Diferente do que muitos analistas acreditam, a Meta Description não determina necessariamente no rankeamento do Google. No entanto, pode ser uma forma de criar um resumo para o leitor que está pesquisando sobre determinado conteúdo. Vale salientar que existem algumas regras de tamanho e usos de palavras chaves em sua estrutura. E é sobre isso que iremos abordar neste artigo.

De forma bastante simplificada, a meta tag description tem como objetivo criar um código em HTML com um breve resumo sobre o que deve ser abordado em determinada página. O tamanho da meta descrição pode ser de até 160 caracteres para que continue sendo visível para o leitor.

É essencial que esteja não somente no momento em que o redator está criando um post blog otimizado para o SEO como também na página inicial do site. Se é um site de marketing digital, por exemplo, pode aproveitar esse espaço para sintetizar o que fazem e os serviços da marca.

Dentre todas informações que estão contidas na SERP (Search Engine Results Page), essa é uma das essenciais que servem como forma de conversão de conteúdo e de leads. O breve resumo, apesar de nem sempre receber as devidas atenções, mostra para o leitor se o que está prestes a clicar realmente é relevante. 

A meta nada mais é que esse pequeno resumo que fica na parte abaixo do título. Ela deve contar com a palavra chave e, de preferência, outros termos secundários.

Por que não deixar ela de lado quando se trata de otimização e SEO?

Ao usar palavras chaves secundárias e criar um resumo bem estruturado, consegue-se converter clientes e atrair mais cliques. Vale salientar, contudo, que nem sempre o resumo que você cria é o que será selecionado pelo Google: muitas vezes, o logaritmo tende a pegar trechos do próprio artigo que ele mesmo considera relevante para o leitor.

Não está entre todas as estratégias, mas acaba sendo bastante recomendada pelo SemRush. Inclusive, a plataforma ainda pede que os seus usuários evitem o uso de metas duplicadas porque elas podem prejudicar na compreensão do usuário e dificultam o uso de palavras chaves secundárias referentes ao tema que está sendo abordado na página – texto.

A Meta Description deve estar no dia a dia de quem trabalha com o marketing de conteúdo e de profissionais que são analistas de SEO porque não se deve pensar somente no rankeamento como também na forma como o persona pensa e imagina a página antes mesmo de clicar sobre ela. Esse pequeno texto, que durante muito tempo foi ignorado, pode dizer se o domínio terá a capacidade de cumprir com os objetivos propostos inicialmente.

Suas técnicas devem ser aplicadas exclusivamente para o On Page e acaba aparecendo em vários casos diferentes:

Redes sociais

É algo bastante comum de se notar quando se está usando o Facebook e algum portal jornalístico compartilha alguma matéria: abaixo do título sempre tem um pequeno resumo. O mesmo vale ao compartilhar algum link através do Whatsapp.

Esse pequeno resumo tem como principal objetivo mostrar ao leitor o que deve ser tratado no artigo. Deste modo, ele clica somente se for interessante. Por isso, até mesmo em uma matéria, que não seja evergreen, é interessante fazer o uso de técnicas de copywriting. O storytelling pode ser aplicado dentro dos textos, no entanto, pela falta de espaço devido à limitação de caracteres, não é tão recomendado.

Nos resultados de busca, principalmente

A Meta Description é mais comum neste caso porque aparece logo abaixo dos resultados da página no Google. Com um breve resumo sobre o que deve ser tratado, tem a capacidade de aumentar a capacidade de cliques de clientes em potencial.

Em alguns casos, como foi dito anteriormente, o próprio Google pode fazer a troca do texto que foi informado para outro que possa ser mais interessante para o usuário. Ou seja que tenha a palavra chave que ele está procurando, veja abaixo um exemplo:

Supondo que a meta seja: “Você sabe o que é marketing digital e como aplicar algumas de suas técnicas para pequenas e médias empresas? Clique e saiba mais!” 

O usuário que pesquisar O QUE É MARKETING DIGITAL provavelmente irá ver a mesma meta. No entanto, se o usuário pesquisar “COMO FUNCIONA O MARKETING DIGITAL” e tiver algum trecho no site que aborde essa palavra, fará um breve resumo na parte em que fala sobre.

Isso não quer dizer que a sua meta esteja ruim: é algo natural e realizado pelo algoritmo para melhorar a experiência do usuário. Contudo, caso queira impedir que isso aconteça, existe a alternativa de usar palavras chaves secundárias de relevância no resumo.

Essa pesquisa de palavra chave pode ser realizada em portais específicos, tais como o Trends, que é totalmente gratuito e bastante utilizado por jornalistas. Outra alternativa é o Semrush, que tem tanto a versão gratuita quanto a paga. Neste, pode-se fazer uma pesquisa inclusive de concorrentes e volume de pesquisas para entender o que fazer para os alcançar.

Dicas práticas de como fazer uma Meta description otimizada para SEO

Existem algumas dicas práticas que podem ser aplicadas no momento de criar uma descrição para a página ou artigo. O primeiro passo é entender sobre o que está tentando ser dito: é uma empresa oferecendo serviços? Trata-se de uma estratégia de marketing de conteúdo? É uma página de serviço ou de produto? Quais são as outras palavras chaves de relevância que podem ser utilizadas?

1. Objetividade em foco

Mesmo que tenha um post enorme, o seu espaço sempre será o mesmo: o máximo de 160 caracteres. Por isso, ser objetivo e usar ao menos duas palavras chaves, uma primária e outra secundária, é mais que essencial. Devido a isso, muitos agentes de publicidade e analistas argumentam que literalmente não se trata de um espaço para o story.

Esse resumo deve deixar claro sobre o que deve ser tratado no texto e, deste modo, aguçar a curiosidade de quem está lendo.

2. Erros gramaticais

No marketing de conteúdo, existe, em partes, o “a impressão é sempre a primeira que fica”. Neste caso, colocar uma meta com erros gramaticais e falta de revisão em um conteúdo institucional que deveria ser informativo – seja evergreen ou não – pode ser muito perigoso. O usuário pode pensar, antes mesmo de clicar: “se tem erro de português então não devem ser tão profissionais desta forma”. Isso é mais comum do que parece.

Apesar da internet ser bastante flexível, ela ainda deve contar com a linguagem formal. Deste modo, evite ao máximo usar termos como palavrões ou gírias.

3. Urgência ou outro tipo de gatilho mental

Os gatilhos mentais e as chamadas para ação, também conhecidas como CTAs, fazem toda a diferença no mundo do copywriting. Neste caso, é indicado usar termos que incentivem o clique como: saiba mais, clique agora, descubra aqui.

Associado a isso, caso tenha uma loja virtual, pode usar termos que os clientes “gostariam de ver” como a possibilidade de parcelar em 12 vezes sem juros e de comprar antes que os estoques acabem:

  • Parcele em até 12 vezes sem juros
  • Corra antes que os estoques acabem
  • Isso vai mudar a sua vida
  • Últimas peças de (X)

4. Palavra chave, por favor (e tente ir além)

O Google tende a mostrar a parte da meta que tenha mais relação com a palavra chave em que o usuário esteve pesquisando. Deste modo, ao usar a palavra chave no seu resumo, apesar de não ser garantido, tem mais chances de fazer com que ele apareça.

E, além disso, faça uma pesquisa para descobrir quais são as palavras chaves secundárias que podem ser inseridas na meta para deixar o resumo ainda mais otimizado. Por exemplo, se a Keyword for “Marketing Digital”, teria como fazer um resumo com “cursos de marketing digital” para otimizar para ambas. 

Um artigo da Visão Confiável sobre como resolver conexão não particular teve a meta à mostra porquê fez o uso da palavra chave. E, como pode ver, ainda tem em seu resumo a palavra secundária “como resolver”.

5. Faça uma pergunta

Fazer uma pergunta envolve não somente o uso da palavra chave como das secundárias, de palavras de cauda longa e mais específicas. Por isso, no seu resumo tente abordar tópicos sobre:

  • O que é
  • Quanto custa
  • Como criar
  • Qual o preço
  • Como fazer
  • Passo a passo

Por exemplo, em vez de usar a palavra Meta Description, apenas procure por O que é Meta Description ou Como Criar uma Meta Description.

O que evitar no momento de construir uma Meta description e que pode interferir nos seus resultados?

Além de dicas sobre o que deve ser feito no momento de criar um resumo para o texto na Web, também se deve atentar ao que evitar. Existem vários deles, no entanto, alguns podem ser mais prejudiciais para o rankeamento.

Um dos principais é utilizar a mesma meta em várias páginas diferentes. Isso pode mostrar para o Google que se trata de um conteúdo que foi duplicado. E, deste modo, o logaritmo irá priorizar apenas uma das páginas no rankeamento, o que pode acabar prejudicando toda a estratégia de conteúdo e SEO.

Uma das consequências de ter a mesma meta em vários textos ou páginas é a perda de cliques e acessos que podem chegar a penalidades na reputação do domínio.

Felizmente, o Google Search Console auxilia os donos de sites, independente do tipo e do porte, a identificar quais são as páginas que estão enfrentando esse tipo de problema para que haja a correção.

Algumas empresas também costumam optar pela automatização. Contudo, vale salientar que nem sempre ela é positiva porque pode acabar criando metas duplicadas, ocasionando no mesmo problema que já foi citado anteriormente.

E, por fim, pode-se citar a falta de um meio termo. Criar uma meta curta demais pode deixar a desejar pela falta de informações. Mas, quando está longa, acaba não informando – em alguns casos – o que o usuário deseja saber e é cortado pela metade.

O plugin do Yoast Seo auxilia a determinar o tamanho. Caso tenha alguma dificuldade sobre como usar o plugin, pode usar o contador do DOCS.

Além do plugin do Yoast SEO: conheça o Ahrefs

O Ahrefs, Ahrefs’ Site Audit, auxilia a criar uma completa auditoria para o site. Deste modo, consegue-se descobrir quais são os pontos positivos do portal e até mesmo o que deve ser otimizado porque pode estar atrapalhando a experiência do usuário, como o carregamento lento, páginas não ranqueadas e metas duplicadas. Por isso, no momento de montar uma estratégia de conteúdo, vale a pena conhecer.

No marketing de conteúdo existem técnicas complexas, recheadas de análises de dados e otimização de palavras chaves. E é exatamente por isso que o uso de ferramentas como o Ahrefs’ Site Audit, SEMRUSH, TRENDS e outras são tão recomendadas.

15 exemplos de meta description

  1. O analista de SEO é responsável por criar toda a estratégia On e Off da empresa no meio digital, construindo backlinks saudáveis. Saiba mais!
  2. A Visão Confiável trabalha com textos de redação e revisão para a WEB. Surgimos no ano de 2017 e somos referência em marketing de conteúdo.
  3. A Meta description se trata de um breve resumo sobre o que deve ser abordado na respectiva página. Clique e saiba como fazer passo a passo.
  4. Existem técnicas inovadoras que podem auxiliar o Social Media em seu trabalho com redes sociais. Clique aqui agora e saiba quais são.
  5. O Linkedin é uma alternativa para quem está em busca de emprego. No entanto, algumas práticas devem ser seguidas para um bom currículo. Saiba!
  6. O Google Trends acaba sendo a ferramenta essencial para o marketing de conteúdo. Clique aqui e saiba usar todas as ferramentas.
  7. Você sabe o que é do que se trata o marketing de afiliados? Diferente do que muita gente pensa, ele não é uma pirâmide. Saiba mais aqui!
  8. O conteúdo evergreen é aquele que pode nutrir o usuário por mais tempo. Diferente do que acontece com as notícias. Veja suas características.
  9. Aprenda aqui com a gente 15 recomendações de curso de marketing digital. Eles com certeza farão total diferença em seu currículo.
  10. O SEO se trata de criar técnicas para rankear no Google. Mas, para um bom desempenho, é importante investir tanto em On quanto em OFF. Saiba mais aqui.
  11. Você sabe como fazer marketing para o Linkedin sobre o próprio perfil? Neste artigo, iremos te ensinar o passo a passo prático e barato.
  12. Está em busca de uma agência de marketing digital para pequenas empresas mas não sabe onde contratar? A Visão Confiável pode te ajudar.
  13. Como fazer uma conclusão para redação? Bem, essa pergunta é bastante comum e deve levar em conta alguns pontos para ser respondida.
  14. Você sabe sobre o que se trata o marketing de afiliados e como ele funciona na prática? Neste artigo, separamos algumas dicas básicas!
  15. Está em busca de uma agência de marketing digital? Então, corra que está no lugar certo. Aqui com a gente, pequenas empresas têm OFF!

+ 5 exemplos extras

  1. O SEO On Page e o OFF Page são essenciais para o bom desempenho no rankeamento do Google. Mas, como aplicar na prática? Saiba mais aqui!
  2. O administrador de banco de dados é responsável por analisar os dados e bancos dos clientes. É possível contratar um freelancer, saiba mais!
  3. Está querendo contratar um administrador de banco de dados? Então, a Visão Confiável pode te ajudar através de consultorias. Saiba mais.
  4. Quais os melhores cursos de marketing de afiliados para começar a vender muito? Neste artigo, separamos algumas dicas para te ajudar.
  5. Você sabe quais são as diferenças de um bando de dados relacional para um não relacional? Neste artigo, falamos brevemente sobre.

Conclusões

Como foi possível ver neste artigo, existem algumas regras para criar uma Meta Description otimizada para o seu portal online, seja ele um site institucional, loja virtual ou blog. Mas, vale salientar um aspecto importante: nem sempre esse breve resumo que for criado será o texto selecionado pelo Google.

Muitas vezes, o mecanismos de buscas seleciona uma parte da página ou do artigo que mais se adequem ao que o usuário está procurando para que as taxas de cliques sejam maiores.

No momento de criar esse pequeno texto, que deve ter até 160 caracteres, pode-se fazer o uso de copywriting que serve para criar gatilhos mentais e incentivar o clique. Inclusive, pode usar números que incentivem a curiosidade de quem ou do grupo que está lendo.

No entanto, vale ressaltar que é muito importante tomar cuidado em relação ao storytelling. Improvável que consiga contar uma história – ou começar – através deste espaço tão pequeno. Por isso, deixe ele para um espaço que permita isso, que com toda a certeza não se trata da descrição HTML.

E então, tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Comente aqui com a Visão Confiável para que possamos te ajudar. Não esqueça de vir conhecer mais sobre marketing digital e de conteúdo em nosso blog.

A Visão Confiável surgiu durante o ano de 2017 com o portal Rabisco da História. Desde o início, os serviços eram voltados para a redação. No entanto, totalmente voltados para o âmbito social. Foi somente depois que começaram a serem pagos, voltados para o crescimento de pequenas e médias empresas. 

Deixe seu comentário