Falar de Marketing de Conteúdo pode ser a coisa mais fácil do mundo porque é o tema mais falado no mundo do Marketing Digital. A razão para tal afirmação não é simplesmente por falar.

Fazer a melhor divulgação de seu serviço ou produto no mundo digital é primordial para converter em boas vendas em um mercado tão competitivo no qual um conteúdo bem feito pode fazer toda a diferença.

Mais importante do que conhecer toda a parte teórica é saber como usar na prática o marketing de conteúdo. Essa é a nossa missão.

Conheça mais sobre a história desta estratégia eficiente de divulgação, as dicas para executar no dia a dia e como obter sucesso a partir de um texto bem construído.

História do Marketing de Conteúdo

Se pensa que o Marketing de Conteúdo é algo recente e que virou modinha com o desenvolvimento e a importância da internet, seu pensamento é enganoso. A importância vem desde o final do século 19.

Mais precisamente em 1895, com o lançamento da revista “The Furrow”. Talvez você jamais tenha ouvido falar desta revista. Mas ela é o primeiro passo dado para aquilo que consideramos nos dias atuais.

Essa revista foi patrocinada pela John Deere, uma empresa norte-americana de tratores agrícolas, e tratava de assuntos afeitos à agricultura.

O objetivo desta revista era orientar pequenos, médios e grandes fazendeiros a tornarem seus negócios mais lucrativos e não somente como forma de promover os seus produtos.

Até hoje a publicação é rodada mensalmente e apresenta diversos conteúdos voltados ao agro americano e mundial com distribuição para mais de 40 países e mais de 1,5 milhão de leitores.

A iniciativa era totalmente ousada para aquela época, pois nenhuma empresa tinha essa estratégia de produzir conteúdo próprio para o setor e não somente em vender seus próprios produtos.

Leitores que jamais tinham pisado em alguma fazenda ou que nunca ouviram falar sobre este nicho puderam se informar e conhecer mais sobre o mundo da agricultura.

O objetivo inicial deste trabalho e que foi cumprido com total sucesso foi:

  • Educar o público sobre o assunto;
  • Mostrar autoridade;
  • Influenciar o consumidor a tomar a decisão de compra.

Essa iniciativa foi copiada por uma outra empresa cinco anos depois. A Michelin, uma das maiores empresas de produção de pneus do mundo, sediada na França, lançou o seu Guia Michelin.

Voltado para o público em geral, trazia recomendações dos melhores restaurantes do mundo em classificação criada pelos principais críticos especializados.

Até os dias atuais, o Guia Michelin é considerado uma referência para os profissionais da área.

O objetivo era claro: usar o assunto da gastronomia para incentivar as pessoas a saírem com os carros para se dirigirem a estes lugares. O resultado foi imediato: as vendas do guia e de pneus cresceram de forma impressionante.

Outras iniciativas só demonstraram o quanto esse conceito era válido e aceitável:

  • A Jell-O, uma marca de gelatinas sediada nos Estados Unidos, resolveu fazer um guia de receitas para entregar porta a porta pelo condado de Le Roy, no estado de Nova York, em 1904. Dois anos depois, já tinha um faturamento de mais de US$ 1 milhão;
  • A P&G lança um programa de radionovela chamado “soap opera”, ou opera de sabonete, para divulgar um dos seus produtos no ano de 1932, que obteve grande sucesso, inspirando até hoje o nome a cada novela norte-americana;
  • Em 1962, a Nestlé lançou nas embalagens do leite moça, um de seus principais produtos, receitas simples de bolo que fizeram disparar as vendas;
  • A revista Quatro Rodas chega em 1965 cum um poderoso guia de viagens com a mesma base da Guia Michelin;
  • A chegada dos chocolates Surpresa ao Brasil, em 1983, vem com a distribuição de cards personalizáveis, sendo um sucesso de vendas;
  • A Microsoft lançou o primeiro blog corporativo do mundo, o Channel 9, para falar direto com os programadores.

O que podemos ver em todos os exemplos? São empresas que buscam falar de outros assuntos e desenvolver ações para chamar o seu público de forma enfática. Esse é o melhor conceito do Marketing de Conteúdo.

O que é o Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia exclusiva de produção de conteúdo personalizado para engajar o seu público-alvo e atender às necessidades no qual ele precisa.

É além de apenas criar um produto, mas é fazer toda a promoção e distribuição em todos os canais possíveis para gerar alcance e engajamento ao público que já conhece a marca.

Mais que apenas alcançar e gerar engajamento, é preciso que esse conteúdo se converta em vendas. E para isso, a estratégia do Marketing de Conteúdo é fundamental.

Neste processo, os objetivos passam também por:

  • Ajudar a educar o público sobre aquele assunto;
  • Ter autoridade naquilo que se fala, algo fundamental;
  • Influenciar o consumidor para o processo de compra;
  • Desenvolver o pós-venda, de tal modo que seja um excelente embaixador da marca.

Na busca da relevância, é preciso saber o que escrever. Não se pode simplesmente sentar na frente do computador, escolher um assunto que possa ser afeito ao produto no qual estou vendendo.

Dica: essa estratégia não tem relação alguma com assessoria de imprensa e os releases enviados para os veículos de comunicação ou o método de marketing tradicional.

Em resumo, aqui o público não precisa saber totalmente o que a minha empresa faz ou vende, mas saber e propor soluções para os problemas que os clientes precisam resolver.

Esse conceito se moldou ao longo do tempo e veio para o Marketing Digital. Hoje, é imprescindível montar uma estratégia para conquistar o seu cliente no mundo virtual e desconsiderar a parte do conteúdo.

Além das vantagens que citamos acima, outras vantagens que do Marketing de Conteúdo possui são:

  • Aumento da visibilidade na rede mundial de computadores;
  • Você mantém a sua base de contatos;
  • Reduz o custo necessário para atrair os seus clientes.

Como diz o cofundador do Rock Content, Vitor Peçanha, um dos maiores especialistas do mercado, a qualidade de um bom conteúdo não deve ter o objetivo foco de realizar vendas mas sim, de trazer algo positivo e benéfico para aqueles que estão lendo. 

Outra definição que pode ser utilizada é de Joe Pulizzi, fundador do Instituto de Marketing de Conteúdo. Segundo ele, o marketing de conteúdo de trata de ser estratégico para atrair o público algo através de textos e imagens, se tornar referência e somente depois disso vender. 

O que posso usar na estratégia do Marketing de Conteúdo

Para chegar no seu cliente, não se pode chegar apenas de supetão e escrever de qualquer forma e de qualquer jeito. É necessário desenvolver uma estratégia correta e se atentar a todos os passos necessários.

Então, o que devo fazer? Os principais passos a serem desenvolvidos e acompanhados são:

Planejamento

Antes de executar qualquer tipo de serviço, é preciso estudar bem todos os passos necessários e definir muito bem o papel de cada um neste processo e as metas a serem atingidas.

Definição da persona

Você sabe exatamente quem é o seu público? Não? Então é hora de definir rapidamente quem é a persona do seu negócio.

A persona é nada mais do que a personificação do seu público em um perfil só. No processo de definição da persona que representa o seu cliente, deve-se pesquisar o público que consome o seu produto.

Sabendo quem compra, os seus gostos, preferências, necessidades as principais informações básicas como idade, profissão, sexo, entre outros, vai ficar muito mais fácil produzir os conteúdos.

Isso se deve pelo fato de, ao ter todas as informações necessárias, o produtor de conteúdo vai saber direcionar muito bem as palavras para atingir esta pessoa e, por consequência, o seu público.

Criar conteúdo

Essa é uma das partes mais importantes de toda a estratégia de Marketing de Conteúdo. Com as metas definidas e a definição da persona no qual o criador de conteúdo deve se referenciar na hora de escrever, agora é hora da ação!

Existem diversas formas de produzir conteúdo, seja de forma textual ou visual, e que tem destinações específicas. São elas:

  • Blogs

É considerado o guarda-chuva do Marketing de Conteúdo, porque consegue abraçar todas as estratégias de divulgação dentro do Marketing Digital. É um importantíssimo aliado no aumento do tráfego do seu site.

Tudo aquilo que for produzido é exclusivamente da sua empresa e é possível escrever sobre os assuntos que permeiam a empresa de diversas formas e públicos diferentes.

Mas evitemos a empolgação. Além de não ser a única possibilidade, é importante se atentar à questão da qualidade em detrimento da quantidade, evitando ao máximo o excesso de postagens com um texto bem pobre.

Por isso, pesquise bem sobre as pautas a serem feitas, veja o que a concorrência está fazendo e o que não está fazendo, invista em conteúdo que seja rico na solução de problemas do seu cliente final.

  • E-books

Este é um conteúdo especial e que pode ser bem utilizado. O seu principal objetivo é informar com mais especificidade os seus consumidores com um conteúdo mais elaborado e mais específico do que no Blog.

As principais vantagens são a geração de mais autoridade perante o público alvo e mais otimização nos motores de busca na internet.

  • Vídeos

E quem não disse que vídeo pode ser usado como conteúdo relevante? É, para muitas pessoas dentro do seu público-alvo em potencial, a principal referência na tomada de decisão pela compra de um produto.

Como vantagens, estão o fato de serem mais interativos, produzirem uma sensação de intimidade e mais proximidade, além de se evitar uma leitura extensa, o que muitas pessoas preferem evitar.

Mas o cuidado com o conteúdo é mais importante ainda. Pesquisas comprovam que os 8 primeiros segundos de um vídeo são essenciais para prender o espectador.

Fica a dica: pense em um roteiro que seja impactante e tenha conteúdo de qualidade, com o foco de prender a atenção e estimulá-lo a consumir outros conteúdos da sua empresa.

  • Redes Sociais

Não tem nem o que se discutir sobre a importância do Facebook e Instagram para disseminar conteúdo de qualidade e engajar o seu público.

Só no Brasil temos mais de 140 milhões de usuários no Face e mais de 100 milhões só na rede social das fotos.

Falar para estas pessoas merece todo um cuidado. Não se pode ter textos longos e chatos de ler. A dica é usar de textos mais curtos, chamadas mais específicas e imagens ou vídeos que sejam interessantes e atraentes ao leitor.

  • E-mail Marketing

É uma boa estratégia destinada especialmente ao público corporativo e para quem trabalha muito com o e-mail principal, acessando todos os dias. 

Sem abusar das imagens, mas com dicas, ofertas e textos mais diretos, pode ser uma excelente forma de trazer mais autoridade e relevância. 

Dica bem importante: nada de comprar listas de e-mail, sob o risco de trazer mais consequências negativas para a marca. 

Mensurar os resultados

Depois de criar o conteúdo específico para cada canal de comunicação e fazer a distribuição correta, é necessário saber os resultados produzidos.

Para isso, usamos diversas ferramentas que fazem a análise a partir dos parâmetros decididos na hora do planejamento. Algumas métricas que podem ser usadas para medir o sucesso da sua estratégia são:

  • Tráfego para o seu site;
  • Interações com o consumidor;
  • Conversões em vendas ao consumidor final;
  • Entre outros.

Para isso, utilizamos estratégias do Marketing Digital, como o:

  • SEO, voltado para a busca nas pesquisas pelo Google;
  • Storytelling, a capacidade de vender através das próprias palavras;
  • Copywriting, usando de chamadas atraentes e diretas.

Conteúdo para cada público

Apresentamos as principais formas de produção de conteúdo, mas devemos saber também para quem devemos escrever. Sabemos quem é a nossa persona, mas devemos pensar também em qual parte do processo de compra ela está.

Pensar neste aspecto é fundamental, visto que o objetivo final do projeto é traduzir o trabalho em aquisição de novos clientes para o negócio.

Dentro do mundo de vendas, o público é separado em três categorias, dentro do que se chama um funil de vendas, resumido em todo o processo decisório para o cliente comprar um produto ou contratar um serviço.

Dentro desse funil de vendas, é onde o produtor de conteúdo atua e desenvolve as ferramentas necessárias para atingir este público em potencial.

A divisão do fundo de funil em que a produção de conteúdo deve ser feita é:

  • Topo de Funil

Nesta área, está o público que tem uma dúvida e não sabe nem por onde começar a encontrar a solução. É o que chamamos de pessoas leigas, no qual estão em busca de aprendizado e sabedoria.

Não há nem o processo de decisão de compra, e é nesta hora que devemos chamar a atenção dessas pessoas. 

Neste caso, podemos usar os textos em blog, vídeos mais genéricos e até os podcasts, perfeitos para quem não tem muito tempo de ler ou assistir e pode ouvir enquanto realiza uma outra atividade.

  • Meio de Funil

Agora, não estamos mais falando com pessoas leigas. São pessoas que já possuem um conhecimento sobre o assunto e estão em busca de soluções para resolverem seus problemas.

O objetivo é produzir conteúdo que possa despertar a vontade da pessoa em querer saber o que fazer de modo a resolver a sua questão. Um bom blog post ou e-book feito com cuidado é uma excelente ferramenta para atrair este público.

  • Fundo de Funil

Nesse momento, é a decisão mais importante de todo o funil de vendas: a tomada de decisão pela compra.

Não é mais apresentar uma solução, mas é trazer os argumentos necessários para o cliente definir pelo produto que está vendendo.

Por isso, traga todas as informações necessárias de modo a deixar os potenciais compradores com mais segurança na hora de decidir.

Foque nos cases de clientes que já usaram os seus serviços, demonstre o funcionamento dos produtos que está vendendo e os depoimentos que atestam a sua qualidade. 

Com isso, o seu cliente vai se sentir mais seguro para não se arrepender futuramente e concluirá o processo de compra.

  • Remarketing

Conseguimos capturar o cliente, mas não é apenas suficiente. É preciso trabalhar também na retenção dele para que possam comprar novamente ou levar novos clientes em potencial.

Por isso, trabalhar com blog posts é interessante para este público específico com conteúdo suficiente para fidelizar o seu cliente.

Diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo existe desde bem antes da febre do Marketing Digital, se tornando um ativo importantíssimo na consolidação desta estratégia de divulgação de empresas.

Outra estratégia costumeiramente utilizada dentro do Marketing Digital é o Inbound Marketing, voltada para atrair o cliente sem ser invasivo, atraindo aos poucos.

Muita gente acredita que o Marketing de Conteúdo e o Inbound são a mesma coisa. Porém, isso não corresponde à verdade.

A diferença está no fato de que o Inbound é a estratégia em si para convencer o cliente com toda a sutileza sobre as vantagens de ter o meu produto para resolver o problema dele.

Para isso, utilizamos quatro pilares fundamentais:

  • Atração

É utilizar conteúdo capaz de convencer o cliente em potencial e trazer mais visitas para o meu site.

  • Conversão

Não basta apenas a pessoa visitar seu endereço móvel, é necessário que ela seja convertida em venda para sua empresa. Para isso, é fundamental aproximar ele das suas soluções e fazer o processo de conversão em vendas.

  • Venda

É a tomada de decisão em que o usuário acredita que aquilo que você vende é capaz de resolver o seu problema.

  • Encanto

Realizar somente uma venda? Não é vantajoso de modo algum! É importante completar a estratégia de inbound de forma a estabelecer um relacionamento mais duradouro, com um bom atendimento no pós-venda e o suporte necessário.

Entendemos sobre o Inbound Marketing. Mas o Marketing de Conteúdo não é a mesma coisa? Não é.

O Marketing de Conteúdo está dentro da estratégia de Inbound, e não é a mesma coisa. O foco central do Inbound não está apenas no conteúdo, mas em construção um mailing, onde diversas soluções podem ser utilizadas para captação de clientes.

Podemos incluir:

  • Geração de Leads;
  • SEO;
  • Marketing de influência.

O Marketing de Conteúdo é voltado para formar um público fiel e que irá acompanhar o que é produzido, de modo a encontrar soluções para os seus problemas. É um dos braços do Inbound Marketing, e não o próprio. 

Uma das razões para isso é que o processo de implantação é muito parecido. Mas existem outras estratégias para desenvolver o conteúdo.

Por fim, enquanto o Inbound Marketing é todo o processo de atração do cliente, o Marketing de Conteúdo é uma das estratégias utilizadas e que pode gerar resultados financeiros.

Depois de conferir as diferenças, vamos apresentar agora as dicas para usar na prática o Marketing de Conteúdo e trazer os melhores resultados possíveis.

Dicas para usar na prática o Marketing de Conteúdo

A teoria é linda, é maravilhosa. Mas a prática é que exige o desafio de saber muito bem como, quando e o que escrever para o seu público alvo. O primeiro passo é ter uma estratégia definida e as metas estabelecidas.

Depois, foque em criar os canais de comunicação que serão utilizados na estratégia. Dentre eles:

  • Crie páginas corporativas nas principais redes sociais, como o Facebook, Instagram e Youtube. Não desconsidere outras redes nas quais o seu público alvo possa estar, como o ClubHouse, Twitter, Twitch;
  • Escolha uma plataforma de publicação dos blogs post. O mais conhecido e utilizado é o WordPress, que possui inúmeros recursos e finalidades já conhecidos e reconhecidos pelo mercado;
  • Adquira ferramentas de gestão e automação de marketing para gerenciar o e-mail marketing, os templates, landing pages, entre outros conteúdos.

Com as ferramentas criadas, é importante seguir algumas dicas que vão fazer a diferença na hora da produção do conteúdo com excelência.

No Marketing de Conteúdo, o cliente em primeiro lugar

Uma tentação muito comum a quem está começando no mercado é o fato de ficar todo o texto no produto à venda.

Mas essa estratégia tem tudo para dar errado. A razão está justamente no fato do cliente querer resolver somente os seus problemas, e não em ficar lendo uma resenha sobre o produto apenas.

A dica é escrever de forma que o bem seja capaz de resolver o problema do indivíduo.

Não é empurrar algo, mas saber informar corretamente e influenciar positivamente de forma simpática e sincera.

Faça seu texto para estar no Google

Uma pergunta muito rápida: quando você tem dúvida sobre algo, para onde você vai buscar informação? No Google, claro.

Em um mundo cada vez mais competitivo, como se destacar perante a concorrência? É aparecer no lugar certo, na hora certa.

Hoje, o provedor de pesquisas é o principal site do mundo. E onde todos estão conectados.

Produzir um conteúdo que seja rico em informações, indique as soluções que o usuário precisa e contenha todas as regras de otimização do Marketing Digital é meio caminho andado para as primeiras posições.

Foque em responder as dúvidas e apontar as soluções que seu produto dispõe. 

Usar deste expediente ajuda a dar mais credibilidade à sua empresa e dá mais chances do seu usuário se tornar um cliente em potencial.

Use bem as palavras chave

Esse é um dos erros mais comuns no Marketing de Conteúdo. A culpa é a falta de informação adequada para quem escreve ou lê.

As palavras chave, ou aquelas que vão se destacar no seu texto, não podem ser criadas da sua cabeça.

Mas devem vir de um estudo bem conduzido e profundo sobre as possibilidades que podem vir através do seu uso.

Por isso, as técnicas de SEO, ou Engenharia de Otimização de Buscas, são extremamente usadas de modo a saber quais as palavras chave mais usadas e as que podem trazer melhor retorno.

Não desconsidere o SEO na hora da escrita. Com um texto bem construído e o uso adequado das palavras chave definidas, o texto ficará mais rico e vai estar lá nas primeiras posições.

Invista em conteúdo Evergreen

Talvez você leia este termo pela primeira vez e não saiba o que significa.

O conteúdo Evergreen é aquele que pode ser atual em qualquer momento. Ou seja, não importa em qual época o leitor irá consumir o texto, em dias, meses e anos atrás, aquilo continuará atual.

É excelente para as pesquisas no Google porque continua nos primeiros resultados por mais tempo.

Timing de publicação

De tempos em tempos, as necessidades da sociedade se alteram comercialmente.

E os influenciadores são responsáveis por diversas tendências que o mercado acaba abraçando.

Em uma dessas, o seu produto pode atender perfeitamente às demandas do mercado. É nesta hora em que o conteúdo deve estar ativo e em destaque.

Aproveite esse timing para investir em soluções diretas e que tragam o cliente para sua empresa.

Procure saber o que estão procurando

Entender as necessidades, as dificuldades e as expectativas do seu cliente e aliar-se com o produto da empresa é primordial para converter o cliente do interesse para a venda.

Antecipe o que o cliente deseja. Pesquise sobre as principais dúvidas na internet e no Google e escreva de forma a responder essas dúvidas.

Com uma boa resposta, você pode conduzi-lo para a tomada de decisão na jornada de compra.

Produza com constância

Como diz o velho ditado, “quem não é visto, não é notado”. Esse ditado representa totalmente a nossa última dica.

Outro erro que acaba acontecendo durante a execução da estratégia de Marketing de Conteúdo é a falta de um conteúdo constante.

Além de estar presente o tempo todo para os seus clientes, o objetivo final deve estabelecer a permanência da sua marca perante o público. Para isso, utilize todas as ferramentas possíveis.

Mantenha o blog post sempre atualizado, produza para as redes sociais, utilize o e-mail marketing.

Promova a interação com seu consumidor de todas as formas compartilhando o conteúdo em todos os lugares possíveis.

Atente-se a um detalhe importante: não utilize a produção de forma exagerada e com conteúdo irrelevante.

Ao invés de trazer autoridade, pode tornar a empresa mais um perfil de informação contraproducente e que pare de ser seguido pelos usuários.

Cada conteúdo tem seu público específico

É possível escrever da mesma forma de um post em um blog nas redes sociais? Não dá! Ou usar a mesma linguagem do Facebook em um e-book? Pior ainda!

Os clientes não são iguais e cada um tem sua necessidade específica. É sempre bom na hora de definir a sua persona, criar outras personas e escrever de acordo com cada uma delas.

Nunca se esqueça da jornada do cliente

Usar a estratégia do Marketing de Conteúdo exige que o criador de conteúdo tenha foco e comprometimento de modo a evitar que escreva textos que não consigam resolver os problemas dos clientes e tragam problemas para a empresa.

Pensando nisso, não se pode desconsiderar, em nenhuma hipótese, a jornada do cliente na hora da escrita. Cada etapa tem seu formato definido e recomendado.

Escrever para quem está no topo do funil é completamente diferente para quem está no meio e diferente no fundo do funil. Por isso, escreva com planejamento e usando dos métodos corretos.

O Marketing de Conteúdo é indispensável na estratégia do Inbound Marketing e é fundamental para o bom andamento do Marketing Digital nas empresas. Por isso, vemos tantos profissionais da escrita migrando para este nicho do mercado.

A dica é se especializar e entender mais sobre os conceitos aplicados de modo a evitar os problemas na hora da escrita e comprometer todo o planejamento digital do negócio.

Além disso, se atente para utilizar corretamente o SEO e as técnicas de Copywriting e Storytelling e use todos os formatos possíveis, cada um para sua ocasião, atendendo a todos os públicos e gostos.

Deixe seu comentário