O plano de marketing precisa estar em desenvolvimento como se fosse um guia para alcançar os objetivos principais da empresa. Ele é um norte para auxiliar o crescimento do negócio, portanto, ele tem uma importância extremamente relevante.

Durante o dia a dia do trabalho, a elaboração do plano precisa ser feita com toda a equipe, para alinhar o que precisa ser feito. Sendo assim, discutir as possíveis ações de plano de marketing que serão feitas é o primeiro passo, para então colocar em prática.

Para quem está começando um novo negócio agora, e ainda quer descobrir como fazer para ele crescer, precisa entender o processo. O marketing digital não dá resultados sozinho e nem feito de qualquer maneira.

A criação de um plano de marketing faz sentido tanto para quem trabalha por conta própria, como para quem faz parte de uma equipe. O documento ajuda a direcionar as estratégias, para obter os resultados desejados.

Ao avaliar dados e realizar análises, o plano de marketing consegue documentar os principais objetivos de uma empresa. Além disso, mostra o caminho a percorrer, para alcançá-los, como se fosse um mapa.

Mas para isso, é preciso tirar as ideias do papel e começar a colocar em prática. Sendo assim, para entender melhor como o processo de criar um plano de marketing funciona, continue lendo.

Neste artigo você verá sobre:

  • O que deve constar em um plano de marketing?
  • Quais são as 3 etapas do plano de marketing?
  • Como fazer um plano de marketing de forma eficiente?
  • Como elaborar um plano de negócio exemplo?

O que é um plano de marketing?

A criação de um plano de marketing exige a criação de um documento que acomoda todas as ideias e o planejamento da estratégia da empresa. Esse plano precisa contar com prazos, objetivos, análises de dados e o máximo de informações possível para orientar a empresa.

Quando se elabora um planejamento voltado para a área de marketing, isso também pode englobar possíveis campanhas. Além disso, as estratégias, o conteúdo criado, a forma de relacionamento com os clientes e tudo o mais que a empresa oferecer.

Portanto, o plano se torna uma ferramenta de gestão. O plano de marketing pdf, deve estar usado como um orientador de estratégias. Todas as ações precisam estar seguidas a risca para que os objetivos estejam alcançados de forma categórica e eficiente.

As ferramentas do marketing, assim como o plano, devem estar vinculadas à gestão da empresa. Ela é parte importante do planejamento tático e faz a conexão com o operacional em cada uma das áreas. Não existem regras quanto ao prazo que se estabelece dentro de um plano de marketing. Contudo, é importante que o documento elaborado siga uma ideia realista de como a empresa trabalha.

Como elaborar um plano de marketing?

Muitas empresas acabam se perdendo no caminho pela falta de um bom planejamento. É comum conhecer alguma empresa dentro da cidade que tenha fechado as portas de maneira rápida. Isso normalmente envolve a falta de um bom planejamento.

Portanto, o primeiro passo para quem está a frente de um novo negócio e quer que ele prospere, é a elaboração de um plano de marketing. Além disso, entender a relevância do plano para o empreendimento é essencial para se dedicar para que ele aconteça.

No começo da elaboração de um plano, é provável que haja uma certa resistência. Principalmente devido a falta de cultura de planejamento. A desculpa, normalmente está voltada para a não compreensão da estratégia e também, falta de tempo.

Entretanto, dedicar tempo para cumprir o que diz o plano, se torna fundamental para seguir o caminho planejado e assim, conquistar o que deseja. É justamente esse entendimento que precisa ser aprendido. É uma maneira de melhorar a gestão e assim, garantir que as atividades fiquem alinhadas com os resultados de marketing. Deve-se pensar nessa ferramenta como uma otimização para garantir os resultados no futuro.

Quando os gestores de empresas conseguem entender como o plano de marketing pronto word, realmente funciona, ele entende que isso não é somente um documento. Mas sim um verdadeiro passo a passo com definições e reflexões do que deve ser feito.

Etapas iniciais

Para elaborar um plano de marketing, é necessário fazer uma pesquisa de mercado. Avaliando as próprias métricas. Ao identificar o cenário atual, então as decisões e reflexões para o futuro devem ser elaboradas para que sejam assertivas.

Quando o plano de marketing não se cria dessa forma, as estratégias desenvolvidas podem não funcionar quando baterem de frente com o mercado. Sendo assim, a realidade da empresa precisa ser o ponto de partida para começar a elaboração do plano de marketing editável, que pode mudar e variar sempre que necessário.

Para criar um bom planejamento, é essencial alinhar os valores e a missão da empresa com os objetivos, para garantir que o plano seja eficiente e esteja a serviço do que a empresa quer. É uma etapa em que os colaboradores precisam fazer parte. Os funcionários são responsáveis por desenvolver as funções internas no dia a dia. Portanto, eles conseguem passar como é a realidade em cada setor.

Todas as informações trazidas, são importantes e devem estar em análise com calma. Além disso, ter a cooperação dos trabalhadores, também ajuda com a motivação interna. Logo, é possível montar uma equipe, ou um time, para criar o plano, juntando inclusive, estratégias de faturamento e vendas.

Os setores da empresa, tanto a parte de finanças quanto compras, podem auxiliar as decisões e como os recursos da empresa estão usados. Além disso, saber como delegar as tarefas, também é fundamental para que todos participem.

Tipos de plano de marketing

Para entrar ainda mais afundo no assunto, é necessário entender, quais são os tipos de planos de marketing, antes de começar a desenvolver e elaborar o documento. Portanto, antes de reunir a equipe para começar a montar a estratégia, é necessário compreender, qual tipo de plano será criado, que podem ser de três maneiras, por níveis, por estratégias e por campanhas. Acompanhe.

Tipos de plano de marketing por níveis

Quando o plano é criado com níveis diferentes de gestão, ele costuma ter mais eficiência. Isso acontece porque a gestão está diretamente ligada a esse tipo de planejamento. Sendo assim, o documento pode ser dividido em níveis diferentes, como estratégia, plano tático e plano operacional.

Quando se monta um plano de marketing estratégico, sua abrangência é mais ampla. Isso porque objetivos de longo prazo também estão inclusos nesse documento. Normalmente não há muitos planos de ação.

Contudo, o plano tático contém as práticas que foram pensadas na estratégia. Por exemplo, se dentro do plano, existe a criação de marketing de conteúdo sendo importante para a empresa, no plano tático é preciso ter o detalhamento de como isso será elaborado.

Ter quem vai ser responsável por essa parte, os cronogramas, as definições e toda a ação que vai entrar em execução. Portanto, embora os planos sejam diferentes, eles se complementam com um único foco. Alcançar os objetivos da empresa.

Os níveis diferentes, devem ser criados em uma cadeia de acontecimentos, como se fosse um passo a passo. E assim, tanto a parte tática quanto a operacional precisam de mão na massa para que o objetivo seja conquistado.

Plano por estratégia

Quando o plano de marketing é montado por estratégias, ele se encaixa no nível tático. Sendo assim, o documento acaba sendo mais objetivo, mais prático e com etapas bem específicas do que precisa ser feito. Esse tipo de plano ainda precisa ser estratégico, mas com decisões que estejam mais orientadas.

Sendo assim, existem alguns exemplos práticos do que precisa como é o caso de plano de marketing digital, para criação de conteúdo, relacionamento com o cliente, redes sociais, endomarketing, produtos, etc. Contudo, vale ressaltar que esse é um tipo de plano usado por empresas maiores, que tenham equipes grandes e várias áreas e setores para adotar as estratégias.

Entretanto, isso pode ser adaptado por empresas menores, que tenham a intenção de crescer. Sendo assim, as estratégias podem ser determinadas para que o marketing seja voltado para o centro dos objetivos do negócio. Ao definir o plano, a empresa cria as estratégias para melhorar os resultados e assim, desenvolve um plano tático para isso.

Plano por campanhas

Já os planos que são elaborados por campanha de marketing, também costumam ser mais específicas. Normalmente, elas se encontrar dentro do nível operacional. Envolvem estratégias de curto prazo, que são mais objetiva e específicas em ações.

Normalmente em estratégias de campanha é possível encontrar ações de dia das mães, eventos de uma forma geral, black Friday, algum lançamento específico, etc.

Ainda assim, esse tipo de estratégia também não pode fugir do que é planejado para o longo prazo e para as estratégias táticas. Por exemplo, se o objetivo é aumentar em 30% das vendas, as campanhas devem ajudar a contribuir com essa meta. Mas nessa etapa, em um curto prazo.

Quais etapas do plano de marketing?

Para começar a elaborar um plano de marketing, a empresa precisa entender que existem etapas para iniciar o processo. Todo o plano criado deve ter uma estrutura, que pode ser ampla e completa. Lembrando que os planos podem sempre ser adaptados de acordo com cada estratégia e objetivo.

Além disso, as etapas do plano, devem passar por um processo de planejamento de marketing. Veja abaixo, quais as etapas essenciais que um plano de marketing precisa passar, para ser elabora com eficácia.

1.      Diagnóstico

O começo da elaboração do plano requer um olhar interno. O primeiro passo é fazer um diagnóstico da empresa, para entender em que situação o negócio se encontra. Olhar e analisar a estrutura atual do negócio, funcionários, número de vendas, faturamento, posicionamento no mercado, recursos disponíveis, objetivos do que é desejado, etc.

Além de colocar todas essas informações no papel, é necessário fazer uma avaliação desses dados. Encontrar os pontos fortes e fracos da empresa, quais as ameaças dentro do ambiente e o que pode ser uma grande oportunidade para influenciar o desempenho.

Existem ferramentas que ajudam na hora de fazer essa avaliação, conhecida como matriz SWOT. É a ferramenta mais indicada para se usar durante essa etapa de diagnóstico.

Ao observar internamente como anda a situação da empresa, fica mais fácil garantir que o plano criado esteja adequado a situação atual. Além disso, é preciso fazer essa avaliação para criar estratégias que caibam dentro do orçamento. Assim fica mais fácil tomar decisões, criar um novo plano para a gestão e cumprir os novos prazos.

2.      Avaliação do negócio

A próxima etapa que faz parte do plano de marketing, é a análise do ambiente da empresa. Essa etapa envolve os dados tanto macro, quanto microambiente. Isso vai esclarecer alguns fatores importantes, que podem afetar ou não o processo de execução do plano de marketing.

Por exemplo, dentro da avaliação macroambiente, é possível ver tendências de região e se há mudanças grandes ou não. Seja a nível país ou mundial. Sendo assim, nessa etapa é possível avaliar a empresa em setor econômico, tecnológico, sociocultural, demográfico, etc.

No que diz respeito a avaliação microambiente, ela envolve a forma como a empresa tua e como os fatores dinamizam entre ambientes. Levando em consideração a rivalidade com os concorrentes no mercado, negociação com fornecedores, clientes, possíveis novos concorrentes, novos produtos e serviços, etc.

Esses fatores juntos, quando estão combinados, podem formar um cenário que auxilia na criação do plano de marketing junto a empresa. Sendo assim, as estratégias elaboradas podem ser otimistas, neutras ou pessimistas, de acordo com essa análise. Portanto, ter essa avaliação feita, facilita a criação e a antecipação de encontrar fatores do ambiente, tanto positivo quanto negativos.

3.      Público alvo e personas

Ainda nas etapas do processo de elaboração do plano de marketing, a definição de um público alvo e personas, deve estar envolvido. Depois que vários dados começam a ser avaliados dentro da empresa, fica mais identificar quem é o público dos produtos ou serviços oferecidos.

Sendo assim, ao ter essa persona em mente, fica mais fácil criar estratégias de marketing, voltadas para esse público e assim, vender mais. O público alvo, nada mais é do que o grupo, os consumidores da marca. Normalmente esse público possui uma certa faixa etária, vive em determinadas regiões ou possui comportamentos semelhantes, etc.

Todas essas informações, auxiliam na criação de novas estratégias para serem montadas dentro do plano. Para fazer uma definição correta e mais realista possível, é necessário avaliar os clientes da empresa. Ao entender quais são as necessidades dessas pessoas e o que a sua empresa atende, fica mais fácil inserir valor no que se tem para oferecer. Tendo isso em mente, o caminho para percorrer fica mais claro.

Depois de definir o público alvo, fica mais fácil encontrar a persona da marca e da empresa. Diferente do público alvo, quando se cria uma persona para a marca, ela possui mais expectativas, mais comportamentos, mais dores que o público alvo em geral.

Persona

Sendo assim, a persona precisa ter características mais profundas. Em definição, se trata de um personagem fictício, que tem como base as informações do público alvo, como se este, fosse o cliente ideal para o negócio. Portanto, ao ter a persona criada, fica mais fácil elaborar qual seria o caminho percorrido por ela dentro da empresa. Como seria a sua jornada de compras.

Ao ter isso elaborado, o plano de marketing tem um norte para ser montado e estruturado. Levando em consideração, todas essas características que foram avaliadas na persona. Em suma, é como se ao saber para quem se vende, fica mais fácil saber, como oferecer os produtos. Essa avaliação é complexa e exige uma análise bem aprofundada de dados, para criar as estratégias de conteúdo.

4.      Avaliação dos concorrentes

Dentre os fatores que precisam ser avaliados um deles é a concorrência. Descubra informações sobre o mercado, sobre as marcas que atuam no mesmo segmento. Procure saber como eles atuam, como atendem o público, como se comunicam, quais são seus resultados e até mesmo, como é feito o marketing e divulgação.

Esse tipo de estratégia envolve ferramentas competitivas que de certa maneira também deve estar dentro do plano para conhecimento.

Sendo assim, fazendo essa análise, muitas vezes é possível descobrir novos insights para elaborar novas estratégias, identificar como se posicionar no mercado, qual a fatia que pode ser da empresa, quais as tendências de marketing e as oportunidades que existem.

Muitas vezes, o pensamento é de que ao estudar o concorrente é algo difícil, pois ninguém expõe os próprios dados. Mas existem formas de fazer essa avaliação e obter esses dados. Um deles é monitorar os próprios movimentos e o comportamento da marca.

5.      Definindo objetivos

Outra etapa importante do plano de marketing, é a elaboração de objetivos. Quando chega essa etapa da elaboração do plano, é preciso que as etapas anteriores já estejam concluídas. Somente dessa forma, eles conseguem ser alinhados a realidade da empresa.

Quando se tem o público, um estudo de mercado, avaliação de concorrência, fica mais fácil saber para que lado ir e assim, definir objetivos concretos. Existem muitas ferramentas para ajudar na elaboração de metas, uma delas é a metodologia Smart que possui características que auxiliam a criar objetivos claros e com prazos para se concluir.

O S, significa specific (específíco), o M, mensearable (mensurável), o A, attainable (atingível), o R, realistic (realista), e o T, time-bound (prazo). Tudo isso precisa estar alinhado a cada meta criada para que ela seja realmente conquistada.

Seguindo essas orientações, fica mais fácil definir as chances de alcance e do sucesso de determinadas metas. Além disso, metas bem elaboradas costumam motivar mais as equipes, desde que ela seja mensurável ou seja, possível e realista.

Além disso, é importante dizer que quanto mais específicas forem as metas, mais chances disso se tornar possível. Por exemplo, não adianta colocar como meta, o objetivo de vender mais.

É preciso dizer como isso deve ser feito, através de que estratégia qual o número de aumento de vendas é o desejado e até quando esse aumento precisa acontecer. Esse é um exemplo simples, mas que deixa claro como um objetivo e uma meta deve ser criado.

6.      KPIs

Após começar a definir metas e objetivos, o KPI é uma etapa mais fácil dentro do plano. Os KPIs são conhecidos como indicadores de sucesso. Sendo assim, para criar as etapa anterior, é preciso usar métricas.

Nesse caso, os indicadores do sucesso, também são métricas, mas se trata dos dados que estão diretamente ligados ao objetivo mencionado. Portanto, métricas são todos os dados que podem ajudar a avaliar uma ação. Enquanto que os KPIs vão mostrar se a estratégia está no caminho certo.

Existem diversas formas de avaliar e acompanhar as métricas, mas o que indica realmente o sucesso de um plano de marketing, são os KPIs. Contudo, vale estabelecer uma metodologia para avaliação e controle dessas informações. Com isso, fica mais fácil fazer ajustes e ir melhorando os resultados para alinhar com os objetivos.

7.      Posicionamento

Toda empresa precisa se posicionar no mercado. Ao ter a definição do público alvo, o posicionamento também precisa seguir definições estratégias. Sendo assim, isso deve estar presente no plano de marketing como uma forma de reconhecimento. O posicionamento permite que os consumidores e público alvo, identifiquem e conheçam a marca. É uma forma de construir uma imagem relevante e que faça com que as pessoas se lembrem da empresa.

Dentro dessa etapa, pode-se dizer que o serviço ou produto da empresa, precisam estar alinhados a marca que ela impõe no mercado. Os valores, o design, preço, tudo precisa seguir uma mesma linha. Isso tudo forma a identificação da marca, que consequentemente se liga ao público.

Muitas empresas que possuem essa etapa bem montada, acabam despertando interesse e com o tempo, isso acaba influenciando a decisão de consumo do público. Dentro da criação das estratégias do plano, esse posicionamento precisa aparecer na publicidade, transparecendo no conteúdo. A identidade visual também é muito importante, já que causa um ponto de contato entre os consumidores.

8.      Recursos disponíveis

Dentro do plano de marketing, uma etapa importante é a definição de orçamentos e recursos para poder investir nas estratégias que estão em desenvolvimento.

Saber quanto se pode investir, e quais são os recursos disponíveis, é essencial para a criação de objetivos plausíveis. Sendo assim, não é possível criar metas que precisem de investimentos altos, e isso interferir no caixa da empresa.

Sendo assim, essa etapa precisa de uma grande atenção e planejamento para definir como será a aquisição de ferramentas, treinamentos novos, campanhas pagas, contratação de serviços ou funcionários, despesas extras, etc.

9.      Estratégias

Nessa etapa, os planos de marketing começam a entrar em ação. É onde as táticas começam a ser colocar em prática, e as estratégias começam a ser definidas. Muitas vezes, durante essa etapa, é comum desmembrar o que foi definido para passar para o nível operacional.

Desmembrar uma meta grande em pequenas metas, é mais fácil de executar. Essa acaba sendo uma estratégia de conquistar um objetivo ou meta maior ou mais complexo. Por exemplo, se a ideia de uma das estratégias é aumentar o número de clientes, a tática precisa consistir em elaborar medidas para que isso aconteça.

Sejam campanhas, promoção de publicações online, entre outras ideias que ajudem a alcançar o objetivo que é aumento o número de clientes. Tudo isso precisa ser pensando durante o desenvolvimento das estratégias do plano de marketing. É importante que junto dessa definição, estejam junto o preço, o produto, a praça e a promoção que será realizada.

Esse mix é chamado de 4 Ps, onde preço indica as variáveis entre o custo e o lucro, a praça é sobre onde a oferta vai aparecer. O produto é o que será oferecido, e a promoção é como será ofertado ao público.

Essa etapa da estratégia auxilia a colocar o nome da marca no mercado. Portanto, também deve estar alinhado a outra etapas que já foram mencionadas, como é o caso do posicionamento e do público. Como se trata de uma etapa de nível de estratégia, é possível detalhar ao máximo como tudo precisa ser feito. Assim como é feito no nível tático.

Além do passo a passo que será realizada a estratégia, nessa etapa também pode estar descrito quais objetivos as ações irão alcançar.

10.  Cronograma eficiente

Como já foi dito, uma meta só é meta quando existe um prazo final para ser cumprido. Sendo assim, criar um cronograma ajuda a organizar e a facilitar a execução de todo o plano de marketing. Ter um cronograma bem montado é importante para verificar os prazos dos objetivos. Além disso, ter um planejamento de cumprimento de ações, mostra envolvimento.

É uma maneira de se comprometer de forma responsável e seguir o que foi elaborado dentro do plano. Quando se fala em plano estratégico, e mesmo que existem objetivos de longo prazo, é preciso que ele tenha etapas a serem cumpridas dentro do cronograma.

Contudo, é essencial que o cronograma seja elabora com prazos realistas. O nível tático e o operacional dentro do plano de marketing deve esta detalhado e com datas precisas para o curto, médio e longo prazo.

11. Desenvolvimento do plano de marketing

Depois de passar por todas essas etapas mencionadas, é o momento de reunir as informações para criar o plano de marketing. Além disso, é o momento de sintetizar os dados, documentar tudo, para que isso sirva de guia para o marketing da empresa.

Não é um trabalho fácil e nem simples de se fazer, mas quando realizado de maneira correta, o plano oferece muitas vantagens. Contudo, é possível adaptá-lo de diversas formas, seguindo as necessidades de cada empresa.

Normalmente o documento é montado seguindo uma estrutura, que leva um sumário, e o diagnóstico da empresa. Em seguida é possível encontrar as demais etapas que foram mencionadas uma a uma, com todos os detalhes que foram levantados.

A criação do documento exige uma linguagem que estimule a equipe. Sendo assim, ele precisa ser feito de forma a envolver e assim fazer com que todos se comprometam em realizar os objetivos. Quando mais detalhes puderem ser incluídos no documento, melhor. Cada uma das etapas precisa estar muito bem explicada para a hora da apresentação. Isso também ajuda a equipe a ter insights que também são importantes.

Durante a elaboração e até mesmo a apresentação do plano de marketing, as dúvidas devem se esclarecer, assim como as informações precisam ficar transparentes, de forma clara e objetiva.

Não há resumos para esse tipo de material, ele precisa ser completo e profundo com todos os dados que precisam ter. Assim como ensinado por instituições especializadas, o plano de marketing – Sebrae pdf é um documento. Portanto, ele deve ficar disponível para todos da equipe, que podem consultar sempre que necessário ou quando houver dúvida.

Dicas para criar um plano de marketing – passo a passo

Ter um plano de marketing é essencial para ajudar a crescer os negócios. Sendo assim, a elaboração de estratégias ajuda a aumentar a visibilidade da marca no mercado, ajuda a atrair mais clientes, etc.

O plano de marketing acaba sendo uma maneira de se tornar referência para o público e até mesmo um destaque. Existe uma frase que diz que quando a empresa não fica vista, ninguém se lembra dela e assim ela não vende e ninguém a procura.

Portanto, quando a intenção é aumentar o número de vendas e atrair clientes é essencial criar um bom plano. Existem algumas dicas que podem ajudar na elaboração, para avaliar e coletar os dados de todas as etapas citadas.

1.      Identifique os problemas que precisam ser resolvidos

Independente de qual seja o segmento da empresa ou da marca, o público alvo sempre tem uma dor ou um problema que precisa ser resolvido.

Com isso, ao identificar esse problema, é mais fácil encontrar a solução para oferecer. Quando a empresa entende que pode solucionar um problema e sabe como fazer isso, ela ajuda o seu público e se torna um produto de maior valor. Seus clientes também obtêm vantagens em adquirir. Esse é o ponto chave de uma boa estratégia de marketing.

2.      O público alvo é o chefe

Toda empresa tem que ter o seu público alvo como se fosse o chefe. Tudo deve ser feito, pensando nele, voltado para ele. Sendo assim, é fundamental conhecer esse público com intenção de oferecer uma solução eficaz.

Com conhecimento, não se perde tanto tempo e nem dinheiro para conquistar esse interesse. As estratégias acabam sendo mais assertivas, o que oferece maior oportunidade de crescimento no mercado. Por isso, é tão importante ter um nicho específico para atuar no mercado. Isso pode ser bem explicado dentro do plano de marketing.

Entender o público alvo, elimina o desperdício de dinheiro em ideias que não vão funcionar com os clientes. Sendo assim, as ações podem poupar investimento e energia naquilo que realmente vai trazer bons resultados.

3.      Identifique as limitações da empresa quanto as ações

Durante o desenvolvimento do plano de marketing, as estratégias ficam elaboradas para se transformar em ações. Quando essa criação está sendo, também é muito importante entender quais as limitações da empresa.

Sejam essas limitações em termos de estrutura ou investimento, essas limitações precisam estar claras, para não gerar uma estratégia maior do que a empresa pode arcar.

Na etapa de orçamentos mencionada acima, essa observação é essencial. Assim como a própria estrutura da empresa. Por exemplo, não adianta criar um plano que envolva uma quantidade maior de funcionários, se a empresa não dispõe dessa mão de obra e nem pode contratar no momento.

Portanto, o bom senso nesse momento é fundamental para criar objetivos que precisam alcançar com os recursos que se tem. Além disso, existem muitas ferramentas baratas e até gratuitas que podem auxiliar e muito em várias das ações criadas dentro do plano.

As ações são importantes, mas elas precisam estar alinhadas com as reais condições da empresa para não gerar prejuízos futuros. É preciso acompanhar de perto, monitorar os resultados, atualizar a estratégia, além de acompanhar o que é novidade. Quando os valores de investimento para executar o plano de marketing estão acima do permitido, as ações precisam ser revistas, já que não é sustentável.

4.      Aproveitando os recursos tecnológicos

As inovações tecnológicas estão sempre sendo criadas para facilitar a vida das pessoas e também das empresas. Com intuito de ajudar, existem muitas ferramentas criadas para negócios, que ajudam a inovar muitos segmentos.

Quem tem loja online e mantém uma presença ativa online, consegue usufruir ainda mais dessas facilidades. Existem muitas formas de incluir facilidades tecnológicos que podem melhorar e facilitar a jornada de compra do público da marca. Basta encontrar o diferencial que isso pode fazer, e encaixar dentro da estratégia do plano de marketing.

5.      A importância das metas

Nas etapas de criação do plano de marketing, abordou o assunto de criação de objetivos e como as metas são importantes. Assim como tudo na vida, quando não se tem um destino, um objetivo final, fica difícil saber para qual caminho seguir. Dentro de um plano de estratégias é importante ter uma meta como rumo, como foco para se empenhar em chegar ao resultado esperado.

As metas precisam ser objetivas e claras, com prazo e cronograma muito bem elaborado. Ter um cronograma ajuda a estimular as pessoas que estiverem envolvidas a resolver o quanto antes, as ações que precisam se realizar.

Uma ótima estratégia, é ligar as metas mais empolgantes para a empresa ou a mais atrativa, com eficiência de ações. Isso acaba gerando uma competição interna, que muitas vezes acelera os resultados.

6.      A importância de um cronograma bem montado

Como mencionado, essa é uma dica fundamental para que uma meta esteja cumprida com eficiência. Ter um cronograma é o que direciona o prazo de cada um dos passos que precisam ir rumo ao objetivo da empresa. O cronograma deve contar todas as metas de curto, médio e longo prazo, e o seu desenvolvimento em etapas. Levando em consideração o prazo final de cada uma delas.

Dentro de um plano de marketing, o cronograma faz parte da estratégia das ações. Portanto, isso ajuda a aumentar a visibilidade da empresa, amplia as vendas e atrai mais clientes.

Contudo, é preciso conhecer como funciona a empresa internamente na hora de elaborar esse cronograma. Ao observar todas as etapas do plano e a elaboração das estratégias, um bom cronograma influencia diretamente no sucesso do negócio.

7.      Revisando de novo e de novo

Grande parte das empresas, costumam pular essa etapa. Mas depois de elaborar o plano de marketing, é preciso revisá-lo, avaliar e entender se é possível realizar aquilo ou não, se é viável, etc. A reavaliação é crucial para descobrir se o negócio pode continuar sendo lucrativo. Além disso, cada resultado obtido, é importante avaliar se o caminho está sendo como o esperado, se os investimentos estão valendo a pena.

Essa é uma dica que pode ser feita tanto antes de começar a colocar tudo em prática, como depois de começar e já obter os primeiros resultados. Essa reavaliação é essencial para se manter no processo e continuar obtendo resultados positivos. Fica mais fácil entender se os resultados realmente são positivos e se o caminho percorrido está sendo assertivo.

O marketing precisa ser um processo contínuo, que vai continuar exigindo análises e avaliações constantes. De anda adianta criar uma estratégia perfeita, sem mensurar os resultados das ações.

O que é um plano de marketing e qual a sua importância?

Toda estratégia de marketing está voltada para vantagens e benefícios frente ao mercado, ou seja, tem a intenção de gerar mais lucro. Todo o processo exige diversas avaliações e análises de dados para que o plano seja eficiente. Sendo assim, o plano de marketing se faz importante, devido a forma de alcançar objetivos e resultados que sejam satisfatórios para a empresa.

Tudo precisa estar alinhado com as metas e o objetivo de onde a empresa quer chegar, mas o plano é a direção para onde se deve seguir. O planejamento é uma forma de gestão. De gerir a equipe em uma direção, rumo a um objetivo claro, dentro de um determinado tempo.

Além disso ter uma grande importância dentro de uma estratégia de crescimento, também é muito vantajoso quando se pensa em fazer a empresa alcançar suas metas. O foco é o maior auxiliar de todo o processo, e por isso ter uma boa comunicação interna com a equipe e todos os membros que estiverem participando do plano é essencial.

Além disso, o plano de marketing deve auxiliar na gestão. Portanto, também serve como guia e ajuda a orientar na tomada de decisões que são mais importantes. Contudo, também favorece a elaboração de campanhas de marketing mais eficientes. Garantindo uma boa contribuição para embasar ações e resultados que estejam alcançados.

Como colocar o plano em prática?

Depois de tudo que já foi dito, o principal intuito de criar um plano de marketing é ter um rumo por onde trabalhar, por onde percorrer com a empresa. Sendo assim, não adianta criar um processo estratégico perfeito, com as táticas mais assertivas, e não as seguir. Todas as definições precisam estar colocadas em prática conforme o planejado.

Como mencionado no começo do texto, os níveis do plano que envolvem estratégia, plano tático e operacional, precisam ser bem estruturados.

Depois de ter tudo muito bem descrito e detalhado, ainda é possível desmembrar ações que tenham como metas um operacional mais complexo. Isso facilita a ação, além de melhorar a motivação em ir cumprindo pequenas metas que se tornam uma meta maior.

A execução das estratégias deve seguir o cronograma corretamente, levando em consideração seus prazos e detalhes. Dentro do nível operacional, a gestão deve detalhar planos de ação para só aí executar. A descrição dentro do plano de marketing para colocar em prática, precisa conter todas as atividades realizadas. Além disso, o prazo da execução também deve estar descrito para cada uma das atividades, assim como a forma de executá-las.

Designação de tarefas

Caso houver designação de tarefas para determinados funcionários, isso também deve estar descrito, assim como a verba que se pode usar para cada uma das atividades. Uma maneira de conseguir deixar toda a equipe motivada durante a prática do plano de marketing, é tornar o documento público e disponível para todos que queiram consulta-lo.

Além disso, fazer reuniões, mostrando os resultados positivos alcançados, elogiando o trabalho e cooperação de todos, também ajuda com a gestão e o propósito de todos os envolvidos. Dentro do marketing, o mais importante são as metodologias de gestão que podem se aplicar. Várias ferramentas conseguem deixar a gestão mais rápida e mais facilitada.

Contudo, de maneira tradicional, as abordagens dentro de cada empresa podem variar. O mais importante é seguir uma abordagem em sequência, para seguir o plano montado.

Tudo se resume a seguir o cronograma, cada uma das etapas montadas, para obter os resultados esperados. Portanto, independente de qual sejam as ferramentas ou a metodologia usada, o mais importante é a revisão do plano que precisa ser feito com frequência.

A criação de um plano de marketing não pode ser rígido ou engessado e fazer isso da maneira como está no papel 100%. É preciso ter flexibilidade para adaptar algumas ações se necessário. Portanto, a reavaliação precisa ter rotinas pré definidas para manter o controle. Os KPIs precisam ficar monitorados de perto, mesmo depois que o plano já estiver completo.

Melhores estratégias para colocar dentro do plano de marketing

Cada empresa precisa identificar suas próprias necessidades com relação ao que é melhor para si própria. Contudo, existem muitas estratégias que podem auxiliar de forma facilitada, a chegar ao objetivo desejado.

Dentro do marketing, as formas de usar estratégias para conquistar objetivos são infinitas, principalmente no marketing digital. Sendo assim, veja abaixo algumas opções que podem ser importantes para traças metas dentro de um plano específico.

Cada um dos tópicos a seguir, deve estar alinhados com as análises criadas pelas etapas de criação do plano de marketing, principalmente para estar ligada as especificidades de cada empresa.

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo se trata da produção de conteúdo voltado para um público, que seja relevante para ele e ao mesmo tempo influencia sobre a marca. Existem diversas estratégias para criar usando essa opção.

A principal forma de desenvolver o marketing de conteúdo, é criando autoridade na internet, através de conhecimentos. Isso ajuda a melhorar a percepção do público sobre a marca, gerando inclusive leads sobre o conteúdo. Melhorar o ranqueamento dos conteúdos usando técnicas de SEO, redes sociais, canais e blogs, são alguns dos principais pilares para gerar conteúdo e conquistar audiência.

Inbound marketing e outbound marketing

Quando se fala em inbound marketing, a referência está voltada para a atração de novos clientes. Dentro do processo do plano, esse é o início de um relacionamento que precisa se manter nutrido ao longo dos anos.

No funil de vendas ele seria o topo do funil. Onde com as técnicas e as estratégias certas, é possível ir levando o possível cliente por todas as etapas, até a compra. O Inbound Marketing também pode ser chamado de marketing de atração.

Uma das principais estratégias usadas nessa etapa, é a conquista do lead. Ao adquirir o contato dos possíveis consumidores, ir levando ele por um caminho de conhecimentos até que esse interesse evolua para a compra de fato. No que diz respeito ao outbound marketing, essa etapa diz mais respeito a prospecção de clientes. Sendo assim, ao invés e falar sobre a tração, aqui as estratégias vão até os clientes.

Dentro do marketing digital, existem muitas estratégias para usar o outbound marketing, como campanhas, anúncios, links patrocinados, banners, etc. Todos eles com grande poder segmentação, inclusive maior que estratégias orgânicas. Contudo, é possível conciliar as duas técnicas. Tanto a atração quando a busca de novos consumidores. Tudo vai depender da etapa em que se encontra o consumidor dentro da jornada de compra.

Marketing de retenção

A retenção é a estratégia criada para manter o cliente com sua atenção voltada para a empresa. Ele tem como base o marketing de relacionamento, mas o principal objetivo é a fidelização. Muitas pessoas se esquecem dessa etapa quando cria o plano de marketing, mas ela é fundamental para uma possível recompra e até mesmo uma indicação pessoal.

Fidelizar clientes é o que faz com que o consumidor não vá atrás da concorrência. Existem muitas maneiras de fazer isso, levando em consideração cada segmento e o relacionamento de cada empresa com seu público.

Marketing de relacionamento

As estratégias usadas ao longo do processo, precisam acompanhar a jornada de compra do consumidor. Mantê-lo por perto oferecendo ofertas, conteúdos que sejam relevantes para ele e criar abordagens personalizadas é essencial durante o processo.

Existem vários canais e várias maneiras de fazer isso acontecer. O mais comum atualmente, é através das redes sociais. Através das redes, fica mais fácil se manter próximo do público, entendendo o que ele deseja, para estreitar cada vez mais o relacionamento. Isso é fundamental para amadurecer uma decisão de compra, além de gerar confiança e influência sobre o cliente.

Marketing de influência

Essa é uma estratégia bastante comum que grandes marcas têm adotado, que é apostar em parcerias entre outras empresas e também influenciadores digitais. Esse tipo de estratégia, garante uma certa proximidade com o público, principalmente ao escolher personalidades que as pessoas admiram e confiam.

O marketing de influência tem dado muito resultado atualmente, principalmente pela capacidade que auxiliar em decisões de consumo. De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto McKinsey, o boca a boca e recomendações de pessoas conhecidas sobre determinado produto ou marca, tem muito mais efeito do que indicações de vendedores em lojas físicas.

De uma forma prática, o marketing de influência é uma maneira de tornar a sua marca conhecida, através de outras pessoas que também consomem os seus produtos.

Foco em branding

Dentro das estratégias do plano de marketing, o branding é essencial para caracterizar a empresa perante o mercado. Criar uma boa logo, usar uma paleta de cores marcante para o negócio, ter um bom nome, faz parte desse tipo de estratégia.

As boas técnicas de branding, podem ficar inseridas aos poucos dentro da estratégia de marketing, mas ela é importante para garantir o reconhecimento da marca. Atualmente, devido as redes sociais, essa acabou se tornando uma grande tendência, devido a atratividade que uma marca bem montada e bem pensada, consegue causar na audiência.

Comprar produtos ou serviços de empresas e marcas que tenham uma personalização e preços competitivos, acaba sendo mais interessante para o público atual. Portanto, isso acaba gerando uma promoção maior para as marcas que se dedicam e investem em branding. Os materiais publicitários fazem parte dessa estratégia, deixando os produtos mais atrativos.

Portanto, a interatividade com o público, mas a criação de um conteúdo de alto valor, acaba valorizando a jornada do cliente. Sendo assim, a empresa consegue aderir com mais facilidade as estratégias. Em conclusão, todo plano de marketing criado se torna um instrumento fundamental para qualquer tipo de negócio. Independente de qual seja o seu tamanho. Valorizar uma marca é parte fundamental da gestão de qualquer negócio.

Além disso, os processos são importantes para garantir eficiência durante as ações. Por isso é tão importante que os estudos sejam feitos com atenção e muito planejamento. Isso é o que garante toda a estruturação das estratégias de marketing da empresa.

Deixe seu comentário