Aqueles que em algum momento refletiram sobre a vida de uma forma mais detalhada notaram que para toda causa existe um efeito, e é basicamente nisso que consiste o Princípio de Pareto 80/20.

No entanto esse princípio, que mais serve como uma regra, mostra de forma lógica como cerca de 80% dos efeitos são acontecem devido a apenas 20% das causas.

Apesar de parecer um conceito subjetivo e abrangente, sua aplicação é vasta em diferentes âmbitos da vida: desde empreendimentos, estudos até em aspectos da vida.

Em suma, o Princípio de Pareto é uma forma de parametrizar causa e efeito. E a formulação desse conceito surgiu a partir da inspiração de um consultor de negócios, Joseph Moses Juran, sobre o pensador italiano Vilfredo Pareto.

Basicamente, ele se inspirou no raciocínio de Vilfredo para implementar maneiras de gerir qualidade em seus negócios.

Esse raciocínio partiu da observação de Pareto sobre uma plantação de ervilhas. Pareto notou nessa plantação que apenas 20% das vagens produziam 80% das ervilhas da plantação.

A partir disso, diversos outros estudiosos, inclusive Joseph Moses, começaram a usufruir desse princípio para análises em diferentes áreas do conhecimento.

Mas foi a partir da disseminação dos conhecimentos em Administração e Marketing que a regra 80/20 popularizou-se.

Enfim, sem mais delongas, aqui iremos abordar detalhes sobre o Princípio de Pareto, suas aplicações e alguns exemplos para que os leitores possam compreender e aplicá-lo em seus negócios e situações rotineiras.

O que é o Princípio de Pareto?

A consciência é uma verdadeira dádiva para aqueles que a possuem sobre suas práticas cotidianas. E não é preciso conhecer o conceito do Princípio de Pareto para saber que apenas 20% de uma causa gera 80% dos efeitos.

Basta um pouco de observação e contemplação dos fatos para notar que são é a atenção aos detalhes que faz a diferença. Seja em um negócio, nos estudos ou mesmo na vida.

No entanto, ter o conhecimento do que se trata o Princípio de Pareto pode ser um divisor de águas na vida de alguém.

Por exemplo: ao estudar para o Enem, um estudante pode observar que apenas 20% do que estudou com afinco gerou 80% de seus resultados na prova.

O mesmo vale para um empreendedor: na tentativa de contabilizar a receita por cada cliente, é possível notar que apenas 20% dos clientes geram 80% da receita em caixa.

Ou senão, ao observar o estoque de produtos é possível notar que apenas 20% dos produtos são responsáveis por gerar 80% da receita.

Mas, afinal, como isso pode contribuir para a otimização dessas áreas específicas? É simples!

A partir do Princípio de Pareto é possível notar qual é a melhor conduta a tomar de acordo com a realidade em que os efeitos geram.

Se apenas 20% dos esforços/produtos/clientes são responsáveis por 80% dos resultados, então há apenas duas maneiras de gerir a situação.

Ou focar os esforços nos 20% ou remanejar os esforços para ter um maior aproveitamento do todo. Em suma, esse princípio é um parâmetro para Causa e Efeito que ao ser conscientizado por um indivíduo, pode gerar resultados incríveis em qualquer tipo de empreitada.

Como surgiu o Princípio de Pareto?

O Princípio de Pareto surgiu após os esforços de Joseph M. Juan embasar-se no conceito da Eficiência de Pareto criado pelo franco-italiano Vilfredo Pareto.

Em suma, a Eficiência de Pareto consiste na ideia de que a alocação de um recurso não pode ser alterada sem que outro recurso possa afetar diretamente qualquer outro recurso.

Vilfredo, além de cientista político e sociólogo era também economista. E em um de seus estudos trouxe a tona uma das primeiras observações que tiveram como base sua teoria de eficiência.

Foi no ano de 1897 que Pareto executou um estudo sobre a distribuição de renda. A partir desse estudo ele trouxe à tona a ideia de que a distribuição do dinheiro não acontecia em uniformidade.

A partir disso, ele observou que 20% da parcela populacional que estudou concentrava 80% da riqueza. Tudo isso alinhado ao uso da ideia da curva de indiferença.

Enfim, tendo como inspiração toda a ideologia de Pareto, o consultor de negócios Joseph M. Juan começou a aplicar o princípio de forma adequada ao seu controle de qualidade e melhoria.

Com o passar do tempo, esse princípio ganhou aplicações em diversos âmbitos da organização humana. Hoje em dia, desde a área de economia, computação, esportes, saúde, matemática e segurança ocupacional usufruem desse conceito concebido por Pareto e adaptado por Joseph M Juan.

Sua aplicabilidade é tamanha que até mesmo na tributação dos EUA esse princípio é usado para taxar os mais ricos. Ou seja, os 20% mais ricos pagam cerca de 80% a 90% dos impostos do país.

E para aqueles que pensam que isso não está presente de forma alguma na realidade global, estão enganados.

O princípio de Pareto é usado pela Microsoft na manutenção de 20% dos bugs mais notificados para obter 80% de concerto de erros em seus softwares.

Como você deve usar o Princípio de Pareto na prática?

Assim como proposto anteriormente, o Princípio de Pareto possui uma grande aplicabilidade em diversos âmbitos da vida.

Entre as possibilidades de aplicação desse princípio está a delegação de tarefas. E isso pode ser muito útil para quem tem um empreendimento, por exemplo.

Por exemplo: se em uma empresa 20% dos funcionários geram 80% da produtividade do negócio, é de se deduzir que deve-se deduzir os demais, não é mesmo?

Não! Longe disso. Na verdade, enquanto os 20% estão sendo mais produtivos dentro daquilo que são melhores em fazer, é importante alocar os demais em atividades onde serão melhores aproveitados dando suporte aos que são mais produtivos. Assim o aproveitamento torna-se maior e todos saem ganhando.

Esse princípio também é totalmente aplicável para gerir melhor o próprio tempo de trabalho. Quando mais novos somos levados a pensar que trabalhar duro é a única maneira de constituir riqueza, ter reconhecimento e ser um bom profissional.

No entanto, o bom trabalhador é aquele que consegue gerenciar melhor seu próprio tempo de acordo com sua produtividade.

E ao observar o próprio cotidiano é possível notar que a produtividade concentra-se apenas em 20% do tempo diário.

Com isso, é de extrema importância concentrar os próprios esforços dentro dessa brecha de produtividade do dia. Assim, é possível obter 80% dos resultados com apenas 20% de tempo do dia usado.

Isso irá gerar não só mais aproveitamento no trabalho, como também mais produtividade e qualidade de vida.

Princípio de Pareto na vida

Agora que trouxemos a tona a possibilidade de aplicação do princípio de Pareto em diferentes âmbitos da vida queremos trazer mais alguns para a vida em si.

Aplicar o principio de Pareto na vida pode parecer algo subjetivo a primeira vista. No entanto, ao olhar a fundo quais são as áreas mais disfuncionais da vida é possível observar que uma boa parte delas se dá por uma má gestão de recursos, tempo ou quaisquer outras causas de problema.

Ao notar que gastamos muito do nosso próprio tempo executando coisas que não agregam em nossa vida, é possível inferir que devemos dar mais prioridade as poucas coisas que fazemos para ter uma vida mais plena, fluida e com aproveitamento.

Por exemplo: às vezes passamos mais tempo mexendo no celular, abrindo e fechando aplicativos como o Instagram, do que fazendo leituras.

Veja, não existe nenhum problema em querer usar o celular ou procrastinar um pouco. Mas uma vez que isso se torna um hábito, dificilmente conseguimos combater. E a vida acaba se tornando uma grande sucessão de situações que trazem preocupações, coisas a fazer e quando menos notamos, temos uma bola de neve em nossas mãos.

Por isso, usar o princípio de Pareto para gerir melhor o próprio tempo, esforços e empenho em algum âmbito da vida pode ser muito positivo para viver o melhor que a vida reserva.

É claro, isso não serve como regra. No entanto, é uma alternativa para aqueles que se veem sempre tão atarefados, usando o próprio tempo com amizades que não agregam com exercendo atividades que não levam a lugar nenhum.

Princípio de Pareto nos estudos

Nos estudos o princípio de Pareto pode ter uma significação muito maior do que na vida como um todo. A partir de sua aplicação é possível identificar as áreas do conhecimento que demandam mais atenção e aquelas em que possui-se mais afinidade ou maestria.

A partir da identificação de pontos de aperfeiçoamento nos estudos usando o princípio de Pareto é possível programar-se melhor para concursos, testes e provas.

Por exemplo: ao entrar em um vestibular, um estudante pode separar uma parte de seu tempo para observar o edital ao invés de concentrar todo seu tempo no estudo de figuras de linguagem , onde possui dúvidas.

Com isso, ele se torna capaz de discernir o que deve cair na prova do que está inscrito no edital como previsto de ser cobrado.

Assim, tendo como base provas antigas ou os tópicos de maior relevância, é possível saber como direcionar os próprios esforços para obter bons resultados na prova em questão.

Então, identificando as matérias e conteúdos a serem estudados é possível criar uma lista de estudos. Nessa lista os conteúdos podem ser subdivididos entre pontos fortes e fracos.

Assim, os pontos fortes são aqueles nos quais tem-se maior segurança em executar na prova. Ao passo que os pontos fracos são aqueles que se sente maior insegurança de execução.

E para saber o nível de segurança que se tem sobre cada um dos pontos não é preciso definir um grau de know-how entre cada um dos pontos selecionados.

Na verdade, é preciso realizar uma série de exercícios para ver em quais demonstrou-se ter maior domínio e aproveitamento em acertos.

Assim será possível calcular os acertos e os erros e parametrizar de acordo com o princípio de Pareto a melhor maneira de condicionar os estudos para obter bons resultados na prova.

Princípio de Pareto no trabalho e negócios

Para o trabalho o princípio de Pareto possui diversas aplicações. Essas vão desde aplicações nos negócios quanto aplicações na prpdutividade.

Anteriormente mencionamos de forma mais abrangente como fazer o uso dessa princípio para a produtividade. No entanto, aqui iremos nos aprofundar nisso e também em sua aplicação para os negócios.

Bem, primeiramente, a aplicação do princípio de Pareto para negócios mais tem a ver com o ramo da administração.

Na verdade, esse principio é muito usado por profissionais da área. Em suma, 80% dos resultados de um negócio vêm apenas de 20% dos clientes.

Então, para tornar um negócio mais lucrativo e assertivo é possível tomar como base essa informação para direcionar os esforços sobre os produtos mais consumidos por esses 20% de clientes.

Assim , ao notar que esses clientes consomem muito mais de um produto do que do outro, é necessário gerar maneiras de condicionar o consumo dos produtos que tem menos saída. Seja por meio de liquidações ou quaisquer outras alternativas viáveis.

Dessa forma, torna-se possível liquidar o estoque de produtos menos consumidos para que seja possível comercializar aqueles que tem maior fluxo de consumo. E os consumidores que procuravam mais por um produto do que outro, por reconhecer a qualidade dos produtos fornecidos(os mais vendidos), os consumirão em integralidade.

Assim o empreendimento direciona seus esforços em seu “carro chefe”. Já para a produtividade, a lógica alinha-se ao que fora proposto anteriormente em nosso artigo.

Basta concentrar os esforços no trabalho nas parcelas do dia em que a produtividade se concentra em maioria. No caso, são momentos do dia menores do que os momentos improdutivos. Ao notar que 80% dos resultados gerados num dia provém de 20% dos esforços é possível concentrar-se o uso desse momento e gerar resultados em menos tempo. Ou seja, ter um maior aproveitamento.

Princípio de Pareto no Marketing

Enfim podemos retratar mais de um âmbito em que possuímos verdadeiro domínio: o Marketing. A Visão Confiável é uma empresa que preza pelo uso do conhecimento para otimizar resultados, relacionamentos e escalar os negócios.

E como estamos sempre buscando o melhor para nossos clientes e visitantes de nosso site, decidimos trazer a aplicabilidade do princípio de Pareto no Marketing.

Enfim, para abordar o principio de Pareto no Marketing queremos trazer aqui um questionamento sobre as redes sociais.

Como será que a maioria das empresas que se encontram no digital hoje em dia tem cuidado das redes sociais ultimamente?

Bem, talvez nem todas façam o uso das melhores estratégias possíveis para obter bons resultados. Na verdade, a grande maioria preza apenas por fatores estéticos, publicações “frias” e nada de métricas ou engajamento.

Mas algo que é importante é saber que apenas 20% dos seguidores consomem 80% dos conteúdos. E isso não é algo negativo ou positivo. Apenas é o que é. Mas o que pode ser feito a partir disso que é a grande virada de chave.

Ou seja, apenas 80% dos conteúdos são relevantes para uma pequena parcela de pessoas. Mas os resultados obtidos com isso podem não estar sendo os melhores pelo fato de que os outros 20% dos conteúdos não são capazes de converter os leads.

E é aí que entra o poder do princípio de Pareto otimizado com conhecimentos de Marketing. Esses 20% devem ser direcionados para a criação de conteúdos de venda, promocionais e afins.

Assim as redes sociais passam a ser muito mais do que um local de posicionamento digital, mas um lugar de conversão de leads.

Conclusão

A partir desse artigo foi possível abordar o princípio de Pareto de forma a abranger diferentes âmbitos de aplicação.

Nossa intenção aqui, na verdade, é mostrar como essa regra que parametriza causa e efeito pode ser tão útil para diferentes pessoas: desde trabalhadores, empreendedores até estudantes.

Quando Vilfredo Pareto trouxe à tona suas observações sobre seu princípio, ele o fez partindo do despertar de um conhecimento presente na natureza. Foi a partir de sua plantação de ervilhas que notou primordialmente a regra 80/20.

E então só depois concebeu sua ideia de Eficiência. Mas algo que deve ser ressaltado é que ele partiu da observação de aspectos que se encontram iminentemente presentes em diversos âmbitos da natureza, da vida e da organização do homem na sociedade.

Aliás, essa é a grande “sacada” por trás do Princípio de Pareto: ele é fruto da observação profunda daquilo que está óbvio, mas que devido a ocupação com outras coisas acabamos negligenciando.

Por isso que logo no início de nosso artigo propomos que a consciência é uma verdadeira dádiva para aqueles que a possuem sobre suas práticas cotidianas.

Afinal, foi a partir do exercício dela que tanto Pareto quanto Joseph M Juan puderam conceber princípios tão bem aplicáveis em diferentes âmbitos da vida.

Por fim, queremos ressaltar que ao abordar de forma breve a aplicação desse conceito dentro do Marketing quisemos também propor uma de nossas condutas no tratamento de serviços ligados a redes sociais e marketing digital.

Nós da Visão Confiável estimulamos sempre nossa equipe em aplicar seus conhecimentos de forma que gerem impactos positivos para nossos clientes. Seja na redação para blogs ou notícias, seja na criação de sites, consultoria de SEO ou em qualquer outro serviço que prestamos.

Deixe seu comentário