Nômade digital: o que é, profissões e dicas para começar

O nômade digital é aquele profissional que trabalha em casa, online, e geralmente possui a própria empresa (um MEI ou EI). O mercado está cada vez mais flexível e está permitindo que várias profissões migrem para esse meio, inclusive as mais tradicionais como os professores e advogados. 

Geralmente, é comum que as pessoas entendam como digitais todos os serviços que tenham a ver com o marketing (social media, redação, criação de sites e muitos outros). Contudo, não é bem assim!

Neste artigo, iremos te ensinar como trabalhar como nômade digital, dicas para atuar e ter uma rotina saudável e também algumas profissões que estão aceitando. 

E então, quer saber mais sobre o assunto? Basta continuar a leitura conosco para saber mais sobre o assunto!

O que é nômade digital?

Em suma, podemos definir o nômade digital como a pessoa que tem dois objetivos, sendo o primeiro deles se sustentar através dos meios online e o outro como ter algo para fazer ou renda extra. 

Quando se há poucos projetos ou não se sabe como começar, é comum que os especialistas começam como freelancers para ter uma renda extra. Mas, depois que conseguem mais clientes e uma vida estável através destes projetos, migra-se para a profissão por completo. 

Na história, entendemos como nômades as pessoas que vivem viajando para vários locais e como sedentários aqueles que se fixam, como CLT, por exemplo. 

A pessoa que vive viajando, sempre está conhecendo outros clientes e novos projetos que podem enriquecer seu aprendizado. E, dessa forma, não ficam sempre realizando a mesma tarefa. 

É preciso dizer que o mercado é bastante flexível e nós também devemos ser.  Um redator que domina as codificações de SEO pode conseguir mais projetos justamente por essa flexibilidade, por exemplo.

Mas, diferente do que se imagina, trabalhar na área não é uma tarefa fácil e exige compromisso e esforços que não são todos que estão disponíveis para ter. 

Existem algumas características em comum que todos precisam ter: internet de qualidade e boa infraestrutura para trabalhar. Contudo, pode ficar tranquilo que iremos falar sobre o assunto em breve!

Como é feito o trabalho?

O trabalho envolve várias plataformas digitais que são escolhidas pelo profissional para auxiliar no trabalho. 

Por exemplo, alguém que trabalha com otimização em SEO, pode usar o SEMRUSH e até mesmo o Trello para determinar os prazos e o que fazer a cada dia. Já para redatores, o Word do Office e o DOCS do Google são ferramentas conhecidas. Alguém que faz chamadas de vídeo e audiências com dicas, costuma usar o Skype e até mesmo o Zoom. 

Já o professor, que está cada vez mais no meio digital, pode usar o TEAMS e até mesmo a plataforma da escola para se comunicar com o aluno! 

Neste caso, pode haver de tudo, menos a limitação!

As ferramentas utilizadas variam de acordo com o seu tipo de serviço e, dessa forma, é necessário se especializar e saber o básico sobre elas. 

Apesar disso, uma coisa é fato: você vai precisar de internet fixa e um computador potente!

Não se trabalha em qualquer lugar!

Vale ressaltar que trabalhar como nômade digital envolve uma série de investimentos. Não adianta querer trabalhar criando sites se você não tem um computador: é quase impossível fazer um bom serviço através do celular. O mesmo vale para as outras profissões. Além de que, ter um desktop, PC ou notebook ajuda a agilizar todo o processo. 

Além disso, não se pode trabalhar em todo lugar. 

Tem muita gente que diz que basta ter um computador e internet, que não importa o local. Mas não é bem assim!

É importante que o profissional conte com um ambiente limpo, com boa higiene e sem barulho incomodando a concentração. 

Alguns ainda costumam tirar um cômodo da sala para que possam trabalhar e ter um escritório. 

Portanto, invista também em uma escrivaninha (nada de trabalhar na cama!) e um local adequado. 

Em alguns locais, algumas pessoas costumam se reunir para trabalhar em cafés e em bibliotecas. Essa pode ser uma ótima alternativa caso não se sinta confortável dentro da sua residência. 

Vantagens de ser um nômade digital

Existem algumas vantagens de ser um nômade digital. A primeira dela é em relação ao tempo flexível

  • Precisa ir ao hospital por causa de uma emergência? Ou tem que ir fazer compras? Basta fechar o computador e continuar depois porque você não tem um chefe que determina seu horário de trabalho. 

É possível trabalhar em qualquer local, contanto que o profissional tenha acesso à internet. Mas, como já dissemos, ter um ambiente saudável faz toda a diferença.

Faça o seu cronograma com os horários de trabalho da semana. Uma dica é fazer o uso do Trello e, dessa forma, você garante que não vai atrasar nenhum dos projetos. 

Outro ponto, que é consequência da possibilidade de ter uma vida livre, é mais qualidade de vida. Isso porque o freelancer pode almoçar dentro da própria casa, comer alimentos saudáveis, dormir mais e ficar perto da família. 

  • Ao trabalhar online e com o conforto da própria casa, a produtividade aumenta e é possível que você ganhe mais.  Algumas pessoas costumam até mesmo se mudar para que consigam mais economia e qualidade de vida. 

Quais são as dificuldades?

Trabalhar como nômade digital também tem algumas dificuldades. E, dessa forma, nada se torna um mar de rosas do dia para a noite. 

Existem pontos negativos que podem causar problemas financeiros caso o profissional não tenha a organização necessária. 

Veja, abaixo, alguns pontos que separamos e que você deve tomar os devidos cuidados:

1. Dificuldade em conseguir emprego

Esse é um ponto destacado entre as pessoas que estão começando e que não fazem ideia de como montar um portfólio. E, além disso, não possuem nenhuma recomendação. 

O mercado está saturado, não há como ocultar isso. 

Portanto, é necessário, na maioria das vezes, ter experiência ou recomendações. Ou então, contar com a sorte para chamar a atenção de alguma forma. 

Em plataformas de freelancers, como a 99Freelas, para um projeto é possível encontrar mais de 100 propostas. E o cliente deve contratar apenas uma pessoa. 

E então, o que está fazendo para ele olhar para o seu perfil? Preços mais baixos? Portfólio atraente? Resultados otimizados? Recomendações? 

2. Vida instável e alterações com frequência

Quem trabalha como nômade digital sabe de uma coisa: nem sempre terá projetos e a qualquer momento pode ficar um ou mais meses parado. 

Por isso, é necessário que conte sempre com uma reserva financeira para qualquer crise no mercado. 

Uma dica para resolver essa questão é investir na fidelização de clientes. Ou seja, aqueles que sempre irão recorrer ao seu perfil quando precisarem do seu serviço e realmente estão dispostos a pagar mais se for necessário. 

A fidelização é um dos pontos chave para quem trabalha neste ramo. E, é claro: invista nisso.

  • Faça promoções de pacotes de serviços;
  • Se compromete com a qualidade do atendimento;
  • Tenha mais de uma forma de pagamento (Pix, boletos, Whatsapp Pay, transferências, PayPal);
  • Mostre que pode trazer resultados.

Para trabalhar em casa com Home Office, tenha em mente que é preciso ser flexível e adaptável às mudanças. O que fazer quando não tem projetos? Arrume! Pense em um projeto seu, mesmo que não seja monetizado de início. 

Por exemplo, quem trabalha com a redação, ao não encontrar projetos, pode focar em criar textos e ter um blog próprio. Assim sendo, será possível monetizar quando ele tiver mais acesso. 

3. Dificuldade em manter amizade

É necessário saber quando é a hora de se relacionar com as pessoas e de manter a amizade. Mas, o nômade digital sente dificuldades nesses aspectos porque muitas vezes tem que trabalhar demais e não dá a devida atenção para a família e amigos. 

Portanto, é por isso que dizemos sobre a importância de, apesar de trabalhar em casa e não ter horários, montar um cronograma com o tempo de trabalho com “entrada e saída”. 

Não deixe de sair com amigos, parceiros e até mesmo família porque eles também são importantes para a saúde mental e a saúde mental é importante para a sua produção. 

A saúde mental é importante. Então, se ver que ela está sendo afetada, pense em formas de mudar, tente sair com amigos, tirar uma folga e, se mesmo assim não se resolver, tente ir atrás de um médico (psicólogo ou psiquiatra). 

Como ser um nômade digital?

Como ser um nômade digital não é uma das tarefas mais fáceis. Entretanto, não é por isso que você deve desistir. 

Neste artigo, separamos algumas dicas cruciais para quem está pensando em começar e não faz ideia de como fazer isso. Portanto, continue a leitura conosco para saber mais sobre!

1. Defina o que gosta de fazer

Não adianta esperar trabalhar e ganhar muito dinheiro com a Internet quando não se tem ideia do que gosta de fazer e quais são os seus dons. 

Por isso, tire um dia e pense: com o que eu gosto de trabalhar?

Somente depois disso é o momento de criar estratégias eficazes para que você consiga adquirir projetos. 

Depois de definir o que vai fazer e quais são os preços que deve cobrar, responda se realmente o valor está de acordo com sua formação e necessidades. 

2. Cursos

Agora é o momento de se profissionalizar e mostrar isso para os seus clientes. 

Portanto, pesquise quais são os cursos de referência na área que pretende atuar. E, depois disso, comece a estudar. 

Uma dica é publicar as suas certificações através do Linkedin. Assim sendo, as suas conexões poderão ver que está se atualizando a todos os momentos e as portas de alternativas começam a se abrir. 

Você pode compartilhar tanto o PDF quanto apenas os adicionar em seu currículo. 

3. Encontrando clientes

Agora, finalmente, é o momento de ir atrás dos seus clientes! Para isso, faça o uso de algumas plataformas chaves para divulgação dos serviços, tais como: 

  • Redes sociais: Use as hashtags corretamente e tenha uma página para a sua marca nos grandes meios de comunicação como o Facebook, Instagram e Linkedin. O TikTok vem sendo uma alternativa que está em constante crescimento.
  • Blog: Ter um site com um blog garante que você será visto no Google por pessoas de todo o Brasil e até mesmo em escala internacional, então, aplique as técnicas de SEO e faça um projeto responsivo para ser visto por clientes em potencial;
  • Plataformas freelancers: É através delas que podemos encontrar uma grande quantidade de clientes que publicam projetos. Basta mandar a sua proposta com valor e prazo que ele irá analisar o seu perfil e, caso se encaixar no que procuram, será escolhido. Uma das plataformas mais conhecidas é a Workana. 

4. Emitindo notas fiscais

Quando você está fazendo algum trabalho para empresas, geralmente elas pedem para que haja a emissão de notas fiscais. 

Dessa forma, é necessário que você tenha um MEI (microempreendedor individual) ou EI (empreendedor individual). Essas são as duas formas de tributação mais comuns, mas quais são as diferenças?

  • MEI: O microempreendedor individual pode ter o faturamento máximo de até R$ 81 mil e deve realizar o pagamento do DAS todos os meses para contribuir com os impostos e INSS. Ele pode fazer a contratação de apenas um funcionário que recebe até um salário mínimo.  É uma categoria focada em trabalhos manuais. 
  • EI: O empreendedor individual não tem limite máximo ou mínimo de faturamento. É uma categoria voltada para quem realiza serviços intelectuais como um médico, advogado ou até mesmo programador de sistemas. 

Existem outras formas de tributação mas que são menos comuns para nômades digitais, como o ME (faturamento entre R$ 81 mil a R$ 360 mil) e também o EPP (faturamento de até R$ 4,8 milhões).

 

5. Criando prazos e cronogramas

Quando se trabalha como nômade digital e não se vive fixo, pode ser difícil cumprir com prazos. 

Portanto, crie uma planilha com todos os seus dias de entrega para não deixar nada atrasar. E, se isso acontecer, não se esqueça de alertar o seu cliente sobre o motivo do atraso e informar um novo prazo que não irá prejudicar o outro lado (até porque, ele estava contando com você!). 

Caso tenha imprevistos e não consiga realizar determinado trabalho, informe o seu cliente sobre isso e deixe tudo claro. Não tenha atitudes imaturas e sem profissionalismo de bloquear ou de dar vácuo e não responder mais. 

Uma das plataformas mais recomendadas para quem deseja organizar os prazos é o Trello porque ele permite adicionar cartões, prazos e até mesmo descrições de projetos. Ele é bastante interativo e divertido. 

Profissões para atuar como nômade digital

Além de aprender mais sobre como se tornar um nômade digital e quais as vantagens / dificuldades, também temos que descobrir quais são as profissões que estão abrangendo uma maior quantidade de profissionais nesta área. 

Então, continue a leitura conosco para saber mais sobre o assunto porque separamos várias delas!

1. Professor

É cada vez mais comum que faculdades ofereçam cursos EAD, seja para graduação ou profissionalização.  Consequentemente, o profissional pode também trabalhar da própria casa. 

Já se foi o tempo em que professores atuavam somente dentro de sala de aula. Agora, eles podem dar aulas particulares, trabalhar para instituições EAD, trabalhar com dicas em blog (monetizando com ADS) e até mesmo gravando aulas para o Youtube!

O mercado está cada vez mais flexível, inclusive para esse tipo de profissional. Não importa o nicho: desde história até matemática!

2. Produtor de conteúdo

O produtor de conteúdo também é bastante conhecido como redator. Eles produzem desde e-mail marketing para empresas quanto textos para os blogs dos clientes. 

Para começar a atuar na área, é necessário ter conhecimento em nichos específicos que irão otimizar o seu trabalho: 

O funil de vendas determina todas as etapas na qual passa o cliente do seu persona. E, a produção de conteúdo também varia de qual etapa está o leitor: topo, fundo ou meio. 

O topo de funil é recomendado apenas para artigos que tiram dúvidas do leitor, sem usar a marca como solução direta para os problemas.  O meio e fundo se trata de fazer com que o leitor veja a marca como solução do que está procurando. Ou seja, há a recomendação direta e indireta dos serviços. 

3. Programador, desenvolvedor e administrador de banco de dados

Tanto programador quanto desenvolvedor e administrador de banco de dados, por trabalharem com computadores, podem atuar dentro da própria casa, trabalhando ou não para uma empresa fixa. 

Em alguns casos, as empresas chegam a contratar um especialista como CLT e ele pode trabalhar do outro lado do Brasil!

Para encontrar vagas na sua área, pode procurar no Google como “Vagas de emprego (profissão) Home Office” e verá que  tem uma enorme gama de opções. 

4. Investidor

O investidor deve conhecer o básico sobre ações, criptomoedas e até mesmo a renda fixa. 

 Neste caso, é preciso dizer que o profissional deve contar com um valor inicial para investir e que não deve se limitar somente à renda fixa (visto que o rendimento é muito baixo para se manter). 

Para começar a atuar na área, se mantenha atualizado em grandes portais de comunicação que publicam notícias sobre os seus investimentos. Logo, saberá exatamente qual é a hora de comprar e vender. 

O investidor deve tomar cuidado visto que os bens que possui, em questão monetária, podem correr riscos a cada passo em falso. 

  • Uma dica da Visão Confiável: existem famosos que costumam influenciar o mercado de investimentos. Um exemplo disso é o Elon Musk que se manifestou sobre o Bitcoin e fez o preço cair mais de 20% assim como também foi o responsável por fazer o pico da moeda chegar em R$ 360 mil. Esteja sempre seguindo essas pessoas nas redes sociais para saber sobre tudo o que está acontecendo. 

5. Tradutor

O tradutor também pode trabalhar como nômade digital. Ele deve ter conhecimentos fluentes em outra língua para conseguir projetos com mais frequência. 

Neste caso, nada de usar o Google Tradutor, viu? Ele geralmente ignora que existem figuras de linguagem (metáfora, eufemismo e outras). E, dessa forma, a tradução pode sair errada. 

Domine também a língua informal e as gírias da língua. Por exemplo, supondo que irá traduzir um e-book em que houve a morte de um personagem enquanto outro diz “Im blue!”.O contexto é estranho para dizer que está azul, certo? O Google traduz como “Eu estou azul”, mas a tradução de BLUE pode significar TRISTE. 

6. Social media

O Social Media é responsável por criar publicações para as redes sociais que envolvem as imagens e legendas. 

Além disso, é esse o profissional responsável por administrar o contato com os clientes nestas plataformas e, claro, interagir com eles.  O social media está cada vez mais procurado justamente porque consegue fazer a empresa crescer através do Facebook, Instagram e até mesmo Tiktok.  

7. Advogado

Você sabia que o advogado pode ganhar dinheiro dando palestras e até mesmo recebendo clientes através de chamadas de vídeo? Essas são as famosas consultorias!

O advogado pode se profissionalizar em determinada área e dar aulas no Youtube sobre o assunto, administrar blogs e muito mais!

O que vimos até aqui sobre nômade digital? 

Você já conseguiu aprender bastante sobre o nômade digital, certo? Mas, em síntese, o que vimos até o momento? 

  • A carreira de nômade digital não é fácil, apesar de trazer mais qualidade de vida para o especialista. Tome todos os cuidados com os prazos e realização das tarefas. 
  • Muitas profissões estão migrando para o meio online e, dessa forma, conseguem ganhar dinheiro trabalhando da própria casa. E isso também inclui as profissões mais tradicionais como professores e advogados. 
  • Para começar a atuar na área, é necessário saber como vender o próprio peixe e, claro, divulgar os serviços através das redes sociais, blogs e até mesmo, se achar necessário, por portais jornalísticos. 

E então, tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Comente aqui com a gente sobre o que achou e se você também é um nômade digital!

Não esqueça de nos acompanhar para ficar por dentro de todas as publicações de nosso blog. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *