasão através das palavras. Com uma boa redação, o resultado é claro: um conteúdo mais rico, otimizável e capaz de atrair resultados satisfatórios.

Tanto o Storytelling quanto o Copywriting são técnicas poderosas e que devem ser utilizadas simultaneamente e de forma prática com resultados comprovados.

Contratar um Social Media, um profissional especializado e qualificado para produção de conteúdo com as técnicas de Marketing Digital é imprescindível para o sucesso dessa tarefa.

Ele será capaz de estudar todos os detalhes relacionados ao seu produto, estudar e definir a persona ideal na hora de escrever.

Além disso, sua responsabilidade é cuidar das interações e das mensagens recebidas de forma a estimular o contato e desenvolver um relacionamento profissional.

Por fim, os requisitos necessários para escolher o Social Media são:

  • Ter a capacidade de escrever para diversas redes sociais, incluindo o Facebook, Instagram, LinkedIn, entre outros, escrevendo textos diferentes para públicos diversos;
  • Ter toda a especialização através dos cursos realizados em grandes plataformas, como a Rock Content, Udemy, Hubspot.

Dentre as soluções que podem ser oferecidas para personalizar o conteúdo e divulgar com qualidade os serviços prestados, uma boa solução é criar uma página para empresa. Vamos saber as razões para tomar essa decisão.

Por que criar uma Company Page no Linkedin?

O mercado é um ambiente altamente competitivo e demanda necessariamente estratégias para nos diferenciarmos de nossa concorrência. Por isso, o segredo está em aparecer para o mundo em geral.

Como queremos crescer, gerar rendas e ter lucros sem que os nossos clientes não saibam quem somos e o que oferecemos? Para suprir essas demandas, montar uma página para sua empresa pode ser fundamental no contato com o público dentro do LinkedIn.

Sem precisar misturar com o perfil pessoal de seu CEO ou de seus diretores, a montagem de uma Company Page é muito interessante pelo fato de poder produzir um conteúdo diversificado, específico e usando de técnicas apropriadas para vender o seu portfólio.

Para isso, o Marketing Digital vem como grande aliado. Dentro das estratégias, está inclusa a criação de uma página para as empresas nas redes sociais. Isso atende ao que o público espera das empresas.

Mais do que nunca, as grandes marcas que são abraçadas pelos consumidores são empresas que se posicionam diante dos assuntos do nosso cotidiano, que possuem uma visão humanista e mais próxima do cliente e que está antenada a tudo aquilo que se é dito pelos usuários.

Usar a impessoalidade e humanizá-la de tal forma a ser acessível para todos ajuda sensivelmente a imagem da marca e traz respeito e credibilidade. O resultado final pode se traduzir em vendas, o que é o resultado esperado no fim do projeto.

Utilize todas as possibilidades do LinkedIn

Aqui, segue um recado muito importante: mesmo que você monte uma página para sua empresa e contrate um Social Media para gerenciar o conteúdo, não se pode em nenhum momento simplesmente largar tudo e não fazer mais nada.

Não quero aqui dizer que se deve interferir em tudo e atrapalhar o serviço do profissional, impedindo-o de executar as funções e a estratégia definida.

O que deve ser estimulado, até como complemento ao que o Social Media já está fazendo, é utilizar o seu perfil pessoal, que já não está sendo usado como base principal para divulgação da sua empresa, como forma de compartilhar o conteúdo desenvolvido e se integrar com o público da rede social.

Uma boa forma é explorar a participação nos grupos existentes de profissionais com os mesmos interesses, aos quais podemos fazer uma boa interação entre os usuários, divulgar a sua empresa e criar um bom network.

Dentro dos grupos, podemos:

  • Faça comentários nas postagens de quem está no grupo com conteúdo agregador e não para depreciar ou detonar um concorrente;
  • Crie postagens que os convidem a interagir e provocar discussões saudáveis;
  • Finalmente, aproveite para responder às dúvidas que os usuários tiverem, mostrando que você tem conhecimento do assunto.

Não é proibido divulgar o link do seu blog externo e a página da sua empresa, mas saiba usar as palavras certas para que não seja apenas mais um link na multidão, mas uma linkagem feita com qualidade e bem nutrido para resultar em mais acessos e contatos para venda.

Invista também em anúncios para se tornar conhecido entre os contatos de 3º grau e com os usuários do LinkedIn. Funciona de forma muito parecida com o que o Facebook trabalha através do Facebook e Instagram Ads.

Temos duas possibilidades de divulgação:

  • Para investimento de até R$ 15 mil o modelo disponível é o Self-Service, onde dá para fazer o Conteúdo Patrocinado (Sponsored Content), Sponsored InMail (Mensagem Patrocinada) e o Text Ads (Anúncio de texto);
  • Acima dos R $15 mil, o modelo é o das soluções corporativas em que está disponível apenas o Dynamic e o Display Ads, usados nos sites parceiros e que performam automaticamente de acordo com as métricas obtidas.

O que são as Competências no LinkedIn?

Hoje, todos os profissionais querem prosperar em suas carreiras e ganharem muito mais dinheiro. Mas para vencer a fortíssima concorrência, é necessário o profissional se qualificar cada vez mais e se especializar na área em que atua.

Mas não basta apenas se dedicar e despender horas e horas de curso e não mostrar isso aos empregadores. É necessário incluir todo esse esforço no seu currículo.

Pensando bem, o seu perfil no LinkedIn é basicamente o seu currículo para as empresas. Nele, você deve inserir todas as informações profissionais, inclusive os cursos realizados.

Então, a solução é inserir esses aprendizados através do recurso das Competências. É um campo exclusivo para inserir os diplomas adquiridos e robustecer o seu perfil.

O método é simples e fácil de se fazer:

  • No menu superior, clique no ícone com sua foto e clique em editar perfil:
  • Lá para baixo, após as informações de sua formação acadêmica, há o campo das competências;
  • Inclua todos os principais dados: data de conclusão dos seus cursos e especializações, instituição de ensino e a qualificação;
  • Para cada competência adicionada, é só clicar em Salvar e adicionar um de cada.

Outra sugestão é pedir para que seus contatos possam adicionar competências ao seu perfil. Para isso, é só a sua conexão visitar o seu perfil e adicionar a competência que o profissional possui. 

É importante ressaltar que isso pode se traduzir em efeito reverso ao profissional: adicionar competência em que o profissional não possui, pode reverter de forma negativa na hora de seleção do empregador em disputa de vagas de emprego.

Para tentar evitar a banalização deste recurso, o LinkedIn vem desenvolvendo a plataforma de testes específicos sobre as competências para que o usuário possa inserir essa certificação em seu perfil. 

São testes de múltipla escolha e a taxa de aprovação é de 70%. Abaixo disso, o profissional só pode refazer os testes depois de 30 dias. Por enquanto, os textos estão disponíveis em inglês, com previsão de serem disponibilizados em nosso idioma durante o ano de 2021.

A cada competência cadastrada, seu currículo ficará mais forte perante os demais usuários e pode chamar a atenção na hora de concorrer a uma vaga de emprego pela plataforma de empregos LinkedIn. Vamos conhecer um pouco mais sobre este importante serviço da rede social.

Plataforma de empregos LinkedIn

Um recurso altamente vantajoso pelas empresas e pelos candidatos dentro do LinkedIn é a plataforma de empregos. Por ser um espaço onde os profissionais se dedicam a mostrar suas competências e qualidades, tem sido constantemente usado para retenção de talentos.

O dado citado no início do artigo dos 79% das empresas que estão selecionando seus empregados através da plataforma só comprova o quão importante tem sido sua serventia em aproximar empregadores e quem está procurando um emprego.

Sua utilização é simples. Para o candidato, a procura de empregos pode ser feita através destes critérios:

  • Cargo;
  • Localidade;
  • Empresa;
  • Regime de trabalho.

O usuário pode se candidatar de duas formas: a forma expressa, na qual os dados do perfil ou o currículo que pode ser enviado é redirecionado diretamente ao recrutador.

A segunda forma é ser redirecionado pelo empregador para a página externa de captação de talentos da empresa nas empresas especializadas neste ramo, como o Gupy, Vagas.com, etc.

O feedback dado pelas empresas, seja positivo ou negativo, é enviado diretamente ao interessado por e-mail enviado pelo sistema da rede social. A depender dos critérios do empregador, ele pode enviar uma mensagem inbox e dar sequência ao processo seletivo.

Diariamente, milhares de novas vagas são publicadas na plataforma de empregos sendo uma excelente alternativa gratuita tanto para as empresas quanto para os usuários.

Com mais de 690 milhões de usuários pelo mundo, sendo 43 milhões somente em nosso país, sendo o quarto país com mais usuários, o LinkedIn mostra a sua força com apenas 10 anos de presença no Brasil.

É impensável desconsiderar o LinkedIn para ter mais influência e divulgar os seus talentos para o mundo dos negócios. Aproveite para montar o seu perfil e mostre do que você é capaz profissionalmente.

Deixe seu comentário